conecte-se conosco


Internacional

Senado paraguaio cassa senador que pediu morte de brasileiros

Publicado

Paraguayo Cubas Colomés, que apareceu em vídeo defendendo a morte de 100 mil brasileiros e agredindo policiais foi afastado do cargo

O senador paraguaio Cubas Colomés, que no início da semana apareceu em um vídeo defendendo a morte de “pelo menos 100 mil brasileiros” e agredindo dois policiais no leste do país, foi cassado pelo Senado do Paraguai na noite de quinta-feira (28).

A decisão foi tomada também porque essa seria a terceira sanção contra o senador por mau comportamento. Cubas Colomés, que já havia sido suspenso outras duas vezes por agressão, representava o partido Movimento da Cruzada Nacional, de extrema-direita, que combate a presença de estrangeiros no país.

A cassação teve o apoio de 23 dos 45 senadores da casa, com apenas um voto contra, 3 abstenções e 18 ausências, incluindo o próprio senador cassado.

A saída de Cubas Colomés havia sido pedida pelo ministro do Interior do Paraguai, Euclides Acevedo, que condenou as agressões cometidas pelo senador em uma carta dirigida ao Parlamento.

Entenda o caso do senador

O senador Paraguayo Cubas Colomés esteve na última segunda-feira (25) em Minga Porã, no departamento do Alto Paraná, depois que três caminhões com árvores recém-derrubadas foram parados pela população local. Ele acusou brasileiros moradores da região de terem cortado as árvores.

“Esses brasileiros são bandidos, invasores. Estão desmatando o país. Temos que matar aqui pelo menos 100 mil brasileiros”, diz Cubas Colomés a seus apoiadores.

Leia mais:  Tetraplégico move braços e pernas após 4 anos com equipamento controlado pela mente
publicidade

Internacional

Cães são usados para identificar viajantes com covid na Finlândia

Publicado

Pesquisadora afirma que animais treinados são capazes de detectar infecção pelo novo coronavírus até cinco dias antes de surgirem sintomas

Cães treinados para detectar o novo coronavírus começaram a farejar amostras de passageiros no aeroporto de Helsinque-Vantaa, na Finlândia, nesta semana, em um projeto-piloto em execução junto com testes usuais. 

A eficiência dos cães não foi comprovada em estudos científicos comparativos, de modo que os passageiros que se voluntariam para fazer o teste e sejam suspeitos de serem portadores do vírus são instruídos a também fazer uma coleta para confirmar o resultado.

Gaze é colocada em latas e levada até o cãoUma equipe de 15 cães a 10 instrutores está sendo treinada por voluntários para o trabalho na Finlândia. A iniciativa é patrocinada por uma clínica veterinária particular.

Entre eles está Kossi, um cão de resgate espanhol, que foi treinado como cão farejador na Finlândia e que já trabalhou antes na detecção de câncer.

Anna Hielm-Bjorkman, que é professora adjunta da Universidade de Helsinque e especializada em pesquisa clínica para animais de companhia, disse que sua pesquisa mostrou que os cães podem encontrar a doença cinco dias antes de os pacientes apresentarem quaisquer sintomas clínicos.

No teste canino, um passageiro passa uma gaze no pescoço e o coloca em uma lata que é levada a outra sala para o cão cheirar e entregar o resultado de imediato.

Há alguns meses, as autoridades dos Emirados Árabes Unidos iniciaram testes semelhantes no Aeroporto Internacional de Dubai usando cães policiais.

O vice-prefeito de Vantaa, Timo Aronkyto, disse que no futuro será possível que os cães passem entre os passageiros da mesma forma que os cães da alfândega.

Leia mais:  Hospital chinês construído em dez dias começa a receber vítimas
Continue lendo

Internacional

Trump ataca China e diz, na ONU, que EUA lideram direitos humanos

Publicado

Presidente dos EUA voltou a chamar o coronavírus de ‘vírus chinês’ e disse que Nações Unidas precisam responsabilizar país asiático pelos seus atos

O presidente dos EUA, Donald Trump, atacou a China e disse que o país é o responsável pela pandemia do novo coronavírus durante discurso na Assembleia Geral da ONU desta terça-feira (22).

Trump voltou a chamar a covid-19 de “vírus chinês” e disse que a China proibiu viagens domésticas, mas permitia que voos saíssem do país para outras partes do mundo, o que teria espalhado o vírus.

O presidente, que reafirmou que a Organização Mundial da Saúde é controlada pela China, disse que a OMS declarou falsamente que “não havia transmissão entre humanos” e depois deu informações equivocadas sobre casos assintomáticos. Com isso, Trump disse que a “ONU precisa responsabilizar a China pelos seus atos”.

Os Estados Unidos são atualmente a nação mais afetada pela pandemia do novo coronavírus, com quase 7 milhões de casos confirmados da doença. Trump disse que o país está buscando a vacina e que, quando o medicamento estiver pronto, vai “distribuir a vacina, vencer o vírus e acabar com a pandemia”.

Falando sobre meio ambiente, Trump disse que os EUA poluem menos que a China, e que aqueles que criticam o país mas não olham os impactos causados pela China “não estão interessados no meio ambiente. Eles só querem punir os EUA e eu não vou aceitar isso”.

Líder em direitos humanos

Trump também afirmou que o país é líder na luta pelos direitos humanos e que durante a sua administração, os EUA avançaram na liberdade religiosa, oportunidades para mulheres, seguiram descriminalizando a homossexualidade, combatendo medidas contra tráfico de pessoas e aborto.

O presidente também destacou os investimentos nas Forças Armadas, com 2,5 trilhões de dólares nos últimos 4 anos, e disse que o armamento americano é o melhor do mundo, mas espera não ter que usá-lo.

Acordos de paz

Trump disse que, durante os 4 anos de mandato, o país participou de diversas negociaçõe de paz. No discurso, ele diz que os EUA ajudaram Cuba e Venezuela e foram contra a nuclearização do Irã.

Os Estados Unidos também se creditam por terem matado o líder do Estado Islâmico e “obliterado” o grupo jihadista, além do assassinato de Qasem Soleimani, a quem Trump chamou de terrorista. 

O presidente também destacou a participação no acordo entre os Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Israel, que depois de anos, conseguiram estabelecer acordos comerciais. “Eles sabem o que é bom para eles e para o mundo”.

Leia mais:  Tetraplégico move braços e pernas após 4 anos com equipamento controlado pela mente
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana