conecte-se conosco


São Mateus

Vereadores esperam do estado a liberação de obras do Porto

Publicado

São Mateus – Os vereadores Jorginho Cabeção (presidente da Câmara de São Mateus), Aquiles Moreira e Jerri Pereira participaram de entrevista coletiva na qual o diretor-presidente da Petrocity Portos, José Roberto Barbosa, falou à imprensa mateense sobre o parecer de técnicos do IEMA – Instituto Estadual de Meio Ambiente, pelo indeferimento do Estudo de Impacto Ambiental (EIA-Rima à autorização da licença ambiental) no processo de licenciamento para a construção do Centro Portuário de São Mateus – CPSM, em Urussuquara.

 

Vereador Jerri Pereira.

Vereador Aquiles Moreira.

A coletiva foi realizada na terça-feira (21), no Ibis Styles Hotel, onde autoridades, empresários da Assenor, presidentes de associações de moradores e de pescadores acompanharam as entrevistas.

José Roberto informou que a Petrocity decidiu entrar com recurso pelo deferimento do pedido ao Iema, mas estimou perda de mais de R$ 3 bilhões em arrecadação pelo município, por conta de impasse com o órgão estadual responsável pela análise dos licenciamentos.

Segundo, o diretor-presidente da empresa a medida do Iema causará atraso no cronograma de obras, porém assegurou que não existe nenhuma ameaça à implantação deste megaempreendimento, visto como ascensão econômica do Norte do Espírito Santo, Sul da Bahia e Leste de Minas Gerais.

“As anuências e outorgas federais já foram liberadas, nós só estamos aguardando o Iema. Quer dizer, já estamos perdendo mais um ano, sendo que pelos estudos apresentados, por ano a projeção de arrecadação é de R$ 3,1 bilhões. É mais um ano para iniciar, mais um para concluir. Estaremos perdendo em arrecadação e geração de emprego. É complicado, o Iema precisa acelerar a análise do nosso recurso e nós vamos buscar os caminhos para que a gente possa retomar de imediato a sequência do processo, objetivando a liberação da licença o início de nossas obras.” disse José Roberto.

APOIO

O presidente da Câmara, vereador Jorginho Cabeção, reiterou o apoio do Poder Legislativo ao projeto do porto e repudiou “movimentos de boicote” à instalação do empreendimento no município de São Mateus.

“O grande poder econômico está centralizado na Grande Vitória e é evidente que alguns empresários, não queiram dividi-lo com o norte do estado. O centro portuário vem derrubar divisas. Eu só vejo dessa forma o impedimento por parte do Iema, já que todas as licenças de cunho do governo federal estão liberadas. Nós não vamos abrir mão do porto”.

Demonstrando confiança no apoio do Estado ao desenvolvimento da região, o vereador Jerri Pereira acredita na liberação da licença ambiental. “Eu estou acompanhando este impasse que está deixando a gente entristecido, a Petrocity já com uma perspectiva muito grande de início das obras e, agora, o Iema vem com essa ducha fria. É um caso que não está acabado, nós só estamos passando por um período de ajuste. A Petrocity é realidade em São Mateus. Tenho certeza  de que vão se enquadrar e dar essa tão esperada liberação para o porto ser implantado em São Mateus.”

“Toda a esperança de nós mateenses é que este porto se torne uma realidade. O nosso município, através do nosso prefeito, não mediu esforços para ajudar para instalação desse porto e hoje, nós como vereadores e a sociedade, esperamos que este porto venha para o município. É triste você vê uma situação dessa, com toda documentação, processo de instalação, ter dado entrada no Iema e receber uma notícia dessa, desse impacto ambiental, mas se nós olharmos no país, vários portos também sendo construídos da mesma maneira que esse”, reagiu o vereador da base governista Aquiles Moreira.

“Nós abraçamos o projeto e já era para estar em andamento com geração de emprego e renda. Estamos vendo ao que parece uma má vontade de um projeto desse poder caminhar e trazer benefícios sociais. Como representante da classe empresarial a pergunta que eu faço é a quem interessa realmente este projeto que não anda, indo contra os anseios da sociedade. De uma maneira ou de outra este projeto vai se tornar realidade”, disse o empresário Cássio Caldeira.

EXPECTATIVA

Representantes de associações presentes na coletiva manifestaram apoio à instalação do empreendimento e falaram da expectativa de crescimento com a Petrocity.

“Urussuquara e as comunidades vizinhas são a favor do porto, são a favor do desenvolvimento de São Mateus. E na condição de tanta gente desempregada que tem na nossa região eu acho que o pessoal do Iema tinha que vir ouvir as comunidades, ver as nossas necessidades, como nós estamos vivendo hoje com tanto jovem se formando sem saber para onde ir, sendo que o caminho tá tão perto”, destacou José Luiz Ferreira, presidente da Associação de Moradores e Comerciantes de Urussuquara.

“Aguardamos com muita ansiedade a chegada desse grande evento para a nossa comunidade, pela geração de emprego, por melhorar a qualidade de vida, onde algumas ações dos governos não têm chegado”. disse Flávio Messias Soares, presidente da Associação de Moradores e Comerciantes de Barra Seca.

“O Iema colocou uma matéria, dizendo que as comunidades são contra. Jamais nenhuma associação é contra o desenvolvimento. Estamos ali para somar. Queremos que a Petrocity inicie o mais rápido possível. Hoje nós precisamos é de trabalho” esclareceu Adecir de Sena, presidente da Associação de Pescadores e Catadores de Caranguejo de Campo Grande.

“Nós estamos participando deste movimento para que as coisas possam fluir e chegar a um denominador que a região se desenvolva. Se for necessário ir a Vitória, estamos juntos, se for fazer manifestação em Brasília, estamos juntos. Queremos crer que o bom senso vai prevalecer, as licenças irão sair e o porto será uma realidade como deveria ser já durante este ano”, concluiu Elizeu Lorenzutti, vice-presidente da Associação de Moradores de Pontal do Ipiranga, Linhares-ES.

Leia mais:  Ministro da Cidadania faz entrega de R$ 2,02 milhões a São Mateus-ES
publicidade

São Mateus

Prefeito capricha na festa e deixa os bairros e a população de ressaca

Publicado

Por Paulo Borges

Gostar de carnaval e até realizá-lo com o apoio da municipalidade não é nenhum problema. O verdadeiro problema está no fato de um governante só investir em festas, trios elétricos, bandas de gosto e talento duvidosos contratadas a peso de ouro e um carnaval milionário. Mas não para aí. Do outro lado fica a população pagando seus impostos e não recebendo nenhuma benfeitoria para seus bairros. E mais, tudo isso sob os auspícios da omissão do Ministério Público, de entidades e autoridades constituídas que cruzaram os braços e não promovem ações para mudar o cenário vivido pela população. E tem mais ainda para fomentar toda essa insanidade. Trata-se das lideranças em nível estadual e federal que, infelizmente, trabalham futuras candidaturas, achando que a população hoje abandonada vai lhes dar o direito de continuar nos seus mandatos. Na ocasião é compromisso de muitos relembrar daqueles que estiveram contra e dos que se colocaram ao lado da população.

Tudo isso vem se passando no município de São Mateus, onde a desordem levou ao caos político-administrativo que se instalou há pouco mais de três anos. A economia despenca, os investimentos não aportam no município e os que ainda insistem em investir no lugar já estão pensando em mudar de ares, procurar outras regiões para efetivar futuros projetos de vida e profissional.

Para quem chega à cidade de São Mateus se assusta com o que vê. A começar pela praça Mesquita Neto, no centro, perto da rodoviária. Ali é o paraíso da esculhambação, das drogas, da imundice, dos camelos e suas barracas e da sujeira. Aliás, o retrato da desordem político-administrativa implantado pelo governo municipal.

Mas não é só na praça. O “paraíso” se estende aos bairros, principalmente aos periféricos onde o tal “prefeito da periferia” não levou nenhuma benfeitoria. Em todos os bairros o abandono é quem se instalou. Os serviços não existem e, quando não a coleta deficiente do lixo. Postos de saúde sem médicos, atendimento deficiente por falta de profissionais e as escolas que só funcionam a contento por competência e esforços de professores, diretores e os pais de alunos.

O prefeito de São Mateus, Daniel Santana (PSDB), é empresário de eventos e proprietário de trios elétricos. Nesse segmento ele investe pesado. O balneário de Guriri tem sido “vítima” desse investimento. Vítima porque os moradores não usufruem desse pseudo-investimento coletivo que não passa de favorecimento ao prefeito e seus asseclas. Só a orla foi cuidada, pois por ali circulam os cinco trios contratados a peso de universo com a justificativa de se fazer o melhor carnaval do estado. Uma justificativa cínica, covarde para com a população mateense que assiste petrificada seus recursos indo para o ralo da incompetência, da irresponsabilidade de um prefeito que a grande obra do seu governo é a destruição do município e dos seus valores morais e éticos.

O carnaval está passando. O rescaldo quando for feito causará consequências desastrosas para São Mateus, que mesmo tendo nome do santo não está conseguindo conter tanto descalabro administrativo e melhorar a qualidade de vida da sua população.

Leia mais:  Veja AO VIVO julgamento do Recurso do Prefeito Daniel Santana no TSE
Continue lendo

São Mateus

Corpo de Bombeiros Militar realiza treinamento para surfistas de Guriri

Publicado

Foi realizado o treinamento Surf-Salva, na Ilha de Guriri em São Mateus-ES, no último domingo, ministrado através de uma parceria entre Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Espírito Santo (CBMES) e Associação de Surf da Ilha de Guriri (ASIG).

Visando trazer conhecimento para os surfistas da região sobre como se comportar ao se deparar com uma situação de afogamento, o treinamento teve seu início na sede da ASIG com instruções teóricas e práticas, que capacitaram surfistas para apoiar os trabalhos dos guarda-vidas na praia, além de auxiliar na prevenção ao afogamento.

Os temas abordados foram: características e graus do afogamento, transporte de vítimas com prancha de surf, identificação de um afogamento, técnicas de ressuscitação cardiopulmonar, entre outros assuntos.

As instruções foram ministradas pelo Sgt Calmon e Cb Botelho do CBMES, e do médico Dr. Henrique Zon, associado da ASIG

Leia mais:  Cesan volta a se interessar pelo SAAE de São Mateus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana