conecte-se conosco


Segurança

“A gente não via ameaça”, diz familiar de criança que morreu vítima de espancamento na Serra

Publicado

Segundo familiares, o pai do suspeito de cometer o crime passou mal e morreu logo após saber o que o filho havia feito com a criança

Ainda consternados e abalados com a perda da pequena Aghata Vitória Santos Godinho, de cinco anos, que foi espancada até a morte na tarde da última segunda-feira (19), familiares não conseguiram retornar para a própria casa. A menina morava com a mãe, o irmão e o padrasto, que é o principal suspeito de ter cometido o crime, numa residência do bairro Cidade Nova, na Serra.

Um familiar da menina, que preferiu não se identificar contou que na casa onde a família morava agora não tem ninguém. A mãe da criança, de 23 anos, não consegue voltar para o local onde tudo aconteceu. Ela está amparada na casa de irmãos.

Segundo o relato do familiar, Elisnay Borges Eloy, o padrasto da criança, era amado pela garotinha, que carinhosamente o chamava de ‘Nanay’, e ninguém nunca suspeitou de que ele representasse perigo. No dia do crime, a menina teria ido até o bar da avó para comprar salgadinhos e estava feliz, pois quem deu o dinheiro havia sido o padrasto.

O familiar disse ainda que a mãe de Aghata e o companheiro começaram a namorar e logo resolveram morar juntos. E que o homem nunca apresentou um comportamento agressivo, pelo contrário.  O familiar conta que Aghata amava o padrasto e ele sempre a levava para um de seus passeios preferidos: ir a praia.

“A gente nunca pensava que ele ia fazer isso aí, ele levava ela pra praia, eles mostravam ser um casal muito feliz. A gente não via ameaça nenhuma. Se a gente visse, nossa senhora, a gente faria alguma coisa, ninguém iria aceitar isso aí não. Todo mundo falava que ele era gente boa. Todo mundo falava, ‘agora ela achou alguém gente boa'”, relatou.

Ainda segundo o relato, o susto foi tão grande que o pai do suspeito, quando soube o que o filho havia feito, passou mal e morreu.

“A família dele não tem culpa né, nem um pai não sabe que cria um monstro dentro de casa. Se o pai soubesse que o filho era um monstro… tanto que ele até morreu, coitado”, disse.

Elisnay Borges Eloy tem 35 anos e foi preso em flagrante na última terça-feira (20).  Ele foi levado para o Centro de Triagem de Viana e lá teve a prisão convertida em preventiva pela Justiça, após uma audiência de custódia.

Em tentativa de contato com o pai biológico da menina, mas não obteve retorno. Segundo a família, muito abalado, o homem passou mal e não conseguiu acompanhar o enterro da filha.

Leia mais:  Colombiano que traficava cocaína em blocos de rocha no estado é extraditado ao Brasil
publicidade

Segurança

Operação Maria’s de combate à violência contra mulher já realizou 240 prisões de homens autores de violência

Publicado

Seis homens foram presos durante a 6ª fase da Operação Maria’s, realizada pela Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Div-Deam), na manhã dessa quarta-feira (02). As prisões aconteceram em Guarapari, Serra, Viana e Vila Velha. Uma espingarda de fabricação artesanal calibre.22 LR foi apreendida durante a operação no município de Cariacica.

Todos os detidos nesta fase tinham mandados de prisão em aberto. Cinco dos mandados foram expedidos por violência doméstica e um suspeito tinha mandado de prisão em aberto pelo crime de estupro.

Em todo o ano 2019, a Operação Maria’s realizou a prisão de 389 homens autores de violência contra a mulher. Neste ano, as operações realizadas até outubro somam mais de 240 homens autores de violência presos. Os dados, incluindo a 6ª fase, serão inseridos com as estáticas de novembro. Os dados ficam disponíveis após o dia 15 do mês subsequente.” 

A titular da Div-Deam, delegada Claudia Dematté, destacou que é preciso que a sociedade entenda que o combate à violência contra a mulher não é uma luta só das mulheres, mas da sociedade como um todo. “Precisamos desconstruir esses valores machistas ainda existentes na sociedade, que levam homens a praticarem atos absurdos, inaceitáveis, de violência contra mulher” disse Claudia Dematté.

A delegada frisou que o trabalho da Polícia Civil vai continuar “com toda a veemência e rigor na repressão desses atos de violência, praticados contra as mulheres, mas também na prevenção. Para isso, nós precisamos de todo comprometimento da comunidade”, destacou.

A autoridade policial orientou que as mulheres que forem vítimas de violência doméstica e familiar que não se calem, mas que denunciem desde a primeira violência sofrida. “Assim, toda a rede de proteção e atendimento à mulher vai poder agir e evitar que crimes mais graves ocorram. Violência jamais será demonstração de amor. Quem ama não xinga, não humilha, não subjuga, não agride, não mata. Quem ama tem carinho, respeito, companheirismo, reciprocidade e amor”, afirmou Claudia Dematté.

16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

A operação Maria´s, idealizada por meio da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher e da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), acontece sob o comando da Superintendência de Polícia Especializada, por meio do delegado José Lopes Pereira. A ação acontece com participação dos policiais das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher da Grande Vitória.

Essa 6ª fase é uma das ações da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher na campanha anual da Organizações das Nações Unidas (ONU) de 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, que começa no dia 25 de novembro, Dia Internacional pela Não Violência Contra a Mulher, e vai até o próximo dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. No Brasil, a campanha ganhou cinco dias extras e começou no Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro.

“A data foi criada com o objetivo de expandir e aprofundar o debate sobre a violência contra as mulheres na sociedade, visando assim a sua eliminação. É muito importante ressaltar que em todo o mundo Mulheres sofrem violência e discriminação simplesmente por serem mulheres. A violência contra as mulheres se apresenta de muitas formas, não apenas física, mas psicológica, sexual, moral e patrimonial”, disse a chefe da Div-Deam, Claudia Dematté.

Canais de Denúncia:

 ─ Telefone Disque-Denúncia 181;

─  Site disquedenuncia181.es.gov.br ;

─  Delegacia on-line https://delegaciaonline.sesp.es.gov.br/deon/xhtml/solicitarregistroocorrencia.jsf

─ Delegacias físicas https://pc.es.gov.br/enderecos-e-telefones-das-delegacias-especializadas-de-atendimento-a-mulher

Leia mais:  Polícia Civil encaminha mais de uma tonelada de drogas para incineração
Continue lendo

Segurança

Sejus recebe 11 veículos do Departamento Penitenciário Nacional

Publicado

Na quarta-feira (02), a Secretaria da Justiça (Sejus) recebeu do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), 11 veículos que serão utilizados para movimentação carcerária no Espírito Santo. Ao todo, são nove furgões e dois ônibus adaptados para o transporte de presos que irão ampliar o trabalho realizado pela Diretoria de Segurança Penitenciária (DSP) da Sejus.

Uma equipe composta por 12 servidores da Gerência de Logística (Gelog) da Sejus foi responsável pelo recebimento dos veículos. A entrega foi realizada pelo Depen, em São Paulo. Com capacidade para transportar 28 internos, os ônibus possuem compartimentos de cela, sistema de CFTV e sinalização acústica e visual, além de adaptações no compartimento de escolta. Os recursos permitem maior comodidade e segurança para os servidores responsáveis pela escolta de presos. Já os furgões têm capacidade para transportar oito internos e oito inspetores penitenciários.

Para o secretário de Estado da Justiça, Luiz Carlos Cruz, as doações são significativas para o Estado. “Os veículos que recebemos irão contribuir para otimização das operações realizadas pela área de movimentação carcerária. Isso aumenta nossa capacidade de trabalho com o aumento da frota destinada a transportar presos para audiências criminais e com veículos adaptados que garantem a segurança de todos os envolvidos”, ressaltou Luiz Carlos Cruz.

A doação do Depen atende às resoluções do Conselho Nacional de Política Criminal e Segurança Pública (CNPCP) e Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Também foram contemplados os Estados do Acre, Amazonas, Mato Grosso, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Rio Grande do Sul. Em 2020, o Depen investiu R$ 106 milhões em veículos para transporte de presos para aparelhamento das unidades federativas. Desde o início do ano, já foram entregues 16 ônibus e 150 furgões.

Leia mais:  Colombiano que traficava cocaína em blocos de rocha no estado é extraditado ao Brasil
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana