conecte-se conosco


Camisa 10

Athletico vence por 2 a 0 e afunda o Botafogo na zona de rebaixamento

Publicado

Alvinegro até cria chances, mas Salomon Kalou tem noite para esquecer; Furacão aproveita chances e ‘sonha’ com a Libertadores

Felicidade de um lado e aflição do outro. O ano de 2021 começa de uma forma muito diferente para torcedores de Botafogo e Athletico Paranaense. Nesta quarta-feira, o Furacão bateu o Alvinegro por 2 a 0 no Estádio Nilton Santos, em partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Renato Kayzer e Léo Cittadini balançaram as redes.

Assim, o drama contra a Série B continua para o Botafogo. Na 19ª colocação, a equipe comandada por Eduardo Barroca continua com 23 pontos e não diminui a diferença para tentar sair da zona de rebaixamento – atualmente em cinco pontos, mas que ainda pode ser aumentada de acordo com o decorrer da rodada.

O Furacão chegou a 37 pontos e subiu para a 10ª posição na classificação – ainda podendo descer com os seguintes jogos da 28ª rodada. Desta forma, o Athletico Paranaense começa a olhar para a parte superior da tabela: são sete pontos de diferença para o Palmeiras, primeiro clube no G6.

As equipes não terão muito tempo para descansar. O Botafogo volta aos gramados já no próximo domingo para enfrentar o Vasco, às 20h30, em São Januário, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Um dia antes, às 19h, o Athletico Paranaense também terá um clássico: pela frente medirá forças com o Coritiba no Couto Pereira.

TOMA LÁ DA CÁ
​A partida começou equilibrada, com cada equipe tentando exercer o próprio estilo de jogo. O Botafogo tinha maior posse de bola e tentava pressionar o Athletico Paranaense, que respondia com jogadas de contra-ataque e saídas em velocidade pelos lados do campo.

O Furacão assustou logo aos 12 minutos de jogo, quando Renato Kayzer acertou a trave após cabeçada em uma cobrança de escanteio. Não demorou muito para o Botafogo responder, quando Kalou recebeu com liberdade na área, limpou a defesa, mas finalizou por cima do gol de Santos. Os dois times, portanto, tiveram chances reais de marcar ainda no primeiro terço da etapa.

NA SEGUNDA VEZ…
O Botafogo tinha a bola por mais tempo, mas o Athletico soube o que fazer melhor com a posse. Em um lance de transição rápida, o Furacão aproveitou a defesa atrapalhada do Alvinegro e Carlos Eduardo cruzou para Renato Kayzer, que, no meio dos dois zagueiros, teve apenas o trabalho de empurrar para o fundo das redes, abrindo o placar.

AH, KALOU!
O gol do Furacão não acuou o Botafogo. Pelo contrário, a equipe comandada por Eduardo Barroca continuou com a bola no pé e, diferente de antes, passou a criar chances reais de gol na reta final do primeiro tempo. Salomon Kalou mesmo desperdiçou duas.

Na primeira, logo após o gol do Athletico, Bruno Nazário cobrou falta na direção da área, mas Kalou, sozinho, errou a direção da bola. Na outra, o marfinense finalizou para fora de frente para o gol após um cruzamento vindo do lado esquerdo. Desta forma, o Furacão foi em vantagem para o intervalo.

RELÂMPAGO!
Se o Botafogo saiu de campo empolgado pelas chances criadas no fim do primeiro tempo, tomou um balde de água fria no começo da etapa complementar, já que o Athletico Paranaense aumentou a vantagem com apenas três minutos de bola rolando.

Renato Kayzer saiu da área, fez jogada pelo lado esquerdo e cruzou. Carlos Eduardo disputou com Kanu na pequena área e a bola sobrou no meio do setor para Léo Cittadini, que, sem marcação, deslocou Diego Cavalieri e saiu para o abraço.

POUCAS EMOÇÕES
Após o gol, Eduardo Barroca promoveu alterações ofensivas no Botafogo, mas o goleiro Santos continuou sendo pouco exigido durante a partida. O Alvinegro até tentou ensaiar uma pressão no fim, mas, em geral, teve uma ínfima criação nos últimos 45 minutos. Melhor para o Athletico Paranaense, que conquistou uma vitória importante para visar a parte superior da classificação.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO x ATHLETICO PARANAENSE

Data/Horário: 06/01/2021, às 19h15
​Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Helton Nunes (SC)
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
​Gramado: Bom
​Cartões amarelos: Marcelo Benevenuto, Matheus Babi e Caio Alexandre (BOT); Nikão e Renato Kayzer (CAP)
Cartões vermelhos: –

Gols: Renato Kayzer (0-1, 30’/1ºT), Léo Cittadini (0-2, 2’/2ºT)

BOTAFOGO: Diego Cavalieri; Kevin (Barrandeguy 30’/2ºT), Marcelo Benevenuto, Kanu, Victor Luís; José Welison (Cesinha 30’/2ºT), Cícero (Matheus Babi 5’/2ºT), Caio Alexandre; Bruno Nazário (Lecaros 5’/2ºT), Pedro Raul, Kalou. Técnico: Eduardo Barroca.

ATHLETICO PARANAENSE: Santos; Jonathan (Fernando Canesín 35’/2ºT), Pedro Henrique, Thiago Heleno, Abner; Richard (Alvarado 29’/2ºT), Christian (Felipe Aguilar 21’/2ºT); Carlos Eduardo (Reinaldo 29’/2ºT), Léo Cittadini; Nikão (Khellven 35’/2ºT), Renato Kayzer. Técnico: Paulo Autuori.

Leia mais:  Fla ataca Globo sobre transmissão do futebol: ‘Estamos atrasados’
publicidade

Camisa 10

Ex-BBB Arthur Picoli é apresentado oficialmente como jogador de futebol 7 do Flamengo

Publicado

Anúncio do capixaba foi feito por meio das redes sociais. Ele estava como apresentador da FlaTV e foi convidado para integrar o time nesta quarta-feira

Após aceitar o convite para integrar o time de Futebol 7 do Flamengo, o ex-BBB Arthur Picoli foi apresentado oficialmente como novo reforço do Rubro-Negro na grama sintética.

Por meio das redes sociais, o capixaba de Conduru, distrito de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do estado, posou para as fotos com a camisa do clube. Na postagem ele novamente agradeceu a oportunidade, declarou ser um dia especial e estar realizando um sonho. Confira na íntegra.

O perfil oficial do Flamengo Fut7 também fez o anuncio da contratação do capixaba para a temporada. O time é o atual campeão da Liga Fut7 Nacional e defende uma invencibilidade de um ano no esporte mais praticado no país. 

Além disso, a equipe estreia este final de semana na Copa do Brasil e terá pela frente ainda o Campeonato Carioca, Liga Fut7 Nacional e a Liga das Américas, que equivale a Libertadores da modalidade e será disputada no Chile.

O gestor do futebol 7 rubro-negro, Christhian Rojas, afirmou que a ideia veio do diretor da modalidade, Bruno Almeida, e foram apresentados vários fatores positivos que contribuíram para a decisão.

“Quando nosso diretor trouxe a ideia vimos que era boa. O Arthur é bom jogador e chega, já sabendo da grandeza do projeto e, certamente, nos ajudará nas competições”, disse Rojas.

Leia mais:  Holyfield afirma acreditar em novo duelo contra Mike Tyson e desafia: "Vamos fazer isso, baby"
Continue lendo

Camisa 10

Medalha de ouro é acusado de fazer parte de grupo terrorista

Publicado

Javad Foroughi, campeão no Tiro Esportivo, foi apontado como membro de uma das forças do Estado Islâmico pelo grupo United for Navid, atuante em prol dos direitos humanos no Irã

Uma grande polêmica foi levantada após Javad Foroughi conquistar a medalha de ouro no Tiro Esportivo, na pistola de ar de 10m. De acordo com o grupo United for Navid, que cobra ações imediatas do Comitê Olímpico Internacional (COI), o iraniano é “membro atual e antigo” da Força Quds do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica, designado como organização terrorista.

Javad Foroughi, medalha de ouro no Tiro Esportivo em Tóquio — Foto: Ann Wang / REUTERS

O United for Navid foi criado após a execução do lutador iraniano Navid Afkari, e vem pedindo frequentemente punições ao Irã por conta de violações aos direitos humanos e à Carta Olímpica. Em sua acusação, o grupo pede à Comissão de Ética do COI que inicie uma investigação imediata, ou então será “cúmplice na promoção do terrorismo e de crimes contra a humanidade”.

No comunicado divulgado, o United for Navid ainda exige que, enquanto a investigação esteja em curso, todos os prêmios e medalhas conquistados por Javad Foroughi sejam suspensos. O Irã vem enfrentando pressão diante do COI por continuar se recusando a permitir que seus atletas enfrentem israelenses em competições.

– Conceder uma medalha de ouro olímpica a um membro de uma organização terrorista é uma afronta terrível aos atletas e aos ideais olímpicos e deixa uma marca negra no COI – disse o grupo.

Vale lembrar que, em abril, a Federação Internacional de Judô baniu o Irã por um período de quatro anos depois que o país instruiu Saeid Mollaei a evitar enfrentar um adversário de Israel no Campeonato Mundial de 2019. Até aqui, foi a única entidade a punir o Irã diante da postura polêmica adotada há um bom tempo. O COi ainda não se manifestou sobre o caso.

Leia mais:  Empresário revela que foi contra volta de Schumacher à F1 com 41 anos: "Michael falhou"
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana