conecte-se conosco


Internacional

Trump afirma que vai proibir o aplicativo TikTok de operar nos EUA

Publicado

A declaração ocorre em um momento de especulação sobre a compra de ações do aplicativo pela Microsoft e discussões sobre a segurança nacional

Com milhares de usuários no mundo, o Tiktok permite a produção e edição de vídeos curtosO presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (31) que proibir o aplicativo de vídeo TikTok de operar nos Estados Unidos. A declaração ocorre horas depois de relatos de que a Microsoft estaria negociando para comprar o aplicativo da empresa chinesa Pequim ByteDance.
“No que diz respeito ao TikTok, estamos proibindo-os dos Estados Unidos”, disse Trump a repórteres a bordo do Air Force One, o avião presidencial.

O republicano afirmou que poderia usar poderes econômicos de emergência ou uma ordem executiva para banir o TikTok. “Bem, eu tenho essa autoridade”, disse ele.

A imprensa estadunidense já havia informado que a ByteDance está considerando mudanças em sua estrutura corporativa e que estuda vender uma participação majoritária na TikTok. Segundo o jornal The New York Times, a Microsoft estaria interessada no negócio.

Críticos temem que o TikTok repasse ao governo chinês informações sobre usuários coletadas nos Estados Unidos. O aplicativo, no entanto, garante que não armazena dados de usuários fora da China e que resistiria a qualquer tentativa do governo chinês de ter acesso a esses dados.

Especialistas em segurança cibernética avaliam como teórico o risco do TikTok para a segurança nacional. Asseguram ainda que não há evidências de que os dados do usuário do TikTok foram comprometidos pela inteligência chinesa.

TikTok se tornou extremamente popular entre os jovens, com centenas de milhões de usuários em todo o mundo. O aplicativo permite que os usuários assistam e criem vídeos curtos com áudio e outros efeitos. Os vídeos costumam se tornar virais em outras redes sociais.

Leia mais:  Kim Jong-Un chora e pede desculpas ao povo da Coreia do Norte
publicidade

Internacional

Velório de Maradona é estendido em três horas por medo de protestos

Publicado

Multidão forma três quilômetros de filas para dar último adeus ao ídolo do futebol mundial. Polícia havia tentado encerrar cerimônia mais cedo

Ainda com milhares de pessoas para dar o último adeus a Diego Armando Maradona, a família do ídolo argentino autorizou que o velório se estendesse em três horas, agora até as 19 horas (horário local e de Brasília). Um princípio de confusão marcou o início da tarde desta quinta-feira (26), na Casa Rosada, com uma provável tentativa de encerrar a fila de visitantes mais cedo.

Maradona começou a ser ver velado na sede do governo argentino ainda de madrugada, em uma cerimônia apenas para familiares e amigos próximos. Às 6 horas, os portões se abriram para que a multidão começasse a entrar no salão principal e ver o caixão, que estava coberto com a bandeira do país e uma camiseta do Boca Juniors, time pelo qual se consagrou. Segundo as autoridades, um milhão de pessoas poderia passar por ali.

O que se viu, no entanto, foi uma fila de três quilômetros para que as pessoas pudessem ver o caixão por apenas 15 segundos. Quando os policiais tentaram aparentemente encerrar a fila antes das 16 horas, o primeiro horário prevista, fãs se revoltaram e entraram novo confronto com a polícia — pela manhã, também havia tido confusão com os primeiros apaixonados, apressados para se despedir do ídolo. Desta vez, a polícia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para conter a multidão.

O temor era que o encerramento no horário previsto provocasse ainda mais tumulto. A fila que começava na Plaza de Mayo, em frente à Casa Rosada seguia até a avenida Nove de Julho.

Maradona, que morreu vítima de uma parada cardiorespiratória, será enterrado no cemitério Jardim da Paz, no bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires. Por lá, os pais do craque, Dalma e Don Diego, estão enterrados. A família pensou inicialmente em um sepultamento no fim de semana justamente para que mais pessoas pudessem acompanhar o velório.

Além de uma reação com a segurança, as autoridades sanitárias também estão em alerta em razão da pandemia do novo coronavírus. Apesar do uso obrigatório de máscaras e aferição da temperatura na entrada da Casa Rosada, não há como manter o distanciamento social. A Argentina até agora registrou 1.390.375 de casos e 37.714 mortes pela covid-19.

Leia mais:  Homem é detido após atirar contra Embaixada de Cuba em Washington
Continue lendo

Internacional

Ministro da Saúde francês confirma que vacinação para Covid-19 pode começar no fim deste ano

Publicado

O ministro da Saúde da França, Oliver Véran, confirmou nesta quinta-feira que o país poderia disponibilizar vacinas para Covid-19 até o final do ano, enfatizando a necessidade de as autoridades serem transparentes sobre o processo, dado o alto nível de ceticismo dos cidadãos franceses em relação às imunizantes.

Durante uma coletiva de imprensa detalhando como o segundo lockdown nacional da França está prestes a ser gradualmente suspenso, Veran afirmou que os aspectos logísticos do programa de vacinação serão detalhados na próxima semana.

Leia mais:  OMS diz que não espera vacinação em massa contra covid-19 antes de meados de 2021
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana