conecte-se conosco


Brasil

Apesar de restrições, Carnaval terá festas privadas com DJs e shows

Publicado

Eventos escondem local para evitar fiscalizações. Baladas funcionam como bar para afastar suspeitas de aglomeração

Com DJ, shows e pista de dança, festas privadas de Carnaval são marcadas em várias cidades do País, em meio à segunda onda da covid-19. Os eventos escondem o local para evitar fiscalizações e há baladas que dizem funcionar como bar para afastar a suspeita de aglomeração. As informações sobre os eventos são divulgadas nas redes sociais, em aplicativos de mensagens ou por links secretos em plataformas de vendas.

A realização de eventos desse tipo é proibida em várias localidades e desaconselhada por autoridades de saúde, que temem aumento de infecções pela covid-19, como ocorreu em janeiro depois de festas de réveillon e Natal em todo o País.

Um evento previsto para hoje no Rio é anunciado por uma dessas plataformas de venda de ingressos na internet, mas o local não é informado. “Em breve vamos informar o local para retirada das nossas blusas personalizadas”, diz a descrição da festa, que promete seguir diretrizes para conter o coronavírus. Em Belo Horizonte, uma festa de pagode e axé, chamada Premiere Folia, com quatro cantores e um DJ, foi marcada para este sábado. O ingresso pode ser comprado em uma plataforma de venda de tíquetes, mas o local não é revelado para evitar fiscalizações. A cidade vetou bares e restaurantes no fim de semana e a realização de festas.

Em Vila Velha (ES), um evento privado anuncia três dias de festa com música eletrônica. O primeiro começou ontem à noite com previsão de acabar só as 6 horas da manhã de hoje. As informações sobre o evento são repassadas pelo WhatsApp e a venda é feita por sistemas de pagamento como Pix ou Picpay.

“A gente tem limite de pessoas para o espaço, mas em relação à covid é complicado. O Espírito Santo está cheio de gente”, afirmou à reportagem o organizador do evento pelo WhatsApp, quando consultado sobre medidas de proteção contra a covid-19. “Vamos estar com álcool em gel em vários ambientes. Mas não temos como controlar as pessoas todas.” A cidade proibiu festas de carnaval.

“Todos os ambientes contêm álcool em gel e todos com o distanciamento”, garante a responsável pela reserva de mesas em uma casa de festas em Búzios, no Rio. Segundo os organizadores, o espaço, conhecido por promover baladas, vai funcionar em “formato de bar”, com “drinques, food, música e convidados, das 20 às 3 horas da madrugada”. Quem reserva a mesa mais cara – R$ 600 por pessoa – pode dançar na pista, que terá música eletrônica com Djs.

Avisos do evento nas redes sociais pedem para curtir a música na mesa e respeitar o distanciamento. Mas festas no mesmo local em janeiro tiveram aglomerações, segundo registros nas redes sociais. A prefeitura de Búzios proibiu festas e eventos, como blocos e shows, no carnaval. Já os bares estão liberados com restrições.

Por todo o País, há opções de festas para o carnaval, apesar de a folia ter sido oficialmente cancelada pelas prefeituras para conter a disseminação do coronavírus. Há também eventos em hotéis. No Novotel do Leme, no Rio, haverá até “baile de máscaras” com DJ, de acordo com um flyer divulgado nas redes sociais. A festa foi confirmada pela recepção do hotel.

Procurada para comentar a realização do evento em meio à pandemia, a rede Accor, a que pertence o Novotel, não respondeu. A prefeitura do Rio disse que festas podem ser realizadas em hotéis desde que os estabelecimentos tenham alvará específico para boates. De qualquer maneira, devem cumprir normas sanitárias.

Operações

Ontem, a PM do Rio usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar um bloco clandestino de carnaval em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Em Magé, outra festa de rua foi interrompida com a chegada de PMs. Para tentar se antecipar às folias não autorizadas, o Rio monitora a divulgação de festas clandestinas nas redes sociais. Um bar na Barra da Tijuca, que faria a festa Salomé Folia, recebeu interdição cautelar e multa. Só ontem foram registradas 8 infrações sanitárias e administrativas, segundo a prefeitura. Das 24 barracas de praia fiscalizadas em Copacabana, 12 foram multadas por irregularidades.

Na capital paulista, que cancelou oficialmente o carnaval, a Polícia Militar deve reforçar as ações de fiscalização de estabelecimentos que descumprirem as normas. Um esquema especial com 31 mil PMs, foi montado entre os dias 12 e 17, para ações no Estado.

Leia mais:  7 em cada dez sofrem dificuldade econômica na quarentena
publicidade

Brasil

Ladrão se arrepende de furto, compra televisão parcelada em 10 vezes e vai até delegacia devolver

Publicado

O jovem de 22 anos, já indiciado pela prática de três furtos em residências, se arrependeu dos crimes e comprou uma televisão nova para a vítima

Os policiais do 6ª Distrito de Polícia, em Campo Grande, se depararam com uma cena inédita, nessa sexta-feira (5). Um jovem de 22 anos, já indiciado pela prática de três furtos em residências, se arrependeu dos crimes e comprou uma televisão nova para a vítima.

Como o aparelho anterior estava danificado, o suspeito parcelou em dez vezes uma nova televisão de 43″ e devolveu na delegacia. Em seguida, a vítima foi até o local para buscar o objeto, avaliado em R$ 2 mil.

Na semana anterior, os policiais recuperaram um notebook, dois televisores e um microondas. Foi nesta ocasião que souberam de um terceiro aparelho, sendo que este estava danificado. 

Leia mais:  Suzano conquista primeiro lugar em duas categorias no Ranking Estadão Empresas Mais 2020
Continue lendo

Brasil

Governo de SP descarta mudança e diz que protesto é boicote à saúde

Publicado

Rodízio de veículos é suspenso. Manifestantes bloqueiam Cebolão, na zona oeste, e avenida Senador Teotônio Vilela, na zona sul

O governo de São Paulo afirmou, nesta sexta-feira (5), que os protestos contrários às medidas restritivas adotadas para conter a alta de casos, internações e mortes por covid-19 são um “boicote ao esforço dos profissionais de saúde que lutam para salvar vidas em meio a uma pandemia”. O governo descartou reverter a determinação, que permite somente o funcionamento de serviços essenciais em todo o estado até o dia 19 de março. 

Por meio de nota, o governo defendeu a legitimidade das manifestações, mas disse que “ir contra as medidas de restrição é fechar os olhos para as mortes decorrentes da covid-19.” Além disso, descartou voltar atrás na decisão de classificar todo o estado na fase vermelha do plano de flexibilização econômica. 

“O governo entende as livres manifestações, mas ressalta que ir contra as medidas de isolamento social adotadas pelo Plano SP é ignorar a morte de 60 mil pessoas no Estado, que contabiliza mais de sete mil pacientes nesse momento deitados em leitos de UTI no Estado.”

A administração estadual disse ainda que colocar os munícipios na fase vermelha do Plano SP foi adotada por recomendação do Centro de Contingência da Covid-19, diante do atual cenário de aumento de recordes diários no número de casos, internações e mortes causadas pelo coronavírus.

“É uma forma de tentar camuflar a realidade macroeconômica que o país enfrenta com cinco aumentos no preço da gasolina neste ano, quatro elevações consecutivas no preço do diesel, inflação de alimentos, a volta da recessão, aumento da dívida pública e a disparada de preços de itens básicos como arroz e leite”, declarou a administração estadual. 

O governo paulista afirmou ainda que reconhece a gravidade da crise econômica global e seus impactos, e mantém canal aberto com todos os setores e representantes de associações. “Para auxiliar os empreendedores a atravessarem essa crise, o Estado desembolsou quase R$ 2 bilhões de crédito pela Desenvolve SP, Banco do Povo e Sebrae e liberou neste ano mais R$ 125 milhões de crédito.”

A Companhia de Engenharia de Tráfego informa que agentes da CET estão na região do protesto na Marginal Tietê, sentido Ayrton, proximidades da Ponte dos Remédios, orientando os motoristas e indicando rotas alternativas. “A CET e a Concessionária Via Oeste trabalham em conjunto para amenizar os impactos no trânsito. Os motoristas estão sendo orientados a utilizar o rodoanel e há desvio para a Marginal Pinheiros, no final da rodovia”, disse em nota.

Motoristas fazem protestos na manhã desta sexta-feira (5) contra as medidas restritivas impostas pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para tentar frear o avanço da covid-19 no estado por 15 dias

 

Leia mais:  Peixe elétrico invade casa de moradora

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana