conecte-se conosco


Segurança

Cadastro de familiares de presos será feito pelo WhatsApp

Publicado

Para diminuir o fluxo de pessoas nas unidades prisionais e evitar chances de contágio do novo Coronavírus nos presídios, a Secretaria da Justiça (Sejus) inicia, nesta quarta-feira (25), o credenciamento de familiares por meio do aplicativo WhatsApp. A medida vale apenas para novos cadastros de visitantes.

Técnicos da área Psicossocial de cada unidade prisional ficarão responsáveis pela conferência dos dados, bem como pelo credenciamento, realizado por meio de formulário. Será necessário o envio de foto e documentos digitalizados. A documentação original requisitada no cadastro deverá ser apresentada à unidade prisional em data pré-agendada para futura marcação da visita.

O corpo técnico da unidade prisional terá o prazo de 30 dias para conferência da documentação enviada. Os novos cadastros podem ser realizados por meio do telefone (27) 99257-4718. O e-mail de cada unidade prisional também estará disponível para o serviço, conforme lista abaixo:

CPFC Centro Prisional Feminina Cariacica [email protected]
UCTP Unidade de Custódia e Tratamento Psiquiátrico [email protected]
PSC Penitenciária Semiaberta de Cariacica [email protected]
CDPG Centro de Detenção Provisória de Guarapari [email protected]
CDPS Centro de Detenção Provisória da Serra [email protected]
CASCUVV Casa de Custódia de Vila Velha [email protected]
CDPVV Centro de Detenção Provisória de Vila Velha [email protected]
PSVV Penitenciária Semiaberta de Vila Velha [email protected]
PEVV1 Penitenciária Estadual de Vila Velha 1 [email protected]
PEVV2 Penitenciária Estadual de Vila Velha 2 [email protected]
PEVV3 Penitenciária Estadual de Vila Velha 3 [email protected]
PEVV5 Penitenciária Estadual de Vila Velha 5 [email protected]
CDPM Centro de Detenção Provisória de Marataízes [email protected]
CDPCI Centro de Detenção Provisoria de Cachoeiro de Itapemirim [email protected]
PRCI Penitenciária Regional de Cachoeiro de Itapemirim [email protected]
CPFCI Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim [email protected]
PAES Penitenciária Agricola do Espírito Santo [email protected]
PSME I Penitenciária de Segurança Média 1 [email protected]
PSME II Penitenciária de Segurança Média 2 [email protected]
PSMA I Penitenciária de Segurança Máxima 1 [email protected]
PSMA II Penitenciária de Segurança Máxima 2 [email protected]
CTV Centro de Triagem de Viana [email protected]
CDPV2 Centro de Detenção Provisória de Viana 2 [email protected]
CDPA Centro de Detenção Provisória de Aracruz [email protected]
PRBSF Penitenciária Regional de Barra de São Francisco [email protected]
CDPCOL Centro de Detenção Provisória de Colatina [email protected]
CPFCOL Centro Prisional Feminino de Colatina [email protected]
PSMCOL Penitenciária Semiaberta Masculina de Colatina [email protected]
PSMECOL Penitenciária de Segurança Média de Colatina [email protected]
CDRL Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares [email protected]
PRL Penitenciária Regional de Linhares [email protected]
CDPSDN Centro de Detenção Provisória de São Domingos do Norte [email protected]
CDPSM Centro de Detenção Provisória de São Mateus [email protected]
PRSM Penitenciária Regional de São Mateus [email protected]
Leia mais:  Organização criminosa que comercializa haxixe da Espanha no ES é alvo de operação da PF

publicidade

Segurança

Idosa cai em golpe do bilhete premiado em Camburi e transfere R$ 200 mil para suspeitos

Publicado

Dois homens e uma mulher participaram do crime e acabaram detidos na Serra, enquanto tentavam sacar o valor

Uma senhora de 75 anos foi vítima do “golpe do bilhete premiado” nesta terça-feira (28), enquanto caminhava no calçadão da Praia de Camburi, em Vitória. A idosa acabou transferindo R$ 200 mil para a conta de um dos suspeitos, dois homens e uma mulher, que acabaram detidos na Serra.

A vítima foi abordada pelos dois homens, que se aproximaram e disseram que um deles tinha um bilhete premiado da loteria. De acordo com a polícia, o prêmio seria de R$ 2,9 milhões.

Com tanto dinheiro para receber, os dois suspeitos fizeram uma proposta para a idosa: pediram que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 200 mil e garantiram que depois a senhora receberia um valor maior.

Ela foi levada de carro por eles até uma agência bancária, no bairro Parque Residencial Laranjeiras, na Serra, onde realizou a transferência. Em seguida, foi convencida a aguardar enquanto os dois homens seguiam para outra agência do bairro, para fazer o saque.

Leia mais:  PMs presos em operação são suspeitos de fazer parte de grupo de extermínio no ES

Assim que eles partiram, a idosa ligou para um funcionário da empresa da família e pediu que fosse puxado o extrato da conta. De acordo com a polícia, o colaborador chegou a perguntar o motivo, mas ela desconversou e desligou. Ele então checou o extrato e verificou que ela havia feito a transferência de valor elevado.

O funcionário ficou desconfiado de que ela pudesse ter caído em um golpe e seguiu às pressas para a agência onde a idosa estava para tentar evitar o prejuízo. Lá pediu ao gerente o bloqueio da conta e acionou a Polícia Militar.

Na sequência, buscas foram feitas e os suspeitos foram detidos na porta de outra agência bancária, após tentarem sacar o dinheiro. Além dos dois homens, foi detida também uma mulher.

Os suspeitos já foram identificados. Confira nomes e quais foram as participações:

• Kalita Vianna Sarmento Soares, de 34 anos, teria entrado na segunda agência com o segundo suspeito;

• Carlos Henrique Caixeiro e Souza, de 32 anos. Os dados da conta dele foram passados para a idosa. Ele alega que não sabia que as informações seriam para um golpe.

Leia mais:  Organização criminosa que comercializa haxixe da Espanha no ES é alvo de operação da PF

• Álvaro Lopes Naschi, de 35 anos. Ele aguardava Kalita e Carlos em um carro, na porta da segunda agência.

De acordo com a Polícia Civil, os três foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados ao sistema prisional. Álvaro já teve passagem criminal, entre dezembro de 2017 a abril de 2019, por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Continue lendo

Segurança

Empresário preso em Vila Velha era entusiasta fitness e ostentava vida de luxo

Publicado

No laboratório clandestino, foi apreendido maquinário, insumos, arma, munições, balança, bomba de vácuo e grande quantidade de substância anabolizante, em geral de uso veterinário

Um suspeito de 29 anos foi preso na última sexta-feira (24) por manter laboratório clandestino de anabolizantes em Vila Velha. A fábrica, que produzia e distribuía material para todo o Brasil, também fechada pelo Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc). O suspeito teria obtido grande lucro no período, ostentando uma vida de luxo. Ainda foi constatado que o homem não tinha formação acadêmica e era um entusiasta da vida fitness.

No local, foi apreendido maquinário, insumos, arma, munições, balança de precisão, bomba de vácuo, tanque de esterilização e grande quantidade de substância anabolizante, em geral de uso veterinário. 

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (27), foi informado que o homem contava com uma loja de suplementos no bairro Santa Mônica, em Vila Velha, além de manter ativa a fábrica clandestina, no bairro Guaranhuns. No local, foram apreendidas 250 ampolas prontas para serem comercializadas.

O esquema criminoso foi mantido por pelo menos cinco anos, com anabolizantes vendidos a preços elevados, chegando a R$ 350 cada. O valor total obtido ainda não foi calculado. No carro importado em seu nome, a polícia encontrou uma arma calibre 38 e oito munições.

No laboratório os policiais encontraram embalagens, tubos de ensaio, medicamentos, impressora, diversos insumos para produção de anabolizantes, além de caixas com a logomarca da empresa.

Leia mais:  Comerciante é salvo de ser baleado por panela

Já o suspeito seria um entusiasta da vida fitness, que fabricava os produtos e prescrevia receitas, baseando-se apenas no que aprendeu com a rotina de exercícios que praticava.

Em entrevista, o delegado titular da Denarc, Tarcísio Otoni, informou que o caso chegou ao conhecimento da polícia por denúncia anônima.

“Fizemos levantamentos e a equipe do Denarc identificou o momento em que o indivíduo fazia entrega do anabolizante para o motoboy realizar entregas. Em estado de flagrância, o departamento entrou no que seria um depósito, mas se deparou com um verdadeiro laboratório clandestino, com maquinário, insumos e embalagens. Ele tinha uma marca própria que vendia para todo o Brasil”, disse.

Para driblar efeitos colaterais dos anabolizantes, o suspeito ainda receitava e vendia medicamentos de uso controlado, em especial os relacionados a disfunções sexuais.

Segundo a PC, o suspeito foi preso em flagrante e investigações são feitas para saber se outras pessoas participaram do crime. A polícia orienta que pessoas que fizeram uso dos produtos e se sentiram mal devem procurar a delegacia.

Leia mais:  Motorista por aplicativo é preso com mais de 10 kg de cocaína
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana