conecte-se conosco


Cidades

Calado dinâmico amplia eficiência e segurança na manobra de navios no Portocel

Publicado

O Terminal é um dos primeiros da América Latina a obter autorização para operar com o sistema, que oferece exatidão no cálculo do calado e permite ampliar carga em navios 

Aracruz – O Portocel, localizado em Aracruz (ES), iniciou no mês de abril os primeiros testes de manobra de navio utilizando o sistema de calado dinâmico, estando entre os primeiros portos da América Latina autorizados a operar nesta modalidade. As regras dinâmicas de definição do calado utilizam recursos – como o ReDRAFT® – que calculam em tempo real e com previsão a folga dinâmica abaixo da quilha (espécie de espinha dorsal da embarcação), com base nas características de cada navio e do canal de acesso, considerando ainda as condições ambientais do momento da manobra (ondas, ventos e outras).

Visualização da imagem

O cálculo informa com precisão qual é o calado máximo e/ou qual a próxima janela segura para navegação, de acordo com as condições analisadas, permitindo operar com maior calado e ampliando a capacidade de carga. Além da equipe do Portocel, acompanharam os primeiros testes representantes da Capitania dos Portos, Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Praticagem do Espírito Santo e da Argonáutica, empresa que opera o ReDRAFT®.

“Os primeiros testes foram considerados um sucesso desde as atividades de preparação, que antecederam a manobra, até a execução pelos práticos”, destaca Anderson da Silva Santos, gerente de Operações e Planejamento Portuário de Portocel. Ele explica que o sistema de calado dinâmico oferece mais segurança e eficiência para o Terminal a partir do cálculo racional da folga dinâmica abaixo da quilha.

Visualização da imagem

“Em condições adversas, em que possa haver risco de toque da embarcação no fundo mesmo com a aplicação da regra do calado estático, a ferramenta apresenta dados informando os calados máximos seguros para navegação, podendo levar a uma decisão de redução do calado para não postergar a manobra, ou à escolha de uma outra janela considerada segura para saída do navio”, detalha Santos. O porto vai realizar 30 testes, em diferentes condições de navegação, até a validação final do sistema, o que ele espera que ocorra até o mês de junho.

Leia mais:  Iema publica instrução normativa para auxiliar municípios afetados pela chuva

O coordenador de Gestão e Programação Portuária da Codesa, Leandro Cota de Lima, salienta que a tecnologia do calado dinâmico já está sendo concretizada no Espírito Santo a partir dos testes iniciados no Portocel, realizados com sucesso. “O sistema permite ao porto identificar as melhores oportunidades de navegação, oferecendo mais segurança e favorecendo ganhos de produtividade”, destaca ele, que acompanhou o primeiro teste realizado no Terminal.

Na avaliação do Capitão dos Portos do Espírito Santo, Alexsander Moreira dos Anjos, a implantação do novo sistema vai promover benefícios diretos e indiretos, no que diz respeito à segurança da navegação, ao permitir aferição mais precisa por meio de sensores eletrônicos aplicados numa sistemática de regras para as manobras de navios. Além disso, o ganho na operacionalização do sistema portuário será significativo quando os navios atracados nos berços puderem ser carregados e manobrados dentro de um tempo devidamente dimensionado e otimizado, sem falar no acréscimo da quantidade de carga operada nos portos capixabas, tendo em vista a redução do tempo de permanência do navio no porto. “Ganha todo o setor produtivo, gerando competitividade, emprego e renda, mas também ganha a sociedade capixaba ao ver o seu Estado ser pioneiro em geração de tecnologia e inovação. E ganha a Marinha do Brasil, parceira na implementação de um sistema avançado que ajudará a garantir ainda mais a segurança da navegação”, destaca ele.

Desenvolvimento em etapas – Até chegar à fase de manobras experimentais, o projeto de calado dinâmico no Portocel passou por diversas etapas de desenvolvimento. O projeto teve início em 2018 e as primeiras atividades foram dedicadas à instalação de equipamentos de sensoriamento remoto para medição contínua das condições do vento, maré, correntes e ondas, formando uma robusta e confiável base de dados. Foram analisados ainda os resultados das batimetrias, além do desenvolvimento e aplicação de modelos matemáticos para avaliar condições ambientais e diferentes classes de navios, permitindo cálculos com até sete dias de antecedência.

Vantagens – As análises de viabilidade para implantação do projeto demonstraram que cerca de 3% das manobras em condições desfavoráveis seriam evitadas, incrementando a segurança da navegação. Adicionalmente, seria possível obter, em determinadas condições, uma redução de até 3,7 horas no tempo de espera ou aumento de até 66 cm de calado. Esses dados foram obtidos considerando manobras de saída em Portocel entre 2017 e 2020 e comparam os calados praticados com os que seriam os máximos indicados pelo ReDRAFT® para os respectivos horários de manobras.

Leia mais:  Câmara aprova projeto que altera licença-paternidade de servidores para 20 dias

A expectativa é de que haja também um ganho de flexibilidade na escolha de janelas seguras para navegação. Durante as análises para marcação da primeira manobra de teste com o navio Mandarin Arrow, por exemplo, com calado máximo de 12.80 m, foi possível observar que o uso da ferramenta resultaria em aumento da janela de navegação disponível três vezes superior ao praticado atualmente, considerando o período entre 1 e 8 de abril, segundo informou Santos.

O Gerente de Operações Portuárias de Portocel salienta que os investimentos contínuos do setor portuário em tecnologias inovadoras permitem ao Brasil seguir as melhores práticas internacionais, contribuindo para a segurança, eficiência e o meio ambiente. “Quando olhamos os últimos dez anos, é impressionante a evolução da indústria portuária no Brasil, que passou a estudar e a entender melhor as áreas molhadas do porto buscando a máxima eficiência e segurança. É o que temos feito continuamente no Portocel”, finaliza Anderson Santos.

Sobre Portocel – Com capacidade para embarcar 7,5 milhões de toneladas/ano de cargas, Portocel é reconhecido por sua eficiência na movimentação de produtos florestais e outras cargas, dispondo de completa infraestrutura logística, instalações e equipamentos integrados a diferentes modalidades de transporte: importação e exportação, longo curso e cabotagem, cargas gerais, projetos, granéis e operações de oil & gas. O porto é controlado por dois grandes players do setor de celulose e papel: a Suzano e a Cenibra. Com localização privilegiada no município de Aracruz (ES), o terminal está conectado por malha rodoviária e ferroviária aos principais centros produtivos e de consumo do país.

publicidade

Cidades

Crianças e Adolescentes atendidas no Cras realizam visita às polícias civil e militar em Jaguaré

Publicado

Policiais apresentaram o trabalho dos agentes de segurança para os jovens

Crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SFCV do Centro de Referência em Assistência Social – Cras, participaram de uma roda de conversa com os policiais em uma visita à 18ª Companhia Independente de Polícia Militar de Jaguaré e à Delegacia de Polícia Civil do município.

A visita teve o objetivo de levar as crianças a conhecer o trabalho das polícias e sua importância na sociedade, além de criar aproximação e construção de conceitos corretos sobre as forças de segurança.

Cerca de 40 crianças visitaram o espaço físico, a rotina de trabalho que envolve o atendimento, investigação, ronda, e tudo mais que envolve as ações das polícias civil e militar.

Após muita interação no bate papo com os policiais, em que os agentes responderam perguntas dos jovens sobre as ações de segurança, houve um momento de andar na viatura e ter contato com instrumentos de trabalho dos policiais como distintivo, colete à prova de bala e outros.

Leia mais:  Câmara aprova projeto que altera licença-paternidade de servidores para 20 dias

Continue lendo

Cidades

Suzano anuncia intenção de construir fábrica de papel tissue e conversão em Aracruz (ES)

Publicado

Projeto, ainda sujeito à aprovação do Conselho de Administração da empresa, terá capacidade produtiva de 60 mil toneladas anuais

A Suzanoreferência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, anuncia a intenção de construir uma fábrica de papel tissue e conversão em Aracruz, município localizado no norte do Espírito Santo. O projeto, ainda sujeito à aprovação por parte do Conselho de Administração da companhia, prevê que a unidade terá capacidade para produzir 60 mil toneladas anuais de tissue, produto a ser convertido em papel higiênico e papel toalha.

Inicialmente estimado em cerca de R$ 600 milhões, o projeto levará dois anos até estar concluído. Durante o período das obras, a previsão é de que sejam gerados 300 postos de trabalho. Após o início da produção, cerca de 200 colaboradores e colaboradoras, diretos e indiretos, trabalharão na unidade.

“A intenção de construirmos uma nova fábrica reforça o compromisso da Suzano com o desenvolvimento do Espírito Santo. No final de 2019, anunciamos investimento de quase R$ 1 bilhão no estado, incluindo a construção de uma fábrica em Cachoeiro de Itapemirim. A unidade entrou em operação no início de 2021 e agora, menos de um ano e meio depois, anunciamos o plano de viabilizar mais um importante investimento no estado”, afirma Walter Schalka, presidente da Suzano.

Leia mais:  Rio Doce apresenta recuperação com redução no volume de rejeitos

A construção de uma fábrica de papel tissue e conversão em Aracruz está alinhada à estratégia da Suzano de avançar nos elos da cadeia, sempre com vantagem competitiva, e garantir o abastecimento ao crescente mercado brasileiro de produtos sanitários. Em Cachoeiro de Itapemirim, por exemplo, a Suzano tem capacidade para converter papel tissue em 30 mil toneladas anuais de papéis higiênicos, o que equivale a 1 milhão de rolos por dia.

O projeto em Aracruz está sujeito à verificação de condições precedentes e ainda será submetido à análise do Conselho de Administração da Suzano e das autoridades locais competentes.

“Já estivemos presentes nos investimentos anteriores da Suzano, que contou com uso de crédito de ICMS, e continuando com a nossa política de atração criamos ambiente para que a empresa tivesse outro investimento em nosso Estado. Para nós a Suzano é uma empresa estratégica para o Estado. Temos política de uso de crédito de exportação que permite que a empresa faça negociações no mercado, desde que a atividade que seja ampliada gere emprego e ICMS. O que importa para nós é que os empreendedores tenham confiança em vir e estar no Espírito Santo. Nossa tarefa é gerar oportunidades aos capixabas”, afirma o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande.

A Suzano emprega direta e indiretamente cerca de 5 mil pessoas em território capixaba. Mais recente fábrica construída pela Suzano, a unidade de Cachoeiro de Itapemirim é a quinta linha de produção da unidade de bens de consumo da Suzano, responsável pela fabricação de itens como papéis higiênicos, guardanapos e papéis-toalha. A companhia possui fábricas de produção de tissue em Belém (PA), Mucuri (BA) e Imperatriz (MA), além de unidades de conversão em Maracanaú (CE) e Cachoeiro de Itapemirim.

Leia mais:  Iema publica instrução normativa para auxiliar municípios afetados pela chuva

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana