conecte-se conosco


Política e Governo

Sesa apresenta panorama do enfrentamento à Covid-19 no Espírito Santo

Publicado

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, fez um panorama do enfrentamento ao novo Coronavírus (Covid-19) no Espírito Santo. A análise abordou as oscilações de casos e internações, estratégias adotadas pelo Estado e reforçou a importância de o cidadão não se descuidar das medidas de prevenção ao vírus.

O secretário destacou a transparência do Governo do Estado em relação aos critérios e avaliações nesse período. “Nossos critérios/avaliações sempre foram transparentes e públicos. Melhor modo de conduzir uma pandemia”, ressaltou.

Confira a análise do secretário feita no dia 17/11/2020:

Aumento de casos:

Segundo o secretário, nos últimos dias diversos Estados do Brasil começaram a consolidar uma nova tendência de aumento de casos leves, graves e óbitos por causa do novo Coronavírus. No início da pandemia também foi assim. “No Espírito Santo, apresentamos na fase de recuperação três cenários possíveis: a) Queda lenta e sustentada da internação e dos óbitos; b) Estabilidade em de 300 pacientes em UTI-Covid/dia (dentro da variação de 10%); c) Aumento sustentado dos óbitos e das internações acima de 330 pacientes/dia”.

Pelas redes sociais, Nesio Fernandes explicou que a partir do último dia 27 de outubro, o movimento de oscilação da internação em UTI-COVID passou a ocorrer no Estado. “Nos três últimos dias, a ocupação ultrapassou variação de 330, apresentando tendência clara de crescimento de casos graves. Esse comportamento foi precedido de um aumento sustentado de internações em enfermarias Covid-19, a partir do dia 14 de outubro”.

Neste contexto, para o secretário, desenha-se o cenário C. “As medidas para suportar a pressão assistencial já foram tomadas. É preciso deixar claro para a sociedade sobre a necessidade de coesão/disciplina social nesta nova fase de enfrentamento à pandemia. Apostar na imunidade de rebanho é insanidade. A repercussão de um novo crescimento de casos de COVID-19 possui relevância quando implica em aumento de óbitos e de internações. Enquanto a doença se comportar com muitos casos leves, sem internações e óbitos, teremos maior flexibilidade para a vida econômica e social”, afirmou.

 

Estrutura para enfrentamento da Covid

De acordo com Nesio Fernandes, na chamada “primeira onda” o mundo adotou a estratégia de distanciamento social visando a “achatar a curva” para salvar vidas, reduzindo casos, distribuindo-os ao longo de semanas, permitindo o preparo da rede assistencial, evitando o colapso do sistema de saúde.

“No Espírito Santo optamos por preparar a rede SUS própria, filantrópica e, de modo complementar, a rede privada. Chegamos a ter 844 leitos de enfermaria e 715 de UTI exclusivos a paciente com Covid-19. Abrimos dois hospitais novos para o SUS, o Hospital da Associação dos Funcionários Públicos do Espírito Santo, com 80 leitos para atender o perfil de ortopedia de média complexidade e o Aquidaban, em Cachoeiro do Itapemirim, com 60 leitos para atender pacientes com COVID”, pontuou.

E prosseguiu: “ampliamos leitos de UTI no Hospital Estadual Central, referência para pacientes neurológicos, vasculares e de ortopedia. Reorganizamos o perfi do Hospital Jayme, Dório, HESVV. Ampliamos leitos não-COVID no Hospital de Atenção Clínica, antigo Adalto Botelho, e em outras unidades. Ao total, de norte a sul do Estado, são mais de 600 leitos ampliados na rede própria do SUS até dezembro deste ano. Durante a primeira onda da doença tivemos uma ampla redução da ocorrência de traumas, AVCs, infartos etc. Hospitais pediátricos operaram abaixo de 50% de ocupação”.

Isso significa, segundo Nesio Fernandes, que o Estado aproveitou o tempo da primeira onda para preparar a rede assistencial, a estruturar a vigilância em saúde, coesionar os municípios, ampliar a capacidade de testagem, preparar o Espírito Santo para a possível vacinação em 2021. “Aprendemos com a pandemia e com as lições de nossa época. No entanto, como já dito em outra ocasião, neste momento operamos a rede sobrecarregada com uma quadrupla carga de doenças: doenças infecciosas e problemas nutricionais conhecidos, causas externas e doenças crônicas descompensadas estão somadas a carga diferenciada da pandemia”, informou.

“A demanda por UTI, não-COVID é maior que a pressão assistencial de pacientes com COVID-19. O mesmo comportamento ocorre com a demanda de leitos de enfermaria. No caso do Espírito Santo, seguimos tendo dois comportamentos distintos da pandemia, um na Grande Vitória e outro no interior, não me refiro somente a pandemia ‘per si’, mas a gestão da pandemia também. O Estado é dividido em quatro regiões de saúde: Norte, Central, Metropolitana e Sul”, relatou o secretário.

Testagens

Fernandes lembrou que, em setembro passado, ocorreu no Estado a mudança no critério de testagem, recomendando testar com RT-PCR todo paciente com sintomas suspeitos de Covid-19 e os contatos intradomiciliares dos positivos, levando a um aumento de casos observados na Região Metropolitana nos meses subsequentes. Julho e agosto foram meses de queda sustentada de casos e óbitos por Covid-19 no Estado. No mês de setembro houve aumento da detecção de casos sem correspondente aumento de óbitos”, disse.

No entanto, frisou o secretário nas redes sociais, as internações em UTI-COVID e os óbitos relacionados à doença, seguiram caindo e tendo tendência de estabilizaçãocomo se observa no gráfico do período de 05 de julho a 28 de outubro. Neste momento, chama atenção o comportamento da pandemia na Região Metropolitana de Saúde, separamos para melhor análise a Grande Vitória dos demais municípios da região de saúde.

“No interior da Região Metropolitana, houve estabilização de casos entre 07 de setembro a 14 de outubro, a partir desta data os casos chegando a 132,64 na média móvel de 14 dias, no dia 08 de novembro, já ultrapassando o limite do pico de casos observados anteriormente na primeira onda. Até o final de novembro, o novo pico de casos neste território será substancialmente maior que o da primeira curva. No entanto, a letalidade pelo Covid-19 na região nos respectivos meses é menor que no período anterior, não obstante outubro ter apresentado mais óbitos que setembro”.

Nesio Fernandes avalia que a redução da letalidade pela Covid-19 é expressão do aumento da capacidade de testagem no Espírito Santo. O fenômeno também ocorreu na Grande Vitóriaonde o pico de casos ultrapassará em novembro o pico da primeira onda e irá interromper a queda sustentada dos óbitos.

Além da testagem plena de todos os sintomáticos e dos contatos intradomiciliares assintomáticos, o secretário reforçou que a queda da letalidade ocorreu por melhora do manejo clínico e garantia do acesso aos serviços de saúde, entre setembro e outubro a letalidade caiu mais do que a queda do número total de óbitos. Diversos estudos apontam, segundo Nesio Fernandes, que letalidade real pela Covid-19 pode variar de 0,23-1%, em populações distintas, sendo corrigida pelas projeções feitas em inquéritos sorológicos ou em contextos de ampla testagem com qualificada investigação de óbitos.

“A pandemia não acabou, temos pelo menos mais oito meses de resistência até ter o processo de vacinação alcançando os primeiros grupos prioritários. Seguiremos convivendo com o uso de máscaras, protocolos sanitários, isolando sintomáticos e testando/monitorando amplamente a população”, garantiu.

Leia mais:  Marcos Guerra continua favorito para vencer eleições de prefeito de Jaguaré
publicidade

Política e Governo

Governo do Estado recebe prêmio pelas ações do Transcol no enfrentamento da pandemia

Publicado

O Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi), recebeu, nesta terça-feira (24), o Prêmio Destaque do Transporte, uma homenagem especial pela iniciativa do Governo capixaba, em conjunto com as Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBUS), pela implementação do Protocolo de Ações do Sistema Transcol no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

O prêmio é promovido pela OTM editora, que todos os anos reconhece as melhores iniciativas implantadas pelos sistemas de transporte público do País. Segundo a OTM Editora, o protocolo de ações do Sistema Transcol está amparado num tripé estratégico de ações, que juntas somam mais de 40 medidas implantadas e foi considerado um dos mais completos e vigorosos programas de apoio e sustentação ao transporte público do Brasil, durante o período de pandemia.

Para o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, o reconhecimento do trabalho do Governo do Estado, por meio do Prêmio Destaque do Transporte, incentiva boas práticas no setor. “Foi um período de muito aprendizado, em que tivemos que ter muito pé no chão e responsabilidade na hora de implantar cada ação. A comunicação também foi essencial para o sucesso de protocolo. Tivemos que manter conversas constantes com a população, com as empresas operadoras e com os colaboradores. Mas, conseguimos enfrentar o desafio sem paralisar o sistema, sem quebradeiras nas empresas e sem demissões em massas, além de oferecer um transporte mais seguro do ponto de vista sanitário”, destacou.

Desde o início da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), em março, o Sistema Transcol vem adotando uma série de medidas para diminuir o risco de contágio no transporte coletivo. Entre as ações, estão a disponibilização de totens de álcool gel nos terminais para os passageiros e a distribuição de 1 milhão de máscaras reutilizáveis para os passageiros que passam pelos terminais.

Também foram adotadas medidas para o reforçar a higienização dos coletivos e higienização dos terminais, além da disponibilização de sabonete nos banheiros; afastamento de colaboradores do sistema com mais de 60 anos, com comorbidades ou sintomas gripais; obrigatoriedade do uso de máscara nos coletivos e terminais; marcação das filas nos terminais e recomendação aos passageiros para manutenção do distanciamento mínimo de 1,5 metro, além da distribuição de álcool em gel e máscaras para os trabalhadores do sistema, entre outras medidas.

A solenidade de premiação foi realizada no Transamérica Hotel – São Paulo, de maneira presencial, obedecendo às regras estabelecidas pelas autoridades para assegurar a segurança sanitária no ambiente.

Leia mais:  Projeto que impõe descontos em mensalidades é aprovado e avança na Assembleia
Continue lendo

Política e Governo

Governo do Espírito Santo realiza 17ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia

Publicado

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), realiza até a próxima quinta-feira (26) a 17ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia. Devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a edição de 2020 é totalmente virtual, por meio do site www.semanact.es.gov.br. A cerimônia de abertura da 17ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia aconteceu nesta terça-feira (24), de forma virtual, com a presença do governador Renato Casagrande e de outras autoridades capixabas.

O objetivo da Semana C&T é intensificar a popularização da ciência e da tecnologia, mobilizando, em especial, estudantes e profissionais de diversas áreas do conhecimento em torno de atividades científico-tecnológicas. Os temas da 17ª edição são “Inteligência Artificial: A Nova Fronteira da Ciência Brasileira”, tema do evento nacional, “Covid-19” e “Tema Livre”, que foram incluídos pela Secti.

Em sua fala, o governador destacou o uso da tecnologia no serviço público e a importância dessas ferramentas no período de pandemia. “Fizemos várias inaugurações, reuniões e ordens de serviço de forma virtual. Conseguimos não parar devido ao uso da tecnologia. O sistema e-Docs está chegando a 100% dos processos online até o fim do ano, sem contar que permitiu aos servidores trabalharem de forma remota. Nossos serviços mais importantes estão sendo migrados para os serviços digitais. Um exemplo é o Detran|ES que não parou um dia sequer”, afirmou.

Casagrande defendeu os investimentos em ciência e tecnologia, mas ponderou que este precisar estar à disposição de toda a sociedade. “Precisamos de fazer com que os serviços, seja das empresas privadas ou públicos, estejam à disposição para que possamos ganhar tempo, diminuir custos e preservar o meio ambiente. Melhorar o ambiente de inovação é fundamental para gerarmos oportunidades”, reforçou o governador.

A secretária de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Cristina Engel, também deu as boas-vindas a todos os participantes da 17ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia. “O tema nacional, lançado ainda em 2019, foi ‘Inteligência Artificial’, mas logicamente agregamos também o tema ‘Covid-19’ e, para não desperdiçar nenhum talentinho que estivesse escondido por aí, também inserimos o tema livre. Em ciência, tudo tem que ser permitido e incentivado”, pontuou.

Cristina Engel comentou ainda sobre a programação do evento: “Tivemos 161 projetos inscritos em nossa Chamada Pública e, desse total, mais de 140 estão expostos — o que equivaleria a quase 1.000 metros quadrados, se o evento fosse feito na forma física, com stands. Temos 12 palestras com especialistas em variados temas; nove entrevistas ao vivo; nove cursos com certificação; dez jogos muito divertidos; nove vídeos de laboratórios, objetivando tornar mais acessível a informação de para que serve um laboratório. Aliás, entre eles está o nosso Laboratório Central, mostrando como se processam as amostras de Covid-19”, acrescentou.

Também presente na solenidade virtual, a vice-governadora Jaqueline Moraes anunciou a abertura de oportunidade para captação de recursos, dentro do programa Agenda Mulher, com o objetivo de garantir o acesso de meninas e mulheres do interior do Espírito Santo ao projeto Corte de Lovelace, que visa ampliar a participação feminina nas carreiras de computação.

“Levaremos este programa para empoderar e dar visibilidade às mulheres através do empreendedorismo, oferecendo e customizando cursos, desde formações e qualificações diversificadas nas áreas de Pensamento Computacional, Programação e Robótica para as meninas e mulheres de bairros carentes de todo o Espírito Santo”, explicou Jaqueline Moraes.

Programação

Leia mais:  Rede e Solidariedade se unem e lançam chapa majoritária para pré-candidatura a prefeito

Assim como nos anos anteriores, a edição de 2020 da Semana C&T conta com a exposição de projetos científicos e de inovação, elaborados por professores, estudantes e profissionais das áreas de Ciência, Tecnologia, Inovação e Pesquisa, além de uma programação extensa de palestras, cursos, minicursos, entrevistas ao vivo, games, entre outros.

A exposição dos projetos é realizada no site www.semanact.es.gov.br, por meio de vídeos enviados pelos estudantes e profissionais da área, além de Chamada Pública aberta pela Secti em outubro. O Edital para expositores recebeu 161 inscrições de estudantes e profissionais de todo o Espírito Santo.

A programação também é por meio de vídeos que podem ser assistidos no próprio site da 17ª Semana C&T. Toda programação foi planejada para gerar debates e reflexões dos temas definidos para edição. No site www.semanact.es.gov.br, o visitante do evento tem acesso às atividades:

·         141 vídeos de projetos científicos elaborados por estudantes e profissionais da área;

·         12 palestras;

·         09 entrevistas ao vivo (lives);

·         09 cursos com certificação;

·         18 minicursos;

·         Conhecer 18 laboratórios capixabas de Pesquisa e Inovação;   

·         Games e muito mais!

A 17ª edição do evento é uma parceria da Secti com a Secretaria da Educação (Sedu) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes). O evento já faz parte do calendário anual do Governo do Estado. A programação se estende até esta quinta-feira (26).

“Essa é uma grande oportunidade para a sociedade entrar em contato com parte do conhecimento produzido no Espírito Santo, além de ser uma experiência importante para os pesquisadores em relação às atividades de popularização da ciência”, afirmou o diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes.

“Com as recomendações de distanciamento social, devido à pandemia da Covid-19, cientistas e instituições de ensino e pesquisa precisaram se adaptar a nove realidades e recorrer às possibilidades da internet para promover os eventos de divulgação científica”, explicou o diretor da Fapes.

Serviço:
17ª Semana Estadual de Ciência e Tecnologia
Data: de 24/11 a 26/11

Site: www.semanact.es.gov.br

Leia mais:  Cartiha reúne medidas econômicas para enfrentamento à Covid-19
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana