conecte-se conosco


Mundo Cristão

Jovens que deixam a igreja não voltam mais depois que envelhecem

Publicado

Uma pesquisa realizada pelo Barna Group mostra que as gerações mais jovens criadas na igreja normalmente não estão retornando à igreja.

Os dados analisam resultados de pesquisas entre indivíduos nascidos entre 1965 e 1984.

Membros da geração “Baby Boomer”, nascidos entre 1945 e 1964, que saem da igreja voltam quando chegam na faixa etária de 36 a 45 anos, depois que se casaram e tiveram filhos.

A pesquisa, coordenada pelo professor assistente de ciência política da Eastern Illinois University, Ryan Burge, intitulada Pesquisa Social Geral, mostra que quanto mais nova a geração, menor a quantidade de pessoas que voltam para a igreja.

Ao analisar os dados, o professor viu que a partir dos nascidos em 1970 a “corcunda” do gráfico se tornou uma linha reta.

“Essa linha de tendência é completamente plana – essas pessoas não retornaram à igreja quando chegaram aos 30 anos”, explicou.

O pesquisador faz um alerta: “A marca registrada ‘retorno à igreja’ – da qual pastores e líderes religiosos têm se apoiado há décadas – pode estar desaparecendo”.

Por muito tempo esses líderes religiosos acreditavam que os jovens que se foram, voltariam anos mais tarde. Mas isso não está acontecendo mais.

“Os dados estão falando uma mensagem clara: as suposições que sustentaram o crescimento da igreja de duas décadas atrás não se aplicam mais. Se as igrejas estão sentadas e apenas aguardando a chegada de todos os seus jovens quando chegam aos 30 anos, é provável que tenham um rude despertar. A inanição agora pode estar criando uma igreja que não tem um futuro forte”, acrescentou o professor.

Comparada com outras pesquisas recentes, como a Pew Research, é possível notar que esse afastamento de cristãos tem reduzido o número de religiosos nos EUA.

Apenas 65% dos norte-americanos se consideram cristãos, a menor taxa da história.

Em sua avaliação de como as igrejas podem responder à atual queda, Burge sugere que as igrejas podem se tornar espaços mais acolhedores para pais de bebês e crianças pequenas.

“Acho que um caminho a seguir é que as igrejas se tornem intencionais em fornecer espaços acolhedores e envolventes para pais de bebês e crianças pequenas. Coisas como cuidar de crianças gratuitamente durante o culto devem ser apenas o começo”, disse ele.

Burge também sugeriu a realização de eventos onde os pais possam conversar com outras pessoas da mesma idade sem que os filhos possam atrapalhar essas reuniões.

“Se os jovens pensam que ir à igreja consiste apenas em tentar impedir que seus filhos gritem o tempo todo, ficar em casa parece ser uma boa opção. E, se eles acham que uma igreja é um espaço acolhedor quando seus filhos ainda são crianças, é lógico que eles terão mais probabilidade de continuar sua participação à medida que seus filhos crescem”, acrescentou.

Leia mais:  Em ‘live’ com pastor, Justin Bieber fala sobre a graça: “Sou liberto do meu passado”
publicidade

Mundo Cristão

Pandemia: Califórnia proíbe cristãos de louvarem a Deus durante cultos

Publicado

O estado da Califórnia decidiu proibir que as igrejas louvem a Deus durante os cultos sob o argumento de impedir a propagação do novo coronavírus. Um pastor está conclamando os cristãos a responderem às autoridades nas urnas, em novembro.

O órgão equivalente à secretaria de saúde da Califórnia passou a exigir que as igrejas não realizem os momentos de louvor durante os cultos: “Atividades como cantar contrariam a redução de risco alcançada através de um metro e meio de distanciamento físico”, diz a nota de anúncio da medida.

De acordo com informações do portal The Christian Post, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) estariam alertando que cantar pode espalhar o coronavírus tão facilmente quanto espirrar ou tossir. Assim, as autoridades da Califórnia decidiram limitar a liturgia dos cultos.

Além disso, o estado determinou que restaurantes, cinemas, museus e outros estabelecimentos em 19 municípios onde houve aumento do número de infectados fossem fechados.

As novas proibições são uma resposta ao aumento da hospitalização nos últimos 14 dias. Ao todo, mais de 240 mil casos foram confirmados no estado.

O pastor Jentezen Franklin, líder da megaigreja Free Chapel, afirmou que os cristãos devem votar a fé nas próximas eleições, pois a vitória do Partido Democrata instauraria uma perseguição religiosa sem precedentes nos Estados Unidos, em sua visão.

“O governador da Califórnia acabou de proibir cantar na igreja. Católicos não podem recitar; Os evangélicos não podem adorar em voz alta. A própria definição de discriminação é permitir que milhares de pessoas marchem e gritem sem máscaras enquanto dizem às igrejas [com] 100 ou menos [membros] que você não pode cantar”, protestou o pastor.

“Os cristãos devem perceber que a esquerda radical restringirá e controlará a igreja se não votarmos nossa fé em novembro! Você está registrado para votar em sua fé?”, questionou o pastor, estimulando os fiéis a cumprirem os requisitos para irem às urnas nas próximas eleições presidenciais. Nos Estados Unidos, os eleitores não são obrigados a votar, mas precisam se registrar no sistema eleitoral caso tenham a intenção de comparecer à votação.

Leia mais:  Trump investe US$ 50 milhões para promover o combate à perseguição religiosa
Continue lendo

Mundo Cristão

Morre Sebastião Rodrigues, vice-presidente da CGADB

Publicado

Pastor da Assembleia de Deus havia perdido o filho há poucos dias para o coronavírus.

Presidente da Assembleia de Deus de Cuiabá, no Mato Grosso, e vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, o pastor Sebastião Rodrigues de Souza, de 89 anos, morreu nesta quarta-feira (8) vitima da covid-19.

Ele também era líder da Convenção de Ministros das Assembleias de Deus de Mato Grosso (COMADEMAT).

O pastor já havia perdido o filho para a doença, o também pastor Rubens Siro de Souza, de 68 anos, sepultado no dia 4 de julho. Rubens era vice-presidente da igreja, pai de três filhos e avô.

A morte do pastor Sebastião foi anunciada através das redes sociais, sendo que a esposa, irmã Nilda de Paula Souza, de 85 anos, também foi internada por causa da doença, mas acabou se recuperando e recebendo alta.

Em nota, a CGADB lembrou a história do pastor, destacando que ele foi presidente da instituição de 1993 a 1995, quando deixou o cargo para servir como vice-presidente.

Sebastião Rodrigues estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e chegou a ser entubado, mas depois de uma melhora acabou não resistindo.

Além da esposa, o pastor deixa os filhos Silas, Silene e Abilio, assim como noras, genros, netos, bisnetos e tataranetos.

Leia mais:  “A esposa precisa cuidar dos detalhes”, ensina pastora
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana