conecte-se conosco


Internacional

Itália: polícia e manifestantes têm confronto após toque de recolher

Publicado

Centenas de pessoas protestaram contra o toque de recolher e a perspectiva de lockdown por causa do aumento de casos de coronavírus

O toque de recolher obrigatório em Campânia, das 23h às 6h, e o anúncio do fechamento total desta região da Itália nos próximos dias, desencadearam uma noite de protestos na capital Nápoles, que culminou com o confronto entre manifestantes e policiais com o lançamento de pedras e contêineres de lixo sendo incendiados.

Por volta das 23h, centenas de pessoas se reuniram em frente à sede da região da Campânia, em Nápoles, e em pouco tempo teve início o conflito com os manifestantes atirando pedras contra os policiais, que reagiram.

Alguns contêineres foram queimados e outros virados por grupos de jovens encapuzados que começaram a atacar as viaturas da polícia.

Grupos de pessoas também bloquearam o acesso às ruas do centro histórico em protesto contra o presidente da região, Vincenzo de Luca.

“Esta noite testemunhamos um verdadeiro comportamento criminoso contra a polícia. Nenhuma condição de desconforto, por mais humanamente compreensível, pode de alguma forma justificar a violência”, disse o comissário da polícia de Nápoles, Alessandro Giuliano.

Os protestos também eclodiram em Roma, onde comerciantes fecharam suas lojas uma hora antes do toque de recolher obrigatório imposto pela região de Lácio.

Os comerciantes protestaram pois acreditam que a crise provocada pela falta de turismo, levará a fechamentos mais cedo, o que levará muitas empresas à falência.

O presidente do Governo, Giuseppe Conte, afirmou que seu objetivo é evitar um segundo confinamento total, mas novas medidas mais restritivas estão previstas para este fim de semana, como reduzir ainda mais o lazer e as viagens, além da hipótese de toque de recolher nacional e o fechamento de bares e restaurantes a partir das 18h, de modo que os cidadãos se desloquem apenas durante o dia, para ir à escola ou ao trabalho.

Os dados na Itália são muito preocupantes e ontem, 19.143 novas casos e 91 mortes foram registradas.

Leia mais:  Papa emérito Bento XVI está gravemente doente, revela biógrafo
publicidade

Internacional

Velório de Maradona é estendido em três horas por medo de protestos

Publicado

Multidão forma três quilômetros de filas para dar último adeus ao ídolo do futebol mundial. Polícia havia tentado encerrar cerimônia mais cedo

Ainda com milhares de pessoas para dar o último adeus a Diego Armando Maradona, a família do ídolo argentino autorizou que o velório se estendesse em três horas, agora até as 19 horas (horário local e de Brasília). Um princípio de confusão marcou o início da tarde desta quinta-feira (26), na Casa Rosada, com uma provável tentativa de encerrar a fila de visitantes mais cedo.

Maradona começou a ser ver velado na sede do governo argentino ainda de madrugada, em uma cerimônia apenas para familiares e amigos próximos. Às 6 horas, os portões se abriram para que a multidão começasse a entrar no salão principal e ver o caixão, que estava coberto com a bandeira do país e uma camiseta do Boca Juniors, time pelo qual se consagrou. Segundo as autoridades, um milhão de pessoas poderia passar por ali.

O que se viu, no entanto, foi uma fila de três quilômetros para que as pessoas pudessem ver o caixão por apenas 15 segundos. Quando os policiais tentaram aparentemente encerrar a fila antes das 16 horas, o primeiro horário prevista, fãs se revoltaram e entraram novo confronto com a polícia — pela manhã, também havia tido confusão com os primeiros apaixonados, apressados para se despedir do ídolo. Desta vez, a polícia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para conter a multidão.

O temor era que o encerramento no horário previsto provocasse ainda mais tumulto. A fila que começava na Plaza de Mayo, em frente à Casa Rosada seguia até a avenida Nove de Julho.

Maradona, que morreu vítima de uma parada cardiorespiratória, será enterrado no cemitério Jardim da Paz, no bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires. Por lá, os pais do craque, Dalma e Don Diego, estão enterrados. A família pensou inicialmente em um sepultamento no fim de semana justamente para que mais pessoas pudessem acompanhar o velório.

Além de uma reação com a segurança, as autoridades sanitárias também estão em alerta em razão da pandemia do novo coronavírus. Apesar do uso obrigatório de máscaras e aferição da temperatura na entrada da Casa Rosada, não há como manter o distanciamento social. A Argentina até agora registrou 1.390.375 de casos e 37.714 mortes pela covid-19.

Leia mais:  Um em cada 20 norte-americanos com mais de 55 anos fuma maconha
Continue lendo

Internacional

Ministro da Saúde francês confirma que vacinação para Covid-19 pode começar no fim deste ano

Publicado

O ministro da Saúde da França, Oliver Véran, confirmou nesta quinta-feira que o país poderia disponibilizar vacinas para Covid-19 até o final do ano, enfatizando a necessidade de as autoridades serem transparentes sobre o processo, dado o alto nível de ceticismo dos cidadãos franceses em relação às imunizantes.

Durante uma coletiva de imprensa detalhando como o segundo lockdown nacional da França está prestes a ser gradualmente suspenso, Veran afirmou que os aspectos logísticos do programa de vacinação serão detalhados na próxima semana.

Leia mais:  Renault pode desaparecer, diz governo francês; Nissan corta empregos
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana