conecte-se conosco


Internacional

36 enfermeiras de um hospital engravidam ao mesmo tempo nos EUA

Publicado

Em 2019, um grupo de enfermeiras da UTI neonatal do Children’s Mercy Hospital, na cidade de Kansas (EUA), ficaram grávidas juntas. “As pacientes até brincam que não devem tomar a água daqui, a menos que queiram engravidar”, disse uma delas

Como diz a expressão popular, deve haver alguma coisa na água do Children’s Mercy Hospital, na cidade de Kansas (EUA). Em 2019, trinta e seis enfermeiras da UTI neonatal ficaram grávidas ao mesmo tempo. Uma foto, com todas as mulheres segurando os bebês, voltou a viralizar nas redes sociais na última semana. 

Allisson Ronco, 32, foi a primeira do grupo à dar à luz, em 7 de janeiro de 2019. Ela garante que casos como esse não são incomuns no hospital. “Sempre temos um baby boom acontecendo assim. As pacientes até brincam que não devem tomar a água daqui, a menos que queiram engravidar”, disse em entrevista ao Good Morning America. 

Todas as 36 enfermeiras trabalham na UTI neonatal do hospital, atendendo bebês que precisam de cuidados especiais. Segundo elas, isso é um fator que as ajuda ainda mais a valorizar e aproveitar a gravidez em conjunto. “A maioria de nós sai do hospital com um bebê saudável nos braços. Trabalhar onde você ajuda muitos bebês doentes dá a você uma perspeciva diferente e um nível totalmente novo de empatia”, disse Allisson. 

Algumas delas contam que, pela primeira vez, sentiram na pele o que passam os pais dos seus pacientes. A enfermeira Sarah Carboneau, 27, viu o filho nascer em 9 de fevereiro e, cinco depois depois, ter de ser transferido para a UTI. Os pediatras descobriram que ele havia nascido com um problema cardíaco. 

“Eu estava muito confusa porque já vi muitas coisas acontecerem [como enfermeira]. Foi uma experiência difícil, porque eu sabia o que esperar quando ele desse entrada na UTI neonatal”, disse. Segundo Sarah, estar perto das colegas de trabalho foi fundamental nesse momento. “Eu estava cercado por todos que conhecia. Sentir todo o amor foi avassalador, mas o hospital cuidou muito bem dele e o problema foi resolvido com uma cirurgia dias depois.”

Em menos de um ano, 36 bebês de funcionários da UTI neonatal nasceram  (Foto: Reprodução/Facebook)

Em menos de um ano, 36 bebês de funcionários da UTI neonatal nasceram (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Leia mais:  Ilha no Pacífico nunca teve casos de covid-19 e inicia vacinação

publicidade

Internacional

Hospital nos EUA faz transplante de rim em paciente errado

Publicado

Um hospital de Cleveland (Ohio, EUA) reconheceu um grave erro: uma equipe médica realizou recentemente um transplante de rim em paciente errado. A fila de espera apontava outro receptor do órgão.

A direção do hospital universitário se desculpou pelo erro e informou que dois funcionários foram colocados em licença administrativa. Incrivelmente, o rim dado ao paciente errado se mostrou compatível e se espera que a pessoa que o recebeu no lugar de outra se recupere totalmente, disseram autoridades locais, segundo afiliada da rede Fox.

A cirurgia do outro paciente foi adiada. Autoridades disseram que o hospital abriu sindicância para descobrir como o erro ocorreu e evitar erros semelhantes no futuro. Os nomes dos envolvidos não fooram divulgados.

“Oferecemos nossas sinceras desculpas a esses pacientes e as suas famílias”, disse o porta-voz do hospital, George Stamatis, em um comunicado. “Reconhecemos que eles nos confiaram seus cuidados. A situação é totalmente inconsistente com 0 nosso compromisso de ajudar os pacientes a voltarem à saúde e viverem a vida plenamente”, acrescentou ele.

O hospital notificou a United Network for Organ Sharing, que gerencia o sistema nacional de transplantes e que é a responsável pela distribuição dos órgãos na fila de espera.

Leia mais:  Variante indiana foi detectada em pelo menos 17 países, diz OMS
Continue lendo

Internacional

Japão prorroga estado de emergência por covid-19

Publicado

País registra um aumento de casos da doença uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio

O Japão prorrogou nesta sexta-feira (30) a emergência sanitária por covid-19 em Tóquio e a ampliou para outras quatro regiões, após o aumento dos contágios, uma semana depois do início dos Jogos Olímpicos.

“Decretamos o estado de emergência para Saitama, Chiba, Kanagawa e Osaka”, afirmou o primeiro-ministro Yoshihide Suga, antes de acrescentar que a medida, já em vigor em Tóquio e Okinawa (sul), foi estendida até 31 de agosto.

Na quinta-feira (29), o Japão registrou mais de 10 mil casos de coronavírus pela primeira vez, o que levou autoridades e especialistas a advertirem para o risco que implica a propagação da variante Delta.

O surto no país é comparativamente pequeno. Desde o início da pandemia, foram registradas 15.000 mortes, e o governo nunca adotou medidas de confinamento rígido. Apenas 25% da população está completamente vacinada.

O recorde de casos acontece em pleno desenvolvimento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nas últimas 24 horas, foram registrados 27 novos contágios, o maior número diário desde o início do evento esportivo, segundo o comitê organizador.

“O contágio está se espalhando a uma velocidade nunca antes vista”, especialmente dentro e ao redor da região de Tóquio, disse o primeiro-ministro Suga.

“A variante delta altamente contagiosa se impõe rapidamente e, se o aumento de infectados, não parar é possível que os hospitais fiquem lotados”, alertou.

Anteriormente, a ministra da Saúde, Norihisa Tamura, afirmou que o governo queria enviar uma “mensagem forte” ao prorrogar o estado de emergência, já que a variante Delta agora responde por “mais de 50% dos casos” em Tóquio.

O atual estado de emergência em Tóquio restringe o horário de funcionamento de bares e restaurantes e proíbe a venda de bebidas alcoólicas. Os especialistas alertam para um relaxamento de seu cumprimento e um aumento de casos entre os jovens.

Leia mais:  Autoridade da Indonésia confirma queda de avião de passageiros
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana