conecte-se conosco


Cidades

Café conilon de São Gabriel da Palha atinge pontuação recorde após parceria com Ifes

Publicado

O café produzido na região conseguiu o registro de indicação geográfica

São Gabriel da Palha é a Capital Nacional do Café Conilon e tem a maior cooperativa agrária de café conilon do Brasil, a Cooabriel, que acaba de ganhar a maior Indicação Geográfica (IG) de café conilon em área territorial do Brasil. 

O Instituto Nacional de Propriedade Industrial, o INPI, é a instituição que concede o registro legal de IG no país. O selo atribui reputação, valor e identidade própria. Isso significa que o café conilon da região apresenta qualidade única.

“A partir deste ano, passaremos a comercializar o grão com selo do IG”, comemora o presidente da Cooabriel, Luiz Carlos Batianello. A cooperativa tem 57 anos de atuação, 6.252 associados e 340 colaboradores. E investe em conhecimento e tecnologia. 

“Fizemos um convênio com o Ifes de Venda Nova do Imigrante com objetivo de melhorar a qualidade do café conilon, que sempre foi tido como um café ruim. Em apenas quatro meses, o Ifes conseguiu desenvolver um café com alta pontuação: 90 pontos. A gente nunca havia alcançado nem 85 pontos. Queremos mostrar que existe conilon de qualidade”, exalta Bastianello.

Leia mais:  Operação “Salvamar” já atendeu mais de 750 ocorrências nas praias de Linhares neste Verão

Além de ser o berço do café conilon, São Gabriel da Palha também é o terceiro maior polo de confecções do Espírito Santo. A Falani, por exemplo, existe há 33 anos no município. Hoje, as irmãs Raiana e Elaine Batista da Silva estão à frente da fábrica que foi criada pela mãe. Elas produzem cerca de 10 mil peças por mês e vendem para vários lugares do Espírito Santo e até do Brasil.

Outro destaque do município são as fábricas de produção de jeans. Os produtos vão daqui para todo estado. São Gabriel da Palha se tornou referência em qualidade de produção. De acordo com o secretário de Indústria e Comércio, Reuque Milk, a cidade tem mais de 150 fábricas de confecção, desde micro até empresas de médio porte. “As fábricas produzem uma média de um milhão de peças por mês e emprega três mil pessoas”, explica o secretário.

Um dos problemas relatados pelos empresários é a falta de mão de obra em São Gabriel da Palha. De acorde com Reuque Milk, atualmente existem cerca de 500 vagas a serem preenchidas no setor de confecção. Problema também relatado pelos produtores rurais. 

Leia mais:  Inscrições abertas para o Prêmio Cafés Especiais do Espírito Santo

“Não tem jovens interessados e nem capacitados para o agronegócio. A mão de obra que temos hoje não é suficiente em tempo de colheita, quando acaba acontecendo um leilão de apanhadores (pessoa que colhe café), encarecendo o produto final”, relata o presidente da cooperativa.

E em São Gabriel também tem oportunidade de emprego numa área bem diferente para uma típica cidade do interior: tecnologia. A região ganhou até um novo apelido: Vale do Silício Capixaba. Empresas, como a Atual Sistemas, atendem empreendimentos daqui do Espírito Santo e do Brasil afora, atraindo programadores de outros estados.

publicidade

Cidades

Ranking Internacional: Vila Velha é a mais transparente da Grande Vitória

Publicado

Vila Velha é a cidade líder da Grande Vitória em transparência pública e governabilidade. O dado é da ONG Transparência Internacional, que avaliou todos os 78 municípios do Espírito Santo no Ranking Capixaba de Transparência e Governança Pública 2022, lançado nesta terça (5).

Vila Velha é o 2º lugar geral no Espírito Santo com 95,73 pontos. O município está entre os poucos com nota considerada ótima.

O objetivo é estimular essas prefeituras a melhorarem suas agendas de transparência, participação cidadã, abertura de dados, transformação digital, acesso à informação e combate à corrupção.

A escala do ranking vai de 0 a 100 pontos. A nota 0 (péssimo) significa que a prefeitura é avaliada como fechada à participação da sociedade e 100 (ótimo) indica que ela oferece alto grau de transparência e participação social.

Para se chegar ao resultado, foram avaliados os portais de transparência e sites oficiais das prefeituras capixabas, usando metodologia da Transparência Internacional – Brasil, com o objetivo de oferecer um instrumento adicional para que a sociedade, a imprensa e os próprios órgãos de controle tenham acesso à informação e monitorem as ações do poder público na promoção da transparência, da participação social e no combate à corrupção.

Leia mais:  Secretária de Linhares é eleita conselheira titular do Conselho Estadual de Assistência Social

O prefeito Arnaldinho Borgo disse que o município deu um salto em transparência pública e isso mostra o nível de comprometimento e respeito não só com os recursos, mas mostra para os munícipes e órgãos de controle como esses recursos voltam à sociedade. 

“Em 2020 estávamos em 23º lugar, chegamos ao 3º em 2021 e já estamos melhor colocados na avaliação da Transparência Internacional. Ou seja, Vila Velha bem avaliada por órgão internacional, se destacando e caminhando para a 1ª colocação na avaliação oficial do Tribunal de Contas, previsto para ser divulgado no próximo mês de agosto. Esse dado é muito importante, fruto de muito trabalho da nossa equipe qualificada”, avalia o prefeito Arnaldinho Borgo. 

O secretário de Controle e Transparência, Otávio Postay, ressalta que “o resultado positivo reflete o conjunto de várias ações internas voltadas para o desenvolvimento de uma gestão pública transparente, que oferece informações à sociedade, permitindo ao cidadão colaborar no controle das ações do governo e se os recursos públicos estão sendo usados como deveriam”.

Leia mais:  Conselho Tutelar toma posse em Nova Venécia e Kerllon foi o mais votado

Confira aqui o ranking completo com as notas dos municípios capixabas.

Continue lendo

Cidades

Nova carga: primeiros vagões de celulose solúvel chegam ao Portocel

Publicado

A carga, da LD Celulose, chegou por ferrovia, oriunda da fábrica que fica na região do Triângulo Mineiro

Aracruz – O Portocel, terminal portuário situado no município de Aracruz (ES), recebeu no final da última semana 62 vagões de celulose solúvel produzida pela LD Celulose, que iniciou a operação de sua fábrica instalada entre os municípios de Indianópolis e Araguari, no Triângulo Mineiro. Este é o primeiro carregamento do produto e marca o início da parceria da empresa com o Portocel, que deve exportar toda a produção da companhia – cerca de 500 mil toneladas/ano quando estiver operando a plena capacidade. 

Para operar com essa nova carga, Portocel investiu cerca de R$ 38 milhões em adequações de infraestrutura, incluindo a ampliação do ramal ferroviário e a cobertura de um trecho dos trilhos. A primeira carga, recebida na noite do dia 1º de julho, foi estocada na área de armazéns do porto, enquanto aguarda o embarque.

A LD Celulose, uma joint venture entre o grupo austríaco Lenzing e a brasileira Duratex, vai destinar a produção ao abastecimento das unidades da Lenzing, que fornece fibras celulósicas a fabricantes globais de têxteis e não tecidos. A chegada dessa nova carga está alinhada à estratégia de Portocel de atrair novos clientes e fortalecer seu posicionamento como opção logística diferenciada.

Leia mais:  Aeroporto de Vitória terá voos para Governador Valadares e três cidades na Bahia

O Terminal, controlado pela Suzano e Cenibra, é reconhecido pela excelência na movimentação de produtos florestais, e vem utilizando essa mesma excelência para atrair outros clientes e diferentes tipos de carga. Um exemplo é a movimentação de granito, iniciada no final de 2020, além de produtos siderúrgicos e outros materiais que o porto já movimenta. 

“Temos investido fortemente em modernização, com novas tecnologias e aperfeiçoamento de nossas equipes. Assim estamos fortalecendo a parceria com os atuais clientes e atraindo novas cargas. Somos um porto multimodal, podemos receber carga por ferrovia, rodovia e por cabotagem marítima, condições que nos diferenciam em logística portuária”, destaca Valeria Becalli Provete, gerente de Estratégia e Gestão de Novos Negócios de Portocel.

Sobre Portocel – Com capacidade para embarcar 7,5 milhões de toneladas/ano de cargas, Portocel é reconhecido por sua eficiência na movimentação de produtos florestais e outras cargas, dispondo de completa infraestrutura logística, instalações e equipamentos integrados a diferentes modalidades de transporte: importação e exportação, longo curso e cabotagem, cargas gerais, projetos, granéis e operações de oil & gas. O porto é controlado por dois grandes players do setor de celulose e papel: a Suzano e a Cenibra. Com localização privilegiada no município de Aracruz (ES), o terminal está conectado por malha rodoviária e ferroviária aos principais centros produtivos e de consumo do país.

Leia mais:  Inscrições abertas para o Prêmio Cafés Especiais do Espírito Santo

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana