conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Campanha Novembro Azul chama atenção para saúde do homem

Publicado

O Novembro Azul é uma campanha desenvolvida no Brasil pelo Instituto “Lado a Lado pela Vida”, que teve sua origem em 2008. O mês é dedicado a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata e à conscientização sobre os cuidados com a saúde do homem.

Entre as ações voltadas ao mês no Espírito Santo, o Hospital Estadual Dr Jayme dos Santos Neves, promoverá no dia 19 de novembro, considerado dia Internacional do Homem, a palestra “Saúde do Homem”, ministrada pelo médico urologista Dr. Tharcísio Gé de Oliveira. Será aberta para pacientes, acompanhantes e funcionários.

Segundo a referência técnica estadual da Saúde do Homem, da Secretaria da Saúde (Sesa), Lucimar Ventorim Hamsi, ao falar da saúde do homem é preciso lembrar de sua integralidade e de seu cuidado como um todo.

“Trabalhamos durante todo o ano a saúde do homem de forma integral, como a promoção de vida, de saúde. Quando foi criada a Política Nacional de Atenção ao Homem, verificou-se que os óbitos não eram, em sua maioria, causados pelo câncer de próstata, mas sim por doenças crônicas, como as cardiovasculares e por causas externas”, informou a referência técnica.

Lucimar Ventorim Hamsi lembra que por uma questão cultural a maioria dos homens não procurara o médico ou o serviço de saúde e quando o fazem, é por já estarem doentes. A importância de trabalhar a integralidade requer abordar, principalmente, os cuidados que os homens precisam ter durante toda vida para seguir saudável e não adoecer, uma vez que estão mais envolvidos nos fatores de risco, como fatores de violências externas, ou de tabagismo, ingestão de álcool, etc.

“Precisamos atentá-los que ao seguir hábitos saudáveis como praticar atividades físicas, ter uma alimentação equilibrada, fazer exames periódicos, ajudam a promover a sua saúde e a evitar o adoecimento por quaisquer doenças”, explica.

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem

A Política Nacional de Atenção Integral da Saúde do Homem (PNAISH) tem como diretriz promover ações de saúde que contribuam significativamente para a compreensão da realidade masculina nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos.

Por meio da PNAISH, a Sesa promove durante todo o ano ações voltadas para a promoção da saúde e prevenção de agravos, sendo foco principal da Atenção Primária, trazer conscientização de qualidade de vida, assim como informações sobre cuidados à saúde do homem para melhor viver e diminuir complicações.

A APS da Sesa prima por incentivar os municípios na implantação de políticas voltadas para toda Família, principalmente, no fortalecimento de ações nas Unidades Básicas de Saúde para cuidados aos homens.

Dados de câncer de próstata no Espírito Santo

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima-se para o biênio 2018-2019, mais de 68 mil novos casos da doença no Brasil. No Espírito Santo, segundo dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde, foram registrados, de janeiro de 2018 a agosto de 2019, 1.475 casos de internação hospitalar por neoplasia maligna de próstata, sendo 898 casos em 2018 e 577 de janeiro a agosto de 2019. 

Lucimar Ventorim ressalta que a maioria dos casos de internação hospitalar por neoplasia maligna de próstata aconteceu em homens na faixa etária de 60 a 79 anos. Em relação aos óbitos, nos últimos três anos tem sido, no Estado, a sétima causa de morte entre os homens. Em 2017, foram 320 casos; em 218, 335 casos; e em 2019, até agosto, foram registrados 216 casos. A maioria dos óbitos ocorreu em homens idosos, na faixa etária de 80 anos e mais, seguidos da faixa etária de 70 a 79 anos.

Onde buscar tratamento

O Espírito Santo conta com um estabelecimento de saúde habilitado como Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) e seis estabelecimentos de saúde habilitados como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) para o tratamento de câncer de próstata:

Hospital Santa Rita de Cássia (HSRC-AFECC) – instituição filantrópica conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS), classificada como Cacon;

Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) – instituição filantrópica, conveniada ao SUS, classificada como Unacon;

Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam) – instituição pública Federal, vinculada à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), classificada como Unacon;

Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória (HSCMV) – instituição filantrópica, conveniada ao SUS, classificada como Unacon, vinculada a instituição de ensino (Emescam);

Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV) – instituição filantrópica, conveniada ao SUS, classificada como Unacon, vinculada a instituição de ensino (Univix);

Hospital Maternidade São José (HMSJ) – instituição filantrópica, vinculada ao SUS, classificada como Unacon;

Hospital Rio Doce – instituição filantrópica, vinculada ao SUS, classificada como Unacon.

Programação Hospitais

Hospital Estadual Dr. Roberto Arnizaut Silvares:

O hospital oferecerá atividades de sensibilização, à prevenção do câncer de próstata; disponibilização de exames e atendimentos com urologistas; roda de palestras educativas e informativas; atividade de relaxamento com a fisioterapia;

Dia 17 de novembro, das 8h30 às 15h: corte de cabelo e barba, para todos os servidores;

Dia 18 de novembro, a partir das 8h: Spa dos pés e limpeza de pele, para todos os servidores;

Dia 19 de novembro: Spa dos pés e limpeza de pele (das 8h às 15h) e palestra sobre saúde do homem, com Dr Itamar Soares Dias (às 15h), para todos os servidores;

Dia 20 de novembro, às 15h: palestra sobre câncer de próstata, com Dr Jorge Silva, para todos os servidores.  

Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santo Neves:

– A fachada do hospital receberá a iluminação azul;

– Terá ação de conscientização para os pacientes, acompanhantes e funcionários de conscientização sobre a importância do cuidado com a saúde do homem;

– Dia 19 de novembro, às 11 horas: palestra “Saúde do Homem”, com médico Urologista Tharcísio Gé de Oliveira. Público-alvo: paciente, acompanhantes e funcionários.

Hospital Estadual Central:

– Iluminação da fachada azul durante o mês de novembro;

– Liberação para que os colaboradores venham de camisa azul as sextas-feiras;

Leia mais:  Diabetes é principal fator de risco da covid-19
publicidade

Medicina e Saúde

Dengue pode fornecer imunidade contra a covid-19, diz estudo

Publicado

Pesquisa concluiu que algum nível de proteção é possível ao comparar a distribuição geográfica dos casos de covid-19 e dengue no Brasil

A exposição à dengue pode fornecer algum nível de imunidade contra a covid-19, de acordo com um estudo liderado por Miguel Nicolelis, cientista brasileiro e professor da Duke Univerdity, nos Estados Unidos.

A pesquisa, publicada na plataforma medRxiv, ainda sem revisão por pares, comparou a distribuição geográfica dos casos de covid-19 com a disseminação da dengue em 2019 e 2020 no Brasil.

Locais com taxas mais baixas de infecção por coronavírus e crescimento mais lento de casos foram os mesmos que sofreram intensos surtos de dengue neste ano ou no último, descobriu Nicolelis.

“Esta descoberta surpreendente levanta a possibilidade intrigante de uma reatividade imunológica cruzada entre os sorotipos de Flavivirus da dengue e o SARS-CoV-2”, afirma o estudo, referindo-se aos anticorpos do vírus da dengue e ao novo coronavírus.

“Se comprovada como correta, essa hipótese pode significar que a infecção por dengue ou a imunização com uma vacina eficaz e segura contra a dengue poderia produzir algum nível de proteção imunológica” contra o coronavírus.

De acordo com Nicolelis, os resultados são particularmente interessantes porque estudos anteriores mostraram que pessoas com anticorpos da dengue no sangue podem apresentar resultados falsamente positivos para anticorpos de covid-19, mesmo que nunca tenham sido infectadas pelo coronavírus.

“Isso indica que há uma interação imunológica entre dois vírus que ninguém poderia esperar, porque os dois vírus são de famílias completamente diferentes”, disse Nicolelis, acrescentando que mais estudos são necessários para comprovar a conexão.

Ele destaca uma correlação significativa entre menor incidência, mortalidade e taxa de crescimento de covid-19 em populações no Brasil onde os níveis de anticorpos para dengue eram mais elevados.

O Brasil tem o terceiro maior número de infecções por coronavírus no mundo, com mais de 4,4 milhões de casos – atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia.

Em estados como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, com alta incidência de dengue no ano passado e no início deste ano, o coronavírus demorou muito mais para atingir um nível de alta transmissão na comunidade em comparação com estados como Amapá, Maranhão e Pará, que tiveram menos casos de dengue.

Os pesquisadores também encontraram uma relação semelhante entre surtos de dengue e uma propagação mais lenta do vírus em outras partes da América Latina, na Ásia e nas ilhas dos oceanos Pacífico e Índico.

Nicolelis contou que sua equipe se deparou com essa descoberta por acidente, durante um estudo sobre a disseminação do coronavírus no Brasil, no qual constatou que as rodovias tiveram um papel importante na distribuição dos casos pelo país.

Depois de identificar alguns pontos sem casos no mapa, a equipe foi em busca de possíveis explicações. Um grande avanço ocorreu ao comparar a disseminação da dengue com a do coronavírus.

“Foi um choque. Foi um acidente total ”, disse Nicolelis. “Na ciência, isso acontece, você está atirando em uma coisa e acerta um alvo que nunca imaginou que acertaria.”

Leia mais:  Em busca do sono perdido
Continue lendo

Medicina e Saúde

Médicos investigam caso de adolescente de 15 anos que “chora sangue”

Publicado

A menina já passou por uma bateria de exames, mas ninguém consegue explicar o que de fato acontece com ela

Uma adolescente de 15 anos tem intrigado familiares e médicos após “chorar sangue”. O caso aconteceu na cidade de Adolfo, no interior de São Paulo e teve grande repercussão nas redes sociais de todo o País. 

De acordo com o jornal O Dia, a menina já passou por várias avaliações médicas, mas até agora nenhum especialista soube explicar o que de fato aconteceu com a garota.

Segundo a mãe da jovem, a filha tem pedra nos rins e passou mal no último sábado, sentindo fortes dores no abdômen. Ela foi levada para uma unidade de saúde onde foi medicada e liberada.

Porém, no dia seguinte, a menina acordou com lágrimas de sangue nos olhos. Assustadas, mãe e filha seguiram novamente para um posto de saúde, onde a jovem foi analisada por um médico. Como a menina não sentia dores, ela foi liberada.

Mas as lagrimas de sangue continuaram, o que fez com que a família levasse a adolescente novamente para uma unidade de saúde. Desta vez, a menina foi transferida para um hospital, onde passou por uma bateria de exames. Os médicos agora aguardam os resultados dos testes para tentar dar um diagnóstico sobre o problema de saúde inusitado.

Leia mais:  Saiba a importância de os adultos se vacinarem contra sarampo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana