conecte-se conosco


Segurança

Cão farejador Baruck: Denarc de Aracruz ganha novo integrante

Publicado

O cão Baruck é o mais novo integrante da equipe da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz. Sua raça, pastor-belga-malinois, é conhecida pelo excelente trabalho como farejador. O recém-chegado K9 Baruck, de apenas 1 ano de idade, tem o nome de origem hebraica e significa “bem-aventurado”. 

O cão está em treinamento, mas, na última semana, já mostrou excelente desempenho durante duas operações realizadas pela equipe da Denarc, com apreensões de drogas e detenção de suspeitos de tráfico.

De acordo com o dono do animal  e também titular da Denarc de Aracruz, delegado André Jaretta, o cão participará das operações em repressão ao tráfico de drogas na região. “Na última quinta-feira (15), no bairro Santa Cruz, com o auxílio do K9 Baruck, a Denarc de Aracruz prendeu um suspeito de 32 anos e apreendeu três tabletes de maconha, um pino de cocaína e uma balança de precisão. Já na última sexta-feira (16), no bairro Coqueiral de Aracruz, foi detido um suspeito de 24 anos e apreendidos um tablete e três buchas de maconha, um tablete de cocaína, uma bucha de ‘haxixe’, oito unidades de ecstasy, uma balança de precisão e dinheiro em espécie”, detalhou Jaretta.


Os dois suspeitos, de 32 e 24 anos, foram conduzidos ao plantão da 13ª Delegacia Regional de Aracruz, onde foram autuados, em flagrante, por tráfico de drogas e, posteriormente, encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aracruz, ficando à disposição da Justiça.


O delegado André Jaretta conta que ter um cão sempre foi seu sonho, mas nunca tinha se arriscado com essa tarefa. “Quando fui coordenador da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), convivi com o cão Wookie, da raça pastor-belga-mallinois. Vendo o cão trabalhar, eu fui pegando amor pela força que ele trabalhava e vi ali que, além de ferramenta para auxiliar no meu trabalho diário, eu teria um parceiro, um amigo para todas as horas”, comentou Jaretta. 

Após essa experiência, Jaretta procurou um canil de confiança em Linhares, que pertence a dois bombeiros militares, que indicaram um cão dentro de uma ninhada, que tinha um perfil dócil, companheiro e que, ao mesmo tempo, pudesse auxiliar no trabalho à frente da Denarc. “Eu peguei ele com 45 dias de vida e, desde então, ele fica na minha casa. Quase todos os dias, realizo um treino com ele, sob assessoria do policial civil e veterinário, Morgado, e dos dois bombeiros donos do canil, que desde que peguei o Baruck ele tem me auxiliado nas tarefas para que se torne um cão farejador”, conta o delegado, emocionado. 

Jarreta disse que o jovem Baruck está quase pronto para atuar na detecção de entorpecentes, restando aprimorar e refinar algumas pequenas coisas. “Baruck é um cão fantástico, companheiro e superdócil. Estou muito feliz de ter um amigo desses ao meu lado e que, ao mesmo tempo, é meu companheiro de trabalho”, frisou o delegado. 

 

Cães na Polícia Civil 

O delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, explica que existe uma autorização legal para custear a alimentação de três cães, Spy, Wookie e o Zack. Os demais cães pertencem aos policiais, mas têm autorização para serem utilizados no ambiente de trabalho. “Estamos estudando a criação de um setor específico dessa metodologia de trabalho, que é o cão farejador, conhecido como K9”, disse Arruda.

Segundo o agente de polícia e veterinário, Jorge Morgado, em breve a Polícia Civil terá um novo integrante. Com o nascimento de uma nova ninhada do pastor-belga-mallinois Wookie, o policial pretende treinar um cão para futuramente substituí-lo. “Em breve, quero implementar um curso de cinotecnia, adestramento de cães, na Polícia Civil. O curso será realizado em parceria da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), com a Academia de Polícia Civil (Acadepol) do Espírito Santo”, informou  Morgado.

A listagem abaixo conta com cães de 01 a 09 anos de idade. A maioria deles atua como cão de detecção de entorpecentes e um atua como cão de detecção de cadáver. 

Zack –  O cão de 9 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), como um cão de detecção de entorpecentes. 

Spy – Com 5 anos, da raça pastor alemãoSpy atua no Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como um cão de detecção de cadáver. O cão teve uma grande contribuição para um caso que teve grande repercussão nas mídias. Spy localizou o corpo de uma mulher enterrada nos fundos do quintal da casa do suspeito, em novembro de 2018, no bairro Soteco, em Viana. 

Wookie –  O cão de 7 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), como um cão de detecção de entorpecentes. Uma operação marcante que o Wookie participou foi em Santa Maria de Jetibá, em uma operação contra o tráfico na região. 

“A única droga apreendida nesta operação foi uma droga apreendida pelo Wookie que estava enterrada em um cafezal da região. Ele começou a cavar, quando vi ele encontrou um saco com 375 pedras de crack. A apreensão de drogas em investigações contra o tráfico concretiza e fortalece a investigação. Nesse dia, ele conquistou meu coração”, lembrou o agente de polícia civil Jorge Morgado, e veterinário, responsável pelo cão. 

Hulk – O cão de 3 anos, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia de Polícia Civil de Marataízes como um cão de detecção de entorpecentes, desde 2019. A primeira participação de Hulk foi em fevereiro de 2019, com apenas 1 ano, durante uma operação conjunta da Polícia Civil (PCES) e Polícia Militar (PMES), em Itaipava, no município de Itapemirim.

“No dia dessa operação, foi detido um suspeito de 24 anos, além da apreensão de 45 pinos e 14 papelotes de cocaína, oito buchas e um tablete de maconha, R$ 2.376,00 em espécie, uma balança de precisão e materiais para embalo de drogas”, disse o agente Renyer, lotado na Delegacia de Polícia de Marataízes e dono do Hulk.

Kyra – A cadela de 3 anos de idade, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Colatina, desde 2019. Sua primeira participação em operações foi nas três fases da Operação Mark Chapman, realizada em agosto de 2019, “desde então, a Kyra tem atuado em outras diversas ações da Denarc de Colatina e apoiado as delegacias das cidades vizinhas da Superintendência Regional Norte e a Polícia Militar de Colatina”, destacou o delegado Deverly Pereira Junior, titular da Denarc de Colatina e dono de Kyra. 

Baruck –  O mais novo da turma, de apenas 1 ano, da raça pastor-belga-mallinois, atua na Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) de Aracruz como um cão de detecção de entorpecentes. 

Leia mais:  Preso suspeito de golpes virtuais contra médicos e seus familiares
publicidade

Segurança

Detento é espancado até a morte em Penitenciária de Viana

Publicado

O homem de 41 anos foi morto por companheiros de cela após ser acusado por outros detentos de abusar de uma menina de 8 anos

Um detento foi espancado até a morte por companheiros de cela no Complexo Penitenciário de Viana. O homem de 41 anos foi morto no Centro de Detenção Provisória de Viana II no último sábado (18), porque teria abusado de uma menina de 8 anos.

De acordo com o Sindicato dos Inspetores Penitenciários do Espírito Santo (Sindaspes), os detentos acionaram os agentes após o ocorrido e afirmaram que espancaram Renato Silvares até a morte porque ele teria molestado uma criança e os internos não admitem tal comportamento.

O chefe da equipe solicitou uma enfermeira de plantão, que confirmou a morte do detento na cela.

De acordo com a Secretaria de Justiça (Sejus), o homem estava preso desde maio de 2021 por roubo, mas já tinha três passagens na polícia por ameça, furto e roubo com uso de arma de fogo, sendo a mais antiga registrada em 2017.

A equipe da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local para colher depoimentos e três presos foram convocados pelos agentes para prestar esclarecimentos.

A Polícia Civil informou que dois internos, de 23 e 33 anos, foram conduzidos ao plantão do Departamento de Homicídios e autuados em flagrante pelo crime de homicídio. O caso segue sob apuração na Delegacia De Crimes Carcerários.

Leia mais:  Preso suspeito de golpes virtuais contra médicos e seus familiares
Continue lendo

Segurança

Grupo é preso ao realizar ‘pescaria’ de dinheiro em caixas eletrônicos de Cachoeiro de Itapemirim

Publicado

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estavam acontecendo em outras agências em Vitória e Vila Velha

Um grupo de criminosos, formado por dois homens e duas mulheres, foram presos em flagrante pela Polícia Militar, no último sábado (19). Eles tentavam “pescar” envelopes com dinheiro de um caixa eletrônico, em uma agência da Caixa Econômica Federal, em Cachoeiro de Itapemirim.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e o veículo que os indivíduos estavam utilizando foi identificado. A partir dessa informação, foi possível localiza-los dentro da agência bancária no sul do Estado praticando novos furtos.

Após a identificação, a PM efetuou a prisão e não houve resistência por parte do quarteto. Com eles, foram encontrados valores dos furtos cometidos anteriormente em pelos menos outras quatro agências, além dos apetrechos utilizados para o cometimento dos crimes.

Segundo a Polícia Federal, um série de furtos semelhantes estava acontecendo em outras agências em Vitória e Vila velha. Juntamente com a área de segurança do banco, a PF conseguiu identificar o grupo que estava realizando os crimes.

Crime é conhecido como “pescaria”

De acordo com a polícia, essa modalidade de furto é conhecida no meio criminal como “pescaria”. Na ação, é utilizada uma ferramenta própria para penetrar os cofres dos caixas e retirar valores depositados em envelopes. Esse dispositivo mecânico é comumente chamado de “jacaré”.

Um fato curioso que chamou atenção dos policiais envolvidos na apreensão é que dois dos quatro detidos foram presos em flagrante, pelo mesmo crime, no dia 17 de junho deste ano, no Estado da Bahia.

Leia mais:  Espírito Santo fecha 2019 com menos de 1 mil homicídios
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana