conecte-se conosco


Internacional

Após testes, Rússia diz que aplicará vacina contra covid-19 em outubro

Publicado

Ministro da Saúde afirma que médicos e professores russos serão os primeiros a receberem a dose do imunizantes desenvolvido pelo país

Os ensaios clínicos da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa Epidemiológica e Microbiológica da Rússia (Gamalei) foram concluídos, e já foi iniciada a etapa de registro, segundo informações divulgadas neste sábado (1º) pelo ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko.

“A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo centro Gamalei concluiu os ensaios clínicos e agora os documentos para o seu registro estão sendo preparados”, declarou Murashko, citado pela agência de notícias local TASS.

Segundo o ministro, médicos e professores serão os primeiros a receberem a vacina, e espera-se que ela seja distribuída para diversas regiões da Rússia a partir do próximo dia 10.

“Estamos planejando que a campanha de vacinação mais extensa, que será gradualmente acrescentada ao novo sistema de cuidados, começará em outubro”, afirmou.

Murashko acrescentou que a segunda vacina russa, desenvolvida pelo centro Vector, está atualmente em processo de ensaios clínicos. Segundo ele, o Ministério da Saúde acredita que receberá em um mês e meio ou dois meses mais dois pedidos de permissão para realizar ensaios clínicos de novas vacinas.

Na sexta-feira (31), o epidemiologista americano Anthony Fauci demonstrou preocupação e afirmou que espera que China e Rússia estejam realmente fazendo os devidos testes antes de aplicar as vacinas que estão desenvolvendo contra o novo coronavírus.

Fauci deu a declaração depois que as autoridades russas disseram que estavam próximas de aprovar a imunização, adiantando-se aos esforços dos Estados Unidos.

A Rússia vem registrando uma pequena melhora na tentativa de conter a propagação do vírus SARS-CoV-2, com menos de 6 mil novos casos de infecção por dia. Hoje, foram confirmadas mais 95 mortes por covid-19, 66 a menos que ontem. Desde o início da pandemia, foram reportados 845.443 contágios e 14.058 óbitos.

Leia mais:  Tufão Kammuri deixa mortos e milhares de deslocados nas Filipinas
publicidade

Internacional

Velório de Maradona é estendido em três horas por medo de protestos

Publicado

Multidão forma três quilômetros de filas para dar último adeus ao ídolo do futebol mundial. Polícia havia tentado encerrar cerimônia mais cedo

Ainda com milhares de pessoas para dar o último adeus a Diego Armando Maradona, a família do ídolo argentino autorizou que o velório se estendesse em três horas, agora até as 19 horas (horário local e de Brasília). Um princípio de confusão marcou o início da tarde desta quinta-feira (26), na Casa Rosada, com uma provável tentativa de encerrar a fila de visitantes mais cedo.

Maradona começou a ser ver velado na sede do governo argentino ainda de madrugada, em uma cerimônia apenas para familiares e amigos próximos. Às 6 horas, os portões se abriram para que a multidão começasse a entrar no salão principal e ver o caixão, que estava coberto com a bandeira do país e uma camiseta do Boca Juniors, time pelo qual se consagrou. Segundo as autoridades, um milhão de pessoas poderia passar por ali.

O que se viu, no entanto, foi uma fila de três quilômetros para que as pessoas pudessem ver o caixão por apenas 15 segundos. Quando os policiais tentaram aparentemente encerrar a fila antes das 16 horas, o primeiro horário prevista, fãs se revoltaram e entraram novo confronto com a polícia — pela manhã, também havia tido confusão com os primeiros apaixonados, apressados para se despedir do ídolo. Desta vez, a polícia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para conter a multidão.

O temor era que o encerramento no horário previsto provocasse ainda mais tumulto. A fila que começava na Plaza de Mayo, em frente à Casa Rosada seguia até a avenida Nove de Julho.

Maradona, que morreu vítima de uma parada cardiorespiratória, será enterrado no cemitério Jardim da Paz, no bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires. Por lá, os pais do craque, Dalma e Don Diego, estão enterrados. A família pensou inicialmente em um sepultamento no fim de semana justamente para que mais pessoas pudessem acompanhar o velório.

Além de uma reação com a segurança, as autoridades sanitárias também estão em alerta em razão da pandemia do novo coronavírus. Apesar do uso obrigatório de máscaras e aferição da temperatura na entrada da Casa Rosada, não há como manter o distanciamento social. A Argentina até agora registrou 1.390.375 de casos e 37.714 mortes pela covid-19.

Leia mais:  Imagens do terremoto na Turquia e Grécia impressionam
Continue lendo

Internacional

Ministro da Saúde francês confirma que vacinação para Covid-19 pode começar no fim deste ano

Publicado

O ministro da Saúde da França, Oliver Véran, confirmou nesta quinta-feira que o país poderia disponibilizar vacinas para Covid-19 até o final do ano, enfatizando a necessidade de as autoridades serem transparentes sobre o processo, dado o alto nível de ceticismo dos cidadãos franceses em relação às imunizantes.

Durante uma coletiva de imprensa detalhando como o segundo lockdown nacional da França está prestes a ser gradualmente suspenso, Veran afirmou que os aspectos logísticos do programa de vacinação serão detalhados na próxima semana.

Leia mais:  Donald Trump diz que está “indo bem”, presidente está em hospital com covid-19
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana