conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro diz que colocará em pau de arara ministro envolvido em corrupção

Publicado

Ministério Público denunciou ministro do Turismo sob acusação de envolvimento em candidaturas laranjas

m discurso em Palmas, capital do Tocantins, Bolsonaro, que é declarado admirador do período militar, reconheceu que existe a possibilidade de haver casos de corrupção em seu governo, mas garantiu que eventuais irregularidades não serão toleradas.

“Pode ser que haja corrupção no meu governo? Sim, pode ser que haja. Pode ser que haja e o governo não saiba”, disse Bolsonaro ao criticar governos anteriores, aos quais acusou de corrupção.

“Se aparecer, boto no pau de arara o ministro, se ele tiver responsabilidade, obviamente. Às vezes, lá na ponta da linha, está um assessor fazendo besteira sem a gente saber. Mas isso é obrigação nossa, é dever”, afirmou.

Leia mais:  Em visita ao ES, Barroso defende urgência de reforma política e critica desinformação na internet
publicidade

Política Nacional

“Não teremos mais conflitos com o Supremo”, diz ministro Fábio Faria no ES

Publicado

Conhecido por sua atuação como bombeiro das labaredas políticas com foco no Palácio do Planalto, o ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), esteve em Vitória na terça-feira (07) horas antes da cerimônia de assinatura dos termos de autorização das empresas que venceram o leilão para a implantação do 5G no Brasil.

Fábio veio para participar do 6º e último encontro do Folha Business no ano – evento promovido pela Rede Vitória e Apex Partners – que debateu a nova tecnologia, mas também abordou o futuro político do ministro, que é cotado para ser vice numa eventual chapa do presidente Bolsonaro à reeleição.

Ele tem alguns atributos que enchem os olhos da base aliada do Presidente: é jovem (tem 44 anos), nordestino (região onde Bolsonaro tem maior rejeição), vai migrar para o PP (ex-partido de Bolsonaro, um dos principais do Centrão e que deve indicar o vice), tem bom trânsito com empresários (que andam um pouco desconfiados das políticas do governo federal) e tem perfil conciliador (para dosar com o temperamento explosivo e imprevisível do Presidente).

Em entrevista, Fábio garantiu que a época dos conflitos entre o Executivo e outros poderes – principalmente com o Supremo Tribunal Federal – “ficou no passado”, disse que tem atuado como interlocutor entre o Presidente e os demais poderes, mas não ficou com o crédito sozinho, disse que o ministro Ciro Nogueira – presidente do seu futuro abrigo partidário – também ajudou na pacificação. Já quanto a ser vice de Bolsonaro, Fábio saiu pela tangente. Leia a entrevista:

Seu nome já está colocado nos bastidores como um possível vice do presidente Bolsonaro, inclusive contando com sua mudança partidária. Há essa possibilidade?

Ministro Fábio Faria – Eu estou indo para o PP mesmo. É uma decisão de seis meses atrás que eu tomei, não tem nada a ver com a filiação do presidente ao PL. Hoje eu sou candidato a fazer um bom trabalho como ministro, tenho que cumprir minhas missões. Não estou pensando em 22, mas o meu trabalho político do ano que vem é ser pré-candidato ao Senado pelo Rio Grande do Norte. Até porque ninguém é candidato a vice. Vice é uma composição dos partidos da aliança do Presidente. Eles irão escolher e espero que escolham o melhor nome. Não tem como eu me candidatar para essa vaga porque não é uma escolha pessoal, ninguém se candidata a vice.

Caso o seu nome seja escolhido, o senhor toparia?

Isso a gente vai ver lá na frente. Estou focado mesmo na pré-candidatura ao Senado, é nisso que estou trabalhando.

Como o senhor vê a entrada do ex-ministro Sérgio Moro na disputa? Divide os votos de Bolsonaro?
Acho que a terceira via, com Sérgio Moro, João Doria e com vários outros candidatos concorrendo, vai dividir os votos. Não vejo nenhum com nenhuma possibilidade de chegar ao segundo turno. A eleição vai ser Bolsonaro e Lula. Os votos do Moro – que busca o eleitorado de centro e de direita – ou vão para Bolsonaro ou vão para nulos e brancos. Não migrarão para Lula. Então eu vejo que Moro ajuda o Presidente no segundo turno, mesmo sem ele apoiar – porque não irá apoiar, até pela forma como ele saiu do governo, traindo o presidente Bolsonaro. O eleitor que vai votar nele no primeiro turno tende a votar para derrotar o PT no segundo turno. Então, é uma candidatura que ajuda o Presidente.

O senhor tem fama de ser conciliador no governo Bolsonaro e atuar como bombeiro…

É o papel do político conciliar, estou no parlamento há 15 anos, e lá tratamos com a extrema-direita, extrema-esquerda, centro e temos que chegar a um acordo. Somos acostumados a tentar entender o outro lado, buscar uma saída que busque o entendimento de todos, de todas as partes. E o governo vem de um conflito, porque o Presidente derrotou um grupo político que vinha governando o Brasil há quatro mandatos. Então esse sistema todo, montado pelo PT, não aceitou a eleição do Presidente, e vivemos, desde o primeiro dia de governo, conflitos diários. Depois veio conflitos com o Supremo, com o Congresso, e assim eu fui uma das pontes (para a conciliação).

Não fiz isso sozinho, muitos ajudaram. Mas, principalmente nos momentos de conflitos com o STF, fui um dos interlocutores. No Congresso Nacional, a entrada do Ciro Nogueira (ministro da Casa Civil) ajudou muito. Ele também é um político conciliador, tem uma bagagem muito grande e um respeito do Congresso, o que tem ajudado muito. Não teremos mais conflitos com o Supremo e com o Congresso, isso ficou no passado, serviu de aprendizado dos dois lados.

Fonte: De Olho no Poder (Folha Vitória)

Leia mais:  Governo suspende benefícios para servidores em trabalho remoto
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro é eleito personalidade do ano em votação popular da Time

Publicado

Resultado foi divulgado pela revista americana nesta terça-feira (7); o ex-presidente Donald Trump ficou em segundo lugar

A revista americana Time informou, nesta terça-feira (7), que o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi escolhido por seus leitores como a personalidade do ano de 2021. De acordo com a publicação, o brasileiro recebeu 24% dos mais de 9 milhões de votos computados.

Durante evento realizado no Palácio do Planalto, o ministro Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência) interrompeu Bolsonaro, que discursava, para avisá-lo do resultado. “Quem votou em mim, muito obrigado. Votou bem”, respondeu o presidente.

Em segundo lugar na votação dos leitores, com 9% dos votos, está o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Já os profissionais de saúde da linha de frente da Covid-19 ficaram em terceiro lugar, com 6,3% dos votos.

A revista informou ainda que o ativista russo Alexei Navalny ficou em quarto lugar, com 6% dos votos. Em quinto lugar ficaram os cientistas que ajudaram a desenvolver as vacinas contra a Covid-19, com 5,3% dos votos.

Já o nome da personalidade do ano de 2021 segundo o voto dos editores da revista americana será informado em 13 de dezembro.

Leia mais:  Em visita ao ES, Barroso defende urgência de reforma política e critica desinformação na internet
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana