conecte-se conosco


Camisa 10

Espírito Santo fecha participação nas Paralimpíadas Escolares com 68 medalhas

Publicado

O Espírito Santo fez bonito nas Paralimpíadas Escolares, competição encerrada nesta sexta-feira (22), em São Paulo (SP). Ao todo, o Estado conquistou 68 medalhas, sendo 39 de ouro, 19 de prata e 10 de bronze. Cinquenta e sete atletas, em uma delegação total de 101 pessoas, que incluiu também técnicos e guias, estiveram na capital paulista representando o paradesporto escolar capixaba.

As medalhas vieram através das seguintes modalidades (veja a lista completa no fim do texto): atletismo, natação, tênis de mesa e vôlei sentado. Os capixabas ainda participaram das disputas de badminton, bocha e tênis em cadeira de rodas. Entre os 27 estados do País que estiveram na disputa, o Espírito Santo terminou na nona colocação geral, na soma dos resultados obtidos entre todos os esportes. 

Realizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (CPB), a competição é considerada a maior do mundo para crianças e adolescentes com deficiência em idade escolar. E, mais uma vez este ano, grandes talentos foram revelados ou se destacaram. Como, por exemplo, o nadador Breno Costa. Entre os capixabas ele foi o que mais conquistou medalhas de ouro, sendo quatro no total, nas provas dos 100m medley, 50m borboleta, 50m livre e 50m peito, pela classe S12 (baixa visão).

Aos 14 anos e tendo sido contemplado este ano pelo programa Bolsa Atleta do Governo do Estado, Breno foi um dos diversos convidados para participar do projeto Camping Escolar Paralímpico, que será organizado no início de 2020 pelo CPB para treinar jovens que se destacaram na competição.

“Será um passo para que eu tente uma vaga na seleção brasileira. Por isso, foi muito importante ter realizado este bom desempenho aqui nas Paralimpíadas. Na minha primeira edição, em 2017, já havia conquistado três ouros. Agora consegui mais um”, comentou Breno, que é morador de Guarapari e estuda na escola Maxime.

O secretário de Estado de Esportes e Lazer, Júnior Abreu, que acompanhou a cerimônia de abertura e o primeiro dia de competição, na última quarta-feira (20), fez um balanço da participação capixaba:

“Na edição de 2018 voltamos para casa com 39 medalhas, sendo 19 de ouro. Ou seja, chegamos perto de dobrar o nosso número de pódios. Porém, mais importante que as medalhas é ver que estamos dando oportunidades a esses estudantes de participar de um evento tão grandioso, que reuniu os 27 estados do Brasil e cerca de 1.220 atletas, promovendo inclusão e sociabilidade”, comentou. 

Confira a lista completa de todos os medalhistas:

Atletismo

Ouro

– Analy Vitórya (2) – arremesso de peso e pelota – F41

– David Gabriel  – 1000m – T21

– Davi Henrik (3) – 60m, 150m e arremesso de peso – T54 e F55

– Emilly Borges – arremesso de peso – F33

– Erika Targino – lançamento do dardo – F55

– Jorge Luiz da Conceição (3)  – lançamento do dardo, arremesso de peso e disco – F55

– Julia Placidino (3) – lançamento de peso, disco e do dardo – F40

– Lucas Otacílio (3) – 60m, salto em distância e 150m – T38

– Monik Beatriz (3) – arremesso de peso, lançamento de disco e club – F32

– Nicolly Louzada (3) – 60m, 150m e salto em distância – T47

– Sara Lourenço – arremesso de peso – F21

– Weller Alvarenga (3) – 75m, 250m e salto em distância – T37

– Wendel Sabino – 150m – T20

Prata

– Davi Henrik (2) – 60m e 150m – T54

– Erika Targino (2) – arremesso de peso e lançamento de disco – F55

– Gabriela Pinto – 250m – T21

– Gustavo Soares (3) – 75m, 250m e 1000m – T54

– Lavínnya Pereira (2) – 150m e pelota  – T11 e F11

– Mayara Santos – 1000m – T20

– Quezia Pontara – arremesso de peso – F21

– Sara Lourenço – salto em distância – T21

– Wendel Sabino (2) – salto em distância e 800m – T20

Bronze

– Evellin Santana – 400m –T20

– Gabriel Gama – arremesso de peso – F21

– Lavínnya Pereira – 60m – T11

– Mayara Santos – 250m – T20

– Paulo Roberto Sousa – 400m – T21

– Quezia Pontara – 150m – T21

 

Leia mais:  Kleber Andrade fecha primeira fase da Copa do Mundo Sub-17 com melhor presença de público

Natação

Ouro

– Ana Luiza Tetzner  – 25m livre – S12

– Breno Costa (4) – 100m medley, 50m borboleta, 50m livre e 50m peito – S12

– Felipe Vidoto (2) – 25m costas e 25m livre – S7

– Ikaro Nunes  – 100m peito  – S9

– Otávio Germano (3) – 25m costas, 25m livre e 25m peito – S14

Prata

– Ikaro Nunes (3) – 200m medley, 100m costas e 50m livre – S9

Bronze

– Ikaro Nunes – 100m livre – S9

 

Tênis de Mesa

Bronze

– Maria Eduarda Sacramento – individual – classe 11

– Maurício Ferreira (2) – dupla e individual – classe 5

 

Vôlei Sentado

Prata

– Seleção Capixaba

publicidade

Camisa 10

Jogador boliviano é o primeiro caso fatal de coronavírus no futebol

Publicado

Jogador Deibert Román Guzmán, de 25 anos, morava na mesma casa com o pai e o tio, que também morreu nas últimas semanas devido ao coronavírus

A Federação Boliviana de Futebol (FBF) confirmou, neste sábado, a morte de Deibert Román Guzmán, de 25 anos, jogador do Clube Universitário de Beni, da segunda divisão, vítima da covid-19. Ele se torna o primeiro caso fatal de coronavírus registrado no mundo de um jogador profissional.

Deibert Román Guzmán morava na mesma casa com o pai (Belisario Román) e o tio (Luis Carmelo Román), que também morreu nas últimas semanas devido ao coronavírus.

“Expressamos nossa dor e nossas sinceras condolências à família e amigos de Deibert Guzmán e oramos a Deus para lhes dar forças para superar esse difícil momento”, disse Ángel Suárez, presidente do Clube Universitário Beni.

“A Federação Boliviana de Futebol expressa suas sinceras condolências à família e aos amigos de Deibert Román Guzmán, pedindo a Deus renúncia e força nesses tempos difíceis”, informou a FBF.

Guzmán jogou nas equipes juvenis da equipe boliviana, localizada na cidade de Trinidad, e logo atingiu o time profissional. Ele estava em negociação para atuar pelo Nacional Potosí, atuou nono colocado do campeonato nacional.

Leia mais:  São Paulo atrasa pagamento de salários e direitos de imagem de jogadores do elenco profissional
Continue lendo

Camisa 10

Criatividade e tecnologia em ação na volta do futebol na Dinamarca

Publicado

Jogo teve drive-in no estacionamento, publicidade gigante para cobrir setores sem público e torcida virtual nos telões em videoconferência

O futebol dinamarquês retornou nesta quinta-feira após dois meses de interrupção por causa do isolamento ocorrido em quase todos os países da Europa por causa da Covid-19. E a volta foi cheia de criatividade.

No empate em 1 a 1 entre AGF Aarhus e Randers, o clube mandante arranjou um jeito de fazer o duelo – com os portões fechados para evitar aglomeração capaz de propagar o vírus – contar de alguma forma com o apoio de torcedores.

Para isso, o estacionamento do estádio se transformou num drive-in, com a presença de centenas de torcedores em seus carros. E o mais inusitado: na altura das cadeiras inferiores, no meio de campo, foram instaladoss três telões gigantes um ao lado do outro. Neles, apareciam torcedores que entravam direto de suas casas por videoconferência. Eles interagiam, pois o som ficava em aberto quando apareciam (havia um revezamento dos fãs, sempre às centenas). De acordo com a diretoria do Aahus, dez mil pessoas acompanharam o jogo desta forma.

– Quando o torcedor vai a um jogo de futebol, ele quer ter a experiência de torcer em conjunto. Essa foi uma chance das pessoas se reunirem – disse Soren Carlsen, diretor de imprensa do Aahus, totalmente satisfeito com a ação que aproximou os torcedores dos atletas num jogo sem público real.

E o Aarhus não ficou por aí. Um forte sistema de som fazia o efeito da torcida (como vem ocorrendo nos jogos do Campeonato Alemão) e, para não dar a sensação de cadeiras vazias nos outros assentos fora da região onde estavam os telões, painéis gigantes (ao estilo bandeirões e mosaicos) estampavam os nomes dos muitos patrocinadores.

No fim, os torcedores do Aarhus podem dizer que o empate acabou tendo sabor de vitória. No primeiro tempo, o time sofreu um gol que foi uma pintura: Simon Piesinger recuperou a bola e, pouco depois do meio de campo, deu um chute forte e por cobertura, pegando o goleiro adiantado (e que falhou, tentando dar um tapinha para escanteio com a mão mole).

Porém, na etapa final, o Aarhus martelou até o fim, sufocou o adversário, principalmente após os 40 minutos, e chegou ao empate num gol de Patrick Mortensen já nos acréscimos, aos 47, para delírio dos torcedores em suas casas e nos carros do drive in/estacionamento.

O empate levou o AGF Aarhus aos 41 pontos em terceiro lugar. O Randers é o sétimo, com 35 pontos.

O Campeonato Dinamarquês segue nesta sexta-feira entre Silkeborg e Nordsjaelland. A competição é liderada pelo Midtjylland, que tem 60 pontos. O FC Copenhague vem a seguir com 50.

Leia mais:  Advogados pedem prisão domiciliar no Paraguai para Ronaldinho e Assis
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana