conecte-se conosco


Política e Governo

Deputado homenageia Wanderlino, o pai do café clonal

Publicado

Um minuto de silêncio foi respeitado logo no início da sessão da Assembleia Legislativa na sessão de quarta-feira (27), a pedido do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) como homenagem póstuma ao doutor em Engenharia Agronômica Wanderlino de Medeiros Bastos, que morreu em Camacã, no Sul da Bahia, onde passou a viver pelas últimas duas décadas. 

“Ele é o pai do cooperativismo e da revolução que se deu na cafeicultura do Espírito Santo, a partir de São Gabriel da Palha, na década de 70, onde, junto com Dário Martinelli e outros grandes agricultores liderou a renovação das lavouras de conilon, levando o Espírito Santo a ser o maior produtor desse tipo de café no Brasil”, disse Enivaldo.

Foi em São Gabriel da Palha que Wanderlino desenvolveu um canteiro de mudas de café clonal em tubete, o que introduziu a cafeicultura capixaba na era da tecnologia, segundo palavras do também agrônomo José Carlos Gava Ferrão, hoje também produtor e consultor no Sul da Bahia.

Coube, posteriormente, a Wanderlino outro pioneirismo: introduziu a cultura do café na região Sul baiana, onde também implantou as lavouras de açaí, fruto típico da região amazônica, antes mesmo de o consumo ser moda nas cidades.O engenheiro pioneiro não resistiu a uma doença pancreática. Seu corpo foi cremado em Camacã, onde morava.

Muitas pessoas que conheceram o trabalho de Wanderlino Bastos repercutiram sua morte: “Wanderlino foi um agrônomo pioneiro na clonagem de café, com forte impacto na renovação das lavouras de café conilon no Espírito Santo, ao introduzir a tecnologia de mudas por tubetes. Neste sentido, ele selecionou dois clones, o G30 e o G35, que até hoje são muito plantados no Espírito Santo. Desenvolveu tudo isso no viveiro dele em São Gabriel da Palha, de onde vendeu milhões de mudas para renovar as lavouras. Foi um cientista do café fundamental para que a cafeicultura tomasse um rumo mais tecnológico. Seu trabalho também no antigo IBC (Instituto Brasileiro do Café) foi muito relevante para a agricultura capixaba”.  José Carlos Gava Ferrão, Eng. Agrônomo, consultor e cafeicultor.

“É o responsável pelos primeiros viveiros de muda clonal do café conilon. Tinha um viveiro próximo à estrada ligando São Gabriel da Palha a Nova Venécia. O Paulo Galvão, à época secretário de estado da Agricultura, no governo Max Mauro, com quem trabalhei, comprou mudas do viveiro dele e criou 12 outros jardins clonais em diversos municípios, espalhando a tecnologia entre os produtores. A Emcapa, hoje transformada em Incaper, junto com a a Emater, iníciou às pesquisas logo a seguir, na fazenda experimental de Rio Bananal”. (Carlos Fernando Lima, jornalista)

“Uma grande perda para o Espírito Santo. Por coincidência perguntei por ele a um amigo de São Gabriel da Palha, que não tinha notícias. Conheci Wanderlino no começo dos anos 80, quando produzimos várias reportagens sobre seu trabalho com a cultura do café. Na época eu integrava a equipe do Jornal do Campo, dirigida pelo colega Ronald Mansur – a maior autoridade em café na imprensa capixaba. E assim tivemos muitos contatos com o saudoso Wanderlino, até que se mudou para a Bahia, para onde foi desenvolver mais um grande trabalho”.

Leia mais:  Governo retoma atividades do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Vitória
publicidade

Política e Governo

Governo do Estado anuncia repasse a projetos de apoio à população em situação de rua durante a pandemia

Publicado

O Governo do Estado anunciou, nesta terça-feira (07), o repasse de R$ 983.872,60 aos municípios de Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica e Vila Velha para cofinanciamento de projetos de apoio às pessoas em situação de rua durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). Os recursos serão voltados tanto para os cuidados com a população sintomática quanto para ações de prevenção e orientação para quem não apresenta sintomas da doença. O repasse foi oficializado pelo governador Renato Casagrande, em solenidade virtual, transmitida ao vivo pelas redes sociais.

Pelo período emergencial de três meses, os recursos garantirão à população em situação de rua alimentação, atendimento psicossocial, encaminhamentos para rede municipal, reinserção familiar e auxílio para aumento da equipe, além de espaços de higienização pessoal (banheiros com chuveiros e vasos sanitários) e espaços de higienização coletiva (tanques com torneiras e máquinas para lavagem de roupas). A ação está inserida no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas).

O governador Renato Casagrande lembrou que, em momentos de crise, as pessoas mais vulneráveis são as mais afetadas. “Em uma crise como a que estamos vivendo, a concentração de riqueza avança, pois quem tem estrutura acaba conseguindo adquirir bens e manter a renda, enquanto milhares de pessoas empobrecem ainda mais. É nesse momento que temos de mostrar o papel da máquina pública para diminuir essa desigualdade. Tomamos várias medidas, como a oferta de crédito, além do repasse para a assistência social dos municípios para a compra de cestas básicas, kits de higiene e outros materiais necessários às famílias”, afirmou.

Casagrande também citou a criação do Programa ES Solidário, que está realizando diversas entregas de donativos e ações de apoio às comunidades afetadas pela pandemia. “Sei que os municípios têm um papel de execução na assistência social. O nosso papel é de fortalecê-los. Então essa ação de hoje é na direção de fortalecimento dos municípios”, apontou o governador, que também lamentou o assassinato de um morador de rua ocorrido em Vitória no domingo (05). “Queria deixar aqui o meu repúdio ao ato de tirar a vida de um morador de rua com a atrocidade que vimos. Mostra que uma parte da sociedade está doente”, disse.

A secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, explicou que o isolamento de pessoas em situação de rua sintomáticas será feito em um período de sete a 14 dias. Ela acrescentou que outros cuidados serão oferecidos a essa população, mesmo quando não apresentando sintomas.

“Ao mesmo tempo em que é importante o isolamento, também é a prevenção. Os três municípios se comprometeram em ampliar o atendimento a essas pessoas até às 21 horas. Geralmente os Centros Pop vão até às 18h, mas irão atender até a noite, garantindo também a alimentação noturna. É importante que as pessoas estejam bem nutridas. Além do isolamento, também serão propiciados espaços para higiene pessoal, distribuição de kits de higiene semanalmente para as pessoas que serão atendidas, além da possibilidade de lavar as roupas”, destacou Nara Borgo.

De acordo com o Decreto nº 634-S, de 26 de maio de 2020, foi aberto um crédito suplementar em favor da Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades) no valor de R$ 983.872,60 para o repasse aos três municípios para execução dos planos de trabalho apresentados. “Os recursos serão aplicados pelos municípios selecionados por um período de 90 dias, na garantia de uma série de ações importantes para esse momento delicado que afeta a essa população tão vulnerável”, explicou a secretária de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Cyntia Grillo.

Os serviços prestados nos locais definidos pelos municípios deverão cumprir as orientações da Nota Técnica da Secretaria da Saúde (Sesa) voltada para atendimentos à população em situação de rua. “Desde 2011, o Consultório na Rua foi incorporado à Política Nacional de Atenção Básica, que é um avanço no cuidado à saúde das pessoas em situação de rua, principalmente neste momento de pandemia que vivemos, onde as vulnerabilidades se tornam mais evidentes. Reforçamos que a vida está em primeiro lugar e que todos, independentemente da condição em que vivem, têm direito à atenção em saúde”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

Grupo de Trabalho

Leia mais:  Governo retoma atividades do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Vitória

Ainda no mês de março, representantes da SEDH, Setades e Sesa formaram um Grupo de Trabalho Intersetorial, com a participação da Pastoral do Povo da Rua na condição de convidada e de um representante do Conselho Estadual de Direitos Humanos, para discutirem medidas voltadas à população em situação de rua durante a pandemia. Desde então, várias medidas foram articuladas via Governo do Estado para dar suporte a essas pessoas, como o repasse financeiro aos municípios, vacinação contra a gripe, instalação de pias e pontos de água públicos para higienização, informações por meio de carros de som, reuniões com os municípios para orientações de medidas necessárias, entre outras.

“Gostaria de ressaltar o compromisso do Governo do Estado com as políticas para pessoas em situação de rua. O Estado criou uma coordenação de políticas públicas para as pessoas em situação de rua, algo inédito no Estado do Espírito Santo, no âmbito da Secretaria de Direitos Humanos. Várias ações já foram feitas desde o início desta gestão, desde a realização do seminário estadual até cursos do Qualificar ES voltados para essa população, ouvindo as necessidades dela. Em virtude da pandemia, precisamos mudar nossas ações e criamos o GT, conseguindo a execução de importantes ações, que não estão esgotadas”, frisou a secretária Nara Borgo.

Leia mais:  Governador Casagrande autoriza reforma de três escolas estaduais da Serra
Continue lendo

Política e Governo

Por segurança de alunos e professores, projeto de Majeski condiciona reabertura das escolas ao controle da pandemia

Publicado

Professor e mestre em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo, o deputado Sergio Majeski (PSB) apresentou proposta para incluir na Legislação Estadual que as escolas estaduais só serão reabertas quando a pandemia da Covid-19 estiver controlada no território capixaba.

O objetivo é garantir a segurança de alunos, professores e de todos os servidores que atuam nas unidades de ensino.

“São mais de 400 escolas localizadas em todos os municípios do Espírito Santo. Ao longo dos mandatos já fui conhecer de perto a realidade de mais de 270 unidades. É muita gente envolvida no dia a dia escolar. Acreditamos que o retorno às atividades presenciais sem o controle da pandemia colocará em risco muitas famílias. A possibilidade de contaminação não ocorre só dentro da escola, mas também no percurso. Parte significativa dos alunos e dos profissionais da educação depende do transporte público e do transporte escolar. Não é possível arriscar”, destaca Majeski.

Já tramitando na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei 382/2020 estabelece ainda que a retomada das atividades presenciais só ocorrerá após o cumprimento de critérios técnicos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ao todo são seis pré-requisitos e 35 orientações observados pela OMS para resguardar os membros da Comunidade Escolar, nos mesmos moldes que vêm ocorrendo em países desenvolvidos que passaram pelo pico da pandemia.

Alguns deles estipulam que o Sistema de Saúde precisa conseguir detectar, testar, isolar e tratar todos os casos, além de rastrear todos os contatos; implantação de triagem diária da temperatura corporal e histórico de febre ou febre nas últimas 24 horas, na entrada do prédio para todos os funcionários, estudantes e visitantes; e garantia de que os alunos que tiveram contato com um caso da Covid-19 fiquem em casa por 14 dias.

De acordo com o Decreto nº 4683-R, do Governo do Estado, as aulas presenciais em todas as escolas, universidades e faculdades das redes de ensino pública e privada permanecem suspensas até o dia 31 de julho.

A Covid no ES

Nesta segunda-feira (06), o Painel Covid registrou que só há 98 vagas de UTI disponíveis em todo o estado para receber pacientes. Em alguns hospitais não há mais vagas e a doença avança para o interior capixaba. Os tristes números registram 1.836 mortes pela doença.

Leia mais:  Indicações de Majeski para repasse de tablets e ampliação de vagas na rede pública
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana