conecte-se conosco


Cidades

Produtores rurais de quatro municípios do ES vão receber assistência técnica coletiva

Publicado

Atendimento será realizado pelo Incaper/Fundagres Inovar Linhares, Baixo Guandu, Colatina e Marilândia por três anos

Produtores rurais de quatro municípios capixabas impactados pelo rompimento da barragem de Fundão (MG) receberão serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) coletiva que vão auxiliar no processo de fortalecimento e retomada das atividades agropecuárias. São eles: Linhares, Baixo Guandu, Colatina e Marilândia.

O atendimento será realizado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e a Fundação de Desenvolvimento e Inovação Agro Socioambiental do Espírito Santo (Fundagres Inovar), por meio do acordo de Cooperação Técnica e Financeira firmado com a Fundação Renova. A parceria tem duração de três anos e pode ser prorrogada.

Dentre as ações de Ater coletivo, estão contratação de especialistas, elaboração de documentos que orientarão a organização das cadeias produtivas da agropecuária, elaboração do modelo do Plano de Trabalho Integrado à Propriedade (documento que apresenta os requisitos mínimos das ações a serem executadas em cada propriedade),  cursos, dias de campo e palestras para atenderem a mais de 240 famílias em comunidades rurais atingidas.

“A parceria vai possibilitar maior suporte aos produtores rurais no processo de retomada das atividades agropecuárias e à readequação ambiental”, diz Rildo de Paula, coordenador de Uso Sustentável da Terra (UST) da Fundação Renova.

A iniciativa do Programa de Retomada das Atividades Agropecuárias da Fundação Renova atende à cláusula 125c do Termo de Transação e de Ajuste de Conduta (TTAC). Elas seguem as diretrizes e os princípios estabelecidos pela lei federal 12.188/2010, que institui a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER).

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

Leia mais:  Tudo pronto para a Festa da Virada em Conceição da Barra
publicidade

Cidades

Chuva deve continuar até domingo no ES; confira a previsão do tempo!

Publicado

De acordo com o Climatempo, um ciclone subtropical deve passar pelo o Estado. O litoral do ES deve ter, além do maior volume de chuva, as maiores rajadas de vento

A chuva prevista para atingir o Espírito Santo chegou nesta quinta-feira (22) com ventos moderados e queda de temperatura na Grande Vitória. Segundo o Climatempo, os próximos dias devem seguir da mesma forma.

A chuva e os ventos fortes devem ocorrer do norte do Rio De Janeiro até o sul da Bahia, passando por boa parte de Minas Gerais e todo o estado do Espírito Santo. Isso porque há formação de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa capixaba que pode dar origem a um novo ciclone subtropical.

Os fatores indicam que até o domingo (25) os acumulados de chuva cheguem aos 100mm em algumas cidades, o que pode acarretar em alagamentos e inundações. A pior condição do tempo fica para o litoral do Espírito Santo, que deve ter, além do maior volume de chuva, e ventos de até 80km/h.

Por conta dos fortes ventos formados, há previsão de ressaca. A partir de segunda-feira (26), a costa fluminense e capixaba podem ter ondas de 2,5m. Na terça-feira (27), o mar deve subir ainda mais, com ondas de 3m de altura.

Ainda de acordo com o Climatempo, um ciclone subtropical é um sistema híbrido, ou seja, ele não é nem um ciclone extratropical e nem um furacão, ele é realmente o meio termo. “Não precisa de uma frente fria para se formar, mas também não tem um centro de baixa pressão tão intenso quanto de um ciclone tropical”, explica.

Se confirmado, esse será o décimo sistema catalogado pela Marinha do Brasil, e deve ter o nome de Mani.

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), a quinta-feira (22) será de muitas nuvens e chove em alguns momentos do dia por todo o Espírito Santo. As temperaturas máximas estão em declínio por todo o Estado.

Na Grande Vitória, sol entre muitas nuvens e chuva em alguns momentos. Temperatura mínima de 22 °C e máxima de 27 °C. Vitória: mínima de 22 °C e máxima de 26 °C.

A sexta-feira (23) também será de muitas nuvens e chove em alguns momentos do dia por todo o Estado.

Na Região Serrana, sol entre muitas nuvens e chuva fraca em alguns momentos. Nas áreas menos elevadas: temperatura mínima de 18 °C e máxima de 27 °C. Nas áreas altas: mínima de 16 °C e máxima de 25 °C.

Leia mais:  Hospital Estadual de Urgência e Emergência abre vagas de emprego
Continue lendo

Cidades

Suzano é reconhecida como umas das melhores empresas para trabalhar no Brasil

Publicado

A companhia aparece pelo segundo ano consecutivo no ranking da pesquisa Great Place to Work 

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, aparece como uma das melhores empresas para trabalhar no país segundo ranking divulgado pelo Great Place to Work (GPTW) em parceria com a revista Época Negócios. A premiação é resultado de uma metodologia global desenvolvida a partir da pesquisa de clima, comentários dos funcionários, práticas culturais e questionário adicional temático para mulheres.

Este é o segundo ano consecutivo no qual a Suzano está entre as 150 melhores do Brasil. Um dos focos da companhia mesmo antes do início da pandemia causada pelo novo coronavírus tem sido preservar a saúde, a segurança e o bem-estar de seus colaboradores, parceiros e familiares. “Fomos uma das primeiras empresas do país a fechar os escritórios administrativos, colocamos 4 mil funcionários em home office, entre eles, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes e portadores de doenças crônicas, bem como oferecemos suporte de psicólogos e assistentes sociais aos colaboradores e familiares”, afirma Christian Orglmeister, Diretor Executivo de Estratégia, Gente, Comunicação, TI e Digital da Suzano. “Nosso cuidado também se estendeu às áreas operações, onde implementamos importantes medidas de prevenção e segurança direcionadas àqueles que precisam estar fisicamente em nossas unidades”, complementa.

Além dos cuidados com os colaboradores, terceiros e familiares, a Suzano também atuou para auxiliar a sociedade no enfrentamento ao novo coronavírus. Entre as medidas adotadas estão a doação de máscaras e respiradores, a construção de um hospital de campanha na Bahia e ações de apoio a fornecedores de pequeno porte e clientes.

Outro destaque do ano foi a divulgação das metas de longo prazo da companhia, apresentadas ao público externo em fevereiro passado. Entre elas estão o objetivo de remover 40 milhões de toneladas adicionais de carbono da atmosfera, oferecer 10 milhões de toneladas de produtos de origem renovável para substituir o uso de plástico e derivados do petróleo e auxiliar na retirada de 200 mil pessoas da linha da pobreza. Essas metas deverão ser alcançadas até 2030.

Outra meta de longo prazo, mas com foco no horizonte até 2025, prevê que a empresa terá 30% de seus cargos de liderança ocupados por mulheres e 30% por negros. “Um dos nossos direcionadores é Só é bom para nós se for bom para o mundo, por isso temos a responsabilidade de iniciar esse movimento dentro da companhia. E sabemos que para sermos uma empresa ainda melhor e mais bem preparada para o futuro, precisamos também ser mais diversa e inclusiva”, afirma Orglmeister.

Sobre a Suzano

Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Leia mais:  ‘Nenhuma quantidade de álcool é segura para dirigir’, reforça nova campanha do Detran
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana