conecte-se conosco


Internacional

Tiros fora da Casa Branca interrompem coletiva de Trump

Publicado

De acordo com a segurança, o presidente foi retirado porque havia um tiroteio nas imediações da Casa Branca, que já foi preso

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump foi interropido e retirado de uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (10). Com pouco mais de três minutos, um segurança se aproxima fala algo e pede para que deixe a sala. Pouco depois, ele retornou e contou o que aconteceu.  

“Gostaria de agradecer ao Serviço Secreto por fazer seu trabalho sempre rápido e muito eficaz, mas houve um tiroteio de verdade e alguém foi levado para o hospital. Não sei em que estado está a pessoa. Parece que a pessoa foi baleado pelo Serviço Secreto, então veremos o que acontece “, disse Trump.

Um oficial sênior da administração confirmou a Dana Bash da CNN que havia um atirador ativo e que o atirador está sob custódia.

O incidente aconteceu no esquina da 17th com a Avenida Pennsylvania, fora dos jardins da Casa Branca perto do parque Lafayette.

Leia mais:  OMS declara pandemia de coronavírus
publicidade

Internacional

EUA: entidades procuram pais de 545 crianças separadas na fronteira

Publicado

Um documento apresentado ao tribunal nesta semana mostrou que alguns pais deportados sem seus filhos ainda não puderam ser localizados

Advogados e organizações sem fins lucrativos que buscam reunir famílias de imigrantes separadas na fronteira dos Estados Unidos com o México pela administração Trump não conseguiram localizar os pais de 545 crianças.

Um juiz federal ordenou que milhares de famílias separadas se reunissem na fronteira em 2017 e 2018, após um processo da American Civil Liberties Union (ACLU) em 2018.

Um documento sobre o caso apresentado ao tribunal nesta semana mostrou que alguns pais deportados sem seus filhos ainda não puderam ser localizados.

“Pesquisas árduas no local” de pais deportados para seus países de origem – muitos na América Central – foram complicadas pela pandemia covid-19, diz o documento.

Trump implementou uma polêmica política de “tolerância zero” em maio de 2018 para processar famílias flagradas cruzando a fronteira ilegalmente e separar seus filhos. Mas em meio a um clamor internacional, Trump encerrou a medida poucos meses após seu anúncio.

No total, o governo identificou mais de 4.200 crianças que poderiam ser protegidas pela ordem de reunificação da juíza Dana Sabraw.

Menores longe das famílias

Um comitê formado para localizar parentes de crianças para os quais o governo forneceu números de telefone de um patrocinador ou pai. Mas até 20 de outubro, os pais de 545 crianças não puderam ser localizados, de acordo com o processo no Tribunal Distrital de San Diego, relatado pela primeira vez pela NBC News.

Um comitê formado para localizar membros da família focado em tentar alcançar as famílias das crianças para as quais o governo forneceu números de telefone de um padrinho ou pai.

Mas até 20 de outubro, os pais de 545 crianças não puderam ser localizados, de acordo com o documento no tribunal distrital de San Diego, relatado pela primeira vez pela NBC News.

“Entramos em contato com essas famílias e a triste verdade é que muitas delas se recusaram a aceitar que seus filhos fossem devolvidos a eles”, disse o porta-voz da Casa Branca Brian Morgenstern a repórteres na quarta-feira (21).

A custódia da maioria das crianças foi colocada nas mãos de benfeitores nos Estados Unidos, geralmente parentes.

Leia mais:  Em meio à pandemia de covid-19, UE alerta sobre surto de gripe aviária
Continue lendo

Internacional

Cachorra fica irreconhecível após anos de negligência da família

Publicado

Ao chegar na clínica, veterinários precisaram cortar parte do pelo para descobrir qual era a espécie do animal

Um animal da cidade de Ardrossan, na Escócia, foi encaminhado para a cremação. Ao receber a caixa, veterinários não souberam dizer qual era a espécie do bichinho. O corpo estava tomado de pelos emaranhados, fezes e sujeira.

As patas de Abbey estavam endurecidas com fezes

As patas de Abbey estavam endurecidas com fezes

A tutora Emily Louise, de 54 anos, negligenciou a vira-lata Abbey por tantos anos que não era possível reconhecê-la. As patas eram grossas como troncos de árvore e os dedos endurecidos com restos de fezes entre as garras.

A mulher foi condenada no fim de setembro. Além de uma multa de 500 libras, o equivalente a R$ 3.600, ela também está proibida de ter animais de estimação por cinco anos.

“Abbey também estava em péssimas condições corporais e muito abaixo do peso para seu tamanho e tipo de raça. Este tipo de abandono extremo não teria acontecido do dia para a noite”, lamenta Laura McIntyre, inspetora-chefe escocesa da ONG SPCA.

Leia mais:  Novo terremoto de magnitude 5,2 graus é sentido em Porto Rico
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana