conecte-se conosco


Internacional

Cadela recebe herança de US$ 5 milhões após morte do tutor

Publicado

Cadela recebe herança de US$ 5 milhões após morte do tutor

A cadela Lulu, uma border collie de oito anos de idade, terá uma boa vida em Nashville, cidade dos Estados Unidos, após a recente morte do tutor dela. O homem deixou US$ 5 milhões de herança para o animal de estimação, que está sob os cuidados de uma amiga dele.

Em entrevista ao canal de TV WTVF, Martha Burton, cuidadora de Lulu, disse que Bill Dorris era solteiro e morreu no ano passado. Sempre que ele viajava, ela ficava com o animal.

Empresário de sucesso, o homem de 84 anos deixou um testamento no qual afirma que o dinheiro deve ser colocado em um fundo para os cuidados da cachorra.

Isso permite que Martha, de 88 anos, seja reembolsada por despesas mensais que tenha com ela. “Eu realmente não sei o que pensar sobre isso para dizer a verdade. Ele simplesmente amava o cachorro”, disse a mulher.

Ela afirma que não sabe se poderia gastar os US$ 5 milhões com o animal, mas “gostaria de tentar.” Mas, por enquanto, não há planos de comprar uma tigela de ouro maciço para cães ou uma coleira incrustada de diamantes.

O valor será administrado por uma pessoa que aprovará e reembolsará Martha pelas despesas para cuidar da border collie. Não ficou definido o que ocorrerá com o dinheiro se Lulu morrer antes da quantia acabar. (FONTE: ASSOCIATED PRESS)

Leia mais:  Preços do petróleo tocam menor nível neste século por coronavírus
publicidade

Internacional

Médicos da Índia pedem para que pessoas do país não usem esterco bovino contra a Covid-19

Publicado

Prática é ligada ao hinduísmo e não tem nenhuma eficiência para combater o coronavírus, além de aumentar o risco de infecção por outras doenças

Médicos na Índia se viram obrigados a alertar a população que espalhar estrume de vaca pelo corpo não protege contra a Covid-19 e que ainda há risco de contágio por outras doenças.

No estado de Gujarat, algumas pessoas têm ido a currais uma vez por semana para cobrir o corpo de esterco e urina de vaca, na esperança de que isso fortaleça a imunidade contra o coronavírus ou mesmo que possa ajudá-los a se recuperar da doença.

O coronavírus já infectou mais de 22,6 milhões de pessoas na Índia. Até agora, foram mais de 246 mil mortes notificadas oficialmente (os especialistas dizem que o número real pode ser até 10 vezes maior). Há falta de leitos hospitalares, oxigênio e remédios e, assim, muitos morrem sem tratamento.

A vaca no hinduísmo

A vaca é sagrada no hinduísmo. É um símbolo da vida e da terra. Durante séculos, os hindus usaram estrume de vaca em rituais religiosos. Eles acreditam que o material tem propriedades terapêuticas.

“Vemos até mesmo médicos aqui. A crença deles é que essa terapia melhora a imunidade e que eles podem atender os pacientes sem receio”, disse Gautam Manilal Borisa, um gerente de uma empresa farmacêutica.

Ele mesmo vai com frequência a uma escola de monges hindus para passar pelo banho de estrume.

Os participantes passam uma mistura de estrume e urina nos corpos e esperam secar. Eles se abraçam e fazem homenagens às vacas no recinto e também praticam yoga. Depois, eles se lavam com leite.

Médicos e cientistas na Índia e em outros países já avisaram que tratamentos sem eficácia podem levar a uma falsa sensação de segurança em relação à pandemia e piorar a situação epidemiológica.

O presidente da Associação Médica Indiana, o doutor J.A. Jayalal, afirmou que não há nenhuma comprovação científica de que estrume e urina de vaca fortalecem a imunidade contra a Covid-19.

“Há risco à saúde ao usar esses produtos. Doenças dos animais podem contaminar os humanos”, afirmou.

Além disso, há aglomeração de pessoas nesses rituais, o que vai contra as orientações mundiais de especialistas para evitar a disseminação da Covid.

Leia mais:  Ciclista sobrevive após cair de uma ponte na Itália; veja o vídeo
Continue lendo

Internacional

Alunos e professor são mortos em ataque a tiros em escola na Rússia

Publicado

Mais de 20 pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas em Kazan, sendo que 6 crianças estão na UTI. Suspeito de 19 anos foi preso pela polícia

Ao menos oito pessoas foram mortas e mais de 20 ficaram em uma escola em Kazan, na Rússia, nesta terça-feira (11). Um agressor de 19 anos foi preso, segundo autoridades russas.

Segundo autoridades de saúde, 21 pessoas foram hospitalizadas após o ataque, incluindo 18 crianças. Seis estão na UTI.

Imagens publicadas nas redes sociais mostram crianças pulando da janelas do prédio de três andares para escapar dos tiros.

A escola foi cercada pela polícia, e um vídeo mostra um jovem sendo imobilizado no chão por policiais do lado de fora do prédio.

Testemunhas dizem ter ouvido uma explosão e depois os tiros. Alguns estudantes conseguiram escapar do prédio durante o ataque, mas outros ficaram presos lá dentro e foram evacuados depois.

Rustam Minnikhanov, governador do Tartaristão, disse que as vítimas são estudantes do oitavo ano. “Perdemos sete crianças, alunos do oitavo ano. Quatro meninos e três meninas”.

“Seis menores de idade se encontram em estado grave”, disse o porta-voz do governo local, Lazat Jaydarov.

“O terrorista está preso, [tem] 19 anos. Uma arma de fogo está registrada em seu nome”, disse Minnikhanov após visitar a escola. “Outros cúmplices não foram identificados e uma investigação está em andamento”.

Terrorismo descartado

Apesar da declaração do governador do Tartaristão, o Comitê de Investigação da Rússia descartou inicialmente a hipótese de terrorismo.

“O agressor foi detido e sua identidade foi estabelecida. É um morador local, nascido em 2001”, afirmou o comitê em um comunicado.

Ambulâncias e carros da polícia estacionados em frente a escola que foi alvo de ataque a tiros em Kazan, na Rússia, em 11 de maio de 2021 — Foto: Roman Kruchinin/AP

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, expressou suas condolências às famílias das vítimas e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

Devido ao ataque, Putin também ordenou a revisão da regulamentação sobre os tipos de armas permitidas para uso civil.

Tartaristão é uma região de maioria muçulmana no centro da Rússia, e sua capital Kazan fica a 725 km a leste de Moscou.

Leia mais:  Desaparecida há dois anos, mulher é resgatada viva em alto mar na Colômbia

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana