conecte-se conosco


Entretenimento

Carolina Ferraz não quer mais fazer novelas: ‘Deixo para os jovenzinhos’

Publicado

Nova apresentadora do ‘Domingo Espetacular’ fala ainda sobre beleza, maternidade e envelhecimento

“Não, não quero, cansei!” Essa são as palavras de Carolina Ferraz, nova apresentadora do Domingo Espetacular,  sobre a possibilidade de ela voltar a fazer novelas. “Novela é muito tempo da vida da gente. Sou atriz, vou seguir atuando, posso fazer minisséries, participações, cinema. Vou continuar com o teatro que é a minha paixão, mas realmente, novela, eu deixo para os jovenzinhos”, diz ela, emendando uma inconfundível gargalhada.

O temor do envelhecer é algo que passa longe na vida de Carolina Ferraz. Aos 52 anos, a atriz e apresentadora diz ter orgulho das marcas de expressão que o tempo trouxe a ela, mas confessa que, quando cisma, procura dar uma suavizada na pele.

“Não tenho nada contra procedimentos. Tenho tudo a favor. Acho que quem faz bem feito, fica um espetáculo!”

Adepta da ioga facial, Carolina diz ter tido excelentes resultados. “Gosto de tudo que é natural… Não tenho nada contra procedimentos. Tenho tudo a favor. Acho que quem faz bem feito, fica um espetáculo! Quero um dia poder mudar de ideia e fazer. Por acaso eu não fiz porque eu sou atriz. E a ioga facial é muito interessante porque ela dá uma supertonificada nos músculos. Sinto que mudou muito o meu aspecto”, conta.

Mãe de duas meninas, Valentina, de 25 anos, do primeiro casamento, com Mário Cohen, e Isabel, de 5, do atual marido, o médico Marcelo Marins, a apresentadora acredita que a diferença de idade entre as duas filhas não a fez mudar.

Carolina Ferraz e a filha Isabel, de 5 anos

“Acho que eu sou a mesma pessoa. Engraçado, porque as pessoas me perguntam muito isso. São dois momentos diferentes, mas é a mesma pessoa, só que 20 anos depois. Eu diria que para a Isabel é mais chato porque eu não dou mais conta de trepar em árvore, é muito difícil (risos). Eu antes trepava em árvore em um segundo, subia, era cheia de energia, toda animadona. Hoje, eu continuo animadona, mas eu já quero pescar, quero dar uma caminhada, uma nadadinha no lago… Eu não estou a fim de ficar… Para isso, passo o bastão para papai”, diz, aos risos.

“Só tenho mais quilometragem. É um carro. Rodou mais. Claro, que eu conheço caminhos melhores, já pasei várias vezes por ali, sei que ali tem um buraco, mas é o mesmo carro. É nesse sentido que eu digo. As pessoas têm uma fantasia de acharem que eu possa ter mudado. Eu sou a mesma pessoa, que dita as mesmas coisas. Gosto de acordar cedo… Mas é claro que eu tenho mais experiência. E a experiência faz com que você administre as coisas de uma maneira mais fácil. De fato é isso: acredito que sou a mesma pessoa 20 anos mais velha”, acrescenta.

Leia mais:  Lives dos sertanejos lucram e causam polêmica na pandemia
publicidade

Entretenimento

Saída de Faustão não foi motivada por problemas de saúde e deve ir para a Band

Publicado

O jeito é aguardar e ver qual será o próximo passo de um dos maiores apresentadores da TV brasileira

Foi noticiado que Fausto Silva não irá renovar o contrato com a TV Globo ao final de 2021. O apresentador do Domingão do Faustão, que está na emissora há 31 anos, não quer outra atração no canal. Com isso logo surgiram especulações sobre as motivações de sua saída, já que o artista não pretende se aposentar, não está com problemas de saúde e já pode ter em vista uma nova emissora!

Pois é, segundo informações do colunista Leo Dias, Johnny Saad, proprietário da Band, é amigo próximo de Faustão e teria dado carta branca para que ele escolhesse o dia e o horário de sua próxima atração. Além disso, vale citar que foi lá onde Faustão teve o seu primeiro programa, o Perdidos na Noite, então o retorno seria algo natural.

Outro rumor que surgiu seria um possível problema de saúde de Faustão, porém, está tudo certo com ele. Apesar de notícias recentes de que ele se internou em um hospital de São Paulo, uma fonte revelou que o apresentador faz com frequência um procedimento comum para quem passou por cirurgia bariátrica:

Ele está fazendo infiltrações uma vez por semana para tirar líquido. Mas ele está muito bem, disse a fonte. O jeito é aguardar e ver qual será o próximo passo de um dos maiores apresentadores da TV brasileira!

Leia mais:  Elba Ramalho diz que coronavírus foi criação de comunistas e pede desculpas após polêmica
Continue lendo

Entretenimento

Decadência da Globo. TV WA toma seleção nas Eliminatórias

Publicado

Depois de ficar sem a Libertadores, dividir o Brasileiro, emissora está sem o Brasil nos jogos fora até nas Eliminatórias da Copa

TV Brasil. Turner. Bandsports. Canais sem tradição em jogos da seleção brasileira.

Mas que mostraram o time de Neymar e Tite contra o Peru, em Lima.

E contra o Uruguai, em Montevidéu.

Desde maio de 2015, quando houve a devassa na cúpula da Fifa e confederações do mundo todo, principalmente a Conmebol, as negociações de transmissões de futebol ficaram mais transparentes.

A tradição, influência, bom relacionamento, parcerias históricas foram deixados de lado.

Passou a valer a livre concorrência.

O que coincidiu justamente com a decadência financeira da TV Globo.

Motivada pelo fim do privilégio de décadas da bilionária propaganda do governo central.

Pela pandemia.

Da concorrência fortíssima do streaming.

Inadequação às novas mídias.

Situações que pareciam eternas acabaram.

Como o domínio da emissora da Libertadores da América.

Por não ter condições de concorrer financeiramente com o SBT, a principal competição do continente foi para a emissora de Silvio Santos.

O Brasileiro, também outro bem que parecia hereditário, passou a ser dividido com a Turner.

O Carioca também foi para o SBT no ano passado.

Até que veio a derrota mais dolorida.

Os jogos da seleção brasileira.

A Globo não teve dinheiro para pagar todos os jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar. Apenas os que acontecem no país. O investimento a mais foi no jogo em Buenos Aires, contra a Argentina.

Por isso mostrou os confrontos contra a Bolívia e Venezuela. Tanto na tevê aberta como na fechada, pelo Sportv.

Viu escapar os jogos contra o Peru e o Uruguai em 2020.

Desmoralizada, voltou a negociar com a Mediapro, empresa que negocia as partidas das Eliminatórias pela Conmebol. Queria reverter a situação neste ano.

Tentou blefar. 

Usar sua tradição no futebol para retomar os seis jogos restantes. Contra Colômbia, Equador, Bolívia, Venezuela, Chile e Paraguai. Queria só estas partidas. O filé do filé.

Não os 50 jogos restantes, confrontos entre os adversários.

Os executivos da Mediapro foram claros. Não quiseram saber de tradição, de história, de ligação umbilical com a seleção, dos berros ufanistas de Galvão Bueno.

O pacote era fechado.

Em vez de 15 milhões de dólares, R$ 81 milhões, a Mediapro aceitava 11 milhões de dólares, cerca de R$ 60 milhões. Desconto pela pandemia.

Mas a Globo não teve esse dinheiro.

E, de surpresa, a TV WA, bancou os 11 milhões de dólares para a Mediapro.

Ficou com os 56 jogos.

Incluíndo os da seleção brasileira.

A TV Walter Abrahão pertence ao empresário Walter Abrahão Filho, que a comprou do filho do ex-presidente Lula, Fábio Luís da Silva. A emissora tinha o nome de Play TV, que durou de 2008 a até 2020.

Walter Abrahão tem o nome do pai que foi um dos maiores narradores esportivos do país. E que trabalhou por muito tempo na TV Tupi. Depois passou pelo SBT e TV Manchete.

A TV WA é a cabo. Mas também é captada por satélite.

Tudo indica que o governo brasileiro manterá o que fez na partida diante do Uruguai, quando apenas o EL Plus, da Turner, e a Bandsports, mostraram o confronto.

Sem tevê aberta.

A perda das partidas da seleção refletem diretamente nos patrocinadores.

A Globo não terá um total de oito jogos de 18 da seleção. Apenas os nove em casa e o da Argentina. É um golpe e tanto.

Assim como foi a Libertadores, o Carioca e perder a exclusividade no Brasileiro.

A CBF acompanhou a vitória da TWA de braços cruzados.

Não pôde interferir, brigar pela velha parceira, pela Globo.

Nem quis.

Desde que a emissora carioca não apoiou o ex-presidente Marco Polo del Nero, no processo de cassação imposto pela Fifa, a CBF passou a agir de forma distante.

Tanto que na Copa de 2018, na Rússia, acabou com todos os privilégios que a Globo sempre teve na concentração da seleção. Não teve acesso. E nem às famosas entrevistas exclusivas com atletas e treinador.

A política de tratar a Globo como uma qualquer segue.

As principais imagens da concentração e exclusivas com atletas e com Tite são feitas pela CBF TV.

Vale destacar que ainda segue a briga jurídica entre a Globo e a Fifa pela Copa do Mundo no Catar. A emissora não pagou 90 milhões de dólares, R$ 491 milhões, parcela de 2020. Usou a pandemia para suspender o pagamento de 600 milhões de dólares, R$ 3,2 bilhões.

A questão está longe de ser resolvida. A Globo pode perder os direitos de transmissão da Copa.

O momento financeiro na Globo é péssimo.

A emissora já perdeu inúmeros artistas, apresentadores e jornalistas importantes.

A crise é fortíssima.

Perder para a TV WA os jogos do Brasil nas Eliminatórias é significativo.

Até seus próprios narradores e jornalistas esportivos sentem.

O império ruiu..

Leia mais:  Morre Francisco Camargo, pai dos sertanejos Zezé e Luciano
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana