conecte-se conosco


Política e Governo

Banestes e IJSN promovem seminário sobre perspectivas econômicas

Publicado

O Banestes e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) realizaram, nesta quinta-feira (13), a primeira edição do “Seminário de Conjuntura”, que aconteceu no auditório do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES), em Vitória. O evento teve como principal objetivo discutir as perspectivas econômicas e fiscais do Brasil, do Espírito Santo e de Minas Gerais, e contou com a presença de mais de 200 participantes, dentre autoridades locais, convidados, imprensa e representantes da comunidade capixaba.

O diretor-presidente do Banestes, José Amarildo Casagrande, enfatizou a importância da promoção do diálogo entre os representantes da sociedade sobre a volatilidade dos cenários econômicos. “É importante sempre falarmos de economia, tendo em vista a constante transformação dos cenários. Esse diálogo promove a troca de informações e de conhecimentos que auxiliam na tomada de decisões estratégicas em prol do desenvolvimento econômico. O ano de 2020 promete ser novamente de um cenário desafiador. Por isso, o Banestes continua com foco na modernização de seus produtos e serviços, com o objetivo de contribuir ainda mais com o crescimento do Espírito Santo”, disse.

O economista-chefe do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Fábio Giambiagi, conduziu a palestra de abertura do evento e, em relação à conjuntura econômica do Espírito Santo, ressaltou que “o atual cenário é de otimismo em relação aos níveis de consumo e de investimentos para o País. O Espírito Santo, que já havia tomado medidas de ajuste enquanto o Brasil mergulhou em crise, em meados de 2015 e 2016, está bem posicionado no cenário nacional e, com a manutenção de uma série de linhas de ação por parte do atual governador, é um exemplo a ser seguido pelo restante dos estados brasileiros nos debates sobre as questões estaduais”.

O evento também contou com a presença do governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, que reforçou a importância da cultura de gestão organizada, iniciada ainda em sua primeira administração. “Desde 2012 estamos como o Estado mais organizado do Brasil.  Além de gestão fiscal organizada, é importante que o resultado da gestão fiscal seja um resultado voltado para comunidade, para a sociedade e para quem precisa efetivamente da administração pública”, afirmou.

Leia mais:  Proposta de deputado garante direito de dois vínculos de trabalho para pedagogos na rede pública

Casagrande destacou que esse nível de organização permitiu o desenvolvimento de ações, como a criação do Fundo Soberano do Estado do Espírito Santo (Funses). “A nossa segurança fiscal nos deu condições para criarmos o Fundo soberano, que é um instrumento para atrairmos mais empreendedores; pagando nossos servidores e fornecedores em dia; para que possamos responder emergências, como o desastre causado pelas chuvas; além de fazer obras de infraestrutura, cuidar da saúde, educação e segurança.
O Estado está criando um ambiente bom para que o setor privado possa investir e para que as pessoas possam ter oportunidades”, enfatizou.

Potencialidades

“Neste ano o Instituto Jones comemora 45 anos de vida e tem a sua história vinculada ao desenvolvimento do Estado. Nós vivemos um ano muito bom no Espírito Santo, as nossas perspectivas são muito boas: somos o único Estado do Brasil que tem, de forma consistente, mantido a Nota A do Tesouro Nacional; estamos com dinheiro do petróleo aplicado no Fundo Soberano para investir em Infraestrutura; temos um Plano de Desenvolvimento Regional para aproveitar nossas potencialidades em cada uma das microrregiões do Estado. Temos um mapa, um plano de voo em direção a prosperidade e é isso que estamos demonstrando neste evento”, lembrou o diretor-presidente do IJSN, Luiz Paulo Vellozo Lucas.

A rodada de discussão sobre os cenários econômicos e fiscais do Espírito Santo e de Minas Gerais traçou as principais características das economias locais e desempenhos. “Minas Gerais e Espírito Santo possuem uma corrente de comércio relevante, porém ainda aquém do potencial dos dois estados. Além disso, há agendas comuns, como o desenvolvimento dos municípios fronteiriços e estratégias de fortalecimento da cadeia cafeeira. Por fim, chamo atenção para a necessidade de termos mais estudos e análises para ampliar a capacidade de formulação e implementação de políticas de fortalecimento dos laços entre os dois estados”, relatou o economista-chefe do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Adauto Modesto.

Leia mais:  Recursos serão destinados aos donos de propriedade rural em municípios atingidos por desastres naturais e intempéries climáticas

Para o subsecretário do Tesouro Estadual, Bruno Dias, o evento foi uma oportunidade de apresentar os resultados fiscais do Governo do Espírito Santo. “Debatemos os principais desafios e oportunidades de impacto nas finanças públicas do Espírito Santo para 2020. Mostramos um pouco do papel desenvolvido pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) na consecução da Nota A e na gestão do Fundo Soberano e do Programa de Concessões e Parcerias”, pontuou.

De acordo com a economista-chefe do Banestes, Eduarda La Rocque, novas edições do Seminário de Conjuntura estão programadas para acontecer nos próximos anos. “A ideia é que este seja o primeiro de vários outros eventos para mostrarmos que o Espírito Santo se encontra em situação muito positiva quando comparado ao cenário nacional. Com a exibição e análise dos números que comprovam esse cenário, vemos que apesar da queda do PIB, a atividade econômica do Estado está em alta. Vivemos um excelente momento do ponto de vista para investimentos. Com o investimento público em infraestrutura, atraímos ainda mais investimento do setor privado para o Estado. O Espírito Santo é, sem dúvida, a bola da vez”, explicou La Rocque.

publicidade

Política e Governo

Evento debate perspectivas para desenvolvimento do Espírito Santo

Publicado

O Governo do Estado, por meio do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) promoveram, nesta terça-feira (17), um encontro para debater as oportunidades de crescimento do Espírito Santo, com o protocolo de adesão ao Fórum Capixaba de Desenvolvimento Econômico. No evento, foi assinada a parceria entre Bandes e Sebrae no Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe).

O Fórum Capixaba de Desenvolvimento Econômico é uma iniciativa que reúne gestores públicos para discussões que visam contribuir com o crescimento da economia dos municípios capixabas. A inauguração do Fórum contou com a presença do governador do Estado, Renato Casagrande; representantes da Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes), além de prefeitos e secretários municipais de Desenvolvimento.

“Temos um Espírito Santo organizado com capacidade de atrair empresas interessadas em investir nos municípios. Temos um Estado com Nota A em gestão fiscal e, para completar, um ambiente político favorável, equilibrado, que aponta na direção do diálogo entre os atores que compõem os cenários político e econômico capixabas, com a continuidade de políticas públicas consistentes e perenes. Isso é essencial para que tenhamos um Espírito Santo pronto para receber investimentos, e eu tenho certeza que, em poucos anos, o nosso Estado estará na frente no País”, afirmou o governador, durante fala no encerramento do evento.

O diretor-presidente do Bandes, Munir Abud de Oliveira, destacou que a criação do Fórum Capixaba de Desenvolvimento Econômico é um marco para todos os capixabas e que permite ao Bandes estar mais próximo das demandas regionais dos municípios do Espírito Santo, potencializando os laços entre a instituição, prefeitos e secretários de Desenvolvimento.

“O Fórum Capixaba de Desenvolvimento Econômico é uma iniciativa estratégica que está alinhada às políticas públicas de Estado, que buscam um desenvolvimento regional equilibrado para o Espírito Santo. Temos em pauta um modelo que está pensando com cuidado no futuro dos capixabas e da economia como um todo, permitindo que os gestores públicos dos municípios recebam informações sobre o papel do Bandes no crescimento de suas regiões”, ressaltou Munir Abud.

Leia mais:  Banestes alcança maior lucro líquido da história do banco no resultado anual de 2019

A cerimônia de lançamento do Fórum contou com o painel “As perspectivas e os desafios do desenvolvimento do Espírito Santo”, como uma oportunidade para que os gestores públicos e representantes das instituições presentes tenham em mente os desafios e as oportunidades para o crescimento da economia do Espírito Santo.

“No Estado, a inovação e o desenvolvimento caminham juntos. Isso porque o governador Renato Casagrande pauta sua gestão em ações voltadas para o presente e pensando no futuro e nas próximas gerações. Assim, o desenvolvimento no território capixaba acontece de maneira estruturada, integrada e a partir do diálogo republicano entre as instituições públicas e privadas. Todos os setores estão envolvidos nesta meta, em prol de quem mora aqui e quer ter acesso à qualidade de vida, emprego e renda e fazer do Estado o seu lugar”, pontuou o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Ricardo Pessanha.

A vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, também participou do evento. “Estava vindo de um seminário em que pude destacar como o Espírito Santo vive um ambiente favorável para a atração de investimentos e de como isso é importante para as instituições. Esse Fórum é muito importante não apenas para debater, mas também para desenvolver políticas públicas capazes de potencializar o nosso bom momento”, ressaltou.

Fundo de Aval

Durante o evento, o Bandes e o Sebrae oficializaram a parceria entre as instituições, com a adesão do banco capixaba ao Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas, o Fampe. A cooperação permitirá que microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte utilizem o Fampe como garantia complementar aos financiamentos do Bandes.

O superintendente do Sebrae no Espírito Santo, Pedro Rigo, frisou a importância da parceria entre Bandes e Sebrae para o crescimento e manutenção de empreendimentos dentro do Espírito Santo. “O Fampe é um instrumento fantástico de acesso ao crédito e o Sebrae entra como fiador da micro e pequena empresa, para a redução de riscos de operações. Além disso, com a adesão do Bandes neste processo, estamos aumentando a capacidade e as oportunidades para que os micro e pequenos empresários consigam acesso ao crédito”, completou.

Leia mais:  Governo do Estado propõe Orçamento de R$ 20,27 bilhões para 2022

De acordo com Munir Abud, o Bandes, como instituição de fomento ao crescimento empresarial, está atento às demandas do mercado, buscando soluções estratégicas para dar agilidade à contratação de crédito. “Ao ampliar as formas de garantia aos contratos de financiamento do banco, permitimos, ao mesmo tempo, ampliar o acesso ao crédito, com a redução dos riscos operacionais para a instituição”, acrescentou o gestor.

Sobre o Fampe

O Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas é um mecanismo garantidor para a contratação de operações de crédito, destinadas ao financiamento, com as instituições financeiras. O Fampe tem o objetivo de prestar garantia complementar aos empréstimos levantados com as instituições financeiras credenciadas pelo Sebrae.

A quem se destina:

– Pequenos negócios formalizados urbanos (Microempreendedores Individuais – MEI, Microempresas – ME, Empresas de Pequeno Porte – EPP)

– Pequenas agroindústrias formalizadas conforme parâmetros da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas.
 

Como funciona?

O empreendedor deve consultar o Bandes e se informar sobre as linhas de crédito adequadas às necessidades. Ainda deve consultar a possibilidade de incluir o Fampe como aval complementar, no caso das garantias reais e pessoais não serem suficientes para atender aos requisitos da instituição financeira. A instituição financeira pode exigir a elaboração de um plano de negócios ou uma proposta de crédito para dar andamento na análise de crédito.

O Bandes vai analisar a proposta de crédito e informar se será necessário ou não o uso do Fampe. Sendo necessário, vai informar os valores e o incluirá na cédula de crédito, podendo, conforme negociação, ser um item financiável.

De acordo com dados do Sebrae, o Fampe avalizou mais de 408 mil operações de crédito até fevereiro de 2021, com viabilização de R$ 20,8 bilhões em crédito bancário, sendo avalizados pelo Sebrae R$ 14,8 bilhões para os pequenos negócios.

Informações sobre linhas de financiamento:
www.bandes.com.br

[email protected]   

Continue lendo

Política e Governo

Opinião – Um governador que trabalha pelo seu Estado

Publicado

Por Ângela Gusmão

Nos últimos dias, o governador Renato Casagrande vem sendo atacado por tudo aquilo que não fez e também pela maneira de governar com equilíbrio e responsabilidade, tendo como objetivo pavimentar o caminho para que as ações de governo possam atender as demandas dos cidadãos capixabas. Ataques gratuitos, sem fundamento e que não passam de uma estratégia de adversários que perdem o argumento e passam para os ataques. Para muitos é puramente uma ação da oposição no ano eleitoral, como forma de desqualificar um governo que tem trabalho realizado com inúmeras obras e tem entregas importantíssimas para os municípios do interior, principalmente para o Norte capixaba e outras regiões. Mesmo na Grande Vitória o Governo do Estado tem realizado intervenções para facilitar a vida do capixaba, fruto de parcerias com prefeituras.

Para nós, que atuamos na comunicação, somos testemunhas do relacionamento de respeito que o governador Renato tem com os jornalistas e com as pessoas que o recebem em suas visitas aos municípios para a entrega de obras e Ordens de Serviços. É um governante de acesso fácil, atende os jornalistas, é um homem de diálogo. Não tem nenhuma postura autoritária e assim é a sua equipe, numa relação respeitosa, o que não é muito comum se compararmos com outras gestões em tempos não tão distantes.

Leia mais:  Proposta de deputado garante direito de dois vínculos de trabalho para pedagogos na rede pública

A disputa eleitoral, infelizmente, afasta parceiros, amigos e adversários transformando-os em inimigos, coisa que não deveriam acontecer. Mas, no Brasil dos tempos atuais a radicalização e, em muitos casos, a insanidade tomou conta de muitos. As mentiras, as insinuações, o intuito gratuito de atacar adversários pelo simples prazer da vaidade exacerbada, dos interesses inconfessáveis, são situações deploráveis e que não contribuem para o crescimento e desenvolvimento do nosso Estado e também, no lado pessoal, não edifica caráter e nem fortalece cidadania.

O Espírito Santo tem sido destaque positivo no contexto nacional. Fruto do trabalho de muito capixabas capitaneados pelo seu governador. Não é hora de divisão. É importante a união de todos nós em torno daquilo que vem dando certo.

Parabéns governador e sua equipe. Parabéns capixabas que tem a responsabilidade de continuar a fazer o Espírito Santo dando certo!

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana