conecte-se conosco


Brasil

20% dos servidores do governo federal têm funções que poderão ser feitas por máquinas, diz estudo

Publicado

Estudo analisou 521,7 mil servidores do Poder Executivo federal e apontou que mais de 100 mil estão em ocupações com alta propensão à automação. São funções que exigem menores níveis de escolaridade e têm remunerações mais baixas

Um a cada cinco funcionários públicos civis do Executivo federal têm ocupações com “elevado potencial” de terem tarefas substituídas por máquinas nas próximas décadas.

Essa conclusão é parte de uma pesquisa que está em desenvolvimento a pedido da Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e teve resultados divulgados em artigo assinado pelos economistas Willian Adamczyk, Leonardo Monasterio e Adelar Fochezatto.

Eles apontam que se trata do primeiro estudo focado nos possíveis efeitos da automação para o setor público no Brasil.

Mas os resultados não implicam necessariamente na dispensa do trabalho de alguns servidores, esclarece Adamczyk à BBC News Brasil.

O pesquisador diz que identificar tarefas que podem ser substituídas por máquinas podem ajudar o governo a determinar habilidades necessárias para requalificar os servidores atuais e também para futuras contratações.

Altos salários e ‘regalias’: por que a reforma administrativa de Bolsonaro é mais branda do que desejava Paulo Guedes

Turnos alternados? As ideias que podem mudar o ambiente de trabalho pós-coronavírus

O estudo é baseado na construção de algoritmos capazes de prever a propensão à automação de cada função e aumentar assim a produtividade e reduzir custos no serviço público.

O ponto de partida dos autores é que o setor público segue, com defasagem, as tendências de automação do setor privado.

Eles analisaram as funções de 521,7 mil servidores civis do Executivo federal. Esse é o total de funcionários do governo federal com carga horária igual ou superior a 40 horas semanais que havia em 2017, segundo os dados do Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siape).

A pesquisa constatou que mais de 100 mil estão em ocupações com alta propensão à automação — ou seja, pouco mais de 20%.

Considerando todas as cargas horárias, a quantidade de servidores civis do Executivo no fim de 2017 chegava a 634,1 mil. Hoje, com aposentadorias e menos concursos para reposição de funcionários, esse número caiu para 601,9 mil, de acordo com o Painel Estatístico de Pessoal.

Ocupações com mais chances de automação

As ocupações com mais chances de automação têm em comum menores níveis de escolaridade e remunerações mais baixas.

Por isso, a participação desse grupo na folha de pagamento é menor: representam R$ 595 milhões do total de mais de R$ 5 bilhões da folha mensal do Executivo federal referente a 2017. Isso equivale a pouco mais de 11%.

Com maior propensão à automação, aparecem nas primeiras posições técnicos de sistemas audiovisuais, além de servidores da construção civil, como armador, pedreiro, pintor e carpinteiro.

A remuneração média desses profissionais está abaixo da média de R$ 9.913 para o total de ocupações analisadas.

“No caso do pedreiro, a automação pode se dar por inovações nos processos de construção, como o uso mais intensivo de pré-moldados, ou processos que ainda não são economicamente viáveis, como a impressão 3D em larga escala”, diz Adamczyk.

A maioria dos funcionários públicos com cargo de pedreiro já está aposentada, mas hoje existem mais de 200 servidores na ativa com essa função, vinculados principalmente a universidades federais, segundo o Painel Estatístico de Pessoal.

Na outra ponta, com os menores riscos de substituição por inteligência artificial, estão as funções de pesquisadores (em engenharia, saúde, ciências sociais, educação), perito criminal, biólogo, gerente de serviços de saúde e psicólogo clínico.

A maioria dessas funções tem remunerações acima da média de R$ 9.913 para o total de ocupações analisadas.

Leia mais:  Avon demite executiva acusada de manter idosa em situação análoga à escravidão
publicidade

Brasil

Caixa paga novas parcelas do auxílio nesta quarta-feira

Publicado

Serão beneficiados 3,6 milhões nascidos em outubro, além do grupo do Bolsa Família, com final 8 do NIS, que recebe a parcela extra de R$ 300

A Caixa paga nesta quarta-feira (28) novas parcelas do auxílio emergencial para 5,2 milhões. Serão beneficiados 3,6 milhões nascidos em outubro, que fazem parte do ciclo 3 do calendário, sendo 1,3 milhão da 1ª à 5ª parcela de R$ 600 e 2,3 milhões com a extra de R$ 300.

Outros 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com NIS final 8 recebem a segunda parcela do auxílio emergencial extra, de R$ 300. O pagamento para o esse grupo segue até o dia 30, para os que têm o NIS final 0.

Para o grupo do ciclo 3, o valor é depositado conta poupança digital e o saque liberado apenas em 1º de dezembro. Até lá, o valor pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem, que permite fazer compras, pagar boletos, contas de água, luz, telefone, entre outros serviços.

Extensão do auxílio

O auxílio foi pago a 67,7 milhões de pessoas, num total de R$ 231,2 bilhões desde abril. De três parcelas, o benefício passou para cinco de R$ 600 cada, no caso de mãe chefe de família, R$ 1.200. Depois, foram definidas mais quatro com valor menor, de R$ 300, até dezembro.

Não há necessidade de novo requerimento para receber a extensão do auxílio. Somente aqueles que já foram beneficiados e que se enquadram nos novos requisitos estabelecidos por medida provisória terão direito a continuar recebendo o benefício.

Pelas novas regras, a declaração do Imposto de Renda 2020 será critério de exclusão para quem teve rendimentos superiores a R$ 28.559,70 em 2019 ou bens e direitos de valor superior a R$ 300 mil reais em 31 de dezembro de 2019. Quem mora no exterior ou presos em regime fechado também foram excluídos do pagamento.

Calendário do Bolsa Família

NIS final 8 – 28 de outubro

NIS final 9 – 29 de outubro

NIS final 0 – 30 de outubro

Calendário dos demais grupos

Ciclo 3: quem recebeu a primeira parcela em abril e passa a ganhar a extra de R$ 300; também inclui aqueles que estão recebendo as demais parcelas de R$ 600.

Ciclo 4: aqueles que receberam a primeira em maio e passam a ganhar a extra.

Ciclo 5: beneficiários que receberam a primeira parcela em junho.

Ciclo 6: receberam a primeira parcela do benefício em julho.

Depósito em conta digital

Para o ciclo 3

28 de outubro – nascidos em outubro

29 de outubro – nascidos em novembro

1º de novembro – nascidos em dezembro

Para o ciclo 4

30 de outubro – nascidos em janeiro

4 de novembro – nascidos em fevereiro

5 de novembro – nascidos em março

6 de novembro – nascidos em abril

8 de novembro – nascidos em maio

11 de novembro – nascidos em junho

12 de novembro – nascidos em julho

13 de novembro – nascidos em agosto

15 de novembro – nascidos em setembro

16 de novembro – nascidos em outubro

18 de novembro – nascidos em novembro

20 novembro – nascidos em dezembro

Saque em dinheiro

Para os ciclos 3 e 4

7 de novembro – nascidos em janeiro e fevereiro

14 de novembro – nascidos em março

21 de novembro – nascidos em abril e maio

24 de novembro – nascidos em junho

26 de novembro – nascidos em julho

28 de novembro – nascidos em agosto e setembro

1º de dezembro – nascidos em outubro

5 de dezembro – nascidos em novembro e dezembro

Depósito em conta digital

Para o ciclo 5

22 de novembro – nascidos em janeiro

23 de novembro – nascidos em fevereiro

25 de novembro – nascidos em março

27 de novembro – nascidos em abril

29 de novembro – nascidos em maio

30 de novembro – nascidos em junho

2 de dezembro – nascidos em julho

4 de dezembro – nascidos em agosto

6 de dezembro – nascidos em setembro

9 de dezembro – nascidos em outubro

11 de dezembro – nascidos em novembro

12 de dezembro – nascidos em dezembro

Para o ciclo 6

13 de dezembro – nascidos em janeiro e fevereiro

14 de dezembro – nascidos em março

16 de dezembro – nascidos em abril

17 de dezembro – nascidos em maio

18 de dezembro – nascidos em junho

20 de dezembro – nascidos em julho e agosto

21 de dezembro – nascidos em setembro

23 de dezembro – nascidos em outubro

28 de dezembro – nascidos em novembro

29 de dezembro – nascidos em dezembro

Saque em dinheiro

Para os ciclos 5 e 6

19 de dezembro – nascidos em janeiro e fevereiro

4 de janeiro – nascidos em março

6 de janeiro – nascidos em abril

11 de janeiro – nascidos em maio

13 de janeiro – nascidos em junho

15 de janeiro – nascidos em julho

18 de janeiro – nascidos em agosto

20 de janeiro – nascidos em setembro

22 de janeiro – nascidos em outubro

25 de janeiro – nascidos em novembro

27 de janeiro – nascidos em dezembro.

Leia mais:  É meu dever’, diz 1ª brasileira a testar vacina contra covid-19
Continue lendo

Brasil

PF na cola de suspeito de usar nomes de Neymar e Luciano Hang para receber auxílio emergencial no Ceará

Publicado

Polícia afirma que investigado também tentou aplicar golpe semelhante utilizando o nome do ministro da Economia, Paulo Guedes.

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta terça-feira (27), um mandado de busca e apreensão em Fortaleza contra um suspeito de aplicar golpes para receber o auxílio emergencial do governo federal utilizando dados de figuras públicas como o jogador Neymar, o empresário Luciano Hang e o ministro da Economia, Paulo Guedes. O investigado abriu contas fraudulentas na Caixa Econômica Federal para obter o benefício de R$ 600. Nenhum dos citados tem envolvimento com os crimes.

No endereço do suspeito, foram aprendidos documentos e mídias que serão submetidos à perícia. Em uma das ações, de acordo com as investigações, o homem abriu duas contas usando os dados de Neymar, sendo uma delas com o objetivo de receber o auxílio.

Segundo a PF, também foi identificada aprovação do benefício em nome de Luciano Hang, cujo valor foi transferido para a conta fraudulenta aberta com as informações de Neymar, nos meses de abril e maio deste ano.

A investigação apurou que o homem tentou ainda aplicar golpe semelhante utilizando o nome do ministro da Economia, Paulo Guedes, e conseguiu cadastrar diversas pessoas para o recebimento de parcelas sacadas por ele.

Caso as denúncias sejam comprovadas, o investigado e quaisquer outros envolvidos nas fraudes contatadas na investigação responderão pelos crimes de estelionato majorado, falsificação de documento público, uso de documento falso e organização criminosa.

Leia mais:  7 em cada dez sofrem dificuldade econômica na quarentena
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana