conecte-se conosco


Segurança

Filha e namorada confessam envolvimento em morte de família

Publicado

Ana Flávia Gonçalves e Carina Ramos foram as primeiras suspeitas presas após corpos de pai, mãe e filho serem encontrados carbonizados no ABC

Ana Flávia Gonçalves e Carina Ramos, as primeiras presas sob suspeita de matar uma família no ABC Paulista, confessaram participação no planejamento do crime em depoimento prestado à polícia na quarta-feira (5). As duas afirmam que facilitaram a entrada dos outros suspeitos na casa das vítimas, mas negam ter atuado nas mortes.

Os corpos de Flaviana Gonçalves, de 40 anos e Romuyuki Gonçalves, de 43 anos, e do filho mais novo do casal, Juan Gonçalves, de 15, foram encontrados carbonizados em uma região de mata na Estrada do Montanhão, em São Bernardo, na madrugada do dia 28 de janeiro. Ana Flávia é a filha mais velha do casal.

Cinco suspeitos estão presos e um sexto ainda é procurado pela polícia. De acordo com a Record TV, o objetivo do grupo era roubar R$ 85 mil, provenientes de uma herança, que estariam no cofre da casa da família. Carina e Ana Flávia teriam planejado o roubo e Carina chamado o primo e dois amigos dele para participar do crime. Segundo o primo de Carina, que também está preso, ao perceber que o dinheiro não estava na casa, ela teria ordenado a morte da família. O suspeito contou ainda que Carina teria participado da morte de Romuyuki por sufocamento com um saco plástico e assassinado Flaviana no local onde estavam os corpos das vítimas.

O caso

Três corpos carbonizados foram encontrados dentro de um Jeep Compass em uma área de mata na Estrada do Montanhão, área de mata em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, na madrugada de terça-feira (28). Quando as equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros chegaram ao local, o veículo ainda estava pegando fogo. Os corpos eram de Flaviana, Romuyuki e Juan.

A filha mais velha do casal, Ana Flávia Gonçalves, de 24 anos, e a mulher dela, Carina Ramos, de 31, tiveram prisão temporária de 30 dias decretada na noite de quarta-feira (29). A polícia justificou o pedido de prisão alegando contradições no depoimento do casal.

De acordo com a polícia, no primeiro depoimento as suspeitas mencionaram que a família tinha uma dívida com um agiota e que Flaviana teria saído de casa de madrugada para realizar o pagamento e depois seguiria para Minas Gerais. A presença do adolescente no carro, porém, fez a polícia desconfiar da versão. A Polícia Civil já tinha como uma das linhas de apuração uma possível briga familiar. Os pais, segundo os investigadores, não aceitavam o relacionamento da filha com Carina.

Investigação

Na primeira visita da polícia à casa onde a família morava, em um condomínio de Santo André, os agentes encontraram o imóvel revirado, além de marcas de sangue pelos cômodos. Os investigadores consideraram estranho a residência estar nestas condições, pois não havia sinais de arrombamento. Do local foram roubados eletrodomésticos, cerca de R$ 8 mil, dólares, joias e uma arma.

De acordo com a perícia, litros de água sanitária e manchas de sangue foram encontrados no quarto do adolescente. Também foram localizadas manchas de sangue em peças de roupa de Ana Flávia, a filha.

Uma testemunha que está sendo preservada contou aos policiais que ouviu barulhos estranhos vindos da casa das vítimas. Um laudo preliminar apontou que, antes de terem seus corpos carbonizados, as três vítimas morreram com pauladas na cabeça. Como todos os golpes foram do lado direito, a suspeita é de que o autor seja canhoto.

Um homem de cerca de 1,90 m de altura foi visto por uma testemunha junto com as duas suspeitas, na noite do crime, carregando algo pesado para o carro. O suspeito é o primo de Carina, preso na manhã de terça-feira (4). Em depoimento, segundo a polícia, ele confessou o crime, disse que a ação foi premeditada dois dias antes e que Ana Flávia autorizou o assassinato da família.

Segundo o depoimento do suspeito, a ideia do trio era roubar joias e R$ 85 mil em dinheiro do cofre da casa. O pai e o adolescente estavam na residência, no condomínio de Santo André, com Ana Flávia e Carina quando três suspeitos chegaram e anunciaram o assalto.

Carina teria sido a primeira a ser rendida. Os homens exigiam valores. Como o cofre estava vazio e o dinheiro recebido por Romuyuki não estava na residência, houve uma conversa entre os suspeitos. Naquele momento, segundo a versão do primo de Carina, as duas autorizaram a morte de toda a família.

Pai e filho foram levados para o quarto do adolescente. O primo de Carina revelou à polícia que os dois foram mortos asfixiados depois de apanhar. Já a mãe chegou à casa mais tarde e foi vendada.

Na terça-feira à tarde, mais dois suspeitos foram presos. A polícia chegou a eles a partir do depoimento de Carina na segunda-feira (3). Um sexto suspeito está sendo procurado.

Câmeras

As suspeitas sobre a filha ganharam força depois de as imagens da câmera de segurança mostrarem que ela e a mulher estavam na casa na noite do crime. Por diversas vezes, as duas foram flagradas manobrando os carros da família. O carro de Ana Flávia e Carina também é visto entrando e saindo do local várias vezes. Em depoimento à polícia, Carina, que chegou às 20h ao local, alegou ter entrado por volta das 22h. Câmeras mostram que ela usava um casaco com capuz, mesmo fazendo calor, o que também gerou desconfiança da polícia.

Quando o veículo da família deixa o condomínio, por volta de 1h, o carro de Carina e Ana Flávia sai na frente. Duas horas depois, os corpos de Flaviana, Romuyuki e Juan são encontrados.

Segundo a polícia, ao serem questionadas para onde seguiram após deixarem o condomínio, cada uma das suspeitas disse que se dirigiram a lugar diferente.  A polícia pediu a quebra do sigilo telefônico das duas mulheres para analisar sua troca de mensagens. Lucas Domingos, então advogado do casal, negou qualquer tipo de participação das duas com o crime e disse não ter certeza se havia contradições em seus depoimentos.

A polícia investiga as circunstâncias da morte de Flaviana, a mãe. De acordo o primo de Carina, ela não foi morta em casa. A polícia apura se Carina vestiu um uniforme da vítima, para se passar por ela, entrou no carro com ela ainda viva e assumiu o volante. Tiros foram ouvidos antes de o carro ser abandonado em uma estrada de terra de São Bernardo do Campo. Na sequência, o veículo foi incendiado.

Imagens de câmeras de segurança do condomínio mostram o momento da saída do Jeep que, mais tarde, seria encontrado com os três mortos.

Leia mais:  BPTran participa de Semana Nacional de Trânsito
publicidade

Segurança

Detran-ES dá orientações para trânsito mais seguro no Carnaval

Publicado

Para garantir um trânsito mais seguro durante o período de Carnaval, o Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) orienta atenção aos condutores que forem pegar a estrada neste feriado, seja para curtir os locais onde há programação de Carnaval, seja para descansar nesses dias, ou mesmo para deslocamento dentro das cidades.

Para alertar os condutores e usuários das vias sobre a segurança no trânsito o Detran|ES realizará ações educativas com abordagem dos foliões em blocos programados na Grande Vitória durante o Carnaval.

O diretor geral do Detran|ES alerta para que condutores, motociclistas, ciclistas e pedestre sejam responsáveis no trânsito. “A responsabilidade pela segurança no trânsito é de todos. Por isso nossas equipes estarão presentes no Carnaval para lembrar a todos que o trânsito seguro depende de todos nós e que cada um contribua adotando comportamentos seguros e obedecendo às regras de trânsito para que tenhamos um trânsito com menos acidentes e menos mortes nesse Carnaval”, disse.

Programação das abordagens do Detran|ES:

22/02 – Banho de Mar de Fantasia – Manguinhos – Serra

23/02 – Regional da Nair – Vitória 

24/02 – Batuqdellas – Vitória

25/02 – Amigos da Onça – Vitória

 

Orientações

Para garantir a própria segurança e a de todos que circulam nas vias nesse período, o Detran|ES dá algumas orientações.

Durante a viagem, o condutor do veículo deve sempre obedecer às regras de trânsito, como a sinalização, os limites de velocidade e só ultrapassar em locais permitidos e quando houver condições adequadas. É obrigatório utilizar os equipamentos de segurança, como cinto de segurança e capacete, praticar a direção defensiva e respeitar os outros veículos e pedestres.

Caso vá transportar crianças, os responsáveis devem ter atenção especial durante o passeio. As crianças de até sete anos e meio só podem ser transportadas em cadeiras adequadas a cada faixa etária. Além disso, os adultos devem ser exemplo, usando cinto de segurança em qualquer assento do veículo, seja ele de motorista ou passageiro, inclusive, nos bancos de trás.

O diretor-geral do Detran|ES, Givaldo Vieira, orienta que, enquanto dirige, o motorista deve manter toda a atenção no trânsito. “A preocupação não deve ser só com a multa, mas sim com a segurança de todos os que estão no veículo, que é o mais importante. Dessa forma, ter atenção é essencial e o condutor nunca deve utilizar o celular enquanto estiver ao volante nem ingerir bebida alcoólica para não colocar em risco a sua própria vida e a de todos os que transitam nas vias por onde ele está passando”, afirma.

Próximo aos locais onde há programação de Carnaval e intensa movimentação de pessoas, a atenção deve ser redobrada. “É importante que o condutor reduza a velocidade ao trafegar por esses locais. E a atenção ao trânsito também vale para o pedestre e para o ciclista. Todos devem adotar os comportamentos necessários para se proteger e preservar a vida do outro”, disse.

 

Manutenção do veículo

Estar com o veículo em bom estado de conservação e em condições adequadas de circulação também é fundamental para que o passeio seja feito em segurança e para evitar contratempos. Antes de seguir viagem, o motorista deve checar a condição de itens como pneus, freios, alinhamento e o sistema elétrico do automóvel.

É importante conferir, ainda, se os itens obrigatórios estão no carro, como macaco, chave de roda e triângulo para sinalização. O pneu sobressalente também deve estar em bom estado de conservação e calibrado.

Os dispositivos de segurança, como cintos, devem estar disponíveis para todos os ocupantes do veículo e não só para os passageiros da frente. E quem vai viajar com crianças deve se lembrar das cadeirinhas infantis. O capacete também deve ser utilizado por condutor e passageiro na motocicleta.

 

Documentos

Para dirigir o veículo é necessário que o condutor seja habilitado para a categoria correspondente e esteja com a sua documentação e a do veículo em dia.

É importante conferir se a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) está dentro da validade e em situação regular. No site do Detran|ES, é possível fazer a consulta da CNH e também verificar pelo registro do condutor se a CNH está suspensa, cassada ou cancelada.

Para trafegar, o veículo também deve estar devidamente licenciado. No site do Detran|ES, o condutor pode consultar as informações sobre o veículo e verificar se há débitos pendentes.

Para trafegar, é necessário ter a CNH e o Certificado de Registro de Licenciamento de Veículos (CRLV) vigente em mãos para apresentar em caso de abordagem. Os dois documentos podem ser utilizados no formato digital, que tem o mesmo valor jurídico do documento físico.

Para baixar os documentos no celular é necessário fazer download do aplicativo “Carteira Digital de Trânsito”, disponível no Google Play e App Store e adicionar os documentos. O cadastramento pode ser realizado no próprio aplicativo. Para obter a CNH Digital, é necessário que o condutor interessado já tenha o documento de papel com o QR Code, código localizado na parte interna da carteira. Os documentos podem ser acessados pelo dispositivo móvel mesmo off-line, ou seja, sem internet.

Leia mais:  BPMA fiscaliza período de defeso do caranguejo
Continue lendo

Segurança

Dez novos rabecões são entregues para Polícia Civil

Publicado

Dez novos veículos para transporte de cadáveres, os chamados rabecões, estão sendo preparados e vão integrar a frota da Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), dentro das próximas semanas. Os veículos foram adquiridos pelo Governo do Estado, com um investimento total de R$ 2,5 milhões, e estão sendo adaptados.

Com os novos equipamentos, será possível oferecer melhores condições de trabalho para os policiais civis que atuam nas unidades do Serviço Médico Legal (SML), além de aprimorar os atendimentos à população capixaba. 


“Além da aquisição de novos equipamentos, estamos trabalhando em parceria com a Secretaria da Saúde para a contratação emergencial de profissionais da área da saúde e com a Secretaria de Justiça, para a cessão de motoristas. Até agosto, também teremos a convocação dos aprovados no concurso que vai ofertar vagas para médicos legistas, peritos oficiais criminais e auxiliares de perícia médico-legal”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.


Os rabecões são caminhonetes modelo S10, completos, com tração 4×4, adequados para o serviço de transporte de cadáveres e serão distribuídos em todas as unidades do SML. Cada um custou R$ 205 mil.

“É um investimento muito importante para a reestruturação deste serviço, mas não é o único. O Governo do Estado viabilizou, no ano passado, a reforma do SML de Linhares, e, para este ano, estão previstas obras no SML de Colatina e no de Cachoeiro de Itapemirim, além de outros projetos em andamento”, explicou o delegado-geral.

Leia mais:  BPMA fiscaliza período de defeso do caranguejo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana