conecte-se conosco


São Mateus

DEM de São Mateus vem forte para as eleições municipais

Publicado

O partido foi todo reestruturado e tem chapa fechada para vereador e prefeito

Uma agremiação política organizada no interior não é algo muito comum. Em São Mateus esse fato tem suas exceções e o DEM é uma delas. O responsável principal pela reestruturação do partido é o seu atual presidente, João Folha, que assumiu a legenda em meados do ano passado. Ele afirmou que o partido está todo organizado, legalizado, preparado para entrar no jogo político-eleitoral. E também teve o mérito, junto com seus membros, de construir uma chapa de pré-candidatos a vereador enxuta e forte para disputar uma cadeira no Legislativo mateense. Além disso, tem o professor Keydson Quaresma como seu pré-candidato a prefeito.

Para se chegar a essa organização do partido, o seu presidente conta que ao fazer uma visita aos membros da sua executiva estadual, acompanhado do advogado Paulo Fundão e do pastor Itel Paulo, para sua surpresa foi sugerido o seu nome para a presidência do DEM de São Mateus. Naquela oportunidade, João Folha destaca algo muito importante e que marcou aquele encontro. Foi ao ser perguntado pelo deputado estadual Teodorico Ferraço, o que o município mais precisava. Sua resposta “uma emenda parlamentar para ajudar de alguma forma São Mateus”. Foi acionada a deputada federal,

Norma Ayb, que em vez de uma emenda de 500 mil solicitada, foi feita uma de 700 mil reais para ser usada na reforma de uma escola no balneário de Guriri. “Se foi usada ou não, nada se sabe a esse respeito”, diz o presidente do DEM de São Mateus.

Ainda sobre essa questão relacionada a emenda parlamentar, o pré-candidato, Keydson Quaresma, conseguiu junto a deputada federal, Lauriete, emenda no valor de R$ 250.000,00. A emenda individual número 27730004 – OGU 2020, no Ministério da Saúde, em benefício do município de São Mateus para custeio dos Serviços de Atenção Básica em Saúde – PAB, foi paga no dia 28 de abril deste ano.

Ainda de acordo com João Folha, o partido tem um quadro de filiados em torno de 500 membros, com as novas filiações feitas. Destaca que a chapa de pré-candidatos a vereador contém nomes com importante capital eleitoral, “tudo bem elaborado e enxuto, com o número de mulheres conforme manda as normas eleitorais e que todos estão em condições de disputarem uma eleição com a certeza de que o partido estará dando o suporte documental e de assistência necessárias”.

Com relação ao cenário político do município ele vê como “embaraçado” porque as pessoas estão, no momento, mais voltadas para a questão do novo coronavírus. “Mas estamos trabalhando nos bastidores, conversando com outros partidos e buscando um consenso entre todos aqueles que defendem a necessidade de diminuir o número de pré-candidatos a prefeito para que o atual não tenha chance de uma reeleição e prejudicar ainda mais o município”. Para João Folha, a administração do prefeito Daniel é um “desastre, precária, pífia”. Mas lembra que a arma do cidadão é o seu título de eleitor, o voto, e que, com ele pode mudar a atual realidade de abandono da cidade e do município em que se encontra. “Precisamos mudar, eleger quem tem projeto, proposta e capacidade de gestão para que São Mateus possa voltar a se desenvolver”.

Sobre a atual da atual composição da Câmara de Vereadores, acredita que deixou a desejar. “Um legislativo sem debate, sem ideias e que mais parece um ajuntamento de pessoas”. Para ele um ou dois vereadores conseguiram defender os interesses da população e cobrar seriedade do prefeito na aplicação dos recursos do município. “Mas a Câmara deixou muito a desejar”, disse ele. “Precisamos renovar, mudar, oxigenar a política de São Mateus”, completou

Leia mais:  Recursos gastos em obras para acabar com alagamentos vão para o ralo
publicidade

São Mateus

Agricultores tiveram R$ 15 mil em produtos apreendidos por Prefeitura

Publicado

“Nós fomos roubados e humilhados. Foi uma covardia o que fizeram com a gente. Estávamos trabalhando e invadiram nosso caminhão e levaram nossas mercadorias”. Esse é o sentimento da agricultora Júlia Schasslen Ott, 20 anos, de Rio Possmorser, em Santa Maria de Jetibá, que junto com o namorado e o sogro, tiveram mais de R$ 15 mil em produtos apreendidos pela Prefeitura de São Mateus.

Os agricultores estavam organizando as mercadorias em bancas, às 4 horas da madrugada desta terça-feira (26), onde trabalhariam em uma feira que acontece semanalmente no Centro de São Mateus. Segundo Júlia, um homem que se identificou como fiscal da Prefeitura, e que estava sem crachá ou uniforme, juntamente com vários garis, informou que iria apreender toda a mercadoria.

Garis ajudaram a recolher todas as verduras e legumes

“Eles subiram em nosso caminhão e nós ficamos sem reação. Eram umas 20 pessoas, e nós estávamos em três. Ficamos desesperados. O homem que disse ser fiscal nos humilhava, nos chamava de alemão e alemoa e falava que iria levar toda a nossa mercadoria. Esse mesmo homem já havia passado na feira em outras oportunidades, chegou pedir um ‘agrado’ e já levou verduras nossas sem pagar. Ele fazia ameaças, mas nunca fomos notificados. Ele dizia que iria nos proibir de entrar no município. Mas ele nunca estava uniformizado ou com crachá”, relatou a agricultora.

Além de muitas verduras e legumes, também foi levado cerca de R$ 1.500,00 em dinheiro, que estava escondido no meio das caixas. “Por medo de assalto, sempre deixamos dinheiro escondidos em vários pontos do caminhão. Foi tudo junto com as verduras. Tivemos quase R$ 15 mil de prejuízo”, afirmou Júlia. Durante a operação dos funcionários da Prefeitura, moradores gravaram vídeos que mostram as mercadorias sendo retiradas do caminhão e o homem que se passava por fiscal da Prefeitura ameaçando em apreender até o caminhão. Veja o vídeo abaixo!

A jovem agricultora afirmou que já entrou em contato com uma advogada e acionarão a Prefeitura na Justiça. “Tentamos conversar, falamos que iríamos doar as mercadorias, mas eles não deixaram. Só conseguimos salvar o alho e alguns poucos produtos que usamos. A Polícia Militar estava no local, mas eles não agiram em momento nenhum”, contou a jovem.

Indignada, Júlia afirmou que apenas as mercadorias de sua família foram apreendidas. “Nós usamos máscaras, luvas, álcool em gel, e até doamos máscaras para clientes que chegam sem. Tomamos todos os cuidados no momento da venda de nossa mercadoria, por isso não entendemos o porquê de levar tudo dessa forma”, lamenta. Outro vídeo mostra a indignação dos agricultores vendo suas mercadorias sendo levadas. Assista abaixo!

Prefeitura diz que feirantes de fora estão proibidos, mas não comenta apreensão de mercadorias

A reportagem do Portal da Revista Negócio Rural procurou a Prefeitura de São Mateus, por meio da assessoria de imprensa. Em nota, a Prefeitura explicou que um decreto proíbe que feirantes de outras cidades atuem no município durante a pandemia do coronavírus.

“A pedido dos feirantes, o município de São Mateus liberou a reabertura das feiras desde o dia 25 de abril, mas com o compromisso de seguirem várias medidas para evitarem a proliferação do coronavírus. Além dos cuidados quanto à higiene e desinfecção, uma das medidas foi a liberação apenas para os feirantes de São Mateus”, explicou a nota.

Dois caminhões da Prefeitura de São Mateus foram usados para transportar os produtos

Segundo a Prefeitura, o objetivo com essa ação é “evitar que feirantes de fora tragam o vírus para o município, ou sejam infectados em território mateense e contaminem outras pessoas em seus locais de origem. As feiras estão liberadas em Guriri, aos sábados, e no Bairro Vila Nova, aos domingos”, informou.

A assessoria ainda informou, na nota, que os feirantes de São Mateus se reuniram com representantes da Secretaria Municipal de Obras, Infraestrutura e Transporte e solicitaram a proibição de feirantes de outros municípios nas feiras realizadas em território mateense.

NOTIFICAÇÃO E APREENSÃO – Mesmo não comentando sobre a ação realizada na madrugada de hoje aos agricultores de Santa Maria de Jetibá, e nem se manifestando sobre a ação feita pelo suposto fiscal, a assessoria da Prefeitura disse que a fiscalização está sendo feita pelos fiscais da Prefeitura, com o apoio da Polícia Militar.

“Quem descumpre as regras é notificado e as mercadorias aprendidas, seguindo o que consta a Lei Municipal 948/2010, que trata do Código de Postura do Municipal, no seu parágrafo 4º. No caso de material ou mercadoria perecível, o prazo para reclamação ou retirada será de 24 horas. Expirado esse prazo, se as referidas mercadorias ainda se encontrarem próprias para o consumo humano, poderão ser doados às instituições de assistência social e, no caso de deterioração, deverão ser inutilizadas”, destacou a nota.

A reportagem da Revista Negócio Rural questionou a Prefeitura se os agricultores foram notificados. Mas a nota enviada pela assessoria não respondeu se há comprovações de notificações oficiais anteriores à apreensão. Os agricultores que tiveram as mercadorias apreendidas afirmaram que nunca foram notificados oficialmente.

FONTE: Revista Negócio Rural.

Leia mais:  Recursos gastos em obras para acabar com alagamentos vão para o ralo
Continue lendo

São Mateus

Feiras livres em São Mateus estão liberadas apenas para feirantes do município

Publicado

A medida é uma forma preventiva ao coronavírus na cidade e foi um pedido dos feirantes mateenses

A pedido dos feirantes, o Município de São Mateus liberou a reabertura das feiras desde o dia 25 de abril, mas com o compromisso de seguirem várias medidas para evitarem a proliferação do Coronavírus. Além dos cuidados quanto a higiene e desinfecção, uma das medidas foi a liberação apenas para os feirantes de São Mateus. 

O objetivo é evitar que feirantes de fora tragam o vírus para o Município, ou sejam infectados em território mateense e contaminem outras pessoas em seus locais de origem. As feiras estão liberadas em Guriri, nos sábados, e no Bairro Vila Nova, nos domingos. 

PEDIDO DOS FEIRANTES DE SÃO MATEUS

Os próprios feirantes de São Mateus se reuniram com representantes da Secretaria Municipal de Obras, Infraestrutura e Transporte e solicitaram a proibição de feirantes de outros municípios nas feiras realizadas em território mateense. Eles lembraram que, também por causa da pandemia do Coronavírus, estão proibidos de comercializar seus produtos em outros municípios. 

As ações estão sendo tomadas de acordo com as medidas adotadas pelo Governo do Estado. O Município de São Mateus destaca que sempre recebeu de portas abertas os feirantes de outras localidades. No entanto, o momento de pandemia requer medidas que evitem a circulação e aglomeração de pessoas. A nossa luta é pela preservação da vida humana. 

NOTIFICAÇÃO E APREENSÃO

A fiscalização está sendo feita pelos fiscais da Prefeitura, com o apoio da Polícia Militar. Quem descumpre as regras é notificado e as mercadorias aprendidas, seguindo o que consta a Lei Municipal 948/2010, que trata do Código de Postura do Municipal, no seu parágrafo 4º. “No caso de material ou mercadoria perecível, o prazo para reclamação ou retirada será de 24 horas; expirado esse prazo, se as referidas mercadorias ainda se encontrarem próprias para o consumo humano poderão ser doados às instituições de assistência social e, no caso de deterioração deverão ser inutilizadas”.

PRINCIPAIS REGRAS PARA FUNCIONAMENTO DAS FEIRAS LIVRES

– São permitidos apenas feirantes de São Mateus.

– As barracas devem seguir espaçamento de 2 metros entre uma e outra.

– É proibido feirantes que se encontram nos grupos de risco. Os clientes em grupos de risco e crianças também devem evitar frequentar as feiras.

– É obrigatório o uso de máscaras e álcool 70%.

– Os feirantes deverão escalar apenas a equipe necessária de trabalho, sendo proibido crianças.

– Não é permitido promover degustação de produtos.

– Evitar contato físico e conversa com os clientes para reduzir o tempo de permanência nas feiras.

Leia mais:  Recursos gastos em obras para acabar com alagamentos vão para o ralo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana