conecte-se conosco


Mundo Cristão

Padre vira alvo do Ministério Público após criticar decisão do STF sobre homofobia: “Mordaça”

Publicado

O temor de muitos líderes cristãos no Brasil é que a criminalização da homofobia se tornasse uma mordaça à liberdade religiosa. Meses após o Supremo Tribunal Federal ter equiparado manifestações preconceituosas contra homossexuais ao crime de racismo, um padre se tornou alvo de uma investigação do Ministério Público.

No dia 30 de junho, ao final de uma missa dominical na capela São João Batista, em Recife (PE), o padre Rodrigo Alves de Oliveira Arruda incentivou os fiéis a assinarem uma petição que pressiona o Senado a aprovar um projeto de lei limitando a decisão do STF.

A repercussão desse episódio teve um capítulo na última terça-feira, 15 de outubro, quando o 7º Promotor de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital, Maxwell Anderson de Lucena Vignoli, do Ministério Público de Pernambuco, abriu um inquérito civil com o objetivo de “apurar os fatos e circunstâncias reveladores de possíveis violações dos direitos da população LGBT”, segundo publicado no Diário Oficial.

O promotor deu andamento a uma representação do Movimento LGBT Leões do Norte: “A fala do padre está equivocada. Ele agiu com LGBTfobia porque usou do exercício do sacerdócio para incitar a violência”, diz o sociólogo e ativista Rildo Veras, presidente do grupo. “Representamos uma denúncia porque queremos discutir o assunto em audiência. No mínimo esperamos que o padre faça uma retratação pública no mesmo púlpito onde ele cometeu essa violação”, acrescentou.

O jornalista Tiago Cordeiro publicou reportagem especial no portal Gazeta do Povo questionando se “discordar publicamente do STF” havia se tornado crime: “Um religioso pode se valer de sua liberdade de expressão para, a partir do púlpito, argumentar contra uma decisão judicial? Ou o padre teria cometido crime de homofobia, mesmo considerando que o acórdão da decisão do STF ainda não foi divulgado?”, pontua a matéria.

O padre Arruda reagiu à informação classificando a investigação como censura velada: “Isso é uma mordaça. Você não pode ter expressão religiosa, científica, contrária ao que essas pessoas pensam. Não podemos ficar passivos”, desabafou.

A petição pública que Arruda sugeriu que os fiéis presentes na missa assinassem dizia: “Nós, abaixo assinados e qualificados, somos contra toda tentativa de criminalização do bom senso”. O texto pedia que os senadores aprovassem o Projeto de Decreto Legislativo de autoria do senador Marcos Rogério (DEM-RO), que teria como efeito prático a sobreposição à decisão do STF.

Para os signatários, as “recentes e absurdas decisões inconstitucionais do Supremo Tribunal Federal” pretendem “impor ilegitimamente à população brasileira uma criminalização injusta e indevida, equiparando ao crime de racismo, do existente fenômeno social mal chamado de ‘homofobia’”.

Luigi Braga, advogado especialista em liberdade religiosa e integrante da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), comentou que as críticas do padre não transgridem a lei: “A decisão do Supremo é uma tentativa judicial de encaixar algo que não foi decidido pelo poder Legislativo. A lei em que foi enquadrada a LGBTfobia é a mesma que proíbe a discriminação por motivos religiosos. Ou seja, o padre pode se defender da acusação utilizando a mesma lei pela qual ele é acusado”.

Leia mais:  Jovens que deixam a igreja não voltam mais depois que envelhecem

A assessoria de imprensa do Ministério Público de Pernambuco informou que o promotor Maxwell Anderson de Lucena Vignoli não vai se manifestar publicamente sobre o pedido de investigação enquanto ela estiver em andamento.

publicidade

Mundo Cristão

Igreja cria “varal solidário” com máscaras para doação

Publicado

A Igreja de Deus em Morrinhos (GO), liderada pelo bispo Thiago Jaci, colocou um varal na praça da cidade onde pendura máscaras para quem precisar se proteger do coronavírus.

As máscaras são distribuídas gratuitamente no “Varal da Solidariedade”, na Praça do Mercado. Ao longo do dia, fiéis repõe o estoque de máscaras que tem tido muita procura.

A ação espera distribuir pelo menos 400 unidades. O bispo explica que o material é colocado à disposição da população em horários alternados, de manhã e à tarde.

O projeto tem sido muito elogiado nas redes sociais e mostra mais uma forma de a igreja contribuir em meio à pandemia de coronavírus.

Doação de máscaras na Praça do Mercado! Varal da Solidariedade… Viveiro Beira Mato e Igreja de Deus Morrinhos!!

Posted by Igreja de Deus Morrinhos on Monday, May 18, 2020

Leia mais:  Ana Paula Valadão critica pastores que não cancelaram cultos: “religiosidade”
Continue lendo

Mundo Cristão

Pastor vence “The Voice”, com a música cristã “I Can Only Imagine”

Publicado

Todd Tilghman, um pastor do Mississippi, foi coroado vencedor do The Voice, na noite da última terça-feira, 19. Ele incluiu em sua apresentação final a música “I Can Only Imagine” (Eu só posso imaginar), da banda Mercy Me, que inspirou o filme homônimo.

“Eu gostaria de saber como dizer obrigado. E gostaria que vocês soubessem o quanto respeito e admiro meus novos amigos e colegas artistas/concorrentes na @NBCTheVoice. Não sei quanto tempo levarei para processar, mas com certeza estou agradecido por cada momento”, escreveu o pastor em sua conta no Twitter.

Todd, 42 anos, atua como pastor líder da Cornerstone Church em Meridian, Mississippi (EUA). Ele chegou ao topo na temporada 18 do The Voice, depois de vencer outros nove cantores. O pastor integrou a equipe Team Blake, que era formada por calouros que recebiam orientações do cantor de country Blake Shelton.

Trajetória de Todd no programa

O pastor participou do programa através de uma videoconferência por conta da pandemia do coronavírus. Em sua primeira apresentação da final, tocou a música “Long Way Home”, e seu desempenho foi classificado como “incrível” pelo técnico de sua equipe.

Em seguida, interpretou I Can Only Imagine, que sensibilizou um dos jurados. “Pastor, adoramos ver sua jornada durante toda a temporada”, disse o treinador John Legend.

Muito emocioanda, a cantora Kelly Clarkson, uma das juradas, disse. “Você é muito emocionante. É porque você é um pastor, porque você tem uma crença tão maior dentro de você do que apenas a si mesmo. Eu adoraria ir à sua igreja apenas para ouvi-lo falar, não apenas cantar. Você é muito especial”, declarou.

Diante disso, seu treinador reiterou o elogio a seu calouro pela “conexão que você tem com as pessoas”.

Uma terceira música escolhida pelo pastor foi Authority Song, de John Mellencamp, que ele cantou ao lado de Blake Shelton. Quando saiu o resultado que lhe deu a vitória no The Voice, Todd Tilghman estava cercado por sua esposa – com quem é casado há 21 anos – e seus oito filhos como anfitrião Carson Daly o nomearam o vencedor da competição de canto.

Além de cantar remotamente para a competição, as restrições de arrecadação de dízimos e oferta impostas pela pandemia de Covid-19 forçaram a igreja de Tilghman a realizar seus cultos através de plataformas online.

Pregação

De acordo com informações do portal The Christian Post, o pastor pregou uma mensagem apropriada neste mês baseada no livro de Mateus 25:14-19 , a parábola dos talentos. O sermão foi transmitido ao vivo no Facebook.

“Pegue os talentos que o Mestre lhe deu antes de nos separarmos e multiplique-os durante esse período, para que, quando voltarmos juntos, você voltará com mais do que sobrou”, disse ele aos membros da Cornerstone Church no resumo de sua pregação.

Veja a apresentação do pastor na final do “The Voice”:

Leia mais:  Pais testemunham milagre em bebê com coronavírus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana