conecte-se conosco


Camisa 10

Maya Gabeira bate o próprio recorde mundial após onda de 22,4m

Publicado

Ondão surfado durante competição da WSL, em 11 de fevereiro, em Nazaré, supera antiga marca de 20,72m

Quase sete meses depois de pegar uma das maiores ondas surfadas este ano em Nazaré, Portugal, Maya Gabeira teve nesta quinta-feira a confirmação que tanto esperava. A Liga Mundial de Surfe (WSL) anunciou que a brasileira bateu o próprio recorde de maior onda já surfada por uma mulher na história com a nova marca avaliada em 73,5 pés (22,4 metros). A carioca, de quebra, ainda ganhou a premiação do XXL Awards na categoria feminina de Maior Onda. A onda foi surfada em 11 de fevereiro, em Nazaré (confira nas imagens da WSL abaixo).

Maya superou sua antiga marca de 68 pés (20,72 metros), que foi o primeiro recorde feminino de maior onda homologado pelo Guinnes World Records, com uma “bomba” também surfada em Nazaré, em janeiro de 2018.

– É um pouco surreal na verdade. Tá ainda caindo a ficha. Eu sabia que a onda era muito grande, tinha uma convicção que a onda era maior do que o meu recorde de 2018. Tava com uma competição bem acirrada com a Justine (Dupont), francesa, que também tinha surfado uma onda muito grande no mesmo dia – disse Maya, que surfou a onda do recorde durante um evento de tow-in organizado pela WSL.

Maya bateu o recorde durante um evento de tow-in em Nazaré, em fevereiro desse ano — Foto: WSL / Damien Poullenot

O detalhe é que foi a Maya a grande responsável por demandar a medição da onda, feita por cientistas do Scripps Institution of Oceanography, em San Diego, na Califórnia (EUA), e pelos criadores do projeto da piscina de ondas artificiais de Kelly Slater.

– Pela primeira vez a onda foi medida fora da Liga. Eu consegui que eles levassem essas ondas para serem medidas com uma nova técnica elaborada pelos cientistas que criaram a onda do Kelly Slater e os cientistas do Scripps, o Instituto de Oceanografia de San Diego – explicou a carioca.

O recorde de maior onda da história pertence ao também brasileiro Rodrigo Koxa, que conquistou esse feito também em Nazaré, com uma bomba avaliada em 80 pés (24,4 metros).

Leia mais:  Fórmula 1 precisará encolher para conseguir começar temporada
publicidade

Camisa 10

Gabriel Menino é novidade na lista de convocados da seleção brasileira

Publicado

Jovem do Palmeiras foi chamado para atuar como lateral-direito, mas atua como volante em seu clube. Estreia nas eliminatórias será contra Bolívia

A Copa do Mundo 2022 começará em 9 e 13 de outubro para a seleção brasileira. De olho nos dois primeiros jogos das Eliminatórias Sul-Americanas, o técnico Tite convocou nesta sexta-feira (18) os jogadores para os confrontos contra Bolívia e Peru. O jovem Gabriel Menino, do Palmeiras, é a grande novidade. Rodrigo Caio e Everton Ribeiro, ambos do Flamengo, também foram chamados.

Na lista, algumas novidades em relação aos convocados em 6 de março, que defenderiam o Brasil nos jogos antes da pandemia de coronavírus. A principal mudança é a primeiro convocação de Gabriel Menino para atuar como lateral-direito. Em seu clube, ele vem sendo titular como volante.

A primeira partida da seleção brasileira na competição, contra os bolivianos, será na Neo Química Arena, em São Paulo. Quatro dias depois, o time enfrentará a seleção peruana, em Lima.

Se depender do retrospecto, o Brasil é amplamente favorito para vencer os dois jogos. Contra os bolivianos, são 21 vitórias brasileiras, quatro empates e apenas cinco derrotas, com 99 gols marcados e 25 sofridos. Já contra os peruanos, são 32 vitórias, nove empates e as mesmas cinco derrotas, com um total de 91 gols marcados e 31 sofridos.

Confira os convocados da seleção brasileira para as Eliminatórias:

Goleiros
Alisson (Liverpool-ING)
Santos (Athletico-PR)
Weverton (Palmeiras)

Laterais
Alex Telles (Porto-POR)
Danilo (Juventus-ITA)
Gabriel Menino (Palmeiras)
Renan Lodi (Atlético de Madri-ESP)

Zagueiros
Thiago Silva (Chelsea)
Rodrigo Caio (Flamengo)
Felipe (Atlético de Madri-ESP)
Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA)

Meias
Bruno Guimarães (Lyon-FRA)
Casemiro (Real Madrid-ESP)
Douglas Luiz (Aston Villa-ING)
Fabinho (Liverpool-ING)
Everton Ribeiro (Flamengo)
Philippe Coutinho (Barcelona-ESP)

Atacantes
Neymar (Paris Saint-Germain-FRA)
Roberto Firmino (Liverpool-ING)
Gabriel Jesus (Manchester City-ING)
Richarlison (Everton-ING)
Everton (Benfica-POR)
Rodrygo (Real Madrid-ESP)

Leia mais:  Zagueiro argentino é sequestrado depois de jogo
Continue lendo

Camisa 10

Ganso tem pior média de minutos da carreira e luta por mais espaço no Fluminense

Publicado

Paulo Henrique Ganso chegou ao Fluminense em 2019 com a expectativa de retomar os bons momentos da carreira. Com cinco anos de contrato, porém, ele não conseguiu engatar boas sequências. Nesta quarta-feira, contra o Atlético-GO, na vitória por 1 a 0 no confronto de ida da Copa do Brasil, o meia mostrou que ainda pode ajudar o tricolor. Das 18 partidas em que saiu do banco de reservas, esta foi apenas a quarta que o camisa 10 teve 30 ou mais minutos para jogar. E ele foi bem, mudando a dinâmica do ataque, apesar de uma atuação bem abaixo de toda a equipe.

Em 2020, Ganso soma 20 jogos, sendo apenas dois como titular, na derrota para o Volta Redonda, pelo Campeonato Carioca, e no triunfo sobre o Athletico-PR, no Brasileiro. No total, são 498 minutos em campo, uma média de 24,9 por jogo. A atual temporada, inclusive, é a que Ganso tem menos espaço como profissional, superando até as 14 partidas em 2018/19 por Sevilla (ESP) e Amiens (FRA), quando a média era de 44,5 minutos.

De acordo com números do “SofaScore”, Paulo Henrique Ganso atuou por 31 minutos contra o Atlético-GO e teve uma precisão de 96% nos passes. Ele sofreu uma falta, teve um chute travado e ganhou um duelo no chão. Os números podem não ser expressivos, mas, apesar de o meia ainda ter um ritmo muito particular, em campo a dinâmica mudou, dando maior profundidade a um Fluminense que teve dificuldade para furar o bloqueio adversário na defesa e era pouco criativo.

Com isso, Ganso soma algumas boas atuações nas últimas chances que teve e gera algum otimismo. Quando foi titular na vitória contra o Athletico-PR na vaga de Nenê, ele foi importante na organização do time e cumpriu seu papel. Contra o Figueirense, entrou no segundo tempo e iniciou a jogada que terminou em pênalti em Yago Felipe, convertido por Nenê para fechar o 3 a 0. No clássico com o Vasco, precisou de quatro minutos para dar uma assistência para Fred fazer o seu primeiro gol no retorno ao Fluminense.

O técnico Odair Hellmann evita falar em titulares e reservas, sempre citando a importância do grupo, especialmente em uma sequência tão intensa. Caso o meia consiga permanecer saudável, pode ser que tenha mais chances em breve. Vale lembrar que Ganso foi preservado nos primeiros jogos do ano para fazer um reforço muscular e sofreu com uma lombalgia e de um edema na panturrilha esquerda recentemente.

– Eu confio no grupo. Os jogadores têm dado uma resposta muito boa e entrado muito bem. Vamos fazer uma avaliação para domingo e colocar quem estiver mais forte mentalmente e fisicamente para conseguir uma vitória no Brasileiro também. Assim vamos fazer esse estudo e avaliação em todos os jogos enquanto não tivemos um alargamento no período de partidas para treinar melhor – disse Odair após a vitória por 1 a 0.

Leia mais:  Nova camisa do Inter vira piada e ganha comparações nas redes
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana