conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Casos de ‘doença do beijo’ aumentam depois do Carnaval

Publicado

Mononucleose pode ser transmitida até um ano após a contaminação; médica recomenda evitar beijos e compartilhamento de copos neste período

Carnaval e blocos de rua costumam atrair um público que, além da música, busca também beijar na boca.

É nesta época que aumenta a incidência da chamada ‘doença do beijo’ e de outras infecções transmissíveis pela saliva, afirma a infectologista Raquel Muarrek.

A mononucleose, uma contaminação viral, é conhecida como doença do beijo por ser transmitida pela saliva. Raquel lembra que compartilhamento de copos e talheres também pode transmitir a doença.

Os sintomas podem levar até três dias para se manifestarem após a contaminação, o que facilita a transmissão de uma pessoa para outra neste período.

A doença causa dor de garganta, fadiga, cansaço, febre, perda de peso e aumento dos gânglios linfáticos. É causada pelo vírus Epstein-Barr. O tratamento consiste em hidratação e repouso.

“A gente recomenda que não compartilhe copo e não beije. A pessoa pode ficar até um ano transmitindo a doença”, afirma a médica.

Outra doença transmissível pela saliva é o citomegalovírus, que possui quadro clínico muito parecido, com a diferença de não apresentar dor de garganta e ter um quadro de febre prolongado.

Segundo o Manual Merck de Diagnóstico e Tratamento, o vírus fica hospedado no corpo do por toda a vida e os sintomas podem reaparecer com queda da imunidade.

Herpes

Outro vírus que permanece no corpo após a contaminação é o da herpes. “O tipo 1 é que podemos pegar pela boca.”, afirma Raquel.

A transmissão pode acontecer mesmo quando as lesões características da doença não estão aparentes, de acordo com o Manual Merck.

A infectologista explica que a pessoa que foi contaminada pode levar até sete dias para apresentar a primeira infecção e até 30 dias para apresentar virologia positiva no exame de sangue.

Segundo Raquel, apenas 15% dos contaminados apresentam herpes recorrente — o restante das pessoas só vai apresentar sintomas quando a imunidade estiver baixa.

Sífilis

Apesar de a transmissão pelo beijo ser incomum, aumentam os registros de casos de sífilis após o Carnaval. A bactéria também pode ser transmitida por sexo oral.

Diferente das outras, virais, esta doença é causada por uma bactéria, Treponema pallidum. Ela é dividida em três estágios.

“No primário, o sintoma é a ferida na região genital. Apesar de incomum, já vi na boca também”, afirma.

A sífilis secundária apresenta manchas na pele e na mucosa da boca e pode apresentar febre. No terciário pode levar à meningite ou miocardite. O tratamento é feito com antibióticos (injeções de penincilina).

Caxumba

Por último, Raquel lembra da caxumba. “Apesar de ser uma doença com vacina, tivemos um surto em 2018 e 2019. Por isso é importante manter a carteira vacinal em dia”, afirma.

A doença pode ficar até 25 dias incubada e começar a ser transmitida até sete dias antes dos primeiros sintomas. O mais conhecido é o inchaço na região do pescoço, mas também apresenta cansaço e febre.

“É uma doença grave, pode levar a orquite [aumento da bolsa escrotal], pancreatite, meningite e até perda auditiva e da visão, já que afeta a parte neurossensorial.”

Leia mais:  Governador visita novos leitos Covid abertos no Hospital Santa Casa Castelense
publicidade

Medicina e Saúde

Desidratação é mais grave na terceira idade; saiba os riscos

Publicado

Percepção da sede é diminuída entre idosos; hidratação pode evitar infecções do trato urinário e diminuir chance de câncer 

Podemos sobreviver por vários dias sem comer, mas não sem beber, pois a água é essencial para muitos processos fisiológicos. Por isso, beber bastante água é essencial para qualquer pessoa, mas principalmente para os idosos, já que para eles as consequências da desidratação são mais graves.

Para que o corpo seja saudável é preciso mantê-lo bem hidratado. A água é essencial para a digestão, absorção e metabolismo dos nutrientes, bem como para a manutenção do sistema circulatório, transporte de nutrientes, eliminação de substâncias residuais e regulação da temperatura corporal.

Nesse sentido, a Sociedade Espanhola de Endocrinologia e Nutrição (SEEN) lembra que beber líquidos e se hidratar melhora a função digestiva e previne a constipação; diminui o risco de infecções do trato urinário e cálculos, além de poder ajudar a diminuir o risco de câncer colorretal e de bexiga.

A água em nosso corpo depende da idade. Com o passar dos anos, a quantidade de gordura no corpo aumenta e a porcentagem de massa muscular diminui e, paralelamente, a proporção de água

A água em nosso corpo depende da idade. Com o passar dos anos, a quantidade de gordura no corpo aumenta e a porcentagem de massa muscular diminui e, paralelamente, a proporção de água.

Os especialistas da Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia enfatizam que os idosos devem ser estimulados a beber água, mesmo que não tenham vontade, pois a percepção da sede é diminuída para eles. A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos indica que a ingestão adequada de água para adultos, incluindo idosos, seria de cerca de 2 litros por dia para mulheres e 2,5 litros para homens

Os especialistas da Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia enfatizam que os idosos devem ser estimulados a beber água, mesmo que não tenham vontade, pois a percepção da sede é diminuída para eles. A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos indica que a ingestão adequada de água para adultos, incluindo idosos, seria de cerca de 2 litros por dia para mulheres e 2,5 litros para homens.

 

Leia mais:  Campanhas de vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação têm dia D neste sábado (17)

Continue lendo

Medicina e Saúde

Limonada com alho e açafrão: Aumenta a imunidade e previne doenças Share

Publicado

Diariamente estamos expostos a todo e qualquer tipo de doença.

Porém, quando o nosso organismo não está fortalecido, ficamos ainda mais vulneráveis.

Por isso, é essencial dar um “up” ao nosso sistema imunológico, afinal, ele é a linha de defesa do nosso corpo contra vírus, bactérias, fungos e outras ameaças.

Para evitar esse quadro, alguns alimentos naturais auxiliam as defesas do corpo.

Temos como exemplo o alho, o açafrão e o limão, que, quando combinados, formam uma limonada que aumenta a nossa imunidade.

Benefícios do alho

O alho contém propriedades antivirais, bactericidas, antibióticas, antissépticas, vitaminas A, B, C e E.

Por isso, fortalece o sistema imunológico e eleva os sistemas de defesa do corpo, auxiliando no combate e prevenção de gripes e resfriados.

Segundo estudo da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, o alho tem componentes que fazem dele um excelente antibiótico e antiviral.

O alho também é rico em ferro, enxofre, selênio, iodo e zinco, minerais que ajudam o nosso organismo a se manter livre de agentes infecciosos.

Além disso, ajuda a bloquear a atividade das enzimas proteases de cisteína e desidrogenases de álcool.

Estas duas enzimas estão envolvidas no metabolismo de parasitas amebianos, vírus, fungos e bactérias.

Benefícios do açafrão

O açafrão tem ação antioxidante, anti-inflamatória, antiviral, bactericida e antifúngica.

Além disso, contém vitaminas C, E e K, além de minerais como cálcio, cobre, ferro, sódio, potássio, magnésio e zinco.

Todos esses nutrientes, aliados às atividades antioxidantes, ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

Com isso, o organismo aumenta as suas defesas contra vírus, bactérias e infecções.

Benefícios do limão

O limão é rico em vitamina C, nutriente que atua diretamente nas células de defesa, protegendo-as dos danos causados pelos radicais livres.

Desse modo, aumenta a produção de glóbulos brancos, que são responsáveis por combater microrganismos.

Além do mais, possui minerais como ferro, cálcio, fósforo, potássio e magnésio, que contribuem para o fortalecimento do sistema imunológico.

Limonada com alho e açafrão

Essa limonada ajuda a aumentar a imunidade, diminui as chances de ficarmos doentes e acelera a recuperação.

Ingredientes:

  • 3 dentes de alho
  • 1 colher (chá) de açafrão/cúrcuma em pó
  • 2 limões
  • 150 ml de água quente

Modo de preparo e consumo:

Descasque o alho, coloque no liquidificador ou mixer, adicione o suco dos limões, a cúrcuma e bata bem.

Adicione a água quente, misture bem e tome logo após o preparo três vezes ao dia, da seguinte maneira:

Pela manhã, em jejum – 30 minutos antes do café da manhã;

Ao meio-dia, 30 minutos antes do almoço;

À noite, meia hora antes de deitar.

Leia mais:  Diabetes é principal fator de risco da covid-19
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana