conecte-se conosco


Medicina e Saúde

10 coisas que você precisa parar de fazer hoje mesmo para ter um coração mais saudável

Publicado

O coração é um dos órgãos mais importantes do corpo humano. Veja ações que devem ser evitadas para mantê-lo saudável

Como todos sabem, o coração é o órgão responsável pelo bombeamento do sangue. Essa função possibilita a chegada do sangue a todas as partes do corpo, oxigenando os órgãos e mantendo as funções vitais em operação.

Por isso, o músculo cardíaco é o segundo principal órgão do corpo humano, ficando atrás apenas do cérebro.

Contudo, existem diversos fatores que podem levar ao adoecimento desse amigo do peito.

Entre esses fatores, existem inúmeros hábitos que são praticados no dia-a-dia, muitas vezes sem que nos demos conta.

Neste artigo citaremos 10 desses hábitos que podem prejudicar a saúde do coração.

Fique atento aos detalhes e comece hoje mesmo a excluí-los da sua rotina.

10 hábitos que podem prejudicar o seu coração

Confira abaixo a lista completa com os tais hábitos e suas descrições.

Explicaremos em cada tópico o que você pode fazer para evitar cada mau hábito e melhorar a saúde do seu coração.

1 – Não cuidar da saúde bucal

Muitas pessoas nem imaginam, mas a saúde da boca tem tudo a ver com a saúde do coração.

Estima-se que pessoas que tenham problemas de saúde bucal também estejam mais propensas a desenvolver doenças cardiovasculares.

Inflamações com a gengivite, por exemplo, podem transportar bactérias nocivas para a corrente sanguínea, que por sua vez podem chegar ao coração e causar algum dano.

Dentre as doenças cardiovasculares que podem aparecer estão as temidas endocardite e doença coronariana.

Para mudar isso, melhore a sua higiene bucal, escovando os dentes e a língua pelo menos duas vezes por semana, usando sempre fio dental e antisséptico bucal.

Além disso, faça visitas a um dentista a cada seis meses, pelo menos.

2 – Roncar durante o sono e ignorar esse fato

Você ronca durante a noite?

Se sim, procure descobrir os motivos disso.

O ronco durante o sono pode ser um sinal de que a saúde do seu sistema cardiovascular não vai bem e até de que existem obstruções arteriais.

Além disso, a vibração provocada pelo ronco pode causar inflamações pelo corpo e até apneia do sono.

Em suma, pessoas que roncam podem estar a caminho de ter um infarto, um AVC, quadros de fibrilação arterial e outros problemas sérios.

Portanto, trabalhe para mudar esse quadro, modificando o seu jeito de dormir, perdendo peso e tendo mais horas de sono.

Todos esses fatores podem contribuir para o ronco.

Leia mais:  MPES registra 23 novos casos de Covid-19 e um óbito em Instituições de Longa Permanência de Idosos

Além disso, procure ajuda médica o mais rápido que puder para ter mais orientações.

Uma boa avaliação médica determinará que tipos de tratamentos podem ser eficazes contra esse problema.

3 – Permanecer muitas horas sentado diante de telas ou trabalhando

Mais um dos hábitos nocivos para a saúde do coração, que está bastante “em alta” atualmente, é ficar horas e horas na frente de TVs ou computadores.

A mesma lógica vale para quem trabalha sentado por muitas horas a fio.

Acontece que ficar sentado assistindo por muito tempo é prejudicial para a circulação sanguínea e pode aumentar o risco de AVCs e infartos.

Neste caso, a melhor saída é dar pausas entre os períodos de audiência ou de trabalho e caminhar um pouco, ficando pelo menos dois minutos em pé.

Com isso, a sua circulação será reativada, evitando a formação de coágulos e o acúmulo de substâncias nocivas em alguma “esquina” venosa.

4 – Fumar ou viver com fumantes

Todo mundo já está “careca de saber” que fumar é um dos hábitos mais nocivos para a saúde do coração.

E, aliás, não apenas o músculo cardíaco sofre com o cigarro, mas o corpo de forma geral.

Em observação à saúde do coração, é correto afirmar que tanto quem fuma quanto quem inala a fumaça do cigarro pode desenvolver problemas cardiovasculares.

As toxinas do cigarro causam inflamações, aumentam o risco de câncer, aumentam o risco de aterosclerose e muito mais.

Portanto, neste tópico a dica é simples: pare de fumar e/ou se afaste do convívio com fumantes se deseja ter uma boa saúde.

5 – Ficar isolado

Muitas pessoas acreditam que ficar sozinho é de alguma forma benéfico para o coração, mas isso é um ledo engano.

Se isolar demais aumenta o estresse e a ansiedade, o que é uma bomba de efeitos nocivos para o coração.

Por isso, procure se relacionar com as pessoas certas e compartilhe seus medos, ansiedades e receios.

Vai fazer bem para o seu coração!

6 – Não comer corretamente

Dentre os principais hábitos saudáveis, ensinados por nossas mães e avós, está o de comer o que elas classificam como “comida de verdade” regularmente.

Dentre essas tais comidas de verdade, podemos citar:

  • Frutas e verduras;
  • Leite;
  • Ovos;
  • Carnes brancas;
  • Iogurte;
  • Entre muitos outros.

Escute a sua vó e/ou a sua mãe e inclua sempre esses alimentos na sua dieta.

Além disso, diminua a ingestão de fast foods, gorduras e comidas não nutritivas no geral.

Leia mais:  Cinco alimentos ricos em magnésio para reforçar ossos e músculos

Enquanto as “comidas de verdade” possuem nutrientes que vão potencializar a saúde do seu coração e de todo o seu corpo, essas comidas “modernas” podem justamente adoecer o músculo cardíaco.

7 – Comer muito sal

Segundo um levantamento feito entre 2013 e 2014 pelo IBGE em parceria com a Fiocruz e o Ministério da Saúde, os brasileiros consomem mais de 9 gramas de sal por dia, o que é o dobro recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

É muito sal!

Um dos principais motivos desses resultados alarmantes é o alto índice de ingestão de alimentos industrializados, que possuem grandes quantidades de sal.

Quando o sal está em excesso no organismo, há o aumento das taxas de risco para vários tipos de doenças, como hipertensão, aterosclerose, AVC e infarto.

Além disso, os rins também podem ser afetados pelo excesso do mineral.

A solução para isso é diminuir a ingestão de alimentos ricos em sal e trocar o consumo de sal refinado como por sal light ou sal do himalaia, por exemplo.

Esses produtos possuem menores quantidades de sódio, que é o verdadeiro vilão por trás do sal.

8 – Achar que está totalmente livre de problemas cardíacos

Os problemas cardiovasculares são as maiores causas de morte atualmente no mundo, e esse fato não é conhecido de agora.

Portanto, achar que está totalmente livre de desenvolver algum problema do tipo é um erro que pode custar caro.

Invista em exames periódicos e cuide da saúde do seu coração sempre.

9 – Beber muito álcool

Já está comprovado que beber vinho em pequenas quantidades pode ser benéfico para a saúde do coração.

Entretanto, exagerar no consumo de álcool, seja por meio de vinho, cerveja ou outra bebida, pode ter o efeito oposto.

Doenças como hipertensão e insuficiência cardíaca têm origem nesse hábito nocivo.

Portanto, ponha limites no happy hour.

10 – Ignorar sintomas

Muitas vezes as pessoas se queixam de dores no peito, palpitações, dores nas pernas e cansaço ao caminhar.

Todos esses fatores podem estar indicando que a saúde do coração ou do sistema vascular, que está diretamente ligado a ele, não vai bem.

Por esse motivo, se sentir qualquer uma dessas coisas, não espere mais e busque ajuda rapidamente.

Caso alguma doença cardiovascular seja descoberta, é importante que ela seja tratada o quanto antes para reduzir as chances de sequelas no coração.

publicidade

Medicina e Saúde

Covid-19: testes positivos voltam a crescer; registro é o maior dos últimos 4 meses no ES

Publicado

Os testes realizados em junho representam quase 90% do total de testes feitos nos meses de março, abril e maio

Espírito Santo fechou o mês de junho consolidando o aumento do número de casos de covid-19 no Estado. Até essa quarta-feira (29), segundo a secretaria de Estado da Saúde (Sesa), as amostras que foram coletadas ao longo de todo o mês apresentam a maior positividade desde março: 27%.

Após os meses de março e abril apontarem para uma redução de casos da doença com registros positivos de 7,1% e 3,5%, respectivamente, maio já demonstrava um comportamento de subida, com 10,3% dos testes positivos.

O número de testes também chama a atenção. Os realizados em junho representam quase 90% do total de testes feitos nos três meses anteriores. O Estado contabilizou pouco mais de 217 mil testes, entre março e maio. Em 29 dias, foram cerca de 206 mil.

Os testes rápidos, de antígenos, disponibilizados para a população em pontos de testagens estaduais e municipais, também aumentaram. 

Entre março e maio, foram pouco mais de 174 mil testes realizados e uma positividade média de 7,8% das análises durante os três meses. Só em junho, somam mais de 180 mil testes realizados. A positividade é de 28,5% das amostras.

Leia mais:  A importância do índice glicêmico dos alimentos

Segunda maior onda de casos de covid no ES em 2022

Os casos positivos registrados no mês passado configuram a segunda maior onda de covid-19 deste ano. A taxa de transmissão cima de 1, ficando atrás apenas do aumento registrado em janeiro e fevereiro. 

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, fez um alerta sobre o momento atual vivido pelo Estado. 

“Estamos com uma alta taxa de transmissão no momento e quando temos muitos casos, as pessoas mais vulneráveis e não totalmente vacinadas podem desenvolver a forma mais grave da doença e vir a óbito”, explicou.

Para Reblin, é fundamental que a população reforce a adoção dos cuidados aprendidos desde o início da pandemia, não deixando de lado a vacinação.

“Essas regras de manter distanciamento em locais com muita circulação, usar as máscaras e a higienização das mãos continuam tão importantes quanto era no começo da pandemia. Junto a isso, temos a vacinação contra a Covid-19, com doses disponíveis à população que precisa atualizar os esquemas vacinais com o quantitativo de doses referentes à faixa etária”, disse.

Saiba onde testar

Livre demanda (sem agendamento):

– Rodoviária de Vitória (Vitória): de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, para a realização de Teste Rápido de Antígeno;

– Ufes (Campus Goiabeiras): de segunda a sexta-feira, das 7h às 15h30 (com intervalo de 12h às 13h), para a realização de Teste Rápido de Antígeno;

Leia mais:  Covid-19: mais de 1 milhão de vacinas já foram aplicadas no ES, mas 87 mil aguardam 2ª dose

– Ufes (São Mateus): de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, pra a realização de Teste Rápido Antígeno;

– Terminal de Laranjeiras (Serra): de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h, para a realização de Teste Rápido de Antígeno.

Para a testagem por agendamento:

– Aeroporto de Vitória (Vitória), para a realização do exame RT-PCR e de Teste Rápido Antígeno: todos os dias, 24h;

– Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves, o Himaba (Vila Velha), para a realização do exame RT-PCR e de Teste Rápido de Antígeno: segunda a sexta, das 09h às 15h30;

– Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, para a realização de Teste Rápido de Antígeno: segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h (com intervalo das 11h30 às 13h30);

– Centro de Reabilitação Física do Espírito Santo (Crefes), para a realização de Teste Rápido de Antígeno: segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Para agendar os testes de RT-PCR a população deve acessar o site Acesso Cidadão. Já o agendamento para o Teste Rápido de Antígeno, deverá ser feito no site Vacina e Confia. Além disso, no Vacina e Confia, a população tem acesso aos pontos de testagens municipais.

Continue lendo

Medicina e Saúde

Tratamento inovador elimina totalmente o câncer de mama em estágio inicial

Publicado

Tumores desapareceram em duas semanas após injeção da substância e sem efeitos colaterais

Um estudo recente publicado recentemente na revista Proceedings of the National Academy of Sciences mostrou que a aplicação de uma imunotoxina nos dutos mamários eliminou totalmente lesões pré-cancerosas visíveis e invisíveis de pacientes. 

A pesquisa foi feita em laboratório e liderada por pesquisadores do Johns Hopkins Kimmel Cancer Center, especializado em câncer de mama em estágio inicial.

O estágio zero da doença, também conhecido como CDIS (carcinoma ductal in situ), é caracterizado pela presença de células pré-cancerosas anormais nos dutos de leite.

De acordo com o autor sênior do estudo, Saraswati Sukumar, diversas mulheres realizam cirurgias de remoção, tratamentos de radiação e, em alguns casos, quimioterapia ou terapias hormonais para eliminar esses cânceres precoces.

“Em nossa pesquisa, propusemos um tratamento alternativo em que a injeção da droga imunotoxina pelo duto poderia resultar na limpeza do CDIS”, disse Sukumar em comunicado.

Metodologias do estudo

Primeiramente, o trabalho avaliou a eficácia da imunotoxina em quatro linhagens celulares de diferentes subtipos de câncer de mama em camundongos. Os resultados evidenciaram que o tratamento induziu à morte as células tumorais em todas elas. 

Leia mais:  Quadro grave de sinusite faz americana ter parte do crânio retirada; Confira

Os pesquisadores também administraram o tratamento a cerca de dez camundongos para captar possíveis toxinas circulares no sangue após a intervenção e, de cinco a 30 minutos depois, não encontraram nada.

Em seguida, eles injetaram a imunotoxina diretamente nos dutos mamários de dois grupos de camundongos com CDIS, classificados como MCF7 E SUM225.

No primeiro, foi administrado uma vez por semana durante três semanas e, para viés de comparação de eficácia, aplicaram no corpo de outro conjunto de camundongos.

No final da terapia, descobriram que aqueles que receberam a injeção no corpo tiveram um crescimento tumoral mais lento, mas que retornava após a interrupção.

Já os que receberam diretamente nos dutos tiveram os tumores completamente eliminados dentro de duas semanas após a conclusão do tratamento e a arquitetura da mama era parecida com glândulas mamárias normais. Nenhuma recorrência foi detectada após dois meses. 

O grupo SUM225 suprimiu a doença em apenas duas semanas de tratamento e não demonstrou recorrência até o final do estudo. 

Leia mais:  Covid-19: mais de 1 milhão de vacinas já foram aplicadas no ES, mas 87 mil aguardam 2ª dose

De acordo com os autores, o tratamento foi bem tolerado, sem efeitos colaterais da toxina ou injeção. Eles disseram que a pesquisa fornece uma forte base pré-clínica para a realização de ensaios de viabilidade e segurança em pacientes com câncer de mama em estágio 0. 

Segundo dados divulgados pelo Inca (Instituto Nacional de Câncer), no ano passado, o Brasil totalizou 66,3 mil diagnósticos da doença no público feminino, com 17,8 mil mortes. O câncer de mama é também o mais incidente em mulheres de todas as regiões do país, após o câncer de pele não melanoma.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana