conecte-se conosco


Últimas Noticias

Último mês para aderir à campanha de regularização de dívidas do Bandes

Publicado

Os clientes do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) interessados em aderir à Campanha de Regularização de Dívidas do banco para renegociar parcelas em atraso têm até o final deste mês de dezembro para participar. Clientes do banco com financiamento em atraso têm até o dia 31 de dezembro para usufruir das melhores condições do ano para ficar em dia com a situação financeira.

O cliente do Bandes que aderir à campanha terá o benefício de quitar suas dívidas com abatimento de até 100% dos juros e encargos moratório. No entanto, serão acrescidas despesas de cobrança e honorários, porventura existentes. A condição é válida para quitar todo o valor atrasado de uma vez só, à vista, ou dividido em uma entrada e parcelas.

Para parcelamento, clientes ou avalistas de contratos podem realizar o pagamento parcelado do valor da dívida até dezembro de 2020. Firmado o acordo de renegociação com o pagamento de entrada, as restrições ao crédito do endividado são retiradas junto aos órgãos de cobrança.

Para aproveitar os benefícios, o interessado deve formalizar seu pedido no banco até 31 de dezembro deste ano. Basta enviar a proposta para o e-mail proposta@bandes.com.br para análise ou entrar em contato por meio de um dos canais de atendimento (27) 99891-7795 (Whatsapp), Bandes Atende 0800 283 4202 ou pelo telefone (27) 3331-4204.

A quem se destina a campanha
O cliente cuja dívida atenda aos seguintes critérios pode ter acesso às condições diferenciadas:

-Dívidas com atraso a partir de 180 dias;
-Parcelas em atraso em que a fonte de recursos não seja proveniente de repasses de programas federais;
-Para as dívidas em processo de análise judicial, além dos critérios apontados acima, somente aquelas que estejam, ainda, em fase de citação.

Leia mais:  Primeira etapa da obra de drenagem pluvial do bairro Aeroporto perto do fim
publicidade

Cidades

Vira-lata salva avó e neto de ataque de pitbull em Guarapari e acaba ferido

Publicado

Chamado de Covid, por aparecer no bairro durante a pandemia, o cachorro ficou muito machucado e ficará com sequelas; avó e neto saíram ilesos

A máxima que fala que o “cachorro é o melhor amigo do homem” foi colocada a prova no bairro de Meaípe, em Guarapari, no mês de agosto. O vira lata Covid, nome adotado por ele ter aparecido no bairro durante a pandemia, enfrentou um pitbull para defender uma senhora e o neto que moram no local.

Covid é querido por todos e recebe cuidados dos moradores. “Ele foi abandonado na nossa rua, estava todo maltratado e tinha muito medo das pessoas. Meu esposo, Juarez Fernandes, passou a cuidar dele dando comida, atenção e carinho. Logo começou a se identificar com as pessoas da vizinhança”, contou Cleide Fernandes.

Há cerca de um mês, a vizinha de Cleide, Elida Nascimento, foi passear com o neto e o vira lata foi atrás. “Eles estavam indo pescar na lagoa, no caminho um pitbull da vizinhança fugiu e foi em direção deles para atacar. Por sorte Covid estava perto e não aconteceu uma tragédia. Ele foi para cima do cachorro e defendeu os dois até que um homem que passava ajudou a separar a briga e tocou o pitbull para longe”.

Após o ato heroico, Covid ficou muito machucado. O vira lata foi atacado no pescoço e na pata com mais intensidade. “Ele ficou com sequelas, o tendão foi atingido. Já levamos no veterinário e todo possível foi feito. Está bem, mas ficará mancando daqui para frente”

“Ele foi incrível, o que seria de mim e do meu neto, que é uma criança, se Covid não estivesse lá? Esse cachorro salvou nossas vidas, graças a Deus”, agradeceu Elida.

Leia mais:  Dólar opera em alta e vai a R$ 4,14
Continue lendo

Últimas Noticias

Empreendedores utilizam crédito do Juro Zero para investir no negócio

Publicado

Em meio aos impactos provocados pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), donos de pequenos negócios têm buscado o crédito da linha de financiamento Microcrédito Emergencial Covid-19 (Juro Zero), criado pelo Governo do Estado e operacionalizado pela Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Estado (Aderes) e Banestes, que libera até R$ 5 mil, sem a cobrança de juros. O objetivo é amenizar os efeitos da crise.  

A empreendedora Renata Conceição Siller Thebaldi, de 49 anos, que tem um comércio de doces em Santa Leopoldina, é uma delas. Ela contou que já recebeu os R$ 5 mil e utilizou o valor para pagar um boleto de compra de doces que tinha feito em fevereiro, além de comprar novos itens para sua loja.

“Meu público é formado por estudantes da escola que fica próxima, mas com a pandemia as aulas foram suspensas e tive que fechar o comércio. Fiquei sem minha renda. Com esse empréstimo paguei minhas contas e fiz nova compra de produtos. Isso me ajudou muito nesse momento difícil”, afirmou a empreendedora.

Quem também já pegou o crédito da linha Juro Zero foi o empreendedor Valtair Neves da Costa. Ele é barbeiro, em Nova Venécia, há 25 anos. O valor foi investido no seu negócio. “Peguei o dinheiro para que possa passar por essa crise. Temos contas para pagar e material para comprar e o valor vai me ajudar nesse sentido”, contou, satisfeito.

Já a vendedora de roupas Clezia Vanea Bulian da Silva, de 41 anos, que também teve acesso ao crédito, disse que usou o valor para comprar mais mercadoria. “Essa pandemia é uma verdadeira catástrofe. É um período de dificuldade para todos, mas vamos vencer essa fase. Pedi o crédito que o Governo liberou e os R$ 5 mil me ajudaram a comprar parte da mercadoria para que eu possa continuar o trabalho”, relatou Clezia.

Já são mais de 13 mil pedidos de acesso ao microcrédito, o que resultou, até o momento, na liberação de mais de R$ 3,6 milhões para empreendedores do Estado, com as mais diversas necessidades.

Segundo o diretor-presidente da Aderes, Alberto Farias Gavini Filho, a linha de financiamento Juro Zero, é uma das opções oferecidas pelo Governo do Estado.

“Somente nessa modalidade de crédito são mais de 13 mil pedidos, e mais de R$ 3,6 milhões liberados. Já na outra linha de crédito, que é a NossoCrédito Emergencial, são mais de 2,6 mil operações aprovadas, somando mais de R$ 20,6 milhões liberados, no mês de maio. Além dessas, estão disponíveis outras linhas de financiamento para atender às diversas necessidades dos empreendedores”, explicou o diretor-presidente.

Saiba mais

1) O que a linha oferece:

I- Microcrédito de até R$ 5 mil;

II- Quantidade máxima de até 24 parcelas;

III- Carência de até 06 meses para iniciar pagamento, sem cobrança de encargos.

IV- Prazo total máximo da operação: até 30 meses;

V- Taxa de juros: 0,0% (zero).

*Não permite renovação, repactuação, prorrogação e renegociação.

 

2) Quem pode solicitar o Microcrédito:

I – Microempreendedores individuais (MEIs), com receita operacional bruta anual que não ultrapasse R$ 81 mil/ano;

II – Autônomos cadastrados no órgão municipal competente ou que sejam contribuintes individuais da Previdência Social, com receita operacional bruta anual que não ultrapasse R$ 81 mil/ano;

III – Cooperativas de agricultura familiar capixaba e associações de pequenos agricultores familiares, associações e colônias de pescadores, marisqueiros e assemelhados, assim como associações de pescadores profissionais artesanais e agricultores, que apresentem inscrição no Cadastro Nacional da Agricultura Familiar – CAF ou Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP Jurídica até que a CAF tenha sua implementação concluída;

IV – Sindicato de agricultores familiares, se financiável.

 

3) Documentos importantes obrigatórios:

I- Documento de identificação (CPF ou CNPJ);

II- Certidão negativa do fisco estadual e federal (via CPF ou CNPJ);

III- Se tiver conta Banestes, é preciso estar adimplente (sem pendências) com suas obrigações e não ter atraso superior a 60 dias nos últimos 12 meses junto ao banco;

IV- Caso não seja correntista, uma conta será aberta durante o processo de contratação do financiamento.

V- Autônomos precisam apresentar o respectivo documento de registro no órgão municipal competente, ou apresentar Alvará de Funcionamento expedido pela prefeitura ou, ainda, apresentar Comprovante como contribuição individual da Previdência Social.

Lembramos que trata-se de uma operação de crédito e, como tal, fica sujeita à análise cadastral e de crédito.

 

4) Como solicitar o crédito:

I- Se você atende aos critérios da linha, clique no botão “Solicitar o crédito” e faça o seu cadastro;

II- Após o cadastro realizado, aguarde o agente de crédito do seu município entrar em contato para realizar o atendimento e encaminhar a proposta de financiamento para análise no Banestes;

III- A partir da análise do banco Banestes, começa o período de contratação de operação na agência do seu município.

Leia mais:  Arrecadação, até dia 30, de donativos para cidades alagadas no ES
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana