conecte-se conosco


São Mateus

Desagravo aos promotores e policiais federais

Publicado

Quando da distribuição de água potável em troca de votos, nas eleições passadas, no Município de São Mateus, Norte do Estado do Espírito Santo – comprovada por céleres agentes federais e dois promotores do Ministério Público Estadual, cedidos à Justiça Eleitoral, além de acatada pelo juízo eleitoral de primeira instância e pela maioria do TRE capixaba -, montou-se uma ardilosa estratégia para desmoralizar autoridades e instituições, com o aval do Palácio Anchieta, que, à época, tinha como inquilino o insidioso imperador bonapartista acostumado a submeter a tudo e a todos aos seus instintos totalitários.

Contava-se à boca miúda, nos bastidores da Corte e nas cercanias da Cidade Alta, em Vitória, a bela capital dos capixabas, que o ”efeito suspensivo como um salvo-conduto oferecido ao prefeito cassado” foi uma exigência do então Governador do Estado quando o presidente do TRE foi lhe beijar a mão e anunciar que seria o novo dirigente daquele colegiado eleitoral.

Dir-se-ia ser este ”beijo de submissão e da desfaçatez” o que o imperador mais gostava de receber, pois fazia as autoridades dos demais poderes constituídos se prestar ao abjeto papel de se curvarem genuflexamente a seus ”péses” – como diria o poeta -, que por serem tão ameaçadores, dominadores e opressores todo plural é pouco!

Então, se faz necessário reconhecer a coragem e o destemor de dois dignos promotores públicos estaduais de São Mateus – Paulo Robson da Silva e Cristian Fagner – que atuaram na Justiça Eleitoral, representando o MPF, e construíram uma irretocável, comprobatória e competente peça jurídica, honrando as suas nobres funções como exemplo que deveria ser seguido.

Portanto, o presente desagravo é para os promotores públicos estaduais, cedidos à Justiça Eleitoral, que exerceram condignamente as suas prerrogativas constitucionais, além dos policiais federais que atuaram na apuração e constatação de um grave e abusivo crime eleitoral e, também, cumpriram com as suas funções e honraram a Polícia Federal.

Portanto, justiça seja feita a esses dedicados, honestos e eficientes servidores públicos que estão sendo – agora – desqualificados pelo prefeito ”absolvido” que propaga que era ”perseguido pelos promotores públicos e policiais federais”, e foi inocentado pelo TSE, em Brasília.

Pior, nas eleições deste ano, o prefeito ”absolvido”, candidato à reeleição, está repetindo novos possíveis crimes eleitorais, segundo denúncia do vereador Carlos Alberto Alves, da Câmara Municipal de São Mateus: ”Trocando votos por cestas básicas”, usando dinheiro do Governo Federal em função da pandemia.

Registra-se, ainda, que há denúncias de servidores e comissionados trabalhando como cabos eleitorais conforme inquérito já instaurado na Justiça Eleitoral de São Mateus.

Recentemente, foi publicado nas redes sociais um vídeo de um suposto abastecimento de combustível de um ônibus, com adesivo da campanha eleitoral do prefeito ”absolvido”, no mesmo posto onde abastecem os demais veículos da municipalidade e, também supostamente, de propriedade da mesma empresa que ”ganhou a licitação para fornecer os caminhões que distribuem água potável na cidade”.

Na semana passada, o jornalismo da TV Globo denunciou que ”o prefeito de São Mateus, no ES, fez financiamento próprio de campanha, em espécie, no valor de 150 mil reais”, e se converteu na maior doação de um candidato a prefeito no Brasil.

Há dias, surgiram várias denúncias de novas doações de 100 mil reais e de gastos astronômicos feitas pelo mesmo vereador, da tribuna da Câmara Municipal, sobretudo no valor de ”90 milhões de reais em contratação de shows, trios elétricos da Bahia e estruturas para festas”. Nem a cidade do Rio de Janeiro investiu essa exorbitância para realizar o ”Maior Carnaval do Mundo”.

E, caso essas possíveis irregularidades se confirmem, não podemos admitir que as eleições em São Mateus sejam, NOVAMENTE, sinônimo de IMPUNIDADE, FRAUDE e graves CRIMES ELEITORAIS praticados aos olhos das autoridades e ao arrepio das instituições que deveriam dar o exemplo dos promotores do MPE e dos policiais federais da Delegacia da Polícia Federal no Município de São Mateus.

Hoje, as denúncias de possíveis crimes eleitorais são ainda mais graves do que nas eleições passadas e deveriam ter uma apuração imediata da Política Federal e do Ministério Público Eleitoral para que não sejamos obrigados a acusar a essas imprescindíveis e necessárias instituições e ou aos seus responsáveis de OMISSÃO, CONIVÊNCIA e CUMPLICIDADE.

Como o prefeito já conhece o modus operandi de como se livrar das ações de crime eleitoral no TRE e no TSE, por certo confia que poderá continuar desmoralizando o Ministério Público Estadual, o Ministério Público Federal, a Justiça Eleitoral, a Polícia Federal, e até o Tribunal Regional Eleitoral e o Superior Tribunal Eleitoral como fez nos últimos quatro anos.

E que ao prefeito seja garantido o constitucional direito de ampla defesa para que possa comprovar que não está cometendo as supracitadas possíveis irregularidades e, caso seja novamente o escolhido pela maioria dos eleitores, que possa governar em paz e não seja necessário os ”pedidos de vista”, o efeito suspensivo e muito menos os votos esdrúxulos e ou os que criam a ”jurisprudência da desfaçatez”.

ESPERAMOS e CONFIAMOS que as autoridades e as instituições fundamentais ao estado democrático de direito, possam apurar as denúncias de possíveis irregularidades e crimes eleitorais para que, pela segunda vez, o sofrido povo de São Mateus não continue sendo iludido e enganado.

Maciel de Aguiar
Escritor das barrancas do Cricaré.

Leia mais:  Jerri acredita no fim do impasse entre Iema e Petrocity: ‘porto será implantado em São Mateus’
publicidade

São Mateus

Capital do Espírito Santo é transferida simbolicamente para São Mateus

Publicado

A vice-governadora do Estado, Jaqueline Moraes, participou, na manhã desta sexta-feira (20), da transferência simbólica da Capital do Espírito Santo para o município de São Mateus. O ato realizado no Dia Nacional da Consciência Negra está previsto na Lei Estadual nº 8.790/2007 e faz parte da programação da Secretaria de Direitos Humanos (SEDH) para o Novembro Negro. A solenidade aconteceu na Casa da Cultura, no Sítio Histórico Porto, com a presença de diversas autoridades.

Jaqueline Moraes, que é a primeira mulher negra eleita para o cargo, destacou a importância do ato de hoje. “Quando o País celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, o Espírito Santo faz a transferência simbólica da Capital do Estado para São Mateus. Nos leva a pensar a partir daqui como um lugar de sonho do povo negro. Sonho como forma de cuidar de todos nós, a população negra deste Estado”, disse, citando o aumento na representatividade política de candidatos negros, mulheres e trans no último processo eleitoral.

“É necessário entendermos que esta é uma resposta social muito forte. As políticas afirmativas mostram que pretos e mulheres são a maioria, e se são maioria, precisamos ocupar os espaços de poder. Eu acredito muito nisso e vou continuar lutando para que estas mudanças continuem acontecendo”, reforçou Jaqueline Moraes, destacando que seu trabalho à frente da Vice-Governadoria do Estado é coletivo.

Para a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, a transferência simbólica da Capital para São Mateus é extremamente importante. “Aqui viveu Zacimba Gaba, mulher negra que lutou, resistiu e libertou muitas pessoas que foram escravizadas. Aqui atracou o último navio negreiro que chegou ao Brasil e aqui tem uma grande população negra. Estar aqui hoje, com nossa vice-governadora, que é negra, para esta solenidade também é histórico. Que possamos lutar dia a dia contra o racismo, que sejamos antirracistas e possamos transformar nossa sociedade em um espaço realmente democrático, justo e igualitário”, afirmou.

Já a gerente de Promoção da Igualdade Racial da SEDH, Edineia Conceição de Oliveira, enfatizou que a transferência simbólica da Capital é importante por causa do resgate cultural que se faz desse território. “Essa ação representa o reconhecimento a toda história do povo negro para os capixabas. É importante fomentar as políticas públicas para a população dessa cidade que tem uma representação tão grande para nosso Estado”, pontuou.

Consciência Negra

Leia mais:  Jerri acredita no fim do impasse entre Iema e Petrocity: ‘porto será implantado em São Mateus’

O Dia da Consciência Negra relembra, por meio de ações em todo Brasil, a morte de Zumbi dos Palmares, líder quilombola que representa a luta dos negros contra a escravidão na época da colonização do País (1530 – 1888). Inicialmente incluída em 2003 no calendário nacional, a data foi oficializada pela Lei nº 12.519 já no ano de 2011.

No caso do ato simbólico no Espírito Santo, o presidente do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Cepir), Rosemberg Moraes Caitano, explica a importância histórica da escolha de São Mateus para Capital neste 20 de novembro.

“Para mim, a importância da transferência da Capital para a cidade de São Mateus é um ato antirracista que o nosso Governo do Estado evidencia, tendo em vista que o porto de São Mateus foi o último a receber escravos em nosso Estado, mesmo depois da Lei Áurea. Eu acredito que quando o poder público efetiva essa ação de transferir a Capital, ele diz ‘não’ a toda a forma de racimo institucional”, lembrou.

Em razão das celebrações pelo mês da Consciência Negra, a SEDH preparou uma agenda especial, que teve início no último dia 11 de novembro e segue até 30 de novembro. Clique AQUI para conferir.

Prêmio Trajetórias

Leia mais:  Fragmentos de óleo chega a Guriri, confirma Marinha

Durante a solenidade, o secretário de Estado da Cultura, Fabrício Noronha, anunciou o Prêmio Trajetórias. “São 120 prêmios de R$ 30 mil para grupos artísticos, metade desses prêmios para a cultura popular. Comunidades quilombolas, comunidades ribeirinhas, grupos de jongo, congo, ticumbi, capoeira, todos podem participar do Prêmio Trajetórias”, comentou.

Leia o edital na íntegra: https://secult.es.gov.br/edital-emergencial-n-003-2020-renda-emergencial-mensa

Acesse a plataforma de inscrição AQUI. https://mapa.cultura.es.gov.br/oportunidade/61/ 

Agendas em São Mateus

Além da participação no ato de transferência simbólica da Capital do Estado, a vice-governadora Jaqueline Moraes cumpriu outros compromissos durante a agenda oficial no município. Foi assinada a Ordem de Serviço para reforma da 4ª Cia do 13º Batalhão da Polícia Militar, em Guriri. Ela também visitou as obras de reforma da Superintendência Regional de Educação (SRE) e de construção do espaço esportivo da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Ceciliano Abel de Almeida, no Centro do município.

As intervenções na unidade policial serão executadas pelo Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES). Serão realizados serviços de revisão elétrica e da parte hidráulica, substituição de todo o piso e telhado, pintura em geral, troca de esquadrias, manutenção dos banheiros, além de pavimentação do pátio e calçada cidadã. O valor do investimento é de R$ 354.552,72 e o prazo de execução da obra é de sete meses.

“O Governo está fazendo um investimento robusto na área de segurança pública do Espírito Santo. Estamos reformando também outras unidades da PMES em Vila Velha, Serra e Linhares. Executar melhorias no local de trabalho desses servidores é proporcionar dignidade para que exerçam seu trabalho da melhor forma possível”, afirmou o diretor-presidente do DER, Luiz César Maretto.

Continue lendo

São Mateus

Daniel Santana se reelege a prefeito de São Mateus

Publicado

Apesar de todas as denúncias e críticas contra a atual gestão, o prefeito foi reeleito para mais um mandato de quatro anos com 36,42% dos votos válidos

O prefeito Daniel Santana (PSDB) foi reeleito para mais quatro anos à frente do comando do município de São Mateus. Foram 20.899 votos, com 36,42 % dos votos válidos que lhe deram a vitória.

Em segundo lugar ficou Carlinhos Lyrio (Podemos) com 19.307 votos frutos do resultado da campanha pelo voto útil como tentativa de derrotar Daniel Santana.

Ferreira Júnior, do Solidariedade, obteve 8.564 votos, seguido pelo Nillis (PL) com 2.645 votos; Laurinho (PSL) 1801; Enéas (PT) 1683 votos; Eliezer (PRTB) 1300; Dr. Mauro (Rede) 613; Hubstênyo (Cidadania) 375 e Cida Negris (PV) com 191 votos.

Essas eleições municipais em São Mateus foram atípicas e marcadas por muitas denúncias de supostas práticas de uso do poder econômico pelo atual prefeito para que fosse reeleito.

Para a nova Câmara de Vereadores a tomar posse em janeiro foram eleitos: Robertinho (PSB), Ciety (PT), Paulo Fundão (PP), Isael (PSL), Lailson da Aroeira (SD), Kacio Mendes (PSDB), Cristiano Balanga (Pros), Gilton Gomes (PSDB), Delermano Suim (Patriota), Carlinhos Simião (Podemos) e Adeci de Sena (Cidadania).

Leia mais:  Amadeu Boroto não deve ser candidato a prefeito de São Mateus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana