conecte-se conosco


Política e Governo

Ales dá aval para Estado buscar crédito de US$ 30 mi

Publicado

Deputados aprovaram PL que autoriza contragarantia em operação do Bandes para financiar empresas impactadas pela pandemia

Após a aprovação do Projeto de Lei (PL) 506/2020, o Plenário da Assembleia Legislativa autorizou o governo do Estado a prestar contragarantia à União e dar continuidade ao processo de operação de crédito externo no valor de US$ 30 milhões, cerca de R$ 170 milhões na cotação desta quarta-feira (30). O PL foi aprovado em reunião conjunta das comissões de Justiça e Finanças durante a Ordem do Dia da sessão ordinária híbrida desta quarta-feira (30).

O recurso, destinado ao Programa Global de Crédito para a Defesa do Setor Produtivo e o Emprego no Estado, está em vias de ser obtido pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com o objetivo de financiar micro, pequenas e médias empresas impactadas economicamente pela pandemia do novo coronavírus.

O líder do governo, Dary Pagung (PSB), agradeceu aos parlamentares pela votação. “A Assembleia, hoje, dá mais um passo importante para gerar emprego e renda no Estado do Espírito Santo. Minha fala é de gratidão aos nobres pares, que aprovaram esse projeto importante para o Estado”, pronunciou.

Expediente

Durante o Expediente, começou a tramitar o Projeto de Lei (PL 521/2020), de autoria do deputado Doutor Hércules (MDB), que institui a última semana do mês de setembro como a Semana Estadual de Combate à Raiva. A matéria será analisada pela comissão de Justiça.

Foram também aprovadas nove indicações parlamentares ao governador do Estado, entre elas a de autoria do deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB), para alterar a legislação tributária, de modo a suspender a incidência do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a comercialização de bicicletas e suas peças.

Mudança nas sessões

Durante os trabalhos, o deputado Sergio Majeski (PSB) sugeriu que em todas as sessões híbridas, até a volta à normalidade, seja feita a supressão da Fase das Comunicações, com a antecipação da Ordem do Dia para logo após a leitura do Expediente. Em seguida, seria realizado o Grande Expediente, com discurso das lideranças e dos deputados.

O presidente Erick Musso (Republicanos) acatou a sugestão e pediu que a Secretaria Geral da Mesa providencie um acordo com os líderes partidários e colha as assinaturas. Se a maioria concordar, a mudança será deliberada em Plenário na próxima semana.

Outra sugestão, também do deputado Majeski, foi para que haja um esforço maior para votar projetos menos polêmicos, mais simples, evitando o pedido de prazo. “É só uma sugestão, já que relatores e presidentes das comissões têm total autonomia para isso. Porém, se fizermos assim, manteremos a pauta com o mínimo de projetos possível, já que a tendência é que tenhamos cada vez mais projetos para votar”, justificou.

Veja como ficou a Ordem do Dia

Projeto de Resolução nº 15/2020, da Mesa Diretora, que altera o inciso I do artigo 4º da Resolução nº 3.637, de 10 de dezembro de 2013, que dispõe sobre o Regimento Interno da Escola do Legislativo “Antônio José Miguel Feu Rosa”. Prazo na Comissão de Justiça.

Projeto de Lei nº 462/2020, oriundo da Mensagem Governamental nº 134/2020, que introduz alterações na Lei nº 7.000, de 27 de dezembro de 2001, alterando a alíquota de ICMS sobre as operações com óleo combustível marítimo de 17% para 12%. Prazo nas comissões de Justiça, Infraestrutura e Finanças

Projeto de Lei nº 464/2020, oriundo da Mensagem Governamental nº 136/2020, que introduz alterações na Lei nº 7.000, de 27 de dezembro de 2001, que dispõe sobre operações realizadas no âmbito do Regime Aduaneiro Especial de Exportação e de Importação de Bens Destinados às Atividades de Pesquisa e de Lavra das Jazidas de Petróleo e de Gás Natural – REPETRO-SPED. Prazo nas comissões de Justiça, Ciência e Tecnologia e Finanças.

Projeto de Resolução nº 34/2019, da Mesa Diretora, que dispõe sobre o procedimento de cobrança administrativa a ser adotado no acerto de contas em caso de desligamento de servidores com débito junto a Assembleia Legislativa do Estado. Prazo na Comissão de Justiça.
 
Projeto e Lei nº 506/2020, oriundo da Mensagem Governamental nº 157/2020, que autoriza o Poder Executivo a prestar contragarantia à garantia oferecida pela União em operação de crédito externo a ser celebrada entre o Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo S/A – BANDES e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no âmbito do Programa Global de Crédito para a Defesa do Setor Produtivo e o Emprego no Estado, até o valor de até US$ 30.000.000,00 (trinta milhões de dólares dos Estados Unidos da América) e estabelece outras providências. Aprovado.

Proposta de Emenda Constitucional nº 32/2019, do Deputado Delegado Lorenzo Pazolini e outros, que altera dispositivos da Constituição Estadual para adequação com as alterações trazidas pela Emenda Constitucional Federal nº 104, de 4 de dezembro de 2019, referente à Instituição da Polícia Penal no Estado. Prazo na Comissão de Justiça.

Projeto de Lei nº 951/2019, do Deputado Delegado Lorenzo Pazolini, que dispõe sobre o Incentivo à Instituição de Casas de Passagem ao cidadão que necessite de tratamento médico-hospitalar ou de realização de exames médicos fora de seu domicílio e adota outras providências. Prazo na Comissão de Cidadania.

Projeto de Lei nº 598/2019, do Deputado Delegado Lorenzo Pazolini, que dispõe sobre a devolução do valor pago da matrícula nos estabelecimentos de ensino superior localizados no Estado. Prazo na Comissão de Finanças.

Leia mais:  Setor hoteleiro movimenta economia do ES: Conheça o apoio do Bandes aos empreendimentos
publicidade

Política e Governo

Bandes fecha terceiro trimestre com resultado de R$ 23,9 milhões

Publicado

O investimento total liberado pelo Bandes, ou seja, os financiamentos para empresas de todos os portes, alcançou o valor de R$ 536 milhões

Os números referentes aos resultados do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) no fechamento do terceiro trimestre de 2020 mostram resultados positivos. Nos nove meses deste ano, o lucro líquido do banco chega a R$ 23,9 milhões, o que representa uma reversão de desempenho desde o ano anterior, quando o banco apresentou déficit em seu balanço patrimonial, após a opção pela reclassificação de operações da carteira de crédito em níveis de risco adequados.

Com o resultado positivo, o patrimônio líquido do Bandes alcançou R$ 260,7 milhões, um aumento de 5% em relação ao mesmo período de 2019. O resultado apurado demonstra aumento tanto no lucro e do patrimônio líquido da instituição quanto no montante de financiamentos liberados para as empresas capixabas.

O diretor-presidente do Bandes, Maurício Cézar Duque, destacou que os bons números são resultado do reposicionamento da instituição no mercado, da mudança na estrutura administrativa e da atualização de produtos e serviços oferecidos aos empresários capixabas. “Os resultados percebidos demonstram que as mudanças na gestão do Bandes, implantadas desde abril de 2019, quando assumimos com uma proposta de modernização, estão sendo positivas tanto para o banco como quanto para o cenário econômico no Estado. Mais presente, mais inserido e alinhado às necessidades do mercado e comprometido em se modernizar, o banco vem trabalhando para fazer crédito de qualidade, ampliando o acesso às linhas para negócios prioritários e que impactem na promoção de emprego e renda, de uma maneira articulada”, explica Duque.

Investimento liberado

O investimento total liberado pelo Bandes, ou seja, os financiamentos para empresas de todos os portes, alcançou o valor de R$ 536 milhões. “O aumento no valor de recursos liberados pela instituição caminha junto com a melhora na qualidade de processos”, acrescenta o diretor-presidente.

Desde março, o banco vem oferecendo ao cliente canais de atendimento on-line para responder dúvidas e demandas sobre suas linhas de financiamento. As medidas têm foco em aumentar a agilidade no atendimento e contribuir para evitar aglomerações e, consequentemente, melhorar a segurança de todos os clientes, colaboradores e parceiros.

“O Bandes vem de um processo de reestruturação interna, que abrange desde a atualização de seu planejamento estratégico, revisão de portfólio de produtos e serviços até a reformulação de seu modelo comercial, com a criação de uma diretoria de Negócios. Nesse sentido, o banco focou em ampliar os produtos e serviços oferecidos aos empreendedores do Espírito Santo e vem apostando no fortalecimento e na atração de investimentos estratégicos, por meio de financiamentos, no investimento em inovação e na indústria, nos Fundos de Investimentos em Participações (FIPs), financiamento de municípios, busca novas fontes, inclusive com organismos internacionais, para financiar projetos do Estado, além da coordenação de programas de fomento e a diversificação de fontes de recursos”, complementa o diretor-presidente do Bandes.

Leia mais:  Setor hoteleiro movimenta economia do ES: Conheça o apoio do Bandes aos empreendimentos
Continue lendo

Política e Governo

Sefaz adota Menor Preço Brasil como único aplicativo de consulta de preços

Publicado

A Secretaria da Fazenda (Sefaz) seguirá apenas com o aplicativo Menor Preço Brasil para a consulta de preços por meio das notas fiscais eletrônicas. Atualmente, existem dois aplicativos: o Menor Preço Brasil, desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul S.A (Procergs/Sefaz-RS), e o Menor Preço, desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar) numa parceria da Sefaz-ES com a Sefaz-PR.

Segundo o subsecretário da Receita Estadual, Luiz Claudio Nogueira de Souza, o Menor Preço Brasil já está disponível para utilização em 14 estados da Federação, o que possibilita consultas em caso de viagens para outros Estados. “Além disso, o tempo de atualização das consultas no Menor Preço Brasil é menor em relação à outra solução, já que toda operação é feita de maneira virtual”, disse o subsecretário.

O Menor Preço Brasil tem sido muito utilizado nos últimos meses, principalmente, por exibir informações de produtos relacionados à Covid-19. “Produtos que ajudam na prevenção da doença, como álcool em gel, água sanitária, máscaras, luvas e até testes Covid-19 podem ser pesquisados no aplicativo. Além disso, o App apresenta consulta específica para pesquisa de preços de combustíveis”, destacou Nogueira de Souza.

O aplicativo

O aplicativo Menor Preço Brasil foi desenvolvido pela Procergs/Sefaz-RS, numa parceria com o Encontro Nacional de Administradores Tributários (Encat), com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento. O software compara o preço de um mesmo produto em diversos estabelecimentos.

Os preços são atualizados em tempo real, com base nos registros das Notas Fiscais do Consumidor Eletrônica (NFC-e) e das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) para as vendas realizadas para pessoas físicas.

Entre os produtos disponíveis para consulta no Menor Preço Brasil estão os alimentos, medicamentos, higiene e beleza, vestuário, brinquedos e outros, especialmente, aqueles cuja embalagem tenha um código de barras. A pesquisa também pode ser feita pela descrição do produto, o que pode até ampliar a base pesquisada.

O usuário não precisa preencher um cadastro para utilizar o aplicativo e pode estabelecer critérios na hora de fazer sua pesquisa, como a distância entre ele o estabelecimento (até 30 km) e a data em que o produto foi vendido (até 7 dias).

Leia mais:  Procon-ES orienta como evitar fraudes no novo sistema de pagamentos
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana