conecte-se conosco


Cidades

Mais de R$ 437 milhões já foram liberados em operações de crédito emergencial pelo Banestes

Publicado

O Banestes, principal banco credor do Espírito Santo no acesso a linhas especiais de crédito emergencial, já concedeu mais de R$ 437,1 milhões em crédito emergencial para mais de 12,5 mil empresas de variados portes e do setor industrial do Estado.

As linhas de crédito têm como objetivo incentivar a economia, tendo em vista a desaceleração gerada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

“Os números comprovam a forte atuação do Banestes em prol do empresariado capixaba. As linhas atendem às necessidades daqueles que são microempreendedores e das empresas de grande porte. Como banco dos capixabas, estamos comprometidos com a força econômica do Espírito Santo”, ressalta o diretor-presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande.

Em linhas gerais, desde o início de 2020, o Banestes já concedeu mais de R$ 3,2 bilhões em crédito para clientes pessoas física e jurídica no Estado. Além disso, os contratos de reparcelamento de crédito em até 180 dias – outra importante ação de auxílio econômico disponibilizada pelo banco como medida de enfretamento à pandemia da Covid-19 – já atingiram o montante de mais de R$ 890 milhões.

Balanço

Confira abaixo o balanço detalhado das principais linhas de crédito emergencial operadas pelo Banestes para enfrentamento dos impactos econômicos da pandemia do novo Coronavírus. Os dados são referentes ao período de março até a última sexta-feira (23).

1) Linha de Crédito Emergencial Bandes e Banestes:

Para essa linha de crédito, que atende a empresas de todos os portes e do setor industrial, com taxas a partir de CDI + 0,32%, ao mês, o Banestes disponibilizou o montante de R$ 250 milhões. Até o momento, o Banestes já liberou mais de R$ 231,8 milhões em recursos nesta linha, em um total de 2.106 contratos.

2) Linha de Crédito Aderes e Banestes – Nossocrédito Emergencial (Programa Nossocrédito):

A linha Nossocrédito Emergencial, com taxas de 0,65% a 0,95%, ao mês, já liberou mais de R$ 24,8 milhões em recursos, totalizando 5.321 contratos com empreendedores de pequeno porte.

3) Linhas do Fundo de Aval – (01) Microcrédito Emergencial Covid-19:

Na linha de crédito de até R$ 5 mil, com taxa zero, que tem como foco os microempreendedores individuais (MEIs), já foi liberado o valor total de mais de R$ 36,7 milhões, distribuídos em 2.747 operações de crédito.

4) Linhas do Fundo de Aval – (02) Capital de Giro Covid-19:

A linha de crédito de até R$ 31,5 mil, com taxa de CDI, tem recursos destinados especificamente para o pagamento de folhas de pagamentos de pequenas e médias empresas e teve liberação de mais de R$ 992,7 mil, distribuídos em 123 contratos com empresas do Estado.

5) Capital de Giro Pronampe:

Linha de crédito para empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões, em 2019, com taxa de juros de 1,25%, ao ano, acrescidos da taxa Selic Over. O valor máximo de contratação corresponde em até 30% da receita bruta anual da empresa, calculada com base no exercício de 2019 e declarada à Receita Federal, limitado em até R$ 100 mil, por CNPJ. O Banestes já liberou mais de R$ 142,7 milhões em 2.254 contratos para a linha de crédito Pronampe.

6) Reparcelamento de operações de crédito em até 180 dias:

Condição única no mercado, tanto para clientes Pessoa Física (PF) quanto Pessoa Jurídica (PJ). No total, o Banestes já realizou mais de R$ 890 milhões em repactuação de contratos.

Além das opções de crédito, o Banco permanece operando as opções de reparcelamento, cheque especial sem juros, isenção e redução de tarifas no crédito, dentre outras facilidades. As ações estão detalhadas no site https://www.banestes.com.br/estamosjuntos.

Leia mais:  Uso do CartãoGV passa a ser obrigatório no Transcol a partir deste domingo (17)
publicidade

Cidades

Banestes participa da campanha Feirão On-line do SPC

Publicado

Cliente pode conseguir abatimento no valor da dívida de até 100% das multas e juros de mora. Atendimento será exclusivamente virtual, neste ano, devido à pandemia do novo coronavírus.

O Banestes participa, durante o mês de dezembro, do Feirão On-line do Serviço de Proteção (SPC), organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da Grande Vitória. O Banco vai oferecer descontos de até 100% de multas e juros de mora, além de alongamento do prazo da dívida, para quem teve dificuldades de manter as contas em dia.

O Banco concederá flexibilidade de negociação e descontos progressivos, aumentando as chances de o cliente quitar o débito. Cada caso será analisado individualmente. A campanha visa a incentivar as pessoas a renegociarem suas dívidas, restaurarem seu poder de compra e, com isso, terem um Natal mais tranquilo.

A campanha iniciará na próxima terça-feira (1º) e segue até 20 de dezembro. Os interessados em regularizar as contas atrasadas deverão acessar o site www.feiraoonlinespc.com.br, onde vão encontrar três ícones, sendo um deles exclusivo para negociar os débitos com o Banestes.

Poderão ser atendidos clientes pessoa física que possuem dívidas referentes a vários produtos do Banco, como cheque especial, cartões de crédito, crédito pessoal, microcrédito, consignado, adiantamento de 13º salário e antecipação de imposto de renda. O valor é limitado a R$ 100 mil, para dívidas não ajuizadas, sem garantia real e com atraso superior a 60 dias.

O parcelamento da renegociação da dívida pode ser em até 60 meses.  Três profissionais do Banestes estarão no atendimento exclusivo durante a campanha, de plantão. No total, a expectativa do Banco é de realizar 40 atendimentos por dia.

De acordo com o superintendente de Créditos do Banestes, Leonardo de Oliveira Boa, o cliente que está inadimplente deve aproveitar essa oportunidade.  Ele ressalta que o Banco pode propor novo parcelamento ou alongamento da dívida, sempre analisando o comprometimento da renda do cliente, de forma que ele consiga pagá-la.

“O feirão da CDL é uma das principais ações que temos no Estado de incentivo à renegociação de dívidas. É uma oportunidade ímpar para os clientes fecharem o ano sem pendências e recuperarem seu poder de compra. O Banestes estará no feirão com descontos ainda melhores”, frisou Boa. 

Como vai funcionar

  • O consumidor deverá acessar o site www.feiraoonlinespc.com.br.
  • No endereço eletrônico, o consumidor vai encontrar três ícones, sendo um deles exclusivo para negociar os débitos com o Banestes.
  • Ao clicar no ícone do Banestes, o consumidor será direcionado para fazer a negociação diretamente com a instituição financeira.
  • O cliente preenche o formulário e receberá o contato, via telefone, dos gerentes do Banestes que estarão exclusivamente por conta do evento.
  • A campanha ocorrerá de 1º a 20 de dezembro, virtualmente, 24 horas por dia.

Leia mais:  Prefeitura oferece curso de Informática para adolescentes, adultos e idosos
Continue lendo

Cidades

Sistema indenizatório para casos de difícil comprovação é ampliado em municípios do ES

Publicado

Operação é realizada por meio de plataforma on-line disponível no site da Fundação Renova

Os municípios capixabas de Aracruz, Conceição da Barra, Linhares e São Mateus agora integram o novo sistema indenizatório para os casos de difícil comprovação decorrentes dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão. Baixo Guandu foi o primeiro município a integrar a plataforma. O sistema foi implementado e ampliado a partir de decisão da 12ª Vara Federal, após petições apresentadas pelas Comissões de Atingidos desses municípios. 

Por meio do novo sistema, é possível pagar os casos de difícil comprovação de danos de categorias informais como, por exemplo, lavadeiras, artesãos, areeiros, pescadores de subsistência e revendedores informais de pescado. Os valores variam de cerca de R$ 23 mil a R$ 567 mil, dependendo do dano sofrido. 

Iniciado em agosto para Baixo Guandu (ES) e Naque (MG), o novo sistema indenizatório funciona por meio de uma plataforma on-line disponível no site da Fundação Renova (www.fundacaorenova.org). 

Até 20 novembro, o novo sistema indenizatório somava 862 pagamentos realizados, com valor total correspondente a R$ 83 milhões nesses dois municípios. Destes, 541 pessoas são de Baixo Guandu. A adesão à plataforma tem prazo definido pela Justiça. Em São Mateus, a data-limite é 31 de dezembro de 2020 e, para os demais municípios, 31 de janeiro de 2021. 

A Fundação Renova informa que, até setembro de 2020, foram pagos, no somatório total, R$ 2,65 bilhões em indenizações e auxílios financeiros emergenciais para cerca de 321 mil pessoas em toda calha do rio Doce, em Minas e no Espírito Santo.

Acesso

O acesso à plataforma é o primeiro passo para dar entrada no sistema de indenização. Os atingidos precisam ser representados por advogados ou defensores públicos que devem cumprir todas as etapas previstas na plataforma e atender às determinações das sentenças, com a apresentação das documentações exigidas. Depois que esse processo é finalizado, em caso de aceite dos termos da indenização, os termos de adesão e quitação são encaminhados à Justiça. Após a homologação pelo Juízo, a indenização é paga em até dez dias úteis.

Para ingressar na plataforma, os atingidos devem confirmar idade superior a 16 anos na data do rompimento, estar devidamente inscritos ou com solicitação de cadastro junto à Fundação Renova até 30 de abril de 2020, ser vinculados aos municípios mencionados e estar representados por advogados ou defensores públicos. A adesão ao novo sistema indenizatório é facultativa.

Leia mais:  Treinamento de livro que já inspirou mais de 4 milhões de pessoas chega ao Estado
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana