conecte-se conosco


Mundo Cristão

Apresentadora da Fox News relata milagre sobre doença ‘incurável’: “Senti Deus falar”

Publicado

Após vencer um tumor no cérebro, Shannon Bream teve uma enfermidade nos olhos diagnosticada como ‘incurável’, mas manteve a fé em Deus.

Ela é destaque na Fox News e em seu primeiro livro, “Finding the Bright Side”, a apresentadora Shannon Bream se abre sobre sua vida, fé e alguns dos altos e baixos que ela experimentou ao longo do caminho.

Assim como muitos de seus convidados na Fox News, Shannon está sempre no meio da ação com o que muitos chamariam de um emprego dos sonhos.

“Adoro o que faço”, disse ela à CBN News. “Parece uma enorme bênção e um presente”.

Shannon conversou com Jenna Browder, da rede cristã de notícias ‘CBN News’ no Museu da Bíblia dos EUA para falar sobre seu livro e como ela chegou aonde está hoje.

Ela cresceu na Flórida (EUA), frequentando a igreja e a escola cristã, eventualmente escolhendo a Universidade Liberty para seu curso superior. Foi onde ela conheceu seu marido, Sheldon Bream.

“Tínhamos amigos que tentavam nos juntar”, explicou Shannon. “Estávamos sempre namorando outras pessoas e tínhamos uma amiga em comum, que finalmente veio a mim um dia e disse: ‘Você está aqui neste jogo de futebol. Ele está aqui neste jogo de futebol. Vocês vão se encontrar agora'”.

Enquanto estava na Liberty, Shannon assumiu a coroa como Miss Virginia. Ela estudou direito na Universidade do Estado da Flórida e em mais concursos, ganhando o título de Miss Flórida.

Foi nessa época que Sheldon a pediu em casamento, mas não muito tempo depois do noivado, Shannon escreve sobre o que ela chama de “A Nuvem Mais Escura”, quando os médicos diagnosticaram Sheldon com um tumor no cérebro.

“Eu tinha 24 anos e estávamos noivos e planejando nossa vida juntos. Mas receber essas palavras, essas notícias, era totalmente fora do campo visão, tão inesperado”, disse Shannon.

A igreja foi um grande apoio, desde o diagnóstico e a cirurgia até a difícil recuperação de Sheldon.

“Recebíamos cartas, notas ou telefonemas de pessoas, de igrejas das quais nunca ouvimos falar, nunca visitamos, não conhecíamos ninguém, mas eles diziam: ‘Ouvimos falar da sua história e só queríamos que você soubesse que estamos orando por você ‘”, lembrou Shannon, em lágrimas. “Como cristã, era tão impressionante saber que havia pessoas que simplesmente eram o corpo de Cristo conosco, mas que nunca encontraríamos”.

Recém-casada e fora da faculdade, Shannon aprendeu rapidamente que o Direito não era para ela e começou a trabalhar em uma estação local de notícias.

“Acabei decidindo, em alguns meses, que amava tanto aquilo – os scanners da polícia e as últimas notícias e apenas a imprevisibilidade da televisão ao vivo – que decidi dar este salto”, contou.

O caminho para a Fox News

Ela acabou sendo contratada na filial da CBS em Charlotte, Carolina do Norte. Depois de uma curta passagem por lá, a NBC em Washington, DC a pegou. Foi em uma conferência de palestras onde ela conheceu Britt Hume, da Fox News, que lhe foi oferecido um emprego quando soube sobre sua formação jurídica.

Não demorou muito para Shannon começar a se mudar para a Fox, preenchendo a mesa de âncora e, eventualmente, recebendo seu próprio programa.

Outro desafio médico

Outro grande desafio com o qual ela teve que lidar foi a perda parcial da visão.

“Por volta dos 40 anos, comecei a sentir uma dor extraordinária nos olhos e isso só acontecia da noite para o dia e eu não conseguia descobrir qual era a fonte disso, mas eu literalmente saltava da cama com uma dor enorme, dobrada”, Shannon explicou.

A dor excruciante durou quase dois anos, até que um médico pudesse diagnosticá-la, embora ele lhe dissesse que não haveria cura.

“Eu apenas fiquei lá chorando no meu carro e dizendo ao Senhor: ‘É isso. É o fim para mim. Não há mais nada que eu possa fazer'”, disse Shannon. 

“Eu explico no livro como não sou alguém que parece ter ouvido audivelmente a voz de Deus, mas eu O senti falar em meu espírito e o ouvi dizer-me naquele momento: ‘Estarei com você’. Eu vou curá-la. Vou tirar isso de você. Você nunca terá essa dor novamente.” Apenas ‘eu estarei com você’. E senti que essa promessa me sustentava e sabia que era verdade. Sabia que a presença Dele estaria comigo, apesar do fato de não haver cura”.

Com o mesmo médico, Shannon foi capaz de controlar a dor e, eventualmente, passou por uma cirurgia. Hoje ela diz que seus olhos não são perfeitos, mas estão “95% melhores”.

 

Leia mais:  Mais de 215 mil crianças foram abusadas por padres e bispos católicos na França

publicidade

Mundo Cristão

“Deus está julgando o cristianismo de celebridades”, alerta pastor

Publicado

“Somos amigos do Noivo? Ou somos amigos da elite? Dos ricos? Dos poderosos?”, alertou o pastor Allen Hood

“Deus está julgando o cristianismo de celebridades”. Esse foi o alerta do pastor americano Allen Hood, que atuou na liderança da Casa Internacional de Oração em Kansas City (IHOPKC). 

Em um sermão publicado pelo ministério The Altar Global, Hood lembra que aos pastores e líderes que “se sua ambição é ser conhecido, você é a pessoa errada para o trabalho”.

“Temos que nos perguntar: somos amigos do Noivo? Ou somos amigos da elite? Dos ricos? Dos poderosos?”, o pastor questiona. “Gostamos das roupas, gostamos do reconhecimento, gostamos da lista de contatos, gostamos do conjunto todo.” 

Por isso, Hood lembra que Deus está em busca de profetas como João Batista para esse tempo: 

“Deus está procurando o cara que come gafanhotos e mel e usa roupas de pêlo de camelo. O último lugar que ele quer estar é na casa do rei, porque se ele for lá, ele terá que confrontá-lo sobre seu pecado: ‘Não, eu não preciso de uma foto. Você está dormindo com a esposa do seu irmão. Eu sei que vou perder a cabeça. Eu sei que você não vai me convidar de volta. Mas você me convidou e é isso o que você está recebendo’”.

O pastor ainda lamenta o fato de que “reis não tremem mais diante dos crentes”.

“Jesus disse: ‘O que você saiu para ver? Um caniço agitado pelo vento? Um homem que corteja reis e nobres e gosta do que eles podem dar a ele?”, continua o pastor.

“Agora mesmo, o Espírito Santo está tirando essa coisa grotesca de celebridade fora do Corpo. E amado, eu digo que quanto mais rápido melhor!”

Por fim, o pastor Allen deixa um alerta aos mais jovens: “Não façam o que fizemos! Não vá por esse caminho. Nos conduzam a uma era de avivamento”.

Leia mais:  “Falar de cristofobia incomoda, mas vamos chamar atenção para isso”, diz Ernesto Araújo
Continue lendo

Mundo Cristão

‘Minha força é Cristo’, diz pastor que se tornou técnico na NFL e vem fazendo sucesso

Publicado

O técnico Frank Reich tem uma trajetória inusitada: foi jogador da NFL nos anos 1990 e depois se tornou pastor e presidente de seminário. Porém sua jornada no maior esporte dos Estados Unidos não havia acabado, e em 2018 voltou como técnico para reconstruir o Indianápolis Colts.

Em 1997, Frank Reich era o quarterback reserva do Carolina Panthers, mas o sonho de ser técnico já rondava seu coração. Ele se aposentou em 1998 e sua vida seguiu outros caminhos.

“Quando estava jogando, sempre pensei que seria um treinador. Quando entrei no ministério de tempo integral, foi por todos os motivos certos – um amor verdadeiro, sincero e de coração por Deus. Eu estava tentando fazer a coisa certa”.

Essa declaração, dada à Coalizão pelo Evangelho nos EUA, resume as reviravoltas na vida do técnico que vem fazendo sucesso com um time improvável: o Indianapolis Colts, que não ia à fase “mata-mata” (playoffs) da NFL desde 2014, conseguiu avançar no primeiro ano de Reich como técnico, em 2018.

Em 2021, após começar com três derrotas, o time vem virando o jogo e tem a projeção de 72% de probabilidade de chegar aos playoffs da NFL, de acordo com informações do Indy Star.

Reich, que há três anos deixava a presidência do campus de Charlotte (Carolina do Norte) do Seminário Teológico Reformado (RTS), falou sobre como tem usado sua fé cristã para estimular os atletas de sua equipe.

“Algumas pessoas sabem que nossa equipe tem usado a metáfora de escalar o Monte Everest para fazer um paralelo em nossa busca para chegar ao topo. E não demorou muito para descobrir que essa metáfora não se aplica apenas ao futebol. Em vez disso, pode ser uma imagem dos muitos desafios que todos nós enfrentamos, certo? Todos nós enfrentamos montanhas que estamos tentando escalar”, afirmou o técnico Frank Reich após a vitória no último domingo, 21 de novembro, sobre o badalado Buffalo Bills.

“A razão pela qual estou fazendo isso aqui e agora é porque quase 30 anos atrás, depois de um grande jogo no final do corredor, em uma coletiva de imprensa, compartilhei a letra de uma música que significava muito para mim”, disse Reich.

Em 1993, Reich recitou a letra da música In Christ Alone quando era jogador do Bills após a vitória nos playoffs sobre o Houston Oilers, virando 32 pontos de desvantagem na ocasião, um recorde que continua sendo a maior vitória inesperada na história da NFL.

“Realmente fala de onde eu tiro minhas forças. A música é In Christ Alone […] Pode encorajar alguém que está escalando sua própria montanha agora”, afirmou na entrevista coletiva do último domingo.

O técnico continuou, recitando o refrão: “Somente em Cristo coloco minha confiança e encontro minha glória no poder da cruz. Em cada vitória, diga-se de mim que minha fonte de força e minha fonte de esperança é somente Cristo”.

Por fim, acrescentou: “Embora tenha sido há quase 30 anos quando li essas palavras aqui neste estádio, esta semana me lembrei de Hebreus 13:8 que diz: ‘Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre’”.

Leia mais:  Vocalista do Kasino aceita Jesus, após post de Justin Bieber: “Me tocou muito forte”
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana