conecte-se conosco


Internacional

Presidente de Belarus mobiliza tropas e acusa oposição de tentar tomar o poder

Publicado

Desde o anúncio do resultado das eleições, opositores pedem renúncia e saída do presidente, que critica membros do conselho e países ocidentais

O presidente de Belarus, Alexandr Lukashenko, acusou nesta terça-feira (18) a oposição de tentar tomar o poder através do conselho de coordenação e anunciou a mobilização do Exército na fronteira ocidental devido a uma suposta ameaça do exterior.

“Eles exigem, sem mais nem menos, que cedamos o poder. Ou seja, só interpretamos isso de uma forma: é uma tentativa de tomar o poder com todas as consequências”, disse o mandatário durante uma reunião do Conselho de Segurança de Belarus, segundo a agência estatal Belta.

Desde as eleições presidenciais de 9 de agosto, a oposição se mantém irredutível ao pedir a renúncia de Lukashenko, que ameaçou adotar “medidas adequadas” contra os membros do conselho de coordenação, idealizado pela oposição para realizar a transição de poder e que conta com Svetlana Alexievich, ganhadora do prêmio Nobel de Literatura em 2015.

“Temos medidas suficientes para acalmar algumas cabeças quentes. Mas apenas em virtude da Constituição e das leis”, comentou o governante.

Críticas de Lukashenko

Lukashenko, que desqualificou os membros do conselho, alguns dos quais chamou de “nazis”, acusou a oposição de querer abandonar a a União da Rússia e Bielorrússia e proibir a língua russa. A afirmação foi negada por uma das líderes da oposição, Maria Kolesnikova, que acusou o presidente de “manipulação e engano”.

O conselho de coordenação da oposição bielorrussa para a transferência de poder realizou a sua primeira reunião nesta terça-feira.

“Não é um partido político, mas uma comunidade de cidadãos que deve influenciar na transferência pacífica do poder”, explicou Kolesnikova.

Lukashenko anunciou também que colocou tropas em alerta na fronteira ocidental do país, em reação a uma suposta ameaça externa.

“Graças aos céus, reagimos e posicionamos unidades militares do nosso Exército nas fronteiras ocidentais e estamos em alerta máximo”, enfatizou o presidente.

Lukashenko, que nesta terça-feira conversou por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin, mencionou declarações de alguns líderes ocidentais que, segundo ele, “não sabem onde fica Belarus”.

“E eles não sabem o que está acontecendo aqui. De qualquer modo, eles fazem essas declarações. Como dizem os militares, o fator externo nos obriga a avaliar a situação e a agir conforme necessário”, explicou.

Embora não tenha especificado tais declarações, Lukashenko argumentou “surgiram não só problemas internos, mas também problemas externos”.

“E o fato de serem ações coordenadas fica claro para nós. Mas isto nem sequer é o auge”, advertiu.

Leia mais:  Covid, Corona e Lockdown, nomes da moda na Ásia
publicidade

Internacional

Trump volta a usar petróleo como argumento para tirar votos de Biden

Publicado

Trump veiculou trechos de vídeos de Biden, nos quais o ex-vice-presidente promete uma transição para energias mais limpas nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a atacar o rival na disputa pela Casa Branca, o democrata Joe Biden. Como tem feito em eventos recentes, Trump afirmou durante comício em Martinsburg, na Pensilvânia, que Biden destruiria o setor de energia dos Estados Unidos, prejudicando a produção de petróleo, caso vença a disputa.

Trump veiculou trechos de vídeos de Biden, nos quais o ex-vice-presidente promete uma transição para energias mais limpas nos EUA. O líder republicano argumenta que isso destruirá dezenas de milhares de empregos em Estados cruciais na disputa eleitoral, como a própria Pensilvânia.

Leia mais:  A pandemia que ameaça destruir a fruta mais popular do mundo
Continue lendo

Internacional

Nasa anuncia a descoberta de água na superfície da Lua

Publicado

Agência espacial norte-americana realizou um evento online para fazer o anúncio que pode impactar os planos para a missão Artemis em 2024

Nasa, agência espacial norte-americana, anunciou, nesta segunda-feira (26), em uma conferência transmitida ao vivo uma nova descoberta obtida por meio de estudos do Observatório Estratosférico de Astronomia Infravermelha (SOFIA, na sigla em inglês): a presença de água na superfície da Lua.

A substância foi detectada em concentrações de 100 a 412 partes por milhão – o equivalente a cerca de uma garrafa de 0,35 litro de água – presa em um metro cúbico de solo espalhado pela superfície da Cratera Clavius, uma das maiores crateras visíveis da Terra, localizada no hemisfério sul da Lua.

“Tivemos indicações de que H2O pode estar presente no lado iluminado da Lua”, afirmou o diretor da Divisão de Astrofísica do Diretório de Missão Científica na Sede da NASA em Washington, Paul Hertz.

“Agora sabemos que está lá. Esta descoberta desafia nossa compreensão da superfície lunar e levanta questões intrigantes sobre recursos relevantes para a exploração do espaço profundo”, completou.

Segundo o especialista, ainda não se sabe, no entanto, se a substância seria acessível.

A descoberta pode ter impacto na missão espacial Artemis, que enviará a primeira mulher à superfície lunar em 2024. O sucesso da missão contribuirá para outras conquistas espaciais como a exploração de Marte, programada para 2030.

Leia mais:  'Terceira Guerra Mundial' é um dos assuntos mais falados na internet
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana