conecte-se conosco


Política Nacional

Ator Mario Frias aceita convite para assumir secretaria da Cultura

Publicado

Defensor do governo nas redes sociais, ele substitui a atriz Regina Duarte, que deixou o cargo nesta quarta-feira para comandar a Cinemateca

O ator e apresentador Mario Frias aceitou o convite para ser o novo secretário Especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro no lugar de Regina Duarte, que deixou o cargo nesta quarta-feira (20) para comandar a Cinemateca, em São Paulo. Aos 48 anos, Frias é defensor das ideias do presidente Jair Bolsonaro e usa as redes sociais para propagar suas convicções.

A conversa do presidente com o ator e apresentador ocorreu nesta terça-feira (19) no Palácio do Planalto, durante um almoço. Nesta quarta, os dois conversaram novamente e Mario Frias  aceitou o convite. A nomeação sai nos próximos dias.
Frias terá o desafio de comandar a pasta que mais trocou de titular desde o início do governo, e será o quinto secretário de Cultura do governo Bolsonaro.

No início de maio, o ator participou de uma entrevista na CNN em que reafirmou seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro. “Pro Jair, cara, o que ele precisar eu tô aqui. Eu torço demais pra Regina, eu sou fã dela, mas pelo Brasil eu tô aqui, o que for preciso. Respeito o Jair demais, vejo o Brasil com chance de finalmente ser respeitado”, disse o ator. O vídeo foi compartilhado por Bolsonaro nesta terça-feira (19), com o título: Mario Frias e a cultura.

 

Leia mais:  Deputados defendem ampliação da tarifa zero de energia elétrica

Carreira

Em 1996, ele estreou na televisão no seriado Caça Talentos, protagonizado por Angélica. No ano seguinte, ele participou de três temporadas consecutivas da novela adolescente, Malhação, da TV Globo. Em 1999, Mario fez muito sucesso como o galã Rodrigo, personagem principal da trama.

Ainda na emissora, o ator integrou o elenco de novelas e minisséries como As Filhas da Mãe (2001), O Quinto dos Infernos (2002), O Beijo do Vampiro (2002). Em Senhora do Destino (2004), se destacou ao interpretar um deputado corrupto.

Em 2006, Mario migrou para a TV Bandeirantes, onde estrelou a novela infantojuvenil Floribella. Na Record TV, esteve em grandes produções da emissora Os Mutantes (2008), A Bela e a Feia (2009), A Terra Prometida (2016).

Em 2010, Mario trocou a dramaturgia pela apresentação e passou a comandar o game show O Último Passageiro, na RedeTV!. Atualmente, ele apresenta o programa A Melhor Viagem, na mesma emissora.

O último trabalho do ator nas telenovelas foi em uma participação especial em Verão 90, exibida no ano passado na TV Globo.

Mario é pai de dois filhos: Miguel, 15 anos, do relacionamento anterior dele com a também atriz Nívea Stelmann; e Laura, 8 anos, fruto do casamento dele com Juliana Camatti, com quem está junto desde 2008.

Leia mais:  CNJ faz propostas para melhorias da política de atenção a egressos
publicidade

Política Nacional

Vamos tentar isentar IR de quem recebe até R$ 3.000, diz Bolsonaro

Publicado

Presidente disse que gostaria de elevar a isenção a R$ 5.000, mas lamenta que a pandemia impediu a possibilidade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (14), durante sua live semanal, que vai tentar elevar a isenção do Imposto de Renda para salários de até R$ 3.000 em 2022. “Nós gostaríamos de passar para R$ 5 [mil]. Não ia ser de uma vez, mas daria para fazer isso até o final do mandato”, disse ele.

De acordo com Bolsonaro a intenção foi interrompida pela chegada da pandemia do novo coronavírus, que o governo se endividou em mais de R$ 700 bilhões com medida para conter o impacto econômico da doença.

“Todo mundo que ganha R$ 3.000 por mês e desconta um pouquinho no Imposto de Renda dá em torno de R$ 28 bilhões por ano. Mas, no ano seguinte, quase tudo é ressarcido. Então, é um jogo contado de um ano para o outro”, disse.

Novamente ao lado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Bolsonaro lembrou que elevar a isenção do Imposto de Renda é uma promessa de campanha. “Era compromisso, ia ser cumprido e aconteceu algo anormal”, disse.

Atualmente, estão isentos de acertar as contas com o Fisco todos aqueles trabalhadores que recebem até R$ 1.903,98 todos os meses. Questionado por um apoiador na semana passada sobre as mudanças na tabela do IR, Bolsonaro afirmou que Brasil está “quebrado” e que ele não consegue implementar mudanças que gostaria.

Leia mais:  Bolsonaro nega interferência na PF e diz que quis acesso à inteligência
Continue lendo

Política Nacional

Preso por tráfico, vereador é empossado de dentro da cadeia no Paraná

Publicado

A cerimônia de posse aconteceu dentro da cadeia, onde o vereador reeleito está desde que foi preso por tráfico de drogas

Um vereador preso por tráfico de crack, Diogo Canata (PL), foi empossado nesta quarta-feira (13), em Alvorada do Sul, no norte do Paraná. A cerimônia, transmitida por videoconferência, aconteceu de dentro da cadeia, em Bela Vista do Paraíso, também na região norte do estado.

Diogo Canata foi foi reeleito com 251 votos, o quarto mais votado da cidade, que tem 11 mil habitantes. A posse foi realizada por determinação da Justiça.

Canata, que está no terceiro mandato, foi preso em julho do ano passado em uma operação do Ministério Público do Paraná. Ele foi flagrado com armas e mais de 30 quilos de crack. O vereador é suspeito de comandar o tráfico de drogas na cidade.

A grave suspeita, no entanto, não o impediu de concorrer nas eleições do ano passado. Como ele ainda não foi condenado, não é considerado ficha suja e pôde se candidatar normalmente.

Apesar de oficialmente empossado, o vereador não vai assumir as funções. Como continua preso e não poderá participar das sessões, Diogo Catana pediu uma licença e poderá ficar afastado por até quatro meses, tempo em que ficará sem receber o salário de R$ 4,8 mil.

Se o parlamentar não for solto até o fim deste período de afastamento, a Câmara Municipal de Alvorada do Sul poderá convocar o suplente para assumir no lugar dele.

Leia mais:  Partidos de oposição entregam pedido de impeachment de Bolsonaro à Câmara dos Deputados
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana