conecte-se conosco


Segurança

Cadela ataca bandido e evita que dona tenha celular roubado na porta de casa

Publicado

Suspeito tentou fugir com o aparelho, mas foi alcançado e agredido por vizinhos da vítima

Um homem foi preso após roubar um celular e agredir uma comerciante durante um assalto no bairro Jardim Guadalajara, em Vila Velha. O suspeito tentou fugir, mas foi alcançado por populares que perceberam a ação após a reação da cadela de estimação da vítima.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu na tarde desta terça-feira (23). A mulher, de 52 anos, contou que foi agredida pelo criminoso e afirmou que só não acabou machucada porque foi salva pela cadela.

A vítima disse que chegava em casa, quando o suspeito a surpreendeu. Ela contou que estava tentando abrir o portão e que tinha colocado o celular embaixo do braço. O criminoso percebeu, anunciou o assalto e exigiu o aparelho. 

A mulher reagiu e tentou entrar em casa, mas o homem partiu para cima dela. Os dois entraram em luta corporal. Eles caíram e, desesperada, a vítima gritou pela cachorra de estimação. O animal atacou o homem, que parou com as agressões e tentou fugir com o celular. Assim que a mulher pediu socorro, os vizinhos conseguiram alcançar o suspeito que estava a pé.

Ele foi agredido por populares e a Polícia Militar foi acionada. Por conta dos ferimentos, o suspeito foi levado para o Pronto-Atendimento da Glória e depois encaminhado para Delegacia Regional de Vila Velha.

A vítima também contou que, durante a luta, o suspeito levantou parte da blusa dela. Quem viu a cena chegou a pensar que o homem tentava cometer um abuxo sexual. Mas, segundo a mulher, isso não aconteceu. 

Na delegacia, a mulher foi informada que o detido é usuário de drogas e que ele teria cometido o crime para sustentar o vício.

Leia mais:  Comandante-geral afirma que PM do Espírito Santo é legalista e comprometida com a Constituição Federal e os direitos humanos
publicidade

Segurança

Detento é espancado até a morte em Penitenciária de Viana

Publicado

O homem de 41 anos foi morto por companheiros de cela após ser acusado por outros detentos de abusar de uma menina de 8 anos

Um detento foi espancado até a morte por companheiros de cela no Complexo Penitenciário de Viana. O homem de 41 anos foi morto no Centro de Detenção Provisória de Viana II no último sábado (18), porque teria abusado de uma menina de 8 anos.

De acordo com o Sindicato dos Inspetores Penitenciários do Espírito Santo (Sindaspes), os detentos acionaram os agentes após o ocorrido e afirmaram que espancaram Renato Silvares até a morte porque ele teria molestado uma criança e os internos não admitem tal comportamento.

O chefe da equipe solicitou uma enfermeira de plantão, que confirmou a morte do detento na cela.

De acordo com a Secretaria de Justiça (Sejus), o homem estava preso desde maio de 2021 por roubo, mas já tinha três passagens na polícia por ameça, furto e roubo com uso de arma de fogo, sendo a mais antiga registrada em 2017.

A equipe da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local para colher depoimentos e três presos foram convocados pelos agentes para prestar esclarecimentos.

A Polícia Civil informou que dois internos, de 23 e 33 anos, foram conduzidos ao plantão do Departamento de Homicídios e autuados em flagrante pelo crime de homicídio. O caso segue sob apuração na Delegacia De Crimes Carcerários.

Leia mais:  Grupo é preso ao realizar 'pescaria' de dinheiro em caixas eletrônicos de Cachoeiro de Itapemirim
Continue lendo

Segurança

Grupo é preso ao realizar ‘pescaria’ de dinheiro em caixas eletrônicos de Cachoeiro de Itapemirim

Publicado

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estavam acontecendo em outras agências em Vitória e Vila Velha

Um grupo de criminosos, formado por dois homens e duas mulheres, foram presos em flagrante pela Polícia Militar, no último sábado (19). Eles tentavam “pescar” envelopes com dinheiro de um caixa eletrônico, em uma agência da Caixa Econômica Federal, em Cachoeiro de Itapemirim.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e o veículo que os indivíduos estavam utilizando foi identificado. A partir dessa informação, foi possível localiza-los dentro da agência bancária no sul do Estado praticando novos furtos.

Após a identificação, a PM efetuou a prisão e não houve resistência por parte do quarteto. Com eles, foram encontrados valores dos furtos cometidos anteriormente em pelos menos outras quatro agências, além dos apetrechos utilizados para o cometimento dos crimes.

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estava acontecendo em outras agências em Vitória e Vila velha. Juntamente com a área de segurança do banco, a PF conseguiu identificar o grupo que estava realizando os crimes.

Crime é conhecido como “pescaria”

De acordo com a polícia, essa modalidade de furto é conhecida no meio criminal como “pescaria”. Na ação, é utilizada uma ferramenta própria para penetrar os cofres dos caixas e retirar valores depositados em envelopes. Esse dispositivo mecânico é comumente chamado de “jacaré”.

Um fato curioso que chamou atenção dos policiais envolvidos na apreensão é que dois dos quatro detidos foram presos em flagrante, pelo mesmo crime, no dia 17 de junho deste ano, no Estado da Bahia.

Leia mais:  Sejus reforça revistas nos presídios com aquisição de scanners corporais
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana