conecte-se conosco


Camisa 10

Ex-astro da NBA, Cliff Robinson morre aos 53 anos, nos EUA

Publicado

Notícia foi confirmada pela Universidade de Connecticut, Robinson iniciou a carreira. Ele iniciou no Trail Blazers e jogou o All Star Game de 1994

O ex-ala pivô e estrela da NBA nos anos 1990 Clifford Robinson, de 53 anos, morreu neste sábado (29), em Connecticut, nos Estados Unidos. A notícia foi confirmada pela Universidade de Connecticut, onde o astro surgiu. A causa da morte não foi divulgada.

“A família UConn de basquete lamenta a perda de um lendário jogador e pessoa, Clifford Robinson. Nossos pensamentos e orações estão com a família de Cliff neste momento difícil”, diz a universidade em uma publicação no Twitter.

O site oficial da NBA, liga profissional norte-americana de basquete, destacou que Robinson iniciou a carreira, em 1989, no Portland Trail Blazers, onde permaneceu por oito temporadas antes de continuar sua carreira de quase duas décadas. 

O Trail Blazers externou profunda tristeza pela morte do jogador e enfatizou a personalidade e energia incomparáveis, além das suas contribuições inconfundíveis na quadra que ajudaram a equipe a chegar aos playoffs em cada uma de suas oito temporadas com o time.

Robinson teve uma sequência de 461 jogos consecutivos com o time, marca que ainda é um recorde da franquia. “Estendemos nossas sinceras condolências à família e entes queridos de Cliff. ‘Tio Cliffy’ fará muita falta para os Trail Blazers e toda a cidade”, diz a nota.

Leia mais:  Goleiro Bruno deverá usar tornozeleira eletrônica em jogos
Como atleta, Cliff Robinson conquistou o prêmio de sexto homem do ano na temporada 1992/93, após obter uma média de 19,1 pontos, 6,6 rebotes e um melhor bloqueio da carreira de 1,99 por jogo.

Em 1994, ele participou do All Star Game, o jogo das estrelas do basquete norte-americano. Robinson atuou também por Phoenix Suns, Detroit Pistons, Golden State Warriors e New Jersey Nets, onde encerrou a carreira, aos 41 anos, em 2007.

publicidade

Camisa 10

Flamengo já conversa com a Fiorentina para compra de Pedro

Publicado

Jogador que está emprestado pelo clube italiano, assume artilharia no rubro-negro e se destaca em outros números

O atacante Pedro assumiu a artilharia do Flamengo em 2020, com 17 gols. Mas a comparação com outros goleadores do elenco, como Gabigol, que tem 16, e Bruno Henrique, com 14, é só uma parte dos feitos do jogador, que tem contrato de empréstimo até dezembro, e é alvo da diretoria rubro-negra para uma compra definitiva junto à Fiorentina, da Itália. Os clubes já conversam para entender a melhor forma do negócio, que custará caro.

Embora esteja atrás de Thiago Galhardo, do Inter, no número de gols no Brasileirão, 13 contra nove, Pedro é o centroavante que mais marcou na competição. Além dos nove gols, também é quem precisa de menos tempo para balançar as redes, 103 minutos. E lidera ainda nos quesitos finalizações certas (21) e no número de toques na bola até marcar os gols (34).

A pontaria do camisa 21 chega a 70% nos chutes ao gol, o que deixa Pedro como segundo colocado na posição, apenas atrás de Marrony, do Atlético-MG.

Apesar de já ter disputado 33 jogos pelo Flamengo, Pedro tem menos minutos em campo do que Gabigol e Bruno Henrique na temporada. São apenas 1615, contra 2266 de Bruno e 2128 de Gabigol’. O período como reserva em suas primeiras atuações fazem a média de gols se tornar ainda mais difícil de ser alcançada no Brasil. Um a cada 95 minutos nos 18 jogos que fez como titular.

Como Gabigol ainda não está integrado ao grupo, em função de uma torção no tornozelo grave, Pedro seguirá como principal atacante do Flamengo pelo menos até as oitavas de final da Libertadores, quando Gabigol volta.

Leia mais:  Governo do Estado realiza entrega de kits esportivos para contemplados pelo Bolsa Atleta
Continue lendo

Camisa 10

Anderson Silva confirma fim da carreira após luta de 31 de outubro

Publicado

Em entrevista ao site norte-americano MMA Junkie, lutador brasileiro disse que confronto contra jamaicano Uriah Hall vai marcar sua aposentadoria

A luta entre Anderson Silva e o jamaicano Uriah Hall, no próximo dia 31, no UFC Vegas 12, vai ser a última da carreira do brasileiro. O Spider confirmou a aposentadoria em entrevista ao site norte-americano MMAJunkie.

“Com certeza, esta é a última luta. Provavelmente. Eu amo o esporte. Preparei minha mente para isso. Eu me preparei para lutar a minha vida inteira, mas sim, esta é a minha última luta no UFC”, afirmou lutador brasileiro.

Anderson Silva está com 45 anos e, por contrato, ele teria de fazer mais lutas pela frente. Mas Dana White, presidente do UFC, aceitou que a despedida fosse no dia 31 de outubro.

O brasileiro é considerado um dos maiores lutadores de MMA da história do esporte. Começou a carreira em 1997 e está no UFC desde 2006

O brasileiro é considerado um dos maiores lutadores de MMA da história do esporte. Começou a carreira em 1997 e está no UFC desde 2006.

Anderson Silva foi campeão do peso médio e conquistou 17 vitórias seguidas, sendo 10 defesas de título consecutiva. Ele perdeu o cinturão, em 2013, para o norte-americano, Chris Weidman.

O fim da carreira de Anderson Silva não reflete a história do brasileiro no octógono. Foram nove lutas e só uma vitória. Em 2015, ele ainda foi pego no doping por uso de substâncias proibidas. Ele admitiu o erro, ficou um ano suspenso e pagou multa de 600 mil dólares .

O fim da carreira de Anderson Silva não reflete a história do brasileiro no octógono. Foram nove lutas e só uma vitória. Em 2015, ele ainda foi pego no doping por uso de substâncias proibidas. Ele admitiu o erro, ficou um ano suspenso e pagou multa de 600 mil dólares  

“Acho que vou sentir falta do treinamento. De preparar minha mente e meu corpo. Isso eu acho que é o mais importante e eu me sinto triste porque eu não terei mais isso. Este é o último”, lamentou Anderson.

'Não posso dizer: 'Ah, essa luta vai para o chão, essa luta é feita em pé'. Somos dois bons atacantes. Uriah é um cara muito, muito atlético e tem uma boa técnica no ataque e eu tento fazer o meu melhor. Eu tento fazer o melhor show para meus fãs', disse o brasileiro

“Não posso dizer: ‘Ah, essa luta vai para o chão, essa luta é feita em pé’. Somos dois bons atacantes. Uriah é um cara muito, muito atlético e tem uma boa técnica no ataque e eu tento fazer o meu melhor. Eu tento fazer o melhor show para meus fãs”, disse o brasileiro.

Já Uriah não esconde que Anderson Silva é um de seus ídolos. Nas redes sociais ele escreveu: “Ídolo + Rival = Lenda!”.

Leia mais:  Fifa anuncia banimento perpétuo de Ricardo Teixeira do futebol
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana