conecte-se conosco


Brasil

Burro fica suspenso por conta de excesso de peso em carroça

Publicado

A Polícia Ambiental informou que o dono do animal foi identificado e notificado para se apresentar à delegacia

Uma cena de partir o coração. Um burro ficou suspenso por uma carroça por causa do excesso de peso. Uma equipe do Batalhão de Polícia do Meio Ambiente constatou que o animal transportava uma carga pesada de tijolos.

De acordo com o portal TNH1, a história aconteceu na última terça-feira (27), em Juazeiro do Norte, no Ceará. A pessoa que tirou uma foto da situação denunciou o caso à polícia. A Polícia Ambiental e a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) também compareceram no local.

O sargento Marcos A. Silva, da Polícia Ambiental, informou que o dono do animal foi identificado e notificado para se apresentar à delegacia. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil do Ceará, que deve instaurar um inquérito.

Ainda segundo o sargento, apenas com análise de um veterinário pode ser verificado se o animal sofreu maus-tratos. Ainda segundo o portal, o burrinho foi solto em campo aberto após o ocorrido. 

Punição por maus-tratos

Caso seja constatado maus-tratos ao burro, a lei estabelece pena de dois a cinco anos de reclusão em caso de condenação. A pena é aumentada de um sexto a um terço se o crime causa a morte do animal.

Leia mais:  Aulas presenciais do Ifes ficarão suspensas até o dia 3 de abril
publicidade

Brasil

Menino engasga com peça de brinquedo e fica em estado grave; Bombeiros dão orientações para esses casos

Publicado

Luiz Otávio Aquino Madureira, de dois anos, foi imediatamente socorrido pela mãe e pelo tio; ele está no CTI da Santa Casa de Montes Claros. Em casos de engasgo com objetos sólidos, o Corpo de Bombeiros orienta que os pais ou responsáveis liguem imediatamente para o telefone 193.

Um menino, de dois anos, está internado no CTI da Santa Casa de Montes Claros (MG) após se engasgar com a peça de um brinquedo.

A mãe de Luiz Otávio Aquino Madureira, Isabela Aquino, conta que estava com o filho na casa da avó, no domingo (17), quando o fato aconteceu.

“Ele estava sentado na sala brincando normalmente, como era de costume, quando percebi que tinha uma ventosa, uma pecinha de uma flecha na boca dele. Falei para ele tirar, só que ele sugou e a peça foi parar na garganta. Imediatamente, enfiei o dedo para tentar puxar, só que estava longe, mais fundo. Meu ímpeto foi correr para o hospital”, diz.

Isabela levou o filho até o Hospital Aroldo Tourinho com ajuda do irmão. O menino teve parada cardiorrespiratória e obstrução das vias aéreas, por isso precisou ser reanimado por cerca de meia hora. Após as manobras, a circulação espontânea voltou.

“Eu tentava massagear, só saía baba, eu desesperei. Coloquei ele de bruços para ver se a pecinha era expelida, mas nada. No caminho até o hospital, meu irmão gritava para os outros motoristas deixarem ele passar. Fiquei com medo, mas tinha fé. Quando o Luiz desfaleceu, falei para Deus: ‘O Senhor não pode tirar ele de mim, porque ele foi um presente. Eu demorei um ano e oito meses para engravidar dele. Não deixa meu filho morrer, eu imploro’. Eu me desesperei”, fala.

Por questões técnicas, a criança precisou ser transferida, ainda no domingo (17), por volta de 20h, para a Santa Casa de Montes Claros, onde encontra-se internada atualmente.

“Ele está no CTI, entubado, mas com quadro estável. Os médicos temem que possam ficar sequelas pelo tempo que ele ficou desfalecido, mas, se Deus quiser, ele vai sair dessa”, comenta o pai Charles Madureira.

Como reagir em casos de engasgo

Em casos de engasgo com objetos sólidos, o Corpo de Bombeiros orienta que os pais ou responsáveis liguem imediatamente para o telefone 193, como explica o tenente Kollek Pereira.

“Objetos sólidos incluem brinquedos e até mesmo comidas maiores, incompatíveis com a capacidade de deglutição da criança. É indispensável que se estabeleça contato com o serviço de emergência para receber as orientações. São dois passos paralelos: enquanto o teleatendente passa as coordenadas, se necessário, uma viatura já se desloca para o local. Tudo muito rápido”, diz.

Estes são os passos para expelir brinquedos e demais itens sólidos da garganta, conforme detalha o militar.

“Deve-se virar a criança de bruços, deixando a cabeça mais baixa em relação ao resto do corpo, para, então, aplicar cinco “pancadas” moderadas nas costas. Logo após, vira-se a criança de barriga para cima para fazer cinco compressões no peito com os dedos indicador e médio. Em seguida, o adulto confere se o objeto foi expelido. Caso não, repete o processo. Ter calma é fundamental para executar o passos e se atentar ao que o atendente diz”, completa.

Em casos de engasgo com objetos sólidos, o Corpo de Bombeiros orienta que os pais ou responsáveis liguem imediatamente para o telefone 193 — Foto: Paula Alves/Inter TV

Leia mais:  Inscrições para processo seletivo do Fies e P-Fies iniciam no dia 5 de fevereiro de 2020
Continue lendo

Brasil

Professora morre ao cair de costão quando fazia fotos em praia

Publicado

Acidente ocorreu no costão da Ponta do Vigia, em Penha. Moradora de Navegantes, Soliane Luiza, de 28 anos, foi tirada da água com vida, mas não resistiu.

A professora Soliane Luiza morreu ao cair do costão da Ponta do Vigia, em Penha, no Litoral Norte catarinense. Segundo informações dos Bombeiros Voluntários da cidade, o acidente ocorreu no domingo (17), quando a mulher fazia fotos em uma pedra na Praia Grande.

A moradora de Navegantes tinha 28 anos e estava fazendo um passeio em um dos pontos turísticos do município. Após despencar da pedra, ela foi arrastada por uma onda.

Por volta das 16h30, pessoas que estavam no local chamaram os guarda-vidas civis, que acionaram o apoio do helicóptero Arcanjo 3, do Corpo de Bombeiros. O trabalho foi dificultado pela proximidade com o costão e as fortes rajadas de vento.

A vítima foi retirada da água com a utilização de um equipamento chamado sling, que é uma espécie de cadeira com um cabo ligado à aeronave. Segundo os bombeiros, a mulher foi retirada do mar ainda com vida, com afogamento grau 6. Na areia da praia, foram realizados procedimentos para recuperação.

Após ser constatado a volta dos batimentos cardíacos, a vítima foi conduzida de ambulância até um campo de futebol, onde o helicóptero aguardava para levar a professora até o Hospital Marieta Konder Borhausen, em Itajaí.

No entanto, de acordo com os bombeiros, ao chegar no local da decolagem a vítima piorou e sofreu uma parada cardiorrespiratória, sendo constatado a morte no local às 18h30.

Moradora de Navegantes morreu após cair de uma pedra enquanto fazia fotos — Foto: Reprodução/ Redes sociais

Luto

Pelas redes sociais, uma unidade de ensino de Navegantes onde Soliane trabalhava lamentou a morte da professora.

“Sol era uma professora exemplar, dedicada, carinhosa e muito amada por todos. Por onde passava, encantava com sua alegria e iluminava com sua luz. Sol deixará um pedacinho dela aqui com cada uma de nós”, escreveu o Centro Educacional Paraíso Infantil Baby.

Leia mais:  Espírito Santo disponibiliza 30 leitos de UTI para covid-19 para pacientes do Amazonas
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana