conecte-se conosco


Medicina e Saúde

‘Janeiro Branco’: conheça os alimentos que ajudam no combate à depressão e ansiedade

Publicado

O mês de janeiro é o escolhido para colocar os temas da Saúde Mental em evidência, com a finalidade da prevenção ao adoecimento emocional. Para representar a prevenção, instituições públicas e a sociedade civil simbolicamente adotam a cor branca para representar o alerta. No Espírito Santo, o governador Renato Casagrande sancionou a Lei Estadual nº 11.078, em 06 de dezembro de 2019, que instituiu no Calendário Oficial do Estado o ‘Janeiro Branco’. O objetivo é sensibilizar a população para a importância da prevenção à depressão e à ansiedade e estimular o cuidado com a saúde mental e o bem-estar.
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que a depressão atinge 5,8% da população brasileira e distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3%. No entanto, o número de pessoas diagnosticadas com alguma doença emocional tem aumentando e isso, segundo a OMS, indica também que um número maior de pessoas está realizando o tratamento para sua saúde mental. Nesse caso, também é possível fazer da alimentação uma boa aliada para melhorar o bem-estar. 
De acordo com a nutricionista Nathammy Stein, alguns alimentos aumentam a quantidade de serotonina, o neurotransmissor conhecido como “um dos hormônios da felicidade”, por promover sensação de prazer e bem-estar e que ajuda no controle da mudança de humor, na saúde do sono, diminuindo a ansiedade e ajudando a manter a saúde mental. 
“Os alimentos que aumentam a serotonina são fontes de um nutriente chamado triptofano. Ele é um aminoácido essencial por ser um precursor da formação da serotonina no nosso organismo”, explica a nutricionista.
Nathammy Stein acrescenta que alguns alimentos como os de origem animal, a exemplo do peru, dos ovos e do salmão; das frutas, como a banana, o abacaxi e o abacate; e dos vegetais, como a couve-flor, o brócolis, a beterraba e as ervilhas, possuem maior quantidade do triptofano, aminoácido essencial ao organismo, que age como precursor na formação da serotonina no corpo. 
A nutricionista ressalta também que o essencial é aliar uma alimentação indicada com a prática de exercícios físicos para, desta forma, manter um corpo mais equilibrado, físico e mentalmente.
Quem também confirma o consumo de alimentos indicados como aliados no tratamento da depressão e dos transtornos de ansiedade é a psicóloga clínica e psicanalista Cristiane Palma. Segundo a especialista, a importância da alimentação balanceada precisa estar alinhada a um estilo de vida saudável, ou seja, não fazer uso de substâncias prejudiciais à saúde física e mental.
“Ter uma vida saudável não é só ter uma boa alimentação. É também não fazer uso de nicotina, de drogas e do álcool, substâncias que são depressoras do sistema nervoso central. Outro ponto importante é evitar o consumo de açúcares e a farinha, que são carboidratos simples, pois eles estimulam a liberação rápida de dopamina no organismo, que pode piorar o estado de depressão”, explica Cristiane Palma. 
Ela ainda enfatiza que uma boa alimentação pode ajudar a produzir mais estimulação de serotonina, responsável por aumentar o bom humor. Entretanto, segundo ela, não se pode substituir o tratamento da doença, que deve ser feito com medicação e tratamento psicoterápico e/ou psiquiátrico.
Sobre a importância de consumir e encontrar alimentos com qualidade, o diretor-presidente da Centrais de Abastecimento do Espirito Santo (Ceasa/ES), Fernando Rocha, ressalta que a Ceasa tem um papel essencial na cadeia de abastecimento dos alimentos para a população capixaba e dos Estados vizinhos. Segundo ele, o papel da Ceasa tem contribuição direta no auxílio aos tratamentos de cuidado da saúde mental. 
“A depressão e a ansiedade são consideradas doenças como o mal da modernidade que atingem uma considerável parcela da população mundial. As ações preventivas e sensibilizadoras são fundamentais. O tratamento destas doenças, bem como da maioria das outras, passa muito mais pela prevenção, com uma alimentação balanceada e atividades físicas. Diariamente, a Ceasa dispõe aos comerciantes e usuários em geral uma variedade de alimentos com procedência certificada“, ressaltou Fernando Rocha. 
Onde buscar atendimento
Uma pessoa que necessita de tratamento em saúde mental deve, primeiro, buscar acolhimento na Rede de Atenção Básica de Saúde mais próxima de seu domicílio. Em caso de surto psiquiátrico, é preciso acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), para ser encaminhado para o atendimento de urgência e emergência mais próximo.
Para receber atendimento no Centro de Atenção Psicossocial (Caps), a pessoa deve, primeiro, procurar a unidade de saúde básica mais próxima de sua casa. Havendo necessidade de um tratamento de maior complexidade, a própria unidade faz o encaminhamento ao Centro.
Muitos chegam espontaneamente ou encaminhados pela equipe de Saúde da Família, ou de hospitais e prontos-socorros. Além disso, todos os casos passam por uma avaliação feita por uma equipe multiprofissional. Caso o paciente se encaixe no perfil do Caps, ele é integrado à instituição.

Leia mais:  A quantidade de exercício físico que afasta a depressão
publicidade

Medicina e Saúde

Homem passa por cirurgia no coração após pipoca grudar em seu dente

Publicado

Britânico cutucou a gengiva com diversos objetos para tentar retirar o alimento, o que acabou resultando em uma grave infecção bacteriana

Ver um bom filme e comer pipoca é uma delícia, né? O problema é que, às vezes, uma casquinha de milho gruda no dente — e isso pode ser super irritante. Embora a chateação possa ser resolvida com a dupla fio dental e escovação, o britânico Adam Martin decidiu enfrentar o problema de outra forma.

Como contou ao jornal Cornwall Live, ele ficou tão incomodado com a situação que optou por cutucar sua gengiva com diversos objetos inusitados, como uma tampa de caneta, um pedaço de arame e até um prego. A tática deu certo: Martin conseguiu remover a pipoca do seu dente, mas o feito lhe causou uma dor terrível.

O britânico ignorou os sintomas e não foi ao dentista Semanas depois, ele apresentou sintomas semelhantes aos da gripe, incluindo suor noturno, fadiga e dor de cabeça. Ao ser examinado, OS médicos concluíram que ele tinha um sopro no coração. O motivo? Uma infecção bacteriana conhecida como endocardite.

A endocardite ocorre quando bactérias entram na corrente sanguínea e acabam sendo transportadas até o coração do hospedeiro. E foi justamente assim que as bactérias se infiltraram no corpo de Martin, pois suas cutucadas na gengiva resultaram em pequenos sangramentos bucais.

“Os médicos me disseram que, se eu não tivesse ido ao pronto-socorro, poderia ter morrido em três dias”, contou o paciente, em entrevista. Ele contou que a maioria das pessoas morre quando o quadro está no nível 350 em uma escala de infecção — e o dele estava em 340. “A infecção havia destruído minhas válvulas cardíacas completamente”, relata.

Ele também desenvolveu uma bolha de sangue no dedo do pé, diagnosticada com uma lesão de Janeway, outra indicação de endocardite infecciosa. Ele também sentiu dores musculares na perna, o que acabou sendo diagnosticado como um coágulo infectado na artéria femoral.

Os médicos tentaram tratar Martin com medicamentos, mas a infecção já estava muito avançada e não foi o suficiente para resolver o caso. O britânico, que trabalha como bombeiro, passou por uma cirurgia de coração aberto que durou sete horas para substituir suas válvulas danificadas. Depois, outro procedimento foi realizado para que os médicos tratassem o coágulo em sua perna.

Sua esposa, Helen Martin, compartilhou a história no Facebook para alertar as pessoas sobre infecções do tipo. “Sua gengiva é uma entrada para bactérias no seu coração”, escreveu Helen Martin. “A qualquer sinal de dor de dente, sangramento ou abscesso, vá a um dentista!”

Felizmente o bombeiro passa bem, mas ele se arrepende de ter ignorado o problema logo no início. “Eu deveria ter ido ao dentista em primeiro lugar. Não quero que ninguém passe pelo que passei”, relatou Martin. “Tudo aconteceu tão rápido e foi sinistro. Não vou chegar perto de pipoca de novo, com certeza.”

Leia mais:  Aplicação de borra de café não elimina o Aedes aegypti
Continue lendo

Medicina e Saúde

Sem urinar direito, idoso retira mais de 100 pedras da bexiga

Publicado

Caso raro foi agravado por condição que causa aumento da próstata, comum entre homens com mais de 80 anos

Um homem de 83 anos identificado como Liu teve mais de 100 pedras retiradas de sua bexiga em uma única cirurgia. O caso ocorreu na província de Jiangsu, oeste da China, e foi compartilhado pelos médicos do Hospital Zhongda, que trataram o caso.

Segundo os profissionais, o paciente chegou à emergência reclamando de dores ao urinar e logo foi examinado pela equipe, que decidiu fazer um raio-X. O resultado foi surpreendente: na imagem, era possível observar diversas pedras de tamanhos diferentes dentro do órgão do paciente.

“Após uma inspeção cuidadosa, ficamos surpresos ao descobrir que a bexiga dele estava cheia de pedras”, afirmou Sun Chao, um dos médicos de Liu, ao Pear Video. “Durante a operação, a bexiga foi aberta e um grande número de pedras foi retirado. Havia mais de 100 grandes e pequenos cálculos”, disse o profissional ao Nanjing Daily.

De acordo com os médicos, pedras na bexiga são fragmentos de minerais que podem se formar dentro do órgão quando a pessoa segura muita urina e consome pouco líquido. Mas casos como o de Liu não são comuns: segundo os profissionais, o paciente contou ter dificuldades para urinar há pelo menos uma década, mas disse nunca ter procurado ajuda antes.

O caso do chinês foi agravado pelo fato de ele sofrer de hiperplasia prostática benigna (HPB), um aumento não canceroso da próstata que causa dificuldade para urinar. Segundo os especialistas, a condição é comum e afeta metade dos homens com mais de 50 anos e 90% daqueles com mais de 80 anos.

Leia mais:  135 mil brasileiros vivem com HIV sem saber, diz ministério
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana