conecte-se conosco


Segurança

Ações do Estado Presente reduzem para um o número de assassinatos em Vitória no mês de maio

Publicado

As Polícias Militar e Civil realizam operações diárias em bairros da Capital capixaba, que resultam na prisão de bandidos e na apreensão de armas. Há ainda os programas sociais implementados pelo Governo Renato Casagrande nas comunidades, contribuindo, assim, para a redução no número de homicídios

Operações policiais diárias que resultam na prisão de bandidos e apreensão de armas, ocupação policial e social das áreas mais vulneráveis, proximidade das forças das Polícias Militar e Civil com as comunidades. Estas são algumas das ações, desenvolvidas pelo Programa Estado Presente em Defesa da Vida, que levaram Vitória a reduzir em 89% o número de homicídios em maio de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Nos 31 dias de maio deste ano, a Capital capixaba registrou um assassinato. Esta marca foi alcançada pela última vez em novembro de 2018. No acumulado, Vitória apresenta 27 homicídios em 2021, contra 30 no mesmo período de 2020 (redução de 10%). Maio foi também o mês em que as Polícias Militar e Civil aprenderam mais armas este ano: 39 ao todo.

Em janeiro deste ano, seis assassinatos foram registrado em Vitória, contra três em fevereiro, 10 em março; sete em abril; e um agora em maio. Totalizando, assim, 27 homicídios, contra 30 em relação aos primeiros cinco meses de 2020.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), no período de janeiro a maio deste ano foram registrados 456 homicídios dolosos no Estado, contra 513 em 2020. Este é o segundo melhor resultado da série histórica (perdendo apenas para o ano de 2019).

No mês de maio, o Espírito Santo completou o terceiro mês consecutivo com redução nos registros de homicídios (96 em março, 90 em abril e 80 em maio). Ainda sobre o mês de maio, apesar do aumento de cinco casos em relação ao mesmo mês do ano passado, este foi o segundo melhor resultado da série histórica (desde 1996).

Na avaliação da Sesp, a Região Metropolitana foi o destaque positivo em virtude do bom resultado apresentado em 2021. O desempenho da Grande Vitória continua sustentando o resultado do Estado. A Região Metropolitana registrou 213 homicídios no período de janeiro a maio de 2021, contra 313 no mesmo período de 2020, redução de 31,9%.

Os quatro maiores municípios da Grande Vitória — Serra, Cariacica, Vitória e Vila Velha — apresentam queda nos casos de homicídios, com relação ao ano de 2020. Na Serra, a redução é de 45%; em Vila Velha, de 41%; em Cariacica, de 20%; e, em Vitória, a queda é de 10%.

“Os dados são resultado de um esforço contínuo e conjunto. A premissa do Programa Estado Presente em Defesa da Vida é justamente essa, a de proteger a vida e combater a criminalidade violenta. Temos concentrado esforços no combate ao tráfico de drogas, que é responsável por 80% das mortes violentas no nosso Estado, realizando investigações robustas, prendendo lideranças criminosas e intensificando as ações repressivas e preventivas em regiões de vulnerabilidade. Isso, somado aos investimentos na área social, traz resultados importantes como o que estamos alcançando hoje”, disse o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho.

Fundão registrou três homicídios nos primeiros cinco meses – um em janeiro e dois em fevereiro –, contra cinco em 2020. Logo atrás está Viana, com cinco assassinatos – três em janeiro e um em fevereiro e um em março –, enquanto no ano passado foram 11 homicídios. Guarapari teve 16 assassinatos este ano, o mesmo número de 2020, com quatro registros em janeiro; dois em fevereiro; quatro em março; três em abril; e três em maio. Vila Velha registrou 44 assassinatos – seis em janeiro; oito em fevereiro; oito em março; 12 em abril; e 10 em maio –, contra 75 no ano passado.

Já na Serra ocorreram 51 assassinatos em 2021 – 10 em janeiro; nove em fevereiro; 11 em março; 15 em abril; e seis em maio – contra 93 no ano passado.

Em Cariacica, houve queda também no número de homicídios em relação ao mesmo período do anos passado. Agora em 2021, foram 70 registrados nos primeiros cinco meses: 20 em janeiro; nove em fevereiro; 16 em março; 13 em abril; e 12 em maio.

A presença do Estado nos municípios de maior índice de criminalidade tem sido primordial para a queda do número de homicídios no Espírito Santo. A presença se dá por meio de ações policiais – de prevenção e repressão – e por intermédio de políticas públicas que dão oportunidades de estudos e empregos aos jovens.

São essas ações do Estado Presente que fizeram Vitória reduzir de sete assassinatos, no mês de abril, para apenas um em maio. Um dos exemplos aconteceu no dia 19 de maio de 2021, quando o governador Renato Casagrande (PSB) esteve no Destacamento de Polícia Militar (DPM) do bairro São Benedito, na Capital capixaba, para anunciar ações para a região do Território do Bem, que engloba os bairros de Itararé, Jaburu, Bairro da Penha, Bonfim, Engenharia, Consolação, Floresta, Gurigica, além do próprio São Benedito.

“Nosso objetivo aqui, com ações preventivas e de ações sociais, é o de levar a paz às comunidades, enfrentando o tráfico, reduzir o número de assassinatos e proporcionar aos moradores a sensação de segurança”, explicou Casagrande na ocasião. A região ganhou mais policiamento e também a promoção de qualificação profissional dentro do Programa Qualificar ES.

Somente em Vitória, nos cinco primeiros meses do ano, as ações das Polícias Civil e Militar, juntamente com outros órgãos de Segurança Pública, conduziram 1.402 suspeitos para as delegacias, sendo 188 menores de idade. No mesmo período, 149 armas de fogo foram apreendidas na Capital, um aumento de 22% com relação ao mesmo período de 2020, quando foram apreendidas 122 armas. O trabalho intenso de combate à criminalidade resultou em um mês de maio com o menor resultado do ano na Capital: um homicídio.

Nos primeiros 15 dias de patrulhamento intensificado no Território do Bem, foram apreendidas seis armas de fogo, sendo uma submetralhadora, cinco placas de colete balístico, 297 munições de diversos calibres, mais de 47 quilos de cocaína, 3 quilos de maconha e 1 quilo de crack, além de nove rádios comunicadores. Nesse período foram empregados 180 policiais militares na região.

Em termos de ação policial, a Operação Píthikos, planejada pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e executada no dia 24 de maio, também contribuiu para queda nos índices de homicídios.  A ação foi coordenada pela Polícia Civil e contou com o apoio da Gerência de Inteligência, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), e do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTaer), da Casa Militar.

A ação reuniu cerca de 90 policiais civis e resultou na prisão de sete bandidos, pessoas, sendo uma em cumprimento de mandado de prisão por homicídio cometido no município de Cariacica. Também houve a apreensão de três armas, além de entorpecentes, dinheiro, nove rádios comunicadores e munições.

De acordo com a Polícia Civil, dos sete criminosos, dois deles são apontados como coordenadores e partícipes de ataques ao Morro do Romão, em Vitória, em 2020, e no bairro Andorinha, neste ano.

Tem ainda a Operação Sentinela, que, com o objetivo de desmantelar facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas e homicídios no Estado, a Polícia Militar realiza mensalmente a ação, , integrada com o Ministério Público e a Polícia Civil, em todo o território capixaba.

Na manhã de terça-feira (01/06), o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Douglas Caus, apresentou os resultados da operação alcançados no mês de maio de 2021. Foram cumpridos 78 mandados de busca e apreensão e 69 mandados de prisão. Ao todo, 163 pessoas foram detidas na operação, sendo 14 por crime de homicídio e também 14 por tráfico de drogas.

Leia mais:  COVID-19: Polícia Militar do Espírito lamenta morte de soldado
publicidade

Segurança

Sete primeiros meses do ano acumulam redução de 5,7% nos homicídios no Espírito Santo

Publicado

O Espírito Santo registrou, nos sete primeiros meses deste ano, uma redução de 5,7% nos homicídios dolosos, em comparação com o mesmo período do ano passado. Entre janeiro e julho foram registrados 627 homicídios dolosos no Estado, contra 665 em 2020. Este é o segundo melhor resultado desde 1996, perdendo apenas para o ano de 2019, quando o período acumulou 568 homicídios.

A Região Metropolitana se destaca, com redução de 23,8%. No acumulado de janeiro a julho foram registrados 301 homicídios, contra 395 no mesmo período de 2020. Apenas no mês de julho, foram 41 homicídios, contra 43 em julho de 2020. 

“Estamos diuturnamente nas ruas, com nossos policiais militares patrulhando e monitorando ostensivamente as áreas de vulnerabilidade. Nossa Polícia Civil atua incansavelmente na investigação dos crimes e prisão qualificada de seus autores. Em conjunto com outras forças de segurança, temos trabalhado para manter a curva de redução”, afirmou o secretário de Estado de  Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho.

A redução nos índices de criminalidade violenta é a principal premissa do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, do Governo do Estado. O Programa integra ações nos eixos social e policial, visando à preservação da vida.
 
Segundo o secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, o Governo tem alcançado avanços com a realização de ações do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, em decorrência do engajamento e profissionalismo das forças policiais, no enfrentamento à violência e à criminalidade, e do trabalho preventivo, no eixo social.

 “Mas Segurança Pública, especialmente no nosso país, é um desafio permanente. Requer constante avaliação de cenário e revisão de estratégias, trabalho que realizamos, com gerenciamento intensivo das ações, com as equipes das Regiões Integradas de Segurança Pública (RISP). É importante ressaltar que o aumento de crimes de proximidade, como tem sido observado em nosso Estado, exige um maior esforço para preveni-los, tendo em vista as suas características específicas”, explica Álvaro Duboc, que atua como coordenador-executivo do Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

Uma das ações são as Operações Estado Presente, realizadas pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) nas regiões do Estado.  Em 2021, já ocorreram oito edições, que somam mais de 110 prisões.

Julho foi o segundo melhor mês do ano
 
No mês de julho de 2021, foram registrados 82 homicídios no Estado,  sendo este o segundo melhor resultado do ano. O mês com menor registro foi maio, com 81.  Infelizmente, o dado ainda conta com um elevado percentual de crimes de proximidade, dificilmente evitado por ações policiais. Ao todo, 39% dos casos tinham tais características. Alguns exemplos são o duplo homicídio ocorrido em Muqui, cuja investigação aponta que o ex-marido teria matado a ex-esposa e o atual companheiro. Outro caso foi em Castelo, onde a mulher abraçou o marido para que o amante o matasse. Já em Piúma, vítima e algoz morreram depois de uma confusão em um bar.
 
“As polícias estão nas ruas, trabalhando para que os capixabas tenham mais segurança.  No entanto, cada indivíduo é responsável pelos seus atos. Ciúmes, intrigas, discussões banais são motivações que não podem ser evitadas pela polícia, mas são investigadas, elucidadas e seus autores presos.  Será que vale a pena perder a liberdade por estes motivos?”, disse Ramalho.

Leia mais:  Polícia Federal investiga falsa oferta de vacinas contra a covid-19 no Espírito Santo e Minas Gerais
Continue lendo

Segurança

Homem é preso em flagrante com R$ 50 mil em notas falsas em Vila Velha

Publicado

O suspeito foi preso em flagrante no momento em que retirava o pacote com as cédulas em uma agência dos Correios no bairro Santa Mônica, em Vila Velha

Um homem foi preso em flagrante por aquisição de cédulas falsas na tarde desta sexta-feira (30), em Vila Velha. O dinheiro falso estava sendo enviado pelos Correios. O suspeito foi preso no momento em que tentava retirar a encomenda em uma das agências.

A prisão aconteceu após um trabalho conjunto entre Polícia Federal e Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios no Espirito Santo. 

As investigações tiveram início após uma notícia crime ter sido repassada pela área de segurança dos Correios, a qual detectava um pacote destinado à Vila Velha e que nele teriam cédulas falsas.

Durante as investigações, foi descoberto que o investigado iria se apresentar no Centro de Distribuição Domiciliar (CDD) dos Correios no bairro Santa Mônica, em Vila Velha, para retirar a encomenda. 

No local, o suspeito foi preso em flagrante. No interior do pacote foi encontrada uma grande quantidade de cédulas falsas distribuídas em notas de R$ 100, R$50 e R$ 20,. Todo o material foi apreendido.

O preso confessou o crime. Segundo ele, dentro do pacote havia aproximadamente R$ 50 mil em cédulas falsas.

Após a apreensão das notas foi observado que não se tratava de uma falsificação grosseira e, por isso seria capaz de enganar qualquer pessoa.

As cédulas foram adquiridas pela internet (por meio de um grupo de Whatsapp) e encaminhadas de outro estado. 

Agora, a investigação vai prosseguir com a realização da perícia das cédulas e do material apreendido.

O suspeito vai responder pelo crime de adquirir ou guardar cédulas falsas. A pena varia de três a 12 anos de prisão.

Lei sobre falsificação de cédulas

Art. 289 – Falsificar, fabricando-a ou alterando-a, moeda metálica ou papel-moeda de curso legal no país ou no estrangeiro:

Pena – reclusão, de três a doze anos, e multa.

§ 1º – Nas mesmas penas incorre quem, por conta própria ou alheia, importa ou exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz na circulação moeda falsa.

Leia mais:  Unidades prisionais do Estado passam por processo de desinfecção
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana