conecte-se conosco


Brasil

Sócia de clínica onde animais mortos seriam congelados é presa

Publicado

Segundo a polícia, hospital veterinário de Nova Lima, na Grande BH, omitia aos clientes sobre a morte dos pets para cobrar mais diárias de internação

A Polícia Civil informou que a médica veterinária sócia daclínica de Nova Lima, na Grande BH, onde animais mortos seriam congelados para enganar os clientes foi presa, neste sábado (30), na cidade de São Paulo.

F. F. Q. S. estava foragida desde o dia 22 de novembro, quando uma operação policial foi realizada na clínica e o marido dela, M. S. D., também veterinário, foi preso. De acordo com a Sejusp (Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais), M. S. D. foi solto nesta sexta-feira (29), graças a um habeas corpus concedido pela Justiça.

A polícia inicialmente investigava o descarte irregular de lixo veterinário no local, mas outros crimes foram descobertos durante o inquérito. M. S. D. também é suspeito de cometer os crimes de maus-tratos e venda de medicamento proibido.

As investigações também apontam casos de estelionato. De acordo com o delegado responsável pela apuração, a equipe da clínica estaria mantendo animais mortos congelados e dizendo aos clientes que eles estavam vivos para poder cobrar mais diárias de internação e tratamentos que não realizados. A reportagem tenta contato com a defesa do casal.

Leia mais:  Por 8 votos a 3, STF criminaliza homofobia e iguala a crime de racismo

publicidade

Brasil

Jovem que tinha perna feita em casa ganha prótese após o seu vídeo viralizar

Publicado

Empresário ficou comovido com a criatividade e força de superação do rapaz do Pará e resolveu fazer a doação de uma prótese pra ele; Marcos de Oliveira, de 23 anos, tinha usado um cano de PVC e um banco de bicicleta para montar a sua prótese caseira.

Isso tudo aconteceu após o empresário Nelson Nolé assistir ao vídeo do jovem mostrando a perna caseira que fez com R$ 40 reais, e que viralizou nas últimas semanas, deixando muita gente emocionada, inclusive o empresário de Sorocaba, interior de São Paulo.

“Tirei o molde de cano PVC, coloquei a meia, esquentei o cano no fogo e moldei a perna. PVC é do lado de dentro e está revestido com fibra de vidro. Coloquei a fibra para reforçar, para ter certeza de que não iria quebrar. O sapato é selim de bicicleta. Foi o único jeito de fazer meu pé.”

Nelson Nolé então decidiu doar uma prótese ‘de verdade’ para Marcos Oliveira Moraes, de 23 anos, que é do Pará.

O empresário disse que, mesmo com a distância, vai prestar toda assistência para que Marcos tenha uma boa qualidade de vida com a prótese, incluindo os gastos das passagens do jovem que foi do Pará até Sorocaba para tirar as medidas da nova prótese.

Marcos gastou 40 reais e criou prótese para perna — Foto: TV Globo

Marcos sofreu um acidente de moto em abril do ano passado e precisou amputar a perna esquerda.

O jovem, que era estudante de gestão ambiental, conta que chegou a comprar uma prótese no valor de R$ 5 mil em Boa Vista, Rondônia, mas contou que o molde ficou com defeito e a empresa responsável se recusou a prestar assistência.

Marcos diz que viu quando a prótese foi feita e aproveitou a “boa memória” para construir o seu próprio modelo.

O vídeo feito por uma amiga de Marcos, mostra o rapaz contando sobre a prótese caseira que fez e logo que parou nas redes sociais viralizou em poucos dias.

Em apenas uma das postagens feita em uma página do Facebook, o vídeo teve mais de 100 mil visualizações.

Nas imagens, o jovem mostra o trabalho feito e explica o material que usou para a produção da peça. Depois, ele veste a prótese e caminha com ela para mostrar que ela funciona.

“Me surpreendi com a repercussão. Uma amiga postou o vídeo, eu nem sabia. Estou usando essa prótese caseira há três semanas e fiquei surpreso quando me chamaram para vir até Sorocaba”, contou Marcos.

Assista ao vídeo que viralizou e deu origem a essa ação que prova que a empatia existe:

Leia mais:  STF realiza audiência pública sobre liberdades de expressão artística, cultural e de comunicação
Continue lendo

Brasil

Bactéria é usada para acabar com a dengue

Publicado

Regiões que já usaram o método apresentaram uma redução de 75% nos casos da doença

Ao serem soltos na natureza, esses mosquitos se reproduzem com mosquitos de campo e geram outros com as mesmas características.

Em contato com a bactéria, eles são capazes de reduzir a transmissão de dengue, zika e chikungunya

Em contato com a bactéria, eles são capazes de reduzir a transmissão de dengue, zika e chikungunya.

“Esse mosquito que tem Wolbachia ao picar uma pessoa para se alimentar que tenha o vírus da dengue, ele não consegue adquirir esse vírus para transmitir para uma terceira pessoa”, explica o secretário de Saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado Pinto.

A metodologia faz parte de um projeto internacional em parceria com o Ministério da Saúde.

Somente em 2019, 30 pessoas morreram de dengue em Belo Horizonte (MG) e foram confirmados mais de 116 mil casos da doença.

Com a implantação do projeto, a prefeitura de Belo Horizonte espera reduzir os números da doença drasticamente .

“As áreas onde o mosquito foi solto com a bactéria Wolbachia experimentaram uma redução de 75% nos casos de dengue. A gente espera que em 4 anos, tenhamos uma redução em torno de 75% nos casos de dengue”, finaliza Jackson Machado Pinto.

 

Leia mais:  Projeto de deputado combate fraude no seguro-desemprego

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana