conecte-se conosco


Segurança

Cerveja falsificada: 2 mil garrafas prontas para venda são apreendidas em Vila Velha

Publicado

Durante a ação da Decon, oito pessoas foram presas e quase 30 mil garrafas que estavam chegando para serem adulteradas foram apreendidas

A Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon) deflagrou, na segunda-feira (13), uma operação de combate à falsificação de bebida alcoólica no bairro Novo México, em Vila Velha. 

Ao todo, oito pessoas foram presas durante a ação. Além disso, foram apreendidas quase 30 mil garrafas que estavam chegando para serem adulteradas, e mais de duas mil garrafas de cerveja já falsificadas e prontas para venda.

A operação foi realizada durante cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela 6ª Vara Criminal de Vila Velha. Os policiais foram até o galpão que falsificava as bebidas e flagraram um caminhão dentro do estabelecimento com cerca de 30 mil garrafas.

“Durante as diligências, localizamos duas mil garrafas já falsificadas e pontas para venda. No local, também foram apreendidos materiais para falsificação, como rótulos, tampas, colas e lacres. Eles estavam usando falsificações de marcas tradicionais e bastante conhecidas”, conta o titular da Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), delegado Eduardo Passamani.

Leia mais:  Homem furta picanha em supermercado com filha e ameça neto com faca em Vila Velha

No local, estavam oito homens que confessaram que o local funcionava como ponto de adulteração de cerveja. 

Segundo a polícia, eles foram conduzidos à Decon, onde foram autuados em flagrante pelos crimes de falsificação de bebidas, concorrência desleal, venda de produto impróprio ao consumo e associação criminosa. 

Depois, os suspeitos foram encaminhados ao Centro de Triagem de Viana (CTV).

publicidade

Segurança

Suspeitos de abuso e exploração sexual infantil na internet são presos durante operação no ES

Publicado

As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC)

Dois suspeitos foram presos em flagrante nesta quinta-feira (30) por abuso e exploração sexual, no ambiente virtual, no Espírito Santo. As prisões fazem parte da Operação Luz na Infância, deflagrada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC).

O títular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, afirmou que as duas prisões já realizadas foram efetuadas nos municípios de Vitória e Vila Velha. Se condenados, os presos podem cumprir até dez anos de prisão.

“Foram conduzidas para a unidade policial, vamos lavrar o procedimento e encaminhar ao Poder Judiciário. Com elas foi encontrado material de abuso extremamente bárbaro. A Polícia dá prioridade a isso porque afeta não só as crianças, mas o entorno dela, o crescimento da criança, os pais, familiares, o ambiente escolar. Queremos prender esses criminosos e levar à Justiça”, afirmou a autoridade policial.

De acordo com informações da PC, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em três municípios do Estado nesta quinta (30). 

Leia mais:  12ª Companhia Independente inaugura nova placa do projeto Rede Comunidade Segura

A ação faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Ao todo, são 162 alvos no Brasil e mais 6 países, incluindo os Estados Unidos.

Continue lendo

Segurança

Idosa cai em golpe do bilhete premiado em Camburi e transfere R$ 200 mil para suspeitos

Publicado

Dois homens e uma mulher participaram do crime e acabaram detidos na Serra, enquanto tentavam sacar o valor

Uma senhora de 75 anos foi vítima do “golpe do bilhete premiado” nesta terça-feira (28), enquanto caminhava no calçadão da Praia de Camburi, em Vitória. A idosa acabou transferindo R$ 200 mil para a conta de um dos suspeitos, dois homens e uma mulher, que acabaram detidos na Serra.

A vítima foi abordada pelos dois homens, que se aproximaram e disseram que um deles tinha um bilhete premiado da loteria. De acordo com a polícia, o prêmio seria de R$ 2,9 milhões.

Com tanto dinheiro para receber, os dois suspeitos fizeram uma proposta para a idosa: pediram que ela fizesse uma transferência bancária no valor de R$ 200 mil e garantiram que depois a senhora receberia um valor maior.

Ela foi levada de carro por eles até uma agência bancária, no bairro Parque Residencial Laranjeiras, na Serra, onde realizou a transferência. Em seguida, foi convencida a aguardar enquanto os dois homens seguiam para outra agência do bairro, para fazer o saque.

Leia mais:  Justiça nega pedido de liberdade para acusado de assassinar ex-governador Gerson Camata

Assim que eles partiram, a idosa ligou para um funcionário da empresa da família e pediu que fosse puxado o extrato da conta. De acordo com a polícia, o colaborador chegou a perguntar o motivo, mas ela desconversou e desligou. Ele então checou o extrato e verificou que ela havia feito a transferência de valor elevado.

O funcionário ficou desconfiado de que ela pudesse ter caído em um golpe e seguiu às pressas para a agência onde a idosa estava para tentar evitar o prejuízo. Lá pediu ao gerente o bloqueio da conta e acionou a Polícia Militar.

Na sequência, buscas foram feitas e os suspeitos foram detidos na porta de outra agência bancária, após tentarem sacar o dinheiro. Além dos dois homens, foi detida também uma mulher.

Os suspeitos já foram identificados. Confira nomes e quais foram as participações:

• Kalita Vianna Sarmento Soares, de 34 anos, teria entrado na segunda agência com o segundo suspeito;

• Carlos Henrique Caixeiro e Souza, de 32 anos. Os dados da conta dele foram passados para a idosa. Ele alega que não sabia que as informações seriam para um golpe.

Leia mais:  Crianças desaparecidas há mais de um ano são encontradas em Marataízes e Piúma, no Sul do ES

• Álvaro Lopes Naschi, de 35 anos. Ele aguardava Kalita e Carlos em um carro, na porta da segunda agência.

De acordo com a Polícia Civil, os três foram autuados em flagrante por estelionato e encaminhados ao sistema prisional. Álvaro já teve passagem criminal, entre dezembro de 2017 a abril de 2019, por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana