conecte-se conosco


Camisa 10

Ex-piloto da F-1 destrói McLaren Senna avaliada em R$ 8,3 milhões

Publicado

Adrian Sutil, que esteve na principal categoria do automobilismo de 2006 a 2014, bateu um dos 20 carros produzidos pela McLaren em poste de Mônaco

O ex-piloto de Fórmula 1 Adrian Sutil sofreu um acidente de carro em Mônaco. O alemão bateu seu carro em um poste, mas o que chama mais atenção na história é que não era um veículo qualquer. Ele dirigia um McLaren Senna LM.

A McLaren produziu o carro em edição limitada, foram só 20 unidades… Agora são 19.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram a frente do carro totalmente destruída.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram a frente do carro totalmente destruída

Não foram dadas informações sobre o estado de saúde de Adrian Sutil e o que teria acontecido para ele sofrer o acidente. Entretanto, o piloto alemão apareceu sentado em uma mureta logo após o acidente.

Há pouco mais de dois meses apareceram nas redes sociais fotos de Adrian Sutil posando todo feliz ao lado de seu novo carro.

Há pouco mais de dois meses apareceram nas redes sociais fotos de Adrian Sutil posando todo feliz ao lado de seu novo carro

Adrian Sutil, hoje com 37 anos, foi piloto na Fórmula 1 entre 2006 e 2014, mas não deixou saudades. Ele nunca conquistou um pódio e teve passagem bem discreta pela principal categoria do automobilismo.

Adrian Sutil, hoje com 37 anos, foi piloto na Fórmula 1 entre 2006 e 2014, mas não deixou saudades. Ele nunca conquistou um pódio e teve passagem bem discreta pela principal categoria do automobilismo

A máquina é uma versão adaptada para as ruas, conta com 800 cavalos e tem valor estimado na casa dos R$ 8,3 milhões.

A máquina é uma versão adaptada para as ruas, conta com 800 cavalos e tem valor estimado na casa dos R$ 8,3 milhões

Dois milionários do Brasil compraram essa raridade. Ambos foram até Londres, na fábrica da montadora, para personalizar suas máquinas.

Dois milionários do Brasil compraram essa raridade. Ambos foram até Londres, na fábrica da montadora, para personalizar suas máquinas

O craque Cristiano Ronaldo tem modelo desse na sua garagem, que tem mais de vinte carros.

Leia mais:  Chaveamento da fase final da Champions League é definido; confira
publicidade

Camisa 10

Globo perde Libertadores. Farra no futebol acabou

Publicado

Emissora carioca implorou redução do preço da transmissão à Conmebol. Ouviu um sonoro ‘não’. E o contrato até 2022 foi rescindido

O drástico corte das verbas de publicidade do governo federal, mais a pandemia provocaram uma grave crise financeira na Globo.

E um dos efeitos colaterais mais drásticos está na revisão da transmissão de futebol pela emissora.

Como já acontece na Europa e nos Estados Unidos, o esporte se tornou caro demais para a tevê aberta. E migrou para os canais a cabo ou pay-per-view.

Ainda mais para a Globo, que está mergulhada na crise. A ponto de demitir mais de 100 profissionais, no ano passado. Acabar com contratos longos de suas estrelas.

Renato Aragão, Vera Fischer, Jô Soares, Miguel Falabella, Stênio Garcia, Zeca Camargo, Renato Aragão, Malu Mader, Otaviano Costa, Maria Fernanda Cândido, Leandro Hassun, Malvino Salvador, José de Abreu, Regina Duarte, Bruno Gagliasso, Bianca Bin, Rafa Brites, Lair Rennó, Aguinaldo Silva, Cininha de Paula…

Maitê Proença, Isabela Garcia, Pedro Cardoso, Luiz Fernando Guimarães, Pedro Paulo Rangel, Danielle Winits, Helena Ranaldi, Marcelo Anthony, Dalton Vigh, Barbara Paz, Luana Piovani, Bruna Marquezine, Zé Mayer, Thiago Abravanel e Reynaldo Giannechini, entre outros.

Em junho, a Globo já avisou a Fifa que não iria manter o pagamento combinado de nove parcelas de 90 milhões de dólares, cerca de R$ 478 milhões, cada. Em um total de 810 milhões de dólares, cerca de R$ 4,3 bilhões, pela Copa do Mundo do Qatar.

E entrou na justiça brasileira para que a Fifa não desfaça o acordo. A Globo já pagou cinco parcelas, 450 milhões de dólares, cerca de R$ 2,3 bilhões. Mas perdeu o fôlego para seguir pagando. 

A questão será resolvida na Suíça.

O grupo Disney pode herdar o direito de mostrar o Mundial de 2022 ao Brasil.

Depois, no mês passado, a escandalosa briga e rescisão da Globo com o Campeonato Carioca. Por causa da MP 948, que proporcionou ao Flamengo a transmissão de seus jogos como mandante, a emissora tenta se livrar na justiça dos estaduais do Rio de Janeiro de 2021, 2022, 2023 e 2024. 

E não pagar os combinados R$ 408 milhões.

A briga do início da semana era só com a Turner, pelo Brasileiro. A emissora carioca não aceita que a americana use a MP 948 e transmita, na tevê a cabo, os jogos dos clubes que patrocina, mesmo sendo visitantes, como prevê a Medida Provisória de Jair Bolsonaro.

Só pela transmissão, a Globo paga R$ 180 milhões por ano para a CBF. Com os contratos com os clubes, chega a R$ 600 milhões em gastos.

E ontem o canal da família Marinho anunciou.

O contrato de transmissão da Libertadores da América está rescindido.

Ele contemplava 2020, 2021 e 2022.

Presidente da Conmebol,Alejandro Domínguez  foi firme com a Globo

A Conmebol não aceitou reduzir o preço de 65 milhões de dólares, cerca de R$ 346 milhões.

A Globo insistiu usando a pandemia e a desvalorização do real, em relação ao dólar, como desculpa. O contrato foi firmado quando o dólar estava a menos de R$ 4,00: R$ 3,98. A cotação atual é de R$ 5,33. O que chegou a um aumento de cerca de R$ 100 milhões por ano.

Por esse dinheiro, a Globo poderia só mostrar dois jogos diferentes na quarta-feira. E mais dois jogos no Sportv, na terça e na quarta-feira.

A emissora carioca também alegava a queda enorme no seu pay-per-view. A Globo perdeu mais de 400 mil assinantes do canal Premiere. Deixando de ganhar quase R$ 40 milhões mensais.

Há acordos sigilosos com anunciantes. Afinal, foram quatro meses de paralização por conta da pandemia. Ambev, Casas Bahia, Chevrolet, Hypera Pharma, Itaú e Vivo pagaram R$ 1,8 bilhão pelo futebol em 2020. Redução, extensão para 2021, assuntos que o mercado publicitário garante estar ocorrendo para compensar 120 dias sem o esporte.

Além disso, o bilionário Facebook virou um sério adversário para a Globo, nos direitos de transmissão da Libertadores.

O Youtube e a Amazon se movimentam também em direção ao futebol

“Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato”, diz a carta enviada para a Globo para a Conmebol.

A Conmebol não se afetou.

Duas empresas, a IMG e a Perform decidiram assumir a Libertadores e a Copa Sul-Americana por 350 milhões de dólares, cerca de R$ 1,8 bilhão.

A empresa de streaming DAZN desistiu de transmitir a Copa Sul-Americana e a Recopa, por conta da crise de assinantes. Devolveu os direitos e se livrará de pagar 91 milhões de dólares, cerca de R$ 483 milhões, até 2022.

Para manter as aparências, a Globo divulga que ainda está interessada na Libertadores.

“Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo. No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país.”

Em 2019, a Turner rompeu o monopólio no Brasileiro. Duro golpe para a Globo

Só que a cúpula global sabe de duas verdades.

A primeira é que a Conmebol tem outros interessados e não precisa ‘se adequar’ à crise financeira que a emissora carioca mergulhou.

E a segunda é que, entre sobreviver ou transmitir futebol sem lucro, a opção óbvia está na readequação à nova realidade econômica que a Globo vive.

Não há dinheiro para cumprir o acordo feito pela Libertadores.

O monopólio…

A farra da Globo, no futebol, acabou…

 

Leia mais:  Acusações de suborno na Fifa geram mais suspeitas sobre Copa no Catar

Continue lendo

Camisa 10

Capixabão será autorizado a voltar em setembro

Publicado

O presidente da FES, Gustavo Vieira, disse que espera a autorização oficial do governo para definir um cronograma de treinamentos e dos jogos

O governador Renato Casagrande afirmou que o Campeonato Capixaba de Futebol, das séries A e B, serão autorizados a voltar já em setembro. A declaração foi dada durante uma coletiva de imprensa, realizada no início da noite desta quinta-feira (06). 

No dia 10 de julho, também em uma coletiva, o governador já havia sinalizado a possibilidade de retorno do Capixabão para setembro. O campeonato estadual do Espírito Santo está paralisado desde março, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Apenas o Vitória e o Real Noroeste, representantes do estado na Série D do Campeonato Brasileiros, estão autorizados a realizar treinamentos, devido à participação das duas equipes na competição nacional, prevista para começar no início do mês que vem. A liberação se deu a partir de uma portaria publicada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) no Diário Oficial do Estado do dia 20 de julho. “Os times que estão na Série D já voltaram. E, em setembro, voltam os campeonatos estaduais”, afirmou Casagrande durante a coletiva.

O presidente da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES), Gustavo Vieira, no entanto, esclareceu que ainda aguarda uma portaria do governo do Estado, oficializando a autorização para que os demais clubes capixabas retornem aos treinamentos.

“Primeiro vamos esperar a publicação da portaria da Sesa para saber exatamente a partir de que dia os clubes poderão voltar a treinar. A partir da publicação dessa portaria, vamos nos reunir com os clubes para definirmos um cronograma de treinos e quando os campeonatos poderão, de fato, voltar. Definindo essas questões, iremos publicar o arbitral da Série A e da Série B”, explicou o presidente da federação.

“Com os clubes da Série B já existe um acordo de que os treinos poderiam ser retomados em setembro e o campeonato voltaria em outubro. Mas ainda precisamos definir isso com os clubes da Série A, colocar essa questão em votação. Alguns clubes querem voltar o quanto antes, outros querem um tempo maior”, completou.

Gustavo Vieira ressaltou, no entanto, que será preciso pelo menos três semanas, a partir do retorno dos clubes aos treinos, para que o Capixabão seja reiniciado. “Precisamos de tempo para cumprirmos todos os protocolos. Vamos ter que testar todos os jogadores e também os árbitros. Além disso, tem a questão física dos jogadores, que estão há muito tempo parados e precisam retomar o condicionamento físico”, destacou.

Sobre o protocolo de medidas a serem adotadas para o retorno dos treinos e dos jogos, o presidente da FES garantiu que o documento já foi encaminhado para a Secretaria Estadual de Saúde. “Esse protocolo aborda os procedimentos a serem adotados para os treinamentos e também para os jogos. São dois procedimentos que se convergem, mas que são distintos”, explicou.

Capixabão

As últimas partidas do Campeonato Capixaba da Série A foram disputadas no dia 14 de março, válidas pela última rodada da primeira fase. O torneio será retomado nas quartas de final. Os confrontos definidos para essa fase são: Vitória x Estrela do Norte, Desportiva x Rio Branco, Rio Branco (VN) x São Mateus e Real Noroeste x Serra.

Já na Série B, os últimos jogos também foram disputados no dia 14 de março. A competição foi paralisada na terceira rodada.

Série D

Já a Série D será retomada no dia 6 de setembro. O Real Noroeste disputará a fase preliminar da competição, onde vai encarar o Aquidauanense, do Mato Grosso do Sul. 

Quem vencer garante vaga no grupo 5 da Série D, onde está o Vitória. Completam o grupo o Águia Negra (MS), CRAC (GO), Goianésia (GO), Goiânia (GO), Operário (MT) e União Rondonópolis (MT). O Vitória estreia na competição no dia 19 de setembro contra o Goianésia, fora de casa.

Leia mais:  Acusações de suborno na Fifa geram mais suspeitas sobre Copa no Catar
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana