conecte-se conosco


Internacional

Canadá: vacinação salta após Quebec exigir comprovante para comprar maconha

Publicado

O crescimento aconteceu após o anúncio de restrições na venda de álcool e maconha – que é legalizada para fins recreativos no país desde 2018 – a não vacinados

O número de pessoas que se inscreveu para receber a primeira dose de uma vacina contra a covid-19 aumentou mais de 400% em apenas uma semana na província canadense de Quebec, segundo o Ministro da Saúde da província, Christian Dube. 

O crescimento aconteceu após o anúncio de restrições na venda de álcool e maconha – que é legalizada para fins recreativos no país desde 2018 – a não vacinados. Quebec é a segunda província mais populosa do Canadá.

Na sexta-feira, 7, Dubé afirmou que o número de agendamentos diários subiu de 1,5 mil para mais de 6 mil e agradeceu àqueles que finalmente decidiram dar o primeiro passo para a imunização.

A mensagem foi publicada um dia após ele dizer que um passaporte sanitário, comprovando a vacinação, passaria a ser exigido de todos aqueles que desejarem entrar em lojas associadas à Société des alcools du Québec (SAQ) e à Société québécoise du cannabis (SQDC), órgãos que regulamentam estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas e maconha na província.

A exigência entra em vigor na terça-feira, 18, e será ampliada para outros estabelecimentos não essenciais, que devem ser anunciados nos próximos dias.

Imposto

Paralisada pela propagação da variante Ômicron, Quebec vai criar nas próximas semanas um novo imposto sanitário para quem não está vacinado contra a covid-19. “Estamos trabalhando em uma contribuição de saúde para todos os adultos que se recusam a ser vacinados, pois eles representam um fardo financeiro para todos os cidadãos da província”, disse o governador de Quebec, François Legault. (Com agências internacionais).

Leia mais:  Pelo menos 16 milhões de pessoas estão de quarentena na Itália
publicidade

Internacional

Tsunami atinge Tonga após erupção de vulcão submarino

Publicado

Ondas de tsunami foram observadas nas ilhas de Tonga e Samoa Americana neste sábado (15) após a erupção de um vulcão submarino no Pacífico Sul. O vulcão explodiu em uma erupção violenta no sábado, enviando uma nuvem de cinzas e vapor de gás para o ar.

O vulcão Hunga-Tonga-Hunga-Ha’apai, localizado a 65 quilômetros da capital de Tonga, entrou em erupção pela primeira vez na sexta-feira (14), enviando uma nuvem de cinzas a 20 quilômetros no ar, de acordo com a Radio New Zealand (RNZ).

Uma segunda erupção ocorreu no sábado às 17h26, horário local, informou a RNZ. Imagens de satélite mostram uma enorme nuvem de cinzas e ondas de choque se espalhando a partir da erupção.

Ondas de tsunami de 83 centímetros foram observadas por medidores na capital tonganesa, e de 60 centímetros em Pago Pago, capital da Samoa Americana, segundo o Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico.

As ondas causadas pela erupção cruzaram a costa da capital de Tonga, Nuku’alofa, fluindo para estradas costeiras e inundando propriedades, de acordo com a RNZ.

Erupção de vulcão submarino foi registrada por um satélite

Erupção de vulcão submarino foi registrada por um satélite.

Além do alerta para tsunami, os Serviços Meteorológicos de Tonga emitiram alertas para chuvas fortes, inundações repentinas e ventos fortes em terras e águas costeiras.

A ilha vizinha de Fiji também emitiu um aviso público pedindo às pessoas que vivem em áreas costeiras baixas que “se movam para a segurança em antecipação às fortes correntes e ondas perigosas”.

Até o momento, nenhum alerta foi emitido para os territórias da Austrália e da Nova Zelândia, segundo a agência de monitoramento.

Um alerta anterior de tsunami emitido para a Samoa Americana chegou a ser cancelado, de acordo com o NWS Pacific Tsunami Warning Center. O vulcão estava ativo desde 20 de dezembro, mas foi declarado inativo em 11 de janeiro, segundo a RNZ.

Leia mais:  Pelo menos 16 milhões de pessoas estão de quarentena na Itália
Continue lendo

Internacional

Vídeo: Cidade argentina é invadida por milhões de besouros

Publicado

Onda de calor que atingiu o país levou os insetos a tomar conta de uma localidade na região central do país

A onda de calor que afeta a maior parte da Argentina desde a semana passada trouxe visitantes indesejados para a cidade de Santa Isabel, que fica a cerca de 860 km a oeste de Buenos Aires, na província de La Pampa, região central do país.

Milhões de besouros cascudos invadiram parques, casas, estacionamentos e prédios públicos na cidade. Apesar de a cena lembrar uma praga bíblica e de os insetos não serem a companhia mais agradável, eles não representam riscos para a saúde das pessoas.

Família encheu cinco caixas com os besouros que invadiram sua casa em Santa Isabel.

De acordo com o jornal local La Voz, é comum que os besouros saiam de suas tocas debaixo da terra nesta época do ano, para se reproduzirem. No entanto, o forte calor neste início de 2022 fez com que a população de insetos procurasse mais a cidade, que fica em uma região desértica.

Uma família precisou chamar a polícia para ajudar devido à invasão de besouros em sua casa. Os agentes ajudaram a retirar cinco caixas cheias de insetos, e as imagens viralizaram na internet. Veja no vídeo abaixo.

No Twitter, uma especialista em meteorologia da região, chamada Cindy Fernández, explicou que os insetos “tendem a se aglomerar nas cidades por causa da luz, e são irritantes e malcheirosos”.

“Para combatê-los, algumas cidades como Telén, Victorica e Carro Quemado desligaram a iluminação pública e acenderam tambores com fogo. Embora sejam completamente inofensivos, esses insetos pesados ​​colidem violentamente com tudo em seu caminho; por isso é recomendável cobrir o rosto e os olhos para evitar ferimentos por impacto”, alertou Fernández.

Em Santa Isabel, o problema é que uma estrada nacional atravessa a pequena cidade, e apagar a iluminação poderia ser perigoso tanto para motoristas quanto para pedestres.

As autoridades também alertaram a população para problemas com a grande quantidade de insetos, que podem causar danos a telhados, tampar calhas e quebrar lajes.

Leia mais:  Influencer morre aos 32 anos ao tentar tirar selfie em cachoeira
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana