conecte-se conosco


Segurança

Cão farejador Baruck: Denarc de Aracruz ganha novo integrante

Publicado

O cão Baruck é o mais novo integrante da equipe da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz. Sua raça, pastor-belga-malinois, é conhecida pelo excelente trabalho como farejador. O recém-chegado K9 Baruck, de apenas 1 ano de idade, tem o nome de origem hebraica e significa “bem-aventurado”. 

O cão está em treinamento, mas, na última semana, já mostrou excelente desempenho durante duas operações realizadas pela equipe da Denarc, com apreensões de drogas e detenção de suspeitos de tráfico.

De acordo com o dono do animal  e também titular da Denarc de Aracruz, delegado André Jaretta, o cão participará das operações em repressão ao tráfico de drogas na região. “Na última quinta-feira (15), no bairro Santa Cruz, com o auxílio do K9 Baruck, a Denarc de Aracruz prendeu um suspeito de 32 anos e apreendeu três tabletes de maconha, um pino de cocaína e uma balança de precisão. Já na última sexta-feira (16), no bairro Coqueiral de Aracruz, foi detido um suspeito de 24 anos e apreendidos um tablete e três buchas de maconha, um tablete de cocaína, uma bucha de ‘haxixe’, oito unidades de ecstasy, uma balança de precisão e dinheiro em espécie”, detalhou Jaretta.


Os dois suspeitos, de 32 e 24 anos, foram conduzidos ao plantão da 13ª Delegacia Regional de Aracruz, onde foram autuados, em flagrante, por tráfico de drogas e, posteriormente, encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aracruz, ficando à disposição da Justiça.


O delegado André Jaretta conta que ter um cão sempre foi seu sonho, mas nunca tinha se arriscado com essa tarefa. “Quando fui coordenador da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), convivi com o cão Wookie, da raça pastor-belga-mallinois. Vendo o cão trabalhar, eu fui pegando amor pela força que ele trabalhava e vi ali que, além de ferramenta para auxiliar no meu trabalho diário, eu teria um parceiro, um amigo para todas as horas”, comentou Jaretta. 

Após essa experiência, Jaretta procurou um canil de confiança em Linhares, que pertence a dois bombeiros militares, que indicaram um cão dentro de uma ninhada, que tinha um perfil dócil, companheiro e que, ao mesmo tempo, pudesse auxiliar no trabalho à frente da Denarc. “Eu peguei ele com 45 dias de vida e, desde então, ele fica na minha casa. Quase todos os dias, realizo um treino com ele, sob assessoria do policial civil e veterinário, Morgado, e dos dois bombeiros donos do canil, que desde que peguei o Baruck ele tem me auxiliado nas tarefas para que se torne um cão farejador”, conta o delegado, emocionado. 

Jarreta disse que o jovem Baruck está quase pronto para atuar na detecção de entorpecentes, restando aprimorar e refinar algumas pequenas coisas. “Baruck é um cão fantástico, companheiro e superdócil. Estou muito feliz de ter um amigo desses ao meu lado e que, ao mesmo tempo, é meu companheiro de trabalho”, frisou o delegado. 

 

Cães na Polícia Civil 

O delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, explica que existe uma autorização legal para custear a alimentação de três cães, Spy, Wookie e o Zack. Os demais cães pertencem aos policiais, mas têm autorização para serem utilizados no ambiente de trabalho. “Estamos estudando a criação de um setor específico dessa metodologia de trabalho, que é o cão farejador, conhecido como K9”, disse Arruda.

Segundo o agente de polícia e veterinário, Jorge Morgado, em breve a Polícia Civil terá um novo integrante. Com o nascimento de uma nova ninhada do pastor-belga-mallinois Wookie, o policial pretende treinar um cão para futuramente substituí-lo. “Em breve, quero implementar um curso de cinotecnia, adestramento de cães, na Polícia Civil. O curso será realizado em parceria da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), com a Academia de Polícia Civil (Acadepol) do Espírito Santo”, informou  Morgado.

A listagem abaixo conta com cães de 01 a 09 anos de idade. A maioria deles atua como cão de detecção de entorpecentes e um atua como cão de detecção de cadáver. 

Zack –  O cão de 9 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), como um cão de detecção de entorpecentes. 

Spy – Com 5 anos, da raça pastor alemãoSpy atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como um cão de detecção de cadáver. O cão teve uma grande contribuição para um caso que teve grande repercussão nas mídias. Spy localizou o corpo de uma mulher enterrada nos fundos do quintal da casa do suspeito, em novembro de 2018, no bairro Soteco, em Viana. 

Wookie –  O cão de 7 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), como um cão de detecção de entorpecentes. Uma operação marcante que o Wookie participou foi em Santa Maria de Jetibá, em uma operação contra o tráfico na região. 

“A única droga apreendida nesta operação foi uma droga apreendida pelo Wookie que estava enterrada em um cafezal da região. Ele começou a cavar, quando vi ele encontrou um saco com 375 pedras de crack. A apreensão de drogas em investigações contra o tráfico concretiza e fortalece a investigação. Nesse dia, ele conquistou meu coração”, lembrou o agente de polícia civil Jorge Morgado, e veterinário, responsável pelo cão. 

Hulk – O cão de 3 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia de Polícia Civil de Marataízes como um cão de detecção de entorpecentes, desde 2019. A primeira participação de Hulk foi em fevereiro de 2019, com apenas 1 ano, durante uma operação conjunta da Polícia Civil (PCES) e Polícia Militar (PMES), em Itaipava, no município de Itapemirim.

“No dia dessa operação, foi detido um suspeito de 24 anos, além da apreensão de 45 pinos e 14 papelotes de cocaína, oito buchas e um tablete de maconha, R$ 2.376,00 em espécie, uma balança de precisão e materiais para embalo de drogas”, disse o agente Renyer, lotado na Delegacia de Polícia de Marataízes e dono do Hulk.

Kyra – A cadela de 3 anos de idade, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Colatina, desde 2019. Sua primeira participação em operações foi nas três fases da Operação Mark Chapman, realizada em agosto de 2019, “desde então, a Kyra tem atuado em outras diversas ações da Denarc de Colatina e apoiado as delegacias das cidades vizinhas da Superintendência Regional Norte e a Polícia Militar de Colatina”, destacou o delegado Deverly Pereira Junior, titular da Denarc de Colatina e dono de Kyra. 

Baruck –  O mais novo da turma, de apenas 1 ano, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz como um cão de detecção de entorpecentes. 

Leia mais:  Morador de rua é atingido com um tiro na cabeça
publicidade

Segurança

Mototaxista de 43 anos é morto á tiros em São Gabriel da Palha

Publicado

O crime aconteceu no final da noite detsa quarta-feira (5), próximo a quadra de esportes do bairro Boa Vista, em São Gabriel da Palha, segundo informações da Polícia Militar, o CCO foi acionado por volta das 23h20min com a informação que havia um motoqueiro baleado no local.

Ao chegar no local os policiais constataram que se tratava de um mototaxista e já estava sem vida, segundo a PM, o mototaxista foi identificado por Marcelo Pelegrini, 43 anos, ele estava caído com sua moto sobre o corpo e foi atingido por disparos de arma de fogo. Durante o trabalho da perícia foi encontrado em seu bolso 2 papelotes de cocaína e um envólucro com 59 pedras de crack.

A PM recebeu uma denúncia anônima informando que o mototaxista estava parado próximo a quadro de esportes falando no telefone quando um indivíduo em uma moto se aproximou e efetuou cerca de quatro disparos, em seguida fugiu em direção ao bairro Santa Helena. O local do crime, segundo a PM tem uma atuação intensa do tráfico de drogas.

Investigadores da Polícia Civil estiveram no local em busca de informações que auxilie na investigação. Qualquer informação pode ser passada de forma anônima pelo 181 ou 3727-3770.

Leia mais:  BPMA flagra rinha de galo, resgata 84 animais e detém suspeitos
Continue lendo

Segurança

Corpo de jovem é encontrado parcialmente carbonizado em lavoura de café

Publicado

A vítima foi até a cidade de Mantenópolis na companhia de um amigo para resolver algumas pendências. A motivação do crime ainda é desconhecida

O corpo de um homem foi encontrado nesta quarta-feira (03), parcialmente carbonizado em uma lavoura de café, em Mantenópolis, no noroeste do Espírito Santo. A vítima foi identificada como João Pedro Vargas, de 25 anos. 

De acordo com a Polícia Militar, uma pessoa encontrou o corpo e acionou a equipe. A polícia informou que, após o corpo ser encontrado, o amigo da vítima foi até o local e reconheceu o rapaz pelas roupas. 

A Polícia Civil foi questionada sobre a investigação do caso, mas até a publicação desta reportagem, não foi dado um retorno. Assim que informações forem enviadas, o conteúdo será atualizado. 

Leia mais:  PRF apreende quase R$ 150 mil durante fiscalização na BR-101
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana