conecte-se conosco


Cidades

Projeto Doce Vivo realiza encontros virtuais com comunidades sobre qualidade do rio Doce

Publicado

Eventos remotos são realizados em municípios de MG e ES para conscientizar a população em relação ao uso da água 

As comunidades de Colatina (ES), Baixo Guandu (ES) e Aimorés (MG) participaram dos primeiros encontros virtuais sobre a qualidade da água do rio Doce, eventos promovidos pelas equipes de Diálogo da Fundação Renova e com a participação do Projeto Doce Vivo neste mês de setembro.

O novo formato remoto de encontro foi adotado após as visitas presenciais serem suspensas para preservarem a saúde de colaboradores e das comunidades, devido à pandemia do coronavírus.

O Projeto Doce Vivo, desenvolvido pela Fundação Renova, tem o objetivo de orientar as pessoas em como cuidar da qualidade da água do rio Doce e envolver comunidades impactadas, associações de moradores, pescadores, comissões de atingidos, ribeirinhos, proprietários rurais e proprietários abrangidos pelo Plano de Monitoramento Quali-Quantitativo Sistemático de Água e Sedimento (PMQQS), além de escolas e professores.

As conversas buscam explicar o que é e como funciona o Programa de Monitoramento, apresentar os dados de qualidade da água, conscientizar a população em relação ao uso sem desperdício e aumentar a confiança da comunidade no consumo da água do rio Doce. 

A água do rio Doce pode ser consumida após passar por tratamento convencional em sistemas municipais de abastecimento. É isso que indicam os mais de 3 milhões de dados gerados anualmente pelo maior sistema de monitoramento de cursos d’água do Brasil, criado pela Fundação Renova em 2017 para monitorar o rio Doce.

“A iniciativa é fundamental para que as pessoas possam entender como funciona o trabalho desenvolvido durante o processo de monitoramento e como está atualmente a qualidade da água do rio Doce”, diz o analista de monitoramento hídrico Henrique Filgueiras. 

O projeto

O Programa de Monitoramento desenvolveu ações de sensibilização ambiental em escolas, no ano passado, na Semana do Meio Ambiente. Depois dessa primeira iniciativa, surgiram vários convites à equipe de monitoramento hídrico da Fundação Renova para a realização de outras atividades que desenvolvessem o tema ‘água’ em escolas e divulgassem resultados de qualidade para as comunidades. Assim nasceu o Projeto Doce Vivo. 

A primeira edição foi promovida em dois distritos de Governador Valadares, nos dias 11 e 12 de março de 2020. O primeiro encontro aconteceu na Escola Municipal de Ilha Brava e contou com a participação de 30 crianças e adolescentes. No dia seguinte, um segundo grupo de 30 jovens da Escola Estadual Marco Geber Sírio, no distrito de Baguari, recebeu o Projeto Doce Vivo.

Durante as atividades do Projeto Doce Vivo, os participantes têm a oportunidade de conhecer alguns equipamentos utilizados para coletar água. Eles vestem EPIs (equipamentos de proteção individual), recebem cartilhas e manuseiam amostras de bichos que vivem no rio. Em 2019, 16 localidades receberam o projeto em Minas Gerais e no Espírito Santo.

O monitoramento 

O programa conta com 92 pontos de monitoramento distribuídos no rio Doce e na zona costeira. Entre esses pontos, estão 22 estações automáticas, que geram informações em tempo real. Um total de 80 parâmetros físicos, químicos e biológicos são analisados na água e outros 40 nos sedimentos. São mais de 300 pontos de monitoramento de água para consumo humano em 30 municípios.

Cinco órgãos participam desse trabalho por meio de um grupo técnico de acompanhamento: Agência Nacional de Águas (ANA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Agência Estadual de Recursos Hídricos do Espírito Santo (AGERH).  

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

Leia mais:  Incaper e Idaf retomam atendimento presencial em alguns municípios
publicidade

Cidades

Qualificar ES abre mais 26 mil vagas em cursos on-line para moradores do Espírito Santo

Publicado

Os moradores do Espírito Santo que possuem mais de 16 anos e acesso à internet já podem se inscrever nas 26 mil vagas em cursos on-line gratuitos de qualificação profissional, abertas pelo Qualificar ES. As inscrições abriram nesta terça-feira (27) e podem ser feitas até o dia 10 de novembro.

O Programa disponibilizou 13 opções de cursos, sendo três novos, para a escolha da população, que pode optar por dois cursos. As inscrições podem ser feitas no site do Qualificar ES (www.qualificar.es.gov.br), mediante cadastro. Basta o interessado acessar o site, efetuar um cadastro (caso já tenha, é só acessar com o login e senha) e preencher o formulário de inscrição.

De acordo com o edital de seleção, a lista com os classificados será divulgada no dia 16 de novembro, também no site do Programa. Os cursos acontecem no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), no site do Qualificar ES, e as aulas podem ser feitas de qualquer lugar do Estado e em qualquer horário, por meio de smartphones, tablets e computadores. Os alunos aprovados no curso recebem certificação.

“Nossa equipe estudou novas abordagens de conteúdo para os cursos já existentes e os novos cursos, que atendessem à necessidade de ficar em casa, que, de repente, apareceu na vida de todo mundo. Nossa preocupação é de, além de ter um conteúdo mais adequado e em maior quantidade, também pode ser uma atividade mais atraente para o cidadão”, afirmou a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Cristina Engel.

Veja as opções de cursos:    

CURSOS   CARGA HORÁRIA   VAGAS  
Auxiliar Administrativo 120h  2.000
Cozinha Asiática (NOVO CURSO) 120h 2.000
Cuidador de Idosos (Maior de 18 anos) (NOVO CURSO) 120h 2.000
Educação Especial Inclusiva 120h  2.000
Gestão Financeira de Pequenas e Médias Empresas 120h 2.000
Hamburgueria Gourmet (NOVO CURSO) 120h  2.000
Inglês Básico 120h  2.000
Inglês Intermediário 120h 2.000
Maquiagem 120h  2.000
Marketing Digital para o seu Negócio (NOVO CURSO) 120h 2.000
Segurança do Trabalho 120h  2.000
Tecnologias Educacionais 120h  2.000
Word e Excel 120h 2.000
TOTAL      26.000

Leia mais:  Recarga do CartãoGV já está disponível no App Banestes
Continue lendo

Cidades

Mais de R$ 437 milhões já foram liberados em operações de crédito emergencial pelo Banestes

Publicado

O Banestes, principal banco credor do Espírito Santo no acesso a linhas especiais de crédito emergencial, já concedeu mais de R$ 437,1 milhões em crédito emergencial para mais de 12,5 mil empresas de variados portes e do setor industrial do Estado.

As linhas de crédito têm como objetivo incentivar a economia, tendo em vista a desaceleração gerada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

“Os números comprovam a forte atuação do Banestes em prol do empresariado capixaba. As linhas atendem às necessidades daqueles que são microempreendedores e das empresas de grande porte. Como banco dos capixabas, estamos comprometidos com a força econômica do Espírito Santo”, ressalta o diretor-presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande.

Em linhas gerais, desde o início de 2020, o Banestes já concedeu mais de R$ 3,2 bilhões em crédito para clientes pessoas física e jurídica no Estado. Além disso, os contratos de reparcelamento de crédito em até 180 dias – outra importante ação de auxílio econômico disponibilizada pelo banco como medida de enfretamento à pandemia da Covid-19 – já atingiram o montante de mais de R$ 890 milhões.

Balanço

Confira abaixo o balanço detalhado das principais linhas de crédito emergencial operadas pelo Banestes para enfrentamento dos impactos econômicos da pandemia do novo Coronavírus. Os dados são referentes ao período de março até a última sexta-feira (23).

1) Linha de Crédito Emergencial Bandes e Banestes:

Para essa linha de crédito, que atende a empresas de todos os portes e do setor industrial, com taxas a partir de CDI + 0,32%, ao mês, o Banestes disponibilizou o montante de R$ 250 milhões. Até o momento, o Banestes já liberou mais de R$ 231,8 milhões em recursos nesta linha, em um total de 2.106 contratos.

2) Linha de Crédito Aderes e Banestes – Nossocrédito Emergencial (Programa Nossocrédito):

A linha Nossocrédito Emergencial, com taxas de 0,65% a 0,95%, ao mês, já liberou mais de R$ 24,8 milhões em recursos, totalizando 5.321 contratos com empreendedores de pequeno porte.

3) Linhas do Fundo de Aval – (01) Microcrédito Emergencial Covid-19:

Na linha de crédito de até R$ 5 mil, com taxa zero, que tem como foco os microempreendedores individuais (MEIs), já foi liberado o valor total de mais de R$ 36,7 milhões, distribuídos em 2.747 operações de crédito.

4) Linhas do Fundo de Aval – (02) Capital de Giro Covid-19:

A linha de crédito de até R$ 31,5 mil, com taxa de CDI, tem recursos destinados especificamente para o pagamento de folhas de pagamentos de pequenas e médias empresas e teve liberação de mais de R$ 992,7 mil, distribuídos em 123 contratos com empresas do Estado.

5) Capital de Giro Pronampe:

Linha de crédito para empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões, em 2019, com taxa de juros de 1,25%, ao ano, acrescidos da taxa Selic Over. O valor máximo de contratação corresponde em até 30% da receita bruta anual da empresa, calculada com base no exercício de 2019 e declarada à Receita Federal, limitado em até R$ 100 mil, por CNPJ. O Banestes já liberou mais de R$ 142,7 milhões em 2.254 contratos para a linha de crédito Pronampe.

6) Reparcelamento de operações de crédito em até 180 dias:

Condição única no mercado, tanto para clientes Pessoa Física (PF) quanto Pessoa Jurídica (PJ). No total, o Banestes já realizou mais de R$ 890 milhões em repactuação de contratos.

Além das opções de crédito, o Banco permanece operando as opções de reparcelamento, cheque especial sem juros, isenção e redução de tarifas no crédito, dentre outras facilidades. As ações estão detalhadas no site https://www.banestes.com.br/estamosjuntos.

Leia mais:  Recarga do CartãoGV já está disponível no App Banestes
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana