conecte-se conosco


Internacional

OMS: mundo tem 3,48 milhões de casos e 241 mil mortes por covid-19

Publicado

Grandes oscilações na quantidade de mortes divulgadas impossibilitam precisar a tendência atual, que parecia ser de baixa nas duas últimas semanas

O número de casos de covid-19 no mundo chegou a 3,48 milhões nesta terça-feira (5), divulgou a OMS (Organização Mundial da Saúde). A quantidade de mortes já é superior a 241 mil.

Desde 1º de maio, o planeta contabiliza entre 80 mil e 90 mil novos casos por dia. As grandes oscilações na quantidade de mortes divulgadas impossibilitam precisar a tendência atual, que parecia ser de baixa nas duas últimas semanas.

A Europa continua sendo a região mais afetada, com 1,54 milhão de casos, seguida de perto pela América, com 1,47 milhão. O Oriente registra 211 mil contágios, à frente da Ásia Oriental e Pacífico (153 mil), Sudeste Asiático (68 mil) e África (32 mil).

Por países, o Brasil se tornou o último país a ultrapassar a marca de 100 mil casos confirmados, atrás de Estados Unidos, Espanha, Itália, Alemanha, Reino Unido, Rússia, França e Turquia.

Mais de 1,2 milhão de pessoas já se recuperaram da doença no mundo todo, mas 49 mil permanecem em estado grave ou crítico, o equivalente a 2% dos casos ativos.

Leia mais:  'Sol artificial' vai começar a funcionar na China em 2020
publicidade

Internacional

Após testes, Rússia diz que aplicará vacina contra covid-19 em outubro

Publicado

Ministro da Saúde afirma que médicos e professores russos serão os primeiros a receberem a dose do imunizantes desenvolvido pelo país

Os ensaios clínicos da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa Epidemiológica e Microbiológica da Rússia (Gamalei) foram concluídos, e já foi iniciada a etapa de registro, segundo informações divulgadas neste sábado (1º) pelo ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko.

“A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo centro Gamalei concluiu os ensaios clínicos e agora os documentos para o seu registro estão sendo preparados”, declarou Murashko, citado pela agência de notícias local TASS.

Segundo o ministro, médicos e professores serão os primeiros a receberem a vacina, e espera-se que ela seja distribuída para diversas regiões da Rússia a partir do próximo dia 10.

“Estamos planejando que a campanha de vacinação mais extensa, que será gradualmente acrescentada ao novo sistema de cuidados, começará em outubro”, afirmou.

Murashko acrescentou que a segunda vacina russa, desenvolvida pelo centro Vector, está atualmente em processo de ensaios clínicos. Segundo ele, o Ministério da Saúde acredita que receberá em um mês e meio ou dois meses mais dois pedidos de permissão para realizar ensaios clínicos de novas vacinas.

Na sexta-feira (31), o epidemiologista americano Anthony Fauci demonstrou preocupação e afirmou que espera que China e Rússia estejam realmente fazendo os devidos testes antes de aplicar as vacinas que estão desenvolvendo contra o novo coronavírus.

Fauci deu a declaração depois que as autoridades russas disseram que estavam próximas de aprovar a imunização, adiantando-se aos esforços dos Estados Unidos.

A Rússia vem registrando uma pequena melhora na tentativa de conter a propagação do vírus SARS-CoV-2, com menos de 6 mil novos casos de infecção por dia. Hoje, foram confirmadas mais 95 mortes por covid-19, 66 a menos que ontem. Desde o início da pandemia, foram reportados 845.443 contágios e 14.058 óbitos.

Leia mais:  Democratas da Câmara divulgam relatório que detalha caso para impeachment de Trump
Continue lendo

Internacional

Trump afirma que vai proibir o aplicativo TikTok de operar nos EUA

Publicado

A declaração ocorre em um momento de especulação sobre a compra de ações do aplicativo pela Microsoft e discussões sobre a segurança nacional

Com milhares de usuários no mundo, o Tiktok permite a produção e edição de vídeos curtosO presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (31) que proibir o aplicativo de vídeo TikTok de operar nos Estados Unidos. A declaração ocorre horas depois de relatos de que a Microsoft estaria negociando para comprar o aplicativo da empresa chinesa Pequim ByteDance.
“No que diz respeito ao TikTok, estamos proibindo-os dos Estados Unidos”, disse Trump a repórteres a bordo do Air Force One, o avião presidencial.

O republicano afirmou que poderia usar poderes econômicos de emergência ou uma ordem executiva para banir o TikTok. “Bem, eu tenho essa autoridade”, disse ele.

A imprensa estadunidense já havia informado que a ByteDance está considerando mudanças em sua estrutura corporativa e que estuda vender uma participação majoritária na TikTok. Segundo o jornal The New York Times, a Microsoft estaria interessada no negócio.

Críticos temem que o TikTok repasse ao governo chinês informações sobre usuários coletadas nos Estados Unidos. O aplicativo, no entanto, garante que não armazena dados de usuários fora da China e que resistiria a qualquer tentativa do governo chinês de ter acesso a esses dados.

Especialistas em segurança cibernética avaliam como teórico o risco do TikTok para a segurança nacional. Asseguram ainda que não há evidências de que os dados do usuário do TikTok foram comprometidos pela inteligência chinesa.

TikTok se tornou extremamente popular entre os jovens, com centenas de milhões de usuários em todo o mundo. O aplicativo permite que os usuários assistam e criem vídeos curtos com áudio e outros efeitos. Os vídeos costumam se tornar virais em outras redes sociais.

Leia mais:  A pandemia que ameaça destruir a fruta mais popular do mundo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana