conecte-se conosco


Política e Governo

Apex-Brasil lança nova etapa do programa de capacitação para exportação no Espírito Santo

A meta é qualificar 200 pequenas e médias empresas no período de dois anos. Para oficializar o início e a expansão do trabalho de capacitação no estado, o presidente da Apex-Brasil, Sergio Segóvia, estará com o Governador Renato Casagrande, no Palácio Anchieta, no próximo dia 6 de fevereiro.

Publicado

As empresas capixabas com potencial exportador já podem acessar o Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), que inicia uma nova etapa no Espírito Santo. A iniciativa é da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e será executada no Estado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapes), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento (Sedes). Para oficializar o início e a expansão do trabalho de capacitação no estado, o presidente da Apex-Brasil, Sergio Segóvia, estará com o Governador Renato Casagrande, no Palácio Anchieta, no próximo dia 6 de fevereiro.

O Núcleo Operacional do PEIEX já está operando em Vitória, mas as empresas capixabas podem contar, também, com o apoio de outros dois polos de atendimento: em Linhares, com foco no atendimento a empresas localizadas na região norte do estado, e outro em do Cachoeiro do Itapemirim, voltado às empresas da região sul. O PEIEX é um serviço totalmente gratuito e oferece atendimento customizado in loco, participação em oficinas de qualificação e rodadas de negócios.

“Entre 2015 e 2018 foi realizado o primeiro ciclo do PEIEX na região. Foram capacitadas 146 empresas. Nesta nova etapa, com a distribuição dos novos polos de atendimento, a Apex-Brasil ampliará sua abrangência de atuação para novos municípios, contribuindo com o fortalecimento da capacidade econômica do estado”, afirma o presidente da Apex-Brasil, Sérgio Segovia.

O subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais da Sedes e coordenador do PEIEX-ES, Gabriel Feitosa, destacou a importância da permanência do Programa de Exportação para o Governo do Estado. “Com o intuito de promover o mercado internacional no Espírito Santo, o PEIEX tem o objetivo estratégico de diversificar a economia capixaba. Além disso, nós acreditamos que por meio da habilitação de novos empresários no processo de exportação, podemos melhorar a cultura exportadora capixaba e, consequentemente, aumentar a complexidade econômica”, diz.

Já o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, destacou que o PEIEX-ES é uma importante ferramenta para o crescimento internacional das empresas capixabas. “Atualmente, 98% do setor empresarial do Estado é formado por micro e pequenas empresas que, com a ajuda do PEIEX-ES, terão uma porta aberta junto ao mercado internacional. É um nicho importantíssimo a ser explorado e tenho certeza que esta é mais uma ferramenta para alavancar oportunidades ao setor produtivo, gerando o crescimento das empresas, e maior número de empregos”, afirmou.

Leia mais:  Comitiva do Governo do Estado conhece práticas sustentáveis de mineradora em Anchieta

A expectativa da Agência é que o PEIEX no Espírito Santo qualifique, em um período de 24 meses, 200 empresas para atuarem de forma competitiva no mercado externo. O programa visa a atender empresas brasileiras não exportadoras ou iniciantes que atuam nos diversos setores da economia. A equipe de extensionistas da FAPES já iniciou atendimento a empresas de rochas, celulose, máquinas e equipamentos, alimentos e bebidas, cosméticos, madeira e móveis, têxtil e moda. Outros setores poderão aderir ao Programa de Qualificação.

QUALIFICAÇÃO

A capacitação oferecida pelo PEIEX tem a duração média de 40 horas. Neste período, as empresas receberão atendimento local de um técnico e orientação sobre requisitos gerenciais para a exportação. O programa envolve também a participação da empresa em Oficinas de Competitividade (cursos presenciais de curta duração sobre temas relevantes para a exportação) e na 1ª Ação de Exportação (rodadas de negócios orientativas, promovidas com comerciais exportadoras). Uma vez qualificada, a empresa poderá aderir ao portfólio de promoção comercial coordenador pela Apex-Brasil.

Para oferecer um atendimento totalmente focado na necessidade do participante, a Apex-Brasil realizará visitas para identificar o potencial exportador da empresa e avaliar do nível de preparo do negócio para o comércio exterior. Com base nas informações levantadas, será feito um diagnóstico da maturidade exportadora da empresa e, após análise, será construído um plano de trabalho voltado à qualificação para exportar.

A Apex-Brasil realiza o PEIEX em 23 estados e no Distrito Federal, com Núcleos Operacionais instalados em parceria com Instituições de Ensino, Federações de Indústria e Fundações de Amparo à Pesquisa cobrindo aproximadamente 1.200 municípios. Em 2019, foram atendidas mais de 3.000 empresas em todo o Brasil. Desse total, 74% estão na categoria de micro e pequenas empresas, e trabalham com produtos e/ou serviços de 61 diferentes setores. O segmento com maior número de empresas é o de alimentos e bebidas, seguido de têxtil e confecção, máquinas e equipamentos, móveis e cosméticos.

Leia mais:  Meio político de São Mateus especula sobre vices de pré-candidatos a prefeito

PERFIL EXPORTADOR

Em 2019, as exportações do Espírito Santo totalizaram US$ 8,8 bilhões, o que representou queda de 0,7% em relação aos dados de 2018. Com uma participação de 3,9% nas exportações totais do Brasil em 2019, o ES é o 9º no ranking das Unidades da Federação com maior valor exportado. O principal produto exportado pelo ES foi “minério de ferro”, com 23% das exportações em 2019 (US$ 2 bilhões), o que representa 9% do valor de todo minério de ferro exportado pelo Brasil em 2019.

O segundo produto mais exportado foram “plataformas de petróleo”, com 17% das exportações, seguido por “produtos semimanufaturados de ferro ou aços” (12%), “óleos brutos de petróleo” (12%), “celulose” (6,8%), “café cru em grão” (6,1%), “produtos laminados planos de ferro ou aços” (6%) “obras de mármore e granito” (5,5%) e “demais produtos manufaturados” (3%).

O principal mercado para as exportações capixabas é os Estados Unidos (EUA), com 28% em 2019, queda de 10% em relação a 2018. Em seguida, os principais destinos foram Países Baixos (Holanda) com 22%, China (5,7%) e Índia (4%). Em relação aos destinos, o perfil das exportações do ES é marcado pela significativa diversificação, tanto em países, quanto de regiões, sendo relevantes as participações de todos os continentes.

SOBRE A APEX-BRASIL

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência apoia atualmente cerca de 15.000 empresas em 80 setores da economia brasileira.

SERVIÇO

Lançamento do Núcleo PEIEX-ES

DATA: 06 de fevereiro (quinta-feira)

HORA: 14 horas

LOCAL: Palácio Anchieta (Praça João Clímaco, 142, Cidade Alta, Centro, Vitória)

publicidade

Política e Governo

Idaf regulamenta concessão do Selo Arte para produtos de origem animal

Publicado

Durante a Exposul Leite, evento que acontece em Cachoeiro de Itapemirim, o diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) assinou a Instrução Normativa nº 17, que regulamenta a concessão do Selo Arte para produtos de origem animal, que são produzidos artesanalmente por agroindústrias do Estado.

Atualmente, o Selo Arte é concedido apenas para o Socol. Com a publicação da Instrução Normativa nº 17, a concessão valerá para todas as cinco categorias de produtos de origem animal: produtos cárneos, produtos lácteos, pescados, ovos e produtos de abelhas e derivados.

Segundo o diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo, Mário Louzada, a regulamentação se deu por meio do diálogo com a sociedade civil, produtores rurais, associações e cooperativas. “O Idaf se empenhou para atender a esta demanda urgente do setor. A regulamentação abre o mercado nacional para agroindústrias que produzem alimentos artesanalmente no nosso Estado, atendendo às exigências higiênico-sanitárias, estabelecidas legalmente”, salientou.

Louzada destacou ainda que as agroindústrias capixabas, que, muitas vezes, são oriundas de trabalho familiar, têm uma produção de alta qualidade. “Estamos dando a oportunidade para estas agroindústrias crescerem ainda mais, aumentando emprego e renda e a valorização dos produtos em todo o País”, acrescentou.

No evento, o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, ressaltou a importância da iniciativa para os agricultores capixabas. “O Selo Arte agrega valor ao produto, amplia o mercado de vendas da agroindústria, que é fator fundamental para a divulgação da produção artesanal no nosso Estado”, enfatizou.

Para requerer o Selo Arte, os agricultores capixabas precisam obrigatoriamente estar registrados em um serviço de inspeção oficial. Também é necessário que os produtos sejam de fato artesanais, pois serão avaliados por auditoria específica para comprovar se os requisitos da produção estão sendo cumpridos.

Estiveram presentes no evento cooperativas, produtores rurais, associações, além do secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto; o presidente da Federação da Agricultura do Espírito Santo (Faes), Júlio Rocha; prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho; o deputado estadual Emílio Mameri; secretário municipal da Agricultura, Paulo Miranda; presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Cachoeiro de Itapemirim, Wesley Mendes; presidente regional do Sicoob, Rubens Moreira, e o presidente da empresa Selita, Leonardo Monteiro.

Leia mais:  Governo do Espírito Santo anuncia compra de 500 mil doses da vacina contra Covid-19 do Instituto Butantan
Continue lendo

Política e Governo

Sectides participa de evento on-line da Câmara Americana de Comércio sobre investimentos no Estado

Publicado

Quatro das principais agências de fomento e investimento dos Estados Unidos apresentaram as oportunidades de financiamento para empresas e projetos capixabas, durante evento on-line realizado nesta quinta-feira (21), que contou com a participação de representantes da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento (Sectides). O encontro foi organizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham) e pelo Governo do Estado, por meio da Sectides.

Participaram do encontro o vice-presidente Executivo da Amcham Brasil, Abrão Neto; o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann; o subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Gabriel Feitosa; a cônsul para assuntos econômicos do Consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro, Gabrielly Moseley; e o cônsul comercial do consulado geral dos Estados Unidos, Elmer Richardson; além de representantes de empresas no Estado, como Fortleve, Imetame e Arcelor Mittal Tubarão

Na ocasião, representantes das principais agências do governo dos Estados Unidos apresentaram as linhas de atuação e metodologia de trabalho com as empresas americanas que buscam investimentos no Brasil. São eles: U.S. Department of Commerce I U.S. Commercial Service (FCS), Elmer Richardson (E.J,), Foreign Commercial Service Officer (Cônsul Comercial); U.S. Trade and Development Agency (USTDA), Rodrigo Mota, Sr. Country Representative; U.S. International Development Finance Corporation (DFC), Sara R. Mareno, CFA, Director, Structured Finance and Insurance; Export-Import (EXIM) Bank, Miguel Peñaloza, Loan Officer, Structured & Project Finance

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, ressaltou que é uma grande conquista para o Estado o retorno do escritório da Amcham. “Vamos dar toda atenção a esta agenda para que possamos avançar e para que o escritório não saia mais daqui. Somos um dos estados mais organizados do País, com segurança jurídica, estabilidade entre as instituições, competitivo, Nota A no Tesouro Nacional, transparente nas ações, e temos algumas vocações que despontam no cenário brasileiro”, disse.

Ele destacou que, mesmo diante da necessidade de avançar em relação à educação no Brasil como um todo, o Estado recebeu a melhor nota no Ideb e, em comparação com outros estados, tem a melhor avaliação na educação. “Temos a segunda menor mortalidade infantil. Temos avançado muito na segurança pública. Estamos dando passos importantes com o Programa Estado Presente. E temos ações de qualificação, saúde e educação nas regiões de vulnerabilidade para obter bons resultados e reduzir os índices de homicídios”, acrescentou o secretário.

Hoffmann pontuou ainda que, por ter organização fiscal, o Estado tem um Fundo Soberano e lançou um plano de investimentos públicos (PIP), da ordem de R$ 12 bilhões para os próximos anos. “Para a economia capixaba, este valor é muito representativo e é o maior plano de investimento do Estado. O Espírito Santo está preparado para receber investimentos em diversas áreas e tem grande potencial de crescimento”, enfatizou.  

O subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Gabriel Feitosa, participou do evento e fez uma apresentação dos projetos estruturantes da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento. Feitosa pontuou iniciativas no segmento portuário, como o Porto Central, o Porto da Imetame, citou o Fundo Soberano, a desestatização da ES Gás, os projetos na área de infraestrutura, como a malha ferroviária e os investimentos previstos, bem como a importância dos principais aeroportos regionais do Estado, que estão preparados para receber investimentos.

Responsável pelas relações com os estados do Espírito Santo e da Bahia, a cônsul Gabrielly Moseley frisou a importância do encontro realizado com o Governo do Estado. “Estou satisfeita com esta reunião e com a participação de palestrantes de quatro agências de negócios do governo norte-americano para falar sobre os esforços comerciais dos Estados Unidos no Brasil e potenciais oportunidades de explorar parcerias, tendo em conta as prioridades do Estado em seus investimentos e visando ao desenvolvimento apresentados pelo secretário Tyago Hoffmann e pelo subsecretário Gabriel Feitosa. Estou impressionada com o espírito empreendedor capixaba. Agradeço a oportunidade”, salientou Moseley

Eventos com a Amcham

Em junho deste ano, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, participou de um encontro on-line, com o tema “As Perspectivas das Relações EUA-Brasil e o Estado do Espírito Santo”, que contou com a presença do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman; dos diretores das principais empresas capixabas e brasileiras, além de executivos e representantes do setor privado. A reunião estratégica marcou a retomada das atividades no Estado da maior Câmara Americana de Comércio (Amcham), entre as 117 existentes fora dos Estados Unidos.

Até abril deste ano, as exportações capixabas para os EUA aumentaram 54,5%, atingindo um total de quase US$ 1 bilhão, aponta o Monitor de Comércio da Amcham Brasil. Durante o evento, os participantes analisaram as oportunidades comerciais do Estado em 2021. Os Estados Unidos é um dos principais parceiros comerciais do Espírito Santo e a reativação da Amcham no território capixaba coloca o Estado no centro de debate da relação bilateral entre Brasil e Estados Unidos.

Memorando de Entendimento

Em 22 de abril de 2021, foi assinado o Memorando de Entendimento entre o Estado do Espírito Santo e o Consulado dos EUA no Brasil, visando à cooperação técnica e à discussão de temas importantes, além da elaboração de projetos e à articulação de ações que sejam de interesse mútuo. Ao firmar a cooperação com os Estados Unidos, o Espírito Santo dá um importante passo para criar oportunidades de discussão de pautas nas áreas de educação, saúde, segurança pública, meio ambiente, mudanças climáticas, desenvolvimento econômico, desenvolvimento sustentável, apoio ao fortalecimento econômico feminino, combate à desigualdade e discriminação, inovação tecnológica, intercâmbio cultural, entre outras.

Amcham

Criada como uma clássica câmara de comércio, em 1919, a Amcham Brasil se tornou uma entidade de escopo mais amplo. A Amcham tem sua atuação baseada em dois pilares centrais: defesa da livre iniciativa privada no Brasil e das relações entre o País e os Estados Unidos. São cerca de cinco mil empresas associadas, em 14 cidades, sendo 85% delas brasileiras.

Em 2021, a Amcham anunciou que a atuação da entidade no Espírito Santo terá três objetivos principais: facilitar o intercâmbio comercial; o relacionamento executivo entre corporações de todos os portes e a troca de ações e soluções empresariais para a retomada da economia em todos os setores e regiões do País.

Leia mais:  Comitiva do Governo do Estado conhece práticas sustentáveis de mineradora em Anchieta
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana